TRANSLATE/TRADUTOR

sábado, fevereiro 07, 2015

MAIS UMA BOMBA CONTRA LULA E O PT, ENQUANTO ISSO MARCOS VALÉRIO ESTARIA APANHANDO MUITO NA PRISÃO.

Mais uma reportagem bomba. Agora é a revista ISTOÉ que revela mais uma história escabrosa envolvendo um amigão de Lula que, segundo a revista obteve um empréstimo de R$ 12 milhões via Banco Schahin. A dinheirama era para calar a boca de um grandalhão que ameaçava contar tudo sobre o assassinato do ex-prefeito petista Celso Daniel, envolvendo Lula e os ex-ministros José Dirceu e Gilberto Carvalho. A revelação da reportagem reforça a denúncia de Marcos Valério feita em 2012. Valério está preso na Papuda. O site O Antagonista afirma saber que Marcos Valério apanha muito na prisão. Leiam:
Relatório inédito do Banco Central anexado a um inquérito da Polícia Federal, obtido com exclusividade por ISTOÉ, revela que o pecuarista José Carlos Marques Bumlai, amigo do ex-presidente Lula, obteve em outubro de 2004 um empréstimo de R$ 12 milhões junto ao Banco Schahin. O documento desmonta a versão de Bumlai de que nunca havia contraído financiamento do banco e reforça denúncia do publicitário Marcos Valério feita em 2012. Naquele ano, em depoimento ao Ministério Público Federal, o operador do mensalão afirmou que o pecuarista intermediou uma operação para comprar o silêncio do empresário de transportes Ronan Maria Pinto. Segundo Valério, Ronan ameaçou envolver o ex-presidente Lula, e os ex-ministros José Dirceu e Gilberto Carvalho no assassinato do então prefeito de Santo André Celso Daniel. Valério tentava um acordo de delação premiada e disse ainda que, como contrapartida ao empréstimo a Bumlai, a Schahin foi recompensada com contratos bilionários de arrendamento de sondas para a Petrobras. Os contratos estão na mira da Operação Lava Jato, que incluiu a Schahin no inquérito aberto para apurar o esquema de pagamento de propina e desvios na Petrobras, conforme antecipou ISTOÉ em sua última edição.

AS PRIMEIRAS REVELAÇÕES: operador do mensalão, Marcos Valério contou ao Ministério Público que o empréstimo foi necessário para proteger Lula, José Dirceu e Gilberto Carvalho.
Amigo de Lula, o empresário José Carlos Bumlai sempre negou o empréstimo de R$ 12 milhões confirmado agora por documentos do Banco Central (acima) obtidos por ISTOÉ - Clique sobre a imagem para vê-la ampliada
No documento do BC, datado de 7 de agosto de 2008, Bumlai aparece numa lista de 24 devedores do Banco Schahin beneficiados com empréstimos concedidos de forma irregular, “sem a utilização de critérios consistentes e verificáveis”. Para liberar a bolada, o Banco Schahin burlou normas e incorreu em seis tipos de infrações diferentes. Desconsiderou, por exemplo, a apresentação pelo cliente de dados cadastrais completos e atualizados, não procedeu qualquer análise da capacidade financeira de Bumlai ou mesmo de seus avalistas. Em outras palavras, o empréstimo milionário ao amigo de Lula foi liberado sem as garantias exigidas de qualquer cidadão comum.
Ainda assim, quando Valério revelou a operação, Bumlai poderia ter admitido o empréstimo e alegado outro destino para o dinheiro. Mas preferiu dizer que nunca teve nada a ver com o Banco Schahin. Todos os citados por Valério adotaram a mesma estratégia. Questionado novamente, Bumlai, por meio de seu advogado, negou “qualquer envolvimento com os fatos objeto de depoimento de Marcos Valério”. E o grupo Schahin classificou o caso como “uma rematada mentira que jamais foi comprovada”.
Não bastasse a inobservância das regras para a concessão do empréstimo a Bumlai, o Banco Schahin, segundo o documento do Banco Central, maquiou o nível de risco da operação, classificando-a como “B”, quando na verdade era “E”, de acordo com a análise do BC. O ranking de risco do mercado financeiro obedece a uma escala crescente de nove níveis, começando em AA, praticamente nulo, e depois seguindo de A até H, o pior. Ao classificar o empréstimo com nível de risco inadequado, o Schahin “constituiu provisão insuficiente para fazer face às perdas prováveis”, informou o Banco Central. Além de apontar inúmeras deficiências nos controles internos da área de crédito bancário, o BC ainda determinou um ajuste contábil de R$ 108,7 milhões.
Não à toa Bumlai foi escolhido, segundo Marcos Valério, para ser um dos pontas de lança da operação. Pecuarista oriundo da região Centro-Oeste, o empresário foi apresentado ao ex-presidente Lula pelo ex-governador de Mato Grosso do Sul Zeca do PT. A afinidade foi tanta que uma das fazendas de Bumlai serviu de palco para um dos programas da campanha de Lula em 2002. Com a ascensão de Lula à Presidência, Bumlai passou a desfrutar de acesso livre no Palácio do Planalto. Era recebido sem marcar hora e tornou-se um conselheiro de Lula para o agronegócio. Por indicação do ex-presidente, integrou o chamado Conselhão do governo – Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Clique AQUI para ler a reportagem na íntegra

12 comentários:

Anônimo disse...

li tudo e não achei a parte onde diz que o careca esta apanhando na prisão...

de onde vem essa informação?

Aluizio Amorim disse...

Está no link. É só clicar. A informação é de O Antagonista.

Jurandir disse...

TODO O BRASIL

https://pbs.twimg.com/media/B9IHp53IAAAzmkD.jpg

Anônimo disse...

sim, sabia que o Antagonista também tinha falado sobre o careca estar apanhando..

mas la também não explica de onde vem a informação...

fiquei curioso...

na reportagem da revista não esta, li tudo...

esperemos, então...

Anônimo disse...

Não sei se seria possível , mas acho que o juiz Sérgio Moro deveria ouvir Marcos Valério , quando ele quis abrir a boca já era tarde , chegou a hora dele dar o troco .

Anônimo disse...

Uma correção: Marcos Valério está, como outros mensaleiros de MG, numa penitenciária próxima de B. Horizonte, a de Neves (e as mulheres condenadas, na Estevão Pinto). Ou foi transferido para a Papuda?

Anônimo disse...

o careca do mensalão marcou bobeira...

quis dar uma de esperto achando que poderia acender uma vela para cada santo e sair ileso..

quando resolveu abrir o bico, ja estava desmoralizado e carimbado pela turma da esquerda como bandido...

pelo menos os outros corruptos parecem ter aprendido a lição e estão abrindo o bico...

Mara Medes disse...

Ele não está preso no presídio Nelson Hungria em Contagem MG

fred oliveira disse...

Uma verdadeira bomba. O cerco se fecha.O pt nao resistira ao tempo pois todos os nomes que ele havia preparado para permanecer no poder, encontra-se baleado, na prisao ou em vias de. Nao sobra ninguem. Dilma, apesar de atual presidente, e' fraca e nao se elege para mais nada. Resta sempre Lula que, reconheço, ainda tem certo prestigio entre os mais pobres, sobretudo, no nordeste. Mesma assim, sabe que nao e' mais o Lula bombado de votos do passado. Nao e' mesmo. E pode perder a eleiçao em 2018, se for mesmo candidato. Enfim, o pt nao resistira' ao tempo.

Wellington Farias disse...

Meu Caro Aluizio.
Sou leitor contumaz do blog e deixou-me estupefato saber que a Isto É, até então chapa-branca, começa a seguir Veja.
Grato.
Nino Yoshida.

Anônimo disse...

Oro a Deus para que o PT e LULA,DILMA todos caiam e deixem o governo pra sempre...A oração tem poder.

Anônimo disse...

Aluizio,me lembrei de uma matéria de Diogo Mainardi, 27 setembro 2006 e transcrevo com sua permissão fragmento do texto (mudou a linha jornalistica ou mudou a relação de troca de interesses):
Diogo Mainardi
IstoÉ, a mais vendida

Fim de agosto. Base aérea de Congonhas. Lula se encontra com Domingo Alzugaray, dono da IstoÉ. O encontro está fora da agenda presidencial. Alzugaray se lamenta dos problemas financeiros da revista. Sabe como é: salários atrasados, contas penduradas com o fornecedor de papel e com a gráfica. Lula pergunta como pode ajudá-lo. Alzugaray sugere o pagamento imediato de uma série de encartes encomendados pela Petrobras. Valor total: 13 milhões de reais. Lula promete se interessar pelo assunto. Duas semanas depois, a IstoÉ publica a matéria de capa com os Vedoin, incriminando os opositores de Lula.( a matéria continua).Bendita Internet!