TRANSLATE/TRADUTOR

quarta-feira, junho 10, 2015

COM O GÁS DE XISTO, ESTADOS UNIDOS SE TRANSFORMAM NO MAIOR PRODUTOR MUNDIAL DE PETRÓLEO. O QUE JÁ ERA BOM FICOU ÓTIMO.

Há alguns anos os cientistas americanos começaram a desenvolver novas tecnologias para extrair petróleo do xisto. E foi no primeiro período do mandato de Obama que se iniciaram os ensaios para a extração do gás de xisto. Nessa época houve uma gritaria geral dos ecochatos que vivem encalacrados nessa história de 'aquecimento global'. 
A fabulosa inovação que traria, como de fato trouxe, a independência dos Estados Unidos em relação a esse insumo energético é uma realidade. Por muito tempo continuará garantindo o desenvolvimento econômico e o bem-estar dos seres humanos. Calcula-se a população da Terra em torno de 7 bilhões de habitantes devendo chegar a 8 bilhões no final deste século. E todos os terráqueos precisam de energia.
Para os ecochatos a extração do gás de xisto teria um impacto ambiental demolidor. Inicialmente, Obama namorou com a ideia ecochata, reação comum de qualquer comunista. Obama é comunista e, como comunista, é ecochato, já que o ambientalismo é uma variante do comunismo do século XXI. 
Com o advento do gás de xisto, Obama já desistiu de ressuscitar Karl Marx...
O berreiro dos ambientalistas não deteve sequer um milímetro no avanço do projeto do gás de xisto. Obama e o Partido Democrata também silenciaram, quem sabe vislumbrando mais adiante a possibilidade de bater no peito e afirmar que foram eles que deram aos Estados Unidos a possibilidade da autossuficiência na produção de petróleo que se confirmou nesta quarta-feira, 10 de junho de 2015. Veremos isso, quem sabe, na campanha eleitoral presidencial americana que já está em campo a todo vapor.
Sorry, ex-potentados árabes. Como é sabido, tirante Israel, o resto do Oriente Médio depende exclusivamente das exportações de petróleo. Essas ditaduras não produzem sequer uma agulha. Importam tudo. Enquanto lideraram a produção de petróleo podiam dar murros nas mesas de negociação. Nos anos 70 do século passado deflagraram a crise do petróleo por meio da famigerada Opep.
Com a autossuficiência norte-americana na produção de petróleo os malucos de toalha na cabeça se verão privados dos dólares. Se avizinha tempos difíceis para aquela região. O mesmo impacto será sentido pelo Irã dos aiatolás. Petróleo só enche barriga quando se transforma em dólares que compram bens e serviços, sobretudo produtos alimentícios.
Outro detalhe importante é que os Estados Unidos também não comprarão mais petróleo da Venezuela bolivariana. Ao contrário, poderão se tornar exportadores de petróleo.
Vislumbra-se no horizonte da geopolítica uma mexida fantástica com reflexos variados e impensáveis até mesmo no curto prazo.
Por isso que peguei no rádio no meu carro por volta do meio dia desta quarta-feira a Míriam Leitão em desabalada falação no programa do Sardenberg na Rádio CBN, prevendo o fim dos combustíveis fósseis ainda neste século. Só de raiva eu acelerava o meu carro. Naquele momento não poderia intuir que à noite estaria escrevendo estas linhas com incontida felicidade. Ave! Estados Unidos!
Transcrevo como segue matéria do site da revista Veja noticiando que os Estados Unidos se tornaram nesta quarta-feira, dia 10 de junho de 2015, no maior produtor de petróleo do mundo. Sorry, periferia bolivariana. Leiam:
Os Estados Unidos se tornaram o maior produtor de petróleo do mundo pela primeira vez desde 1975, ultrapassando a Arábia Saudita, graças ao óleo de xisto. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pela companhia de petróleo britânica BP. A empresa apresentou também dados sobre a produção mundial de petróleo, afirmando que a oferta da commodity nunca cresceu tanto como no ano passado, com avanço de 2,1 milhões de barris por dia. Este aumento é explicado, principalmente, pelo crescimento de 1,6 milhão de barris por dia de produção americana. A produção de petróleo cresceu 15,9% nos Estados Unidos no ano passado, enquanto a do Brasil avançou 2%, mostra a BP.
Segundo o relatório, esta é a primeira vez que um país consegue aumentar sua oferta em mais de 1 milhão de barris por dia durante três anos consecutivos. "Os Estados Unidos ultrapassaram a Arábia Saudita e a Rússia como o principal produtor de petróleo pela primeira vez desde 1975", disse Bob Dudley, diretor executivo da BP. "As implicações da revolução de xisto americano são profundas", disse ele.
Um exemplo dessas mudanças é o fato de os Estados Unidos terem reduzido significativamente suas importações, a ponto de ceder à China o lugar de maior importador. Isso ocorre apesar da desaceleração econômica que fez a demanda chinesa cair a apenas 2,6% em 2014, muito menos do que a média anual de 6,6% nos últimos 10 anos.
O óleo de xisto é um substituto do petróleo, cuja técnica de extração envolve a injeção de água sob alta pressão e perfuração em rochas localizadas a entre 1.500 a 2.400 metros de profundidade (por meio da técnica de fraturação hidráulica). Esta técnica tem expandido as possibilidades de extração de petróleo e é uma ameaça para o domínio dos produtores tradicionais. Do site da revista Veja

23 comentários:

samuel disse...

Préçal ist kaput... kkkk

Antipetista disse...

A notícia que eu gostaria de ter lido era que os EUA decidiram invadir esta pocilga bananeira e decretá-la como seu 52º estado, sem direito a qualquer autonomia. Passariam a vigorar aqui todas as leis americanas.

Anônimo disse...

Os países árabes doravante cada vez mais ficarão dependentes do Ocidente, o que não é má notícia, pois mamaram nos EUA e noutros em especial nesse quesito petróleo por décadas impondo preços e agora de pires na mão!
Como são aprox. como há 2000 anos, os muçulmanos têm uma religião-ideologia muito complicada; nunca progridem e faz com que em nada diferenciam dos pérfidos regimes comunistas por onde passam: levam apenas atraso, miséria, destruição, e morte e uma violência sem fim, inclusive facções se estraçalhando entre si, como os comunistas.
Um chute no traseiros dos árabes, da Russia em particular que sentirá muito e da Venezuela, já que sem os EUA faltarão, além de muito pão na mesa deles, menos dinheiro para promoverem o maldito marxismo, e que se estrumbiquem!...
UMA CACETADA NA "OREIA" DO PUTIN...

Anônimo disse...

os "brimos terão que começar a exportar areia, que agora será o único produto em abundancia por aqueles lugares...

a coisa vai ficar feia pro lado deles...

e o bananal sonhando acordado com o tal pre-sal, que dorme em sono profundo a uns 7km de profundidade...

vamos vender essa estrovenga que custará uma fortuna para ser extraída para quem agora?

Anônimo disse...

talvez continuem comprando algum petróleo venezuelano por pura caridade...

tinha que haver um jeito é de dar um xeque mate no gás vendido pela Russia...

é ai que reside o que restou do peito estufado dos comunistas...

Anônimo disse...

Aluízio, isso não vai contribuir para dar um choque muito grande nas pretensões comunistas por faltar dinheiro para seus projetos toscos de poder?

Bom demais isso! E os EUA merecem.

Anônimo disse...

Enquanto os golpistas Lulalau e Didoida, prometem o Pre-sal sem nenhunhum estudo e propaganda enganosa. Os Estados unidos,com discricao e cautela,realizam estudos ,experiencias, so entao declaram as suas conquistas, baseadas em realidades.

TERMINATOR disse...

Estados Unidos é Estados Unidos e ponto final. A maior potência jamais vista sobre a face da terra. Vai durar tanto quanto o império romano ou egípcio? Não sei, talvez sim mas o que importa é que eles são o que o Brasil jamais será. Querem um exemplo? É oficial, um trabalhador americano rende quatro (!!!) vezes mais que um brasileiro. Alguma surpresa nisto? É claro que não pois brasileiro é isso aí mesmo, não passam de uns pobres coitados para servir de capacho e piada para os outros enquanto vivem suas vidas miseráveis pulando carnaval e torcendo para times de futebol. Terra onde alguns se destacam (poucos por mérito, maioria roubando ou trapaceando) e logo tratam de usar como escravos/massa de manobra/bobos úteis/etc os demais (que são a gigantesca maioria) que pararam no tempo e deram bobeira. Terra sem lei, sem futuro, sem moral, sem nada. Brasileiro é o exemplo máximo de um povo perdedor. Brasil é o exemplo máximo de um país que juntou todos os ingredientes necessários no decorrer da sua história para o fracasso total. Simples assim.

Luiz Oliveira disse...

Estados Unidos da América do Norte: uma nação abençoada por Deus, uma sociedade que deu certo, um país de verdade. Em tudo diferente do Bananão tupiniquim, República dos Bruzundangas regido pela impunidade, corrupção e retrocesso.

Luiz Oliveira disse...

País sério, nação vitoriosa é outra coisa. Nada a ver com a República dos Bruzundangas sem dinheiro para tornar realidade uma obsessão marqueteira chamada pré-sal. Os EUA se tornaram oficialmente, esta semana, o maior produtor mundial de petróleo. Sem precisar recorrer a emocionalismos baratos, como, por exemplo, Obama mostrando, para todo o mundo, as mãos sujas de petróleo como fez lula. Os norte americanos para se tornarem o maior produtor mundial do hidrocarboneto não precisaram fazer lambanças, apelos patrióticos mixurucas, contratar o marqueteiro João Santana. Não precisaram dizer que o dinheiro do petróleo iria financiar a educação e a saúde. Não precisaram dizer que o petróleo era deles, assim como aqui se diz que o petróleo é nosso. Simplesmente investiram muito dinheiro em pesquisas, desenvolvimento, inovação, tudo discretamente feito em laboratórios de ponta, sem gritarias, sem histeria, sem comerciais caros bancados pelos pagadores de impostos na TV comercial, sem sindicalistas ameaçando de expropriação "os burgueses do grande capital", sem marchas do MST. Por isso os EUA são o que são e nós somos o que somos. Lá não tem Petrolão com corrupção bilionária de estatais petrolíferas com diretores desviando esses bilhões para o exterior, porque lá as petroleiras são todas privadas. Congratulações ao grande povo norte americano!

Alexandre Sampaio disse...

São Paulo, 11 de junho de 2.015

Dear Mr. Amorim,

God bless America! My home, sweet home!

Anônimo disse...

Diante dessa porrada no meio da lata da petralhada, os comunistinhas vão se queixar de bullying. Sabe por que os USA estão sempre á frente? Por que lá bandido não tem vez, estudante vai para a faculdade para estudar e vagabundo comunista não tem credibilidade alguma!
Taca-le pau, Estados Unidos!
Já posso ouvir a choradeira de bolivarianos, islâmicos e assemelhados.Dane-se a petrobrás! Dane-se o pré-sal!

Anônimo disse...

Vamos com calma! Comunista é enganador onde quer que esteja. Aqui, a descoberta do pré-sal foi usada para tentar dar importância e credibilidade aos bandidos do poder e se tornou uma espécie de escudo contra questionamentos. E se Obama estiver seguindo o mesmo beabá?... Torço para que não seja. Desconfiar sempre; afinal, o comunismo é sustentado pela falsidade.

TERMINATOR disse...

Mais uma notícia ótima. Os EUA acabam de vender aviões Supertucano da Embraer (mas fabricado nos USA) para o Líbano através do crédito americano FMS. Essa é a primeira venda dos aviões brasileiros construídos sob licença nos States visto que os primeiros que foram repassados para o Afeganistão eram da USAF. Resumo: Aviões brasileiros feitos sob licença nos EUA com linha de crédito e apoio governamental americano para um de seus aliados. E tudo isso sem o bedelho do governo de merda do PT. Chupa, Dilma!

Anônimo disse...

Malucos de toalha na cabeça,...hahahaha....essa foi , Aluizio!
Cuidado... .

Cavalaria Ligeira

Anônimo disse...

Não sou antiamericano e nem fã dos americanos, mas ao contrário dos playboys&patricinhas esquerdistas, reconheço suas contribuições para raça humana.
No ponto que estamos chegando é melhor torcemos que um republicano (como Reagan não Bush) assuma o país ano que vem pra tentar equilibrar o mundo novamente. Como diz o ditado: é melhor está em nas garras da águia do que na boca do dragão!

Sereno disse...

Quando pago pau para os EUA e Israel sou sempre criticado pelos meus queridos colegas de trabalho, pois trabalho em uma empresa pública totalmente e impiedosamente aparelhada pelo PT - Partido dos Trabalhadores que nunca Trabalharam.
Hoje, vou rir mais alto e com mais gosto. Chupa cambada de incompetentes.
O problema desse nosso país-zinho é ter sido colonizado por bandidos portugueses ao invés de uma nação de verdade. Veja a Austrália de geografia similar mas quanta diferença.
Grande Brazil, único país do mundo a ter o nome de uma árvore, país do "farinha pouca, meu pirão primeiro", país do "é dando que se recebe". país do "gosto de levar vantagem em tudo, certo?".
Prá isso aqui melhorar teria que começar do zero, o que é impossível.
Viva U S A!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Que maravilha!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Tecnologia desenvolvida em Israel!!

Shalom!

Paolo Hemmerich

Eduardo Araújo disse...

Ótima notícia, Aluizio.

Já prevejo daqui a alguns anos, a "justificativa" para o fracasso das economias bolivarianas:

"a culpa é dos Estados Unidos que não querem negociar conosco"

:))))))))))

Anônimo disse...

Lula, pré sal!

Obama, xisto!

Não é a toa que Obama elogiou o Lularapio: "Este é o cara!"

Anônimo disse...

É isso aí: O pavilhão americano novamente "On Top of the World" --

CHUPA ESSA, esquerdalha!!!

*Se o Obanana não fosse comunista, seguraria um pouquinho para dar a notícia no 4 de Julho, dia da Independência dos EUA - Mas aí ia ser muita glória da iniciativa privada, não é mesmo?

Anônimo disse...

os caras só tem o óleo pra vender, não beneficiam porra nenhuma...

são nações desenvolvidas que desenvolvem os produtos à base de petróleo...

fossem por esses aiatolás, petróleo seria apenas um liquido viscoso e escuro...

é como o gás na Bolívia...

dormiu embaixo da terra durante milênios, ate que a Petrossauro - que perto da tecnologia existente na Bolívia é um portento tecnológico - chegou la e instalou uma refinaria de gás...

os bolivianos recebiam uma grana...

ai chegaram os petralhas e lesaram o patrimônio publico nacional entregando a refinaria para o cocaleiro Morales de graça...