TRANSLATE/TRADUTOR

sexta-feira, julho 24, 2015

DETONANDO A QUADRILHA DO PETROLÃO: MINISTÉRIO PÚBLICO DENUNCIA MARCELO ODEBRECHT E MAIS 21 POR CORRUPÇÃO, LAVAGEM DE DINHEIRO E ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA.

Acima Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo denunciados pelo Ministério Público Federal nesta sexta-feira. No meio a gigantesca e luxuosa sede da Odebrecht em São Paulo. Abaixo Marcelo Odebrecht participa, com a Dilma, de um 'alegre' encontro com o ditador assassino cubano Raúl Castro. (Fotos da revista Veja)
Há pouco escutei em transmissão pela rádio CBN a demolidora apresentação do Procurador Federal da Operação Lava Jato, Daltan Dallagnol descrevendo em minúcias e provas irrefutáveis a criminosa lavagem de dinheiro levada a efeito por supostos empresários. Digo supostos, porque essa gente não pode ser designada como "empresários". São bandidos, lavadores de dinheiro público. É algo espantoso e explica de uma vez por todas o que reiteradamente afirmei aqui neste blog, ou seja, que Lula e seus sequazes não estariam no poder há mais de uma década se não fosse pelo apoio, lamentável, dos ditos mega empresários e banqueiros. 

Agora fica tudo muito claro para os cidadãos brasileiros, cuja ira é compreensível, depois que foi estourada a bolha podre dentro da qual o PT e seus asseclas, neste caso os ditos mega empresários, festejavam em sucessivos e verdadeiros banquetes de abutres. 

Por tudo isso, é necessário e urgente o impeachment da Dilma e a responsabilização penal de todo o staff governamental desde os governos de Lula e, finalmente, a cassação definitiva do registro do PT e também das tais redes de sustentabilidade comunista que sustentam esses vagabundos no poder! A democracia e a liberdade não podem conviver com seus assassinos! 

Transcrevo reportagem do site de Veja que dá uma idéia do escandaloso contubérnio à cubana dos arrogantes supostos empresários e agentes públicos. Não fosse a Operação Lava Jato e o cumprimento dos ditames da Constituição por magistrados e membros do Ministério Público Federal, os cofres públicos continuariam a ser dilapidados para sustentar o festim diabólico e debochado desses traidores da Nação. Leiam:
O Procurador Federal da Lava Jato, Daltan Dallagnol, explicou detalhadamente a vergonhosa e criminosa lavagem de dinheiro público para beneficiar os artífices do petrolão. Notem acima a fatídica estrela vermelha do PT. (Foto do site O Antagonista) - Clique sobre a foto para vê-la ampliada.
O Ministério Público Federal apresentou nesta sexta-feira à Justiça a mais importante denúncia da Lava Jato desde o início da operação, em março de 2014, e formalizou a acusação contra o presidente da construtora Norberto Odebrecht, Marcelo Odebrecht, contra o presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, e contra outros vinte executivos e ex-funcionários das duas empresas, lobistas e contra investigados como o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Entre os crimes apontados estão corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.
Com a apresentação da denúncia, o próximo passo é o juiz Sergio Moro, responsável pelos processos relacionados ao petrolão em Curitiba (PR), analisar os indícios apresentados pelo Ministério Público e decidir se transforma ou não os investigados em réus. Sem contar as apresentadas nesta sexta, a Lava Jato já conta com 24 denúncias formais contra empreiteiros, doleiros, ex-deputados, lobistas e ex-diretores da Petrobras. Até o final de maio, 117 pessoas haviam sido denunciadas pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Outras autoridades, como deputados e senadores, que têm direito a foro privilegiado, são investigadas em Brasília (DF).
Esquema de lavagem de dinheiro engendrado pela Odebrecht e descoberto pela Lava Jato (VEJA/Reprodução) - Clique sobre a imagem para vê-la ampliada
Nesta sexta-feira foram denunciadas as seguintes pessoas: Alberto Youssef, Alexandrino Alencar, Antônio Campello Dias, Armando Furlan, Bernardo Freiburghaus, Celso Araripe, Cesar Ramos Rocha, Eduardo Freitas Filho, Elton Negrão, Fernando Baiano, Flávio Machado Filho, Lucélio Goes, Marcio Faria, Mario Goes, Otávio Maques de Azevedo, Paulo Roberto Costa, Paulo Dalmazzo, Paulo Sérgio Boghossian, Pedro Barusco, Renato Duque e Rogério Araújo.
A força-tarefa da Lava Jato aponta na denúncia a prática de 106 atos de corrupção ativa e 71 atos de corrupção passiva, além de 72 lavagens de dinheiro, segundo o procurador da República Deltan Dallagnol. "Essas acusações são o símbolo de que ninguém está acima da lei", disse o procurador.
Embora a construtora Odebrecht sempre tenha estado no radar dos investigadores da Lava Jato, indícios mais contundentes contra a construtora ganharam corpo depois do depoimento de delatores como o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o ex-gerente da estatal Pedro Barusco, que indicaram a empresa como uma das pagadoras de propina a agentes públicos. O cerco contra a maior empreiteira do país se fechou ainda mais depois de os investigadores da Lava Jato terem detectado mensagens cifradas de Marcelo Odebrecht e encontrado seis novas contas correntes ligadas ao grupo abertas em nome das offshores Smith & Nash Engeinnering Company, Arcadex Corporation, Havinsur S/A, Golac Project, Rodira Holdings, Sherkson Internacional e utilizadas para pagar propina a ex-funcionários da Petrobras.
Além dessas contas, referências à Constructora Del Sur e Klienfeld já haviam sido mapeadas nas investigações como mecanismo para distribuir propina no exterior. Aliado a isso, uma análise das mensagens telefônicas de Marcelo Odebrecht aponta que o executivo escreveu textos com referência a "dissidentes PF" junto com o trecho "trabalhar para parar/anular" a investigação. A possibilidade de as palavras indicarem que Odebrecht poderia estar atuando para derrubar a Operação Lava Jato foi considerada "perturbadora" pelo juiz federal Sergio Moro, que conduz os processos relacionados ao escândalo do petrolão na primeira instância. Nesta sexta, com base em novas provas colhidas ao longo da Lava Jato, Moro decretou nova prisão preventiva de Marcelo Odebrecht e de outros quatro executivos ligados à construtora. Do site da revista Veja

6 comentários:

Blog Bocas e Notícias disse...

Vamos lá Brasil!! Muito boa!!

Anônimo disse...

Caro Aluízio
FINALMENTE!!!!! ACABOU!!!!!!A Odebrecht está sendo investigada em Portugal, USA, Panamá, etc. E o Lula vai juntinho com us cumpanheru. kkkkkkkkkkkk.
Esther

Degil Propag disse...

--Nunca tivemos oposição, e pelo jeito ainda levaremos anos para construir um sistema político decente, digno da maioria do povo brasileiro... obrigado ministério público federal, parece que lá existem brasileiros do bem e com vergonha na cara... vamos continuar vigiando e torcendo... é o que nos resta!

Anônimo disse...

a vez dos políticos tem que chegar logo...

sera que o empresariado brasileiro dessa vez aprende que não deve se misturar com essa gente porque, daqui pra frente, vai sempre sobrar tudo pra eles?

minha esperança é que a Justiça fique cada vez mais globalizada, para que outros países possam colocar as mãos nessa gente que usa o sistema bancário internacional pra lavar grana...

a Suíça e os EUA tem de cair de pau em cima dessa cambada...

o próximo candidato a presidente deveria ter como plataforma a promessa de ampliar os acordos de extradição com todos os países civilizados para que a gente cerque esse pessoal de maneira que eles não tenham mais para onde ir...

Anônimo disse...

Dilma AMA os ditadores! (TA' COERENTE)!

Anônimo disse...

Ao que parece ainda faltam alguns a se explicarem. Segundo matérias publicadas na imprensa ex-Odebrecht, já acionado nos Estados Unidos, deveria explicar alguns fatos atuais.


http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/07/1650632-braskem-e-processada-nos-eua-em-conexao-com-escandalo-da-petrobras.shtml

Estava eu lendo notícias de economia, quando me deparo com a seguinte matéria:

Os Gradin depois da Odebrecht

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20120525/gradin-depois-odebrecht/81606.shtml

Em seguida observe as seguintes passagens de outra publicação:

"...e as saídas de Bernardo, da presidência da Braskem, e de Miguel, da Odebrecht Óleo e Gás, no fim de 2010."
Mais "empresa formada por Bernardo e Miguel, será erguida em Alagoas, com previsão de entrar em operação no fim de 2013. Ela custará R$ 300 milhões, dos quais o BNDES vai entrar com R$ 170 milhões."

Mas, ao que parece o BNDS comprou 15% da Graalbio por R$ 600 milhões de reais :

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,bndes-compra-15-da-graalbio-da-familia-gradin-por-r-600-milhoes-imp-,987250

Outro ponto fundamental é esse novo negócio com milhões dos cofres públicos.

Sem falar no contrato da GranEnergia dos Gradin com a Petrobrás, de novo a Petrobrás!

http://sinaval.org.br/2014/02/granenergia-negocia-venda-de-duas-unidades-de-manutencao-e-servico-de-plataformas/


http://www.granenergia.com.br/pt/sobre-a-empresa/

Esperamos, e cabe ao Ministério Público Federal e Polícia Federal investigar, se a metodologia de trabalho e de financiamento da Odebrecht, pelo que vem sendo delatado, não esteja sendo utilizada por ex-funcionários/acionistas em novos negócios.