TRANSLATE/TRADUTOR

terça-feira, setembro 15, 2015

PROPRIETÁRIOS RURAIS DE MATO GROSSO DO SUL NÃO HESITARÃO EM USAR ARMAS PARA DEFENDER SUAS PROPRIEDADES AMEAÇADAS PELOS ÍNDIOS, DIZ ADVOGADA.

VALE A PENA VER ESTE VÍDEO
A advogada Luana Ruiz Silva, filha de proprietários de uma das fazendas ocupadas há mais de duas semanas por índios no município de Antonio João, a 279 km de Campo Grande, relata os momentos de tensão que a família está passando na fazenda Barra. A advogada explica tudo neste vídeo em entrevista ao site Notícias Agrícolas.
CERCADOS PELOS ÍNDIOS
Impedidos de sair da propriedade temendo novas invasões, o produtor rural Pio Queiroz e sua esposa presidente do Sindicato Rural de Antonio João, Roseli Maria Ruiz, estão cercados em sua propriedade.
Segundo Luana, a situação continua a mesma em Antonio João (MS). As fazendas Cedro e Primavera continuam ocupadas pelos índios, que também estão em parte da Fazenda Fronteira.
Para se locomover e realizar o gerenciamento das atividades das propriedades, os produtores e funcionários precisam de escoltamento dos Policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), e o Ministro da Justiça do Mato Grosso do Sul, segundo a advogada, já declarou que "mesmo com determinação em primeira instancia de reintegração de pose, elas não serão cumpridas", ressalta Ruiz.
Diante desse cenário, a advogada afirma ser a favor de uso de arma de fogo para defesa das propriedades uma vez que "a utilização da arma, quando todas as alternativas não tem sucesso, é legal e legitima", pondera.
Recentemente um episódio envolvendo a morte de um índio na região de conflito causou um grande desgaste. Os fazendeiros alegam que o tiro tenha partido das forças de segurança, mas as lideranças indígenas afirmam que o disparo foi dado por proprietários das fazendas. Segundo Ruiz, os proprietários que estiveram presentes neste no incidente não utilizavam armas de fogo, "caso contrário o desfecho seria muito pior".
Para ela as invasões de propriedades privadas se tornaram um 'instituto' a qual os invasores realizam suas ações na certeza da impunidade, e esse é o grande desafio que os produtores precisam se organizar para coibir.
Ruiz afirma que a própria Funai (Fundação Nacional do Índio) reconheceu que não haviam populações indígenas na região antes do emprego da Constituição 1988 "por isso será aplicado um marco temporal e o reconhecimento como área não indígena", explica ressaltando que mesmo com a certeza de vitória no processo, ele será longo. Do site Notícias Agrícolas

11 comentários:

Anônimo disse...

Divulgue esses vídeos da Dilma falando sobre a CPMF!!!

DILMA E A CPMF:
https://www.youtube.com/watch?v=gBVrEr965gM
DILMA QUESTIONA MARINA SILVA SOBRE CPMF - DEBATE PRESIDENCIÁVEIS RECORD 28/09 - ELEIÇÕES 2014:
https://www.youtube.com/watch?v=Oop88r9uscY
Fantástico : Dilma Rousseff diz que é contra a CPMF 11.09.2011:
https://www.youtube.com/watch?v=WQHeZKrWS5Y

marco aurelio de nigris boccalini disse...

Aluízio, já divulguei teu post.
Mais uma vez, parabéns!!! E obrigadíssimo.

TERMINATOR disse...

Os índios, assim como outras ¨minorias¨, folgaram de vez graças a anos de apoio governamental do nosso governo bandido lixo ao coitadismo, vadiagem,¨dividas históricas¨ entre outras bobagens estúpidas. E para as ¨minorias¨ que aceitaram essas esmolas hipócritas o que vcs fizeram foi reconhecer e assinar embaixo que são sim inferiores, incompetentes e que precisam de muita ajuda e leis para poder acompanhar os demais. Vcs não perceberam isso??? Larguem de ser burros.

TERMINATOR disse...

Falando em indios querendo terras para brincar de neandertal e as vagabundas franceses seminuas levando umas sovas dos islãmicos (e em solo francês!), heim!? Viram que bonito foi apoiar o multiculturalismo, seus eurobambis imbecis? Agora aguentem. E a Alemanha fazendo a mesma merda de quando abraçaram o nazismo só que agora abraçando o islã. Os brasileiros não estão sozinhos na burrice.

Anônimo disse...

Os comunistas do PT, sendo naturalmente caóticos e anarquistas, geradores de desordens e celeumas onde entram, ao invés de acalmarem os ânimos, apagam fogo com gasolina e alucinados como são querem ver é a desordem total; para eles quanto pior, melhor!.
Sem deixar de recordar que nas cacholas dos comunistas só tem merda; o resto v entende!
Imaginem se fossem os índios que tivessem domínio sobre os brancos, que fariam deles, senão engordar para churrasquinho!

Anônimo disse...

Esse governo desvia o foco dos conflitos para longe dele. É conflito na fronteira com Venezuela, é conflito na fronteira do MS, é conflito na fronteira com a Bolívia, é conflito na Bahia...
O que importa para esse governo é desviar a atenção e criar pânico e mêdo. Não está nem aí para as mortes dos índios, invasores de terra e de agricultores que são buchas de canhão para suas intenções de poder.

Anônimo disse...

De um internauta do Antagonista - http://www.oantagonista.com/posts/janot-e-o-silencio-do-delator ;

wgm 14 horas atrás
desculpem a repetição do "alerta"
é sério ...
Fato: A CUT, está solicitando à várias empresas, a dispensa de seus representantes (líderes escolhidos entre seus pares por votação, que não podem ser demitidos) por um período de 3 meses a partir de 15/09 para "trabalhos sindicais internos"
Seria a concretização do exército do Stédile?
próximos 3 meses? decisivos e o pais estará em chamas?

Anônimo disse...

O argumento normalmente usado pela FUNAI, nesses casos, é a da ocupação imemorial do território, o que, no mínimo, é realismo fantástico e, no máximo e realmente, é isso mesmo que você está pensando: um golpe para se apropriar de terras para fruição de algum interessado. Quem? Ora, sob este ponto de vista, todos nós com origem europeia, africana ou asiática somos invasores, não é? Com a flora e a fauna, embora com impacto menor, é a mesma coisa: “pesquisadores e antropólogos” estrangeiros, vinculados e financiados por laboratórios de seus países, aqui aportam e se integram nas aldeias indígenas (até se casam com índios) e vão remetendo relatórios e amostras das riquezas cobiçadas aos patrões, anos seguidos, sem que se lhes barrem as atividades. E quando não há índios, é o MST invadindo, com táticas de guerrilha, as propriedades produtivas, que bestas eles também não são... (lídia)


Anônimo disse...

O Índio sempre foi tratado como um coitado. Em muitos países (como os odiados EUA) eles são empresários, artistas, trabalhadores. Porém como eu li uma vez num site militar a opinião de um leitor: um dos sonhos de consumos idealistas desse governo é de além mandar todos os opositores para outro lugar (pro paredão ou pra miami) é devolver o Brasil pros nativos e ficarem junto com eles donos da terra! Sou casado com neta de índios e os pais de seus avós nem moravam mais em tribo, moravam na cidade mesmo. A pergunta é: quantos dos índios que se dizem índios estão lá mesmo? Vai ver que tem um monte de MST/UNE cantando: Vamos brincar de índio, mas sem mocinho pra me pegar...

Anônimo disse...

essa noticia pode casar com a do possível conflito entre Venezuela e a Guiana...

alguém postou um link um tempo atras de um vídeo que mostra uma movimentação, acho que em Rondônia, do Exercito Brasileiro...

eram transportados uma especie de blindados e armamentos pesados...

tudo sob um forte esquema de segurança...

sei que Rondônia não fica perto do MS, mas as duas são áreas onde se desenrola esse tipo de conflito...

Anônimo disse...

Alerta!!! Muito sério!

(...) ECOS DE FOZ DO IGUAÇU - POBRES COMERCIANTES!
________________________________________
Pobres Comerciantes...
Escrito por Luiz C.S. Lucasy

Os comerciantes não imaginam de verdade o que está para acontecer, e está acontecendo, daqui, até a tomada definitiva do poder pelas esquerdas do Foro de são Paulo, cujos fundadores são Lula e Fidel Castro. É evidente que boa parte dos comerciantes já estão precavidos, diminuíram o estoque, não fazem mais investimentos, não contratam mais trabalhadores e procuram acumular algum dinheiro de emergência: “Chiquinho Scarpa diz que está vendendo tudo, até o relógio”. Os trabalhadores começam a sentir os reflexos destas medidas, a que convencionou-se chamar de ‘crise’. A falsa crise.
Mais aqui:
http://www.heitordepaola.com/publicacoes_materia.asp?id_artigo=5436