TRANSLATE/TRADUTOR

terça-feira, março 15, 2016

O ALERTA DO GENERAL AO POVO BRASILEIRO

O artigo que segue é de autoria do General da Reserva Rômulo Bini Pereira e foi publicado na seção Opinião, do jornal O Estado de S. Paulo em sua edição de 8 de novembro de 2015, sob o título "Alertar é preciso". O General Bini Pereira foi Chefe do Estado Maior do Ministério da Defesa. Na ocasião postei aqui no blog e o escrito do General teve ampla repercussão.
Lendo o artigo do General é possível perceber que de lá para cá - lá se vão quatro meses do alerta do General -, objetivamente nada mudou. Apenas o Brasil afundou mais no lodaçal da corrupção, da mentira, da roubalheira e da fraude sem falar na bancarrota econômica, enquanto o PT continua no poder fazendo gato e sapato da lei, debochando e ameaçando os cidadãos. Portanto o artigo do General merece ser lido com atenção, mormente nas instâncias castrenses.Transcrevo na íntegra:
General Rômulo Bini Pereira, ex-chefe do Estado Maior do Ministério da Defesa e que agora está na reserva.

“A farda não abafa o cidadão no peito do soldado!”, General Osório


Vem sendo veiculada com frequência pela mídia a afirmação de que “as instituições de nosso país estão consolidadas e funcionando corretamente”. E está sempre presente em debates de TV, artigos e reportagens porque é dita ou escrita num contexto de temas sobre o grave e vergonhoso momento por que passa o País. Trata-se de verdadeiro paradoxo, pois, se consolidadas e funcionando corretamente, a Nação não estaria convivendo com o que tem sido considerado o pior período da História nacional, em que se nota visível e crescente decadência moral e ética no campo interno e preocupante descrença externa quanto ao futuro do Brasil.
Talvez a afirmativa seja uma advertência para possíveis atitudes extremas e aventureiras, como golpes e intervenções de qualquer natureza. Entretanto, o estudo das instituições quanto ao seu funcionamento e à sua consolidação carece de uma análise de respostas. Para quem e para que funcionam? Estão realmente consolidadas?
No campo militar – razão maior deste artigo –, os chefes militares vêm sendo questionados por líderes políticos, empresariais, religiosos, sociais e outros segmentos da sociedade civil. Querem saber qual a posição das Forças Armadas caso ocorra uma grave crise institucional e que soluções teriam para impedir que ela instale o caos no País. Não são “vivandeiras de quartel”, mas, sim, personalidades que consideram as Forças Armadas um verdadeiro esteio do regime democrático a ser preservado no Brasil.
Sem exceção, os chefes militares insistem que a solução deve vir das lideranças civis e estar consoante com os princípios constitucionais. Tal atitude vem sendo adotada desde o início dos governos da Nova República. Nestas mais de três décadas, elas acompanharam a vida política do País sem nenhuma interferência no processo institucional. Cumpriram e cumprem ainda um papel imprescindível.
Em todos estes anos as Forças Armadas ouviram em silêncio críticas, ofensas e inverdades de toda ordem. Ainda hoje, atribuir ao regime militar todos os males que afligem o povo brasileiro é praxe constante. Foi essa atitude crônica e repetitiva das esquerdas brasileiras que contribuiu para que contraíssem uma doença mental diagnosticada como esquerdopatia.
Recentemente os costumeiros esquerdopatas voltaram a se manifestar. Um general de quatro estrelas, integrante do Alto-Comando do Exército, altamente conceituado na Força, de moral e integridade inatacáveis, enumerou e analisou possíveis cenários que poderiam concretizar-se em curto prazo no País. Um estudo de Estado-Maior, oportuno e de veracidade inquestionável, apresentado a jovens militares em ambiente reservado. Com sua análise o general cumpriu um dos maiores deveres que o chefe militar tem obrigação de cumprir: o de manter seus comandados bem informados, principalmente nestas horas de total escuridão, desacertos, mentiras e degeneração política e moral do País. Em nenhum momento de seu estudo e de sua apresentação foi observada qualquer proposta concreta ou uma simples sugestão com o objetivo de intervenção nos Poderes constituídos.
No último cenário apresentado, o general, com muita propriedade, alertou que o agravamento de uma crise institucional poderia conduzir o País a uma caótica conjuntura; nesse caso as Forças Armadas teriam de ser empenhadas e, por isso, deveriam estar adestradas.
Foi o bastante para que esquerdopatas de plantão, a maioria conhecida por seu ranço ideológico e aversão aos militares, considerassem sua análise como uma real proposta de golpe militar. Deveriam, sim, ler com mais atenção os artigos 136, 137 e 142 da Carta Magna, pois neles estão previstas as atribuições de diversos órgãos públicos caso uma grave instabilidade institucional ocorra.
Não serão nossas frágeis e desacreditadas instituições que atuarão, mas, indubitavelmente, as Forças Armadas, que para tal missão devem estar preparadas. É bom lembrar palavras de Barack Obama em saudação a militares dos EUA: “O que mantém o nosso sistema democrático são as nossas Forças Armadas”. No Brasil, uma declaração desse teor é impossível. Os esquerdopatas considerariam um incentivo à intervenção militar.
O general foi exonerado do comando, por orientação ministerial, por ter feito críticas à incompetência, má gestão e corrupção do Poder Executivo. O ministro da Defesa, de formação comunista e no presente um “democrata”, bem que poderia, com essa evolução de princípios políticos, orientar os integrantes de seu partido (PCdoB). Este, sim, um partido que apoia e defende organizações e falsos movimentos sociais que ainda pregam a derrubada de regimes democráticos “adolescentes”, até se necessário com o uso da força. Tal qual o PT, também segue a cartilha do Foro de São Paulo. Seus intelectuais gramscistas e ideólogos esquerdopatas sabem que as Forças Armadas brasileiras são a instituição que precisa ser denegrida ou cooptada para a instalação de um regime espúrio e bolivariano no País. Este silêncio agora imposto aos militares da ativa se enquadra nesse propósito. Segundo o Foro, os militares são seres amorfos, sem personalidade, desprovidos de inteligência, alienados e cidadãos de segunda classe, que não poderão manifestar suas inconformidades com o atual estado de calamidade política, econômica e social do País.
Felizmente, existe a esperança de que os estudos de Estado-Maior sobre a realidade brasileira, idênticos ao do general agora exonerado, continuem a ser realizados, como uma sólida armadura contra os que desejam regimes espúrios e esdrúxulos para o Brasil. Que sejam um alerta à sociedade brasileira quanto ao crítico estado de iminente ingovernabilidade do País.

Por outro lado, vê-se com imensa decepção e tristeza a incapacidade de nossas lideranças políticas de gerir os destinos e interesses da brava Nação brasileira. Para elas, os seus interesses – individuais e de seus grupos – são prioritários e estão acima dos anseios do povo. Por isso, alertar é preciso!

18 comentários:

Anônimo disse...

O ÚNICO ENTRAVE NISSO TUDO É QUE ELE NÃO É DA ATIVA!DE PIJAMA NÃO DÁ PRA COLOCAR A TROPA NA RUA!PENA!SERIA BOM DEMAIS SE OS ATUAIS COMANDANTES REALMENTE ESTIVESSEM INTERESSADOS EM RESGUARDAR O BRASIL,MAS PELOS ULTIMOS COMENTÁRIOS E POSICIONAMENTOS DOS OFICIAIS GENERAIS DO ALTO COMANDO PODE SER ATÉ QUE NÓS É QUE VAMOS RECEBER A PANCADA FORTE!SE ACONTECER DE VERDADE,ESPERO QUE DESSA VEZ EXTERMINE TODOS OS VIGARISTAS VAGABUNDOS LADRÕES ESQUERDOPATAS DO PEDAÇO QUE VEM HUMILHANDO E ESPOLIANDO O POVO BRASILEIRO!

Anônimo disse...

Pelo que sei todos os Generais que passaram pelo poder em Brasília morreram com uma aposentadoria igual a qualquer brasileiro. Bem diferente dos nossos dias onde estão roubando o país e fazendo fortuna. Se não fosse os militares em 64 os comunistas teriam tomado o poder e instalado uma ditadura sanguinária e opressora contra população. Em 64 a única opção foi os militares, que hoje deveriam ter um tratamento de honras.

Alberto Figueiredo disse...

Milhões foram às ruas, a maior parte pedindo o impedimento da presidente como se isso resolvesse nosso problema. Não! Sai um ladrão entra outro, os ratos continuarão mandando. Se todos fosse com uma só bandeira, intervenção, estaria resolvido.
O Dr. Moro, vai mostrar toda sujeira mais para no supremo. Enquanto pedimos o impedimento a corja articula mais um golpe para se manter no poder mesmo mudando de nome. Se não houvesse a divisão e todos fossem com um só ideal, o Brasil poderia ser salvo mais dessa forma quem pode ajudar não o fará porque na visão deles o povo ainda confia em suas instituições.

O Libertário disse...

Anônimo, ele está alertando a nação, os cidadãos civis, para que reflitam e se mexam no sentido de alterar esse quadro para melhor, caso contrário a coisa vai piorar. Recebo agradecido o alerta do general-cidadão (de pijama) e vou me empenhar mais ainda no que já venho fazendo que é alertar todas as pessoas com quem possa ter um contacto sobre o grande risco que estamos todos correndo ao permitirmos que fanáticos comunistas continuem no poder ditando os nossos destinos.

TERMINATOR disse...

¨Lá se vão quatro meses do alerta do general¨. Pois é, o tempo vai passando e na prática os vagabundos vão tendo mais tempo ainda para rapar até o fundo do tacho. E depois mesmo que elles saiam do poder/afundem/sejam presos/inelegíveis por n anos/etc não restará mais nada do país, só ruínas tanto físicas quanto morais. Décadas a fio pulando carnaval e torcendo para times de futebol além de se deixarem desarmar como galinhas vão cobrar um preço caríssimo para os brasileiros que agora (e só agora) lotam as ruas protestando (muito bonito e pacífico mas...) pelo que eles mesmos criaram ou no mínimo fizeram vista grossa.

Ferreira Pena disse...

O general escreve bem e retrata o momento terrível da vida nacional. Já tinha lido aqui o artigo.

Alexandra disse...

TODA NAÇÃO TÊM AGIDO PACIFICAMENTE INDO AS RUAS PEDINDO QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA PORQUE ELES ROUBARAM O NOSSO DINHEIRO PARA FAZER CAMPANHA POLÍTICA E DAR SEQUÊNCIA EM PROJETO DE PODER DE INSTALAR O COMUNISMO BOLIVARIANO NO BRASIL, TODO MUNDO SABE QUE ESSE REGIME DITATORIAL É DE ASSASSINOS E CRIMINOSOS E TEMOS ASSISTIDO ISSO TAMBÉM NÓS O POVO TRABALHADOR NÃO SIGNIFICAMOS NADA PARA ESSES DOENTES GANANCIOSOS, POR ISSO EU SOU A FAVOR DA INTERVENÇÃO DEMOCRÁTICA MILITAR QUE A PRÓXIMA MANIFESTAÇÃO SEJA PARA A ENTRADA DOS MILITARES NO PODER E A SAÍDA DE TODOS CORRUPTOS NOSSO POVO NÃO QUER MAIS BANDIDOS NO PODER. ELES ESTÃO QUERENDO DAR O GOLPE DO PARLAMENTARISMO PARA GUSPIR NA NOSSA CARA E CALAR A NOSSA BOCA. MAS NÓS NÃO IREMOS MAIS NÓS CALAR VAMOS GRITAR INTERVENÇÃO MILITAR.



Zanin Bioamil disse...

perfeito e equilibradíssimo artigo/crônica.

Anônimo disse...

"Segundo o Foro, os militares são seres amorfos, sem personalidade, desprovidos de inteligência, alienados e cidadãos de segunda classe, que não poderão manifestar suas inconformidades com o atual estado de calamidade política, econômica e social do País."

Pois a única preocupação deles é pq os militares são exatamente o oposto do que eles pensam e pregam. Eles morrem de medo de um novo 1964.
Os esquerdopatas são mestres em manipular, mentindo, enganando o povo inocente útil e os idiotas úteis. E aqueles que não aceitam a manipulação, são perseguidos.

PS. Tudo por dinheiro, poder, privilégios, mordomias, etc.

Anônimo disse...

Dr. Ives Gandra foi bem claro quando detalhou os acontecimentos daquela época
“....Todos eles (guerrilheiros) com quem dialogamos, formados em Cuba que pretendiam a implantação do regime cubano, de um regime ditatorial, de um regime socialista, de um regime de paredões inclusive, basta dizer que fizeram terrorismo no estilo dos paredõns de Fidel Castro, porque os jovens que aqui estão não se lembram. Quando nós éramos estudantes de direito, Fidel Castro ,sem dar direito a defesa a todos aqueles que prendeu, os matou em fuzilamento de imediato, prendia e matava em fuzilamento nos chamados paredons ao ponto de nós estudantes de direito o chamá-los de Fidel Paredão Castro, que era o o nome que se dava a alguém que matou milhares de pessoas sem julgamento...”(Dr. Ives Gandra)
“Os movimentos guerrilheiros pretendiam implantar uma ditadura e não auxiliar a volta da democracia, quando eles fracassaram é que nos abrimos o campo do retorno da democracia, nós tivemos um atraso na volta da democracia plena por força dos guerrilheiros, que obrigaram ao Estado , a se proteger contra essa tentativa de implantar um regime fidelista no Brasil...”
(....) Todos que estavam fora do processo político retornaram e hoje tomam conta do poder... a lei da Anistia foi a pedido deles( dos guerrilheiros), nós advogados que a fizemos, aqueles que exerciam o poder concordaram. Demos um processo para abertura democrática tivemos o retorno a democracia com toda tranqüilidade. Uma Constituição, de uma Constituição que deu uma estabilidade única de equilíbrio de poderes, nunca mais se falou em ruptura Institucional ,e que apesar disso deu as Forças Armadas um poder, que todos aqueles que estudam direito que aqui estão, se lerem o Artigo 142 ,se houver conflito entre poderes ainda o poder que vai decidir esse conflito são as Forças Armadas.”

https://www.youtube.com/watch?v=PgLFBpaLsBU

Anônimo disse...

Ouvi um comentário que eles (os Militares) não faziam nada porque tinham medo de acontecer igual na Venezuela quando tentaram tirar Chaves do Poder. Diziam que eles tinha que ter certeza que a população estava do lado deles. Agora que foi mostrado que a população está eles continuam alertando a mesma! Pra quê? Se de que lado esses caras estão?

Preserve as áreas de mananciais! disse...

O POVO NÃO QUER SABER MAIS DE ALERTA OU ESSE MIMIMI DE GENERAL DE ARMAS, O POVO QUER ATITUDE, MORALIZAÇÃO DESSE GOVERNO, PRENDER CULPADOS CANSADO CANSADO!

Anônimo disse...

Anônimo

Esses senhores, estão do lado da lei, e tem inteligência de não jogar o povo numa fogueira, mas isto não quer dizer que não estão atentos, zelando por todos nós. Não basta ir às ruas o povo tem que CHAMAR pelos militares, só isso.
Será que você esqueceu que durante anos, a militância petralha, etc, etc só falavam horrores dos militares?
Um pais que indeniza ex-guerrilheiros, que queriam a ditadura do proletariado, e que já custou , mais de 4 bilhões dos nossos bolsos para aqueles que não conseguiram fazer aqui o que os irmãos Castro fizeram em Cuba.
As promessas de igualdade ceifou mais de 150 milhões no mundo:

http://www.youtube.com/watch?v=UqSmVJEIL0Q

O que aprendemos em nossas escolas? Nada, absolutamente nada, tanto que a Foice e Martelo continua em bandeiras carregadas por idiotas úteis que desconhecem totalmente a História.

Alberto Figueiredo disse...

Não podemos colocar nas mãos de outros uma obrigação nossa. Com todo respeito ao Dr. Moro. a PF e ao MPF a quem devemos tudo que sabemos de verdadeiro até hoje. Seguindo a trilha estrita das leis seremos atropelados, o congresso nacional é um coito de marginais, os partidos (quadrilhas) se espelham na impunidade de Lulla que esta muito longe apesar de todas as provas de comer capim e preparam mais esta armadilha, dentro da lei, seguindo os preceitos constitucionais usados de forma a beneficiá-los. A nós restam: A tomada do poder com ou sem aval das FFAA.

Anônimo disse...

Já salvaram o Brasil em 64

https://www.youtube.com/watch?v=nMiELBPvLgI

Que fiquem bem atentos.

marco aurelio de nigris boccalini disse...

Por favor, intervenção constitucional já!

Joel Gangi disse...

O problema é justamente o povo ir para rua de FORMA PACÍFICA o povo não tem que pedir que se resolva a situação O POVO TEM QUE EXIGIR!!! Ou bandidos são extirpados da vida pública, ou é preciso ocupar o Congresso, STF e Planalto e chutar a bunda deles para ver se entendem o recado. Não se trata com terroristas segurando flores nas mãos!

Alberto Figueiredo disse...

Ainda tem inocente que acredita tirar esta corja do poder pelos tramites legais; eleições, impedimento.
Jogar jogo limpo contra quem rouba, mente, falsifica, frauda, destrói reputações seja com mentiras ou aliciando, mata com gritos nas ruas não surtira o menor efeito, vergonha se faz a quem vergonha tem ladrão não conhece, honra, moral ética. Infelizmente o General Figueiredo estava certo: No dia que eles chegarem ao poder só sairão de lá a custa de muito sangue, sangue brasileiro! Indo para as ruas gritar fora Lulla, fora Dilma, fora PT só alimentará a fúria insana dessa corja em busca do objetivo a escravidão do povo brasileiro ao comunismo. Acabaram as esperanças, fomos ás ruas divididos; eu nunca gritei fora; sempre gritei dentro. Entrem meus soldados, limpe a merda que fizemos e recebam as desculpas de um povo que não soube valorizar o que recebia. Hipnotizado por uma libertinagem travestida de liberdade.