TRANSLATE/TRADUTOR

quarta-feira, junho 01, 2016

QUAL O SENADOR GOSTARIA DE SER VISTO COMO RESPONSÁVEL POR TRAZER DE VOLTA AQUELA JAMANTA EMBORCADA?

Apesar do André Petry, o site da revista Veja ainda não naufragou. Nichos de resistência ainda impedem que Veja sucumba e se transforme numa espécie de Folha de S. Paulo semanal. Quem segura tudo e mais um pouco é a coluna do jornalista Augusto Nunes, entre outros profissionais dessa revista que não mercadejam a profissão.
É da coluna do Augusto que reproduzo, como segue, um artigo de Vlady Oliver, cujo título original é “O ministro da falta de transparência e a cultura do estupro’.
Jornalistas de verdade no Brasil são poucos. Arrisco que dá quase para contar nos dedos, tal o nível rasteiro em que foi transformada a imprensa brasileira pelo esquerdismo ladravaz, bundalelê, delirante e viciado em caraminguás oficiais.
Portanto, vale a pena ler este texto do Vlady Oliver, que como Augusto Nunes é um craque:
A histeria coletiva que tomou conta da imprensa parece ter o mindinho de lulão e seus sequazes, não é mesmo? Fui obrigado a discutir com mais pessoas do que eu gostaria, que afirmavam coisas do tipo “coitada da minha esposa” só porque me recuso a acreditar na história de um estupro perpetrado por trezentas pessoas, duas girafas, um anão de jardim e três cineastas desempregados. Já disse aqui mesmo que esse tipo de violência contra a mulher É CRIME HEDIONDO, não importando se cometido por um ou duzentos cretinos.
Me parece que finalmente uma delegada foi chamada para levar a brincadeira sórdida a serio e promover as prisões e investigações que se fazem necessárias. Já não era sem tempo. É justamente a falta do poder público nessas horas que permite toda sorte de conjecturas e ilusionismos. A imprensa é culpada, sim, por entrar de gaiato no navio, dar versões fantasiosas dos fatos e promover as marolas com que essa gente pretende desestabilizar o novo governo.
No momento em que o presidente Temer pede calma e união nacional – solicitações bastante louváveis diante do carnaval que se institucionalizou por aqui – todas as leitões, lobos e companhia resolveram apostar que os senadores estariam chantageando esse governo, com a não votação do impeachment. ACUMA? Qual será o senador que gostaria de ser visto “para o resto do sempre” como o responsável por trazer de volta aquela jamanta emborcada no governo?
O ministro transparente caiu. Pediu basta. Não sem antes afirmar o que todo jurista já sabe: não há crime nas tais gravações em que foi flagrado. Não que eu defenda sua permanência no cargo ou sua mera existência política; também não defendo estupro algum. O que não dá pra encarar é a tentativa da imprensa marreta de pautar o governo e inviabilizar sua administração, na base dos gritinhos histéricos e do cacarejo indecente.
Até agora parece que estão logrando resultados, o que aconselha o presidente em exercício a exercitar logo sua capacidade de defenestrar toda essa escumalha de esquerda aboletada nas tetas públicas. Essa é a verdadeira cultura do estupro professada por aqui, meus caros. Custou-nos a bagatela de 170 bilhões, quebrou o país, endividou até a geração dos nossos filhos e somos obrigados a ouvir o cacarejo indecente de um PSOL, questionando o custo de um Cunha sem questionar o custo de uma Dilma para o país.
Já disse e repito: se há algo de bom nessa tragédia em que nos metemos é conseguir ver claramente quem são os comparsas aliados nessa ladrocracia. Não escapa ninguém. A república das fanchonas está em polvorosa. As minorias sem mortadela também. Mais que temer as ameaças vagabundas desses movimentos dos quadris, desses sindicatos do crime e dessas seitas picaretas, temos que temer mesmo é a canalhada pendurada no poder público, aliada à imprensa marreta.
Já deu pra ver do que são capazes. Na falta do que fazer, acabam até gravando as orgias uns dos outros. Ou será que o Machado de Sérgio e aquele gaiato que postou o estupro numa rede social diferem no voyerismo escabroso? Vai indo, Brasil. A pirambeira nos espera adiante.

11 comentários:

Anônimo disse...

Eu sempre via o TV Veja, más após a demissão da Joice Hasselmann, tudo lá
não faz mais sentido.

Oliver disse...

Que surpresa boa !!! Ver meu texto na coluna de um mestre como Aluízio Amorim é um presente e tanto. Não perco um dos posts desta também elegante coluna, onde se professa a boa democracia. Me ver nela então é uma honra. Muito grato mesmo. Abração.

Aluizio Amorim disse...

Oliver,
é uma honra e uma satisfação poder postar seus escritos que são sempre excelentes. E fico grato por sua atenção. Forte abraço.

Anônimo disse...

DEPUTADO E SENADOR QUE VOTOU CONTRA O IMPEACHMENT NÃO VAI AJUDAR A ELEGER NEM VEREADOR NEM PREFEITO. E EM 2018 NÃO SE REELEGE.

Ferreira Pena disse...

Parabéns Aluízio, enriqueça seu blog com textos de outros colunistas patriotas. Você é um jornalista que honra sua profissão. O presidente Temer não está tendo pulso forte contra a canalha vermelha que ainda inunda o governo, ministérios e empresas estatais. É só meter o pé no traseiro da canalha que as coisas passam a funcionar.

Anônimo disse...

Caro Ferreira Pena, você tem razão em dizer que o Temer não está tendo pulso forte contra a canalhada vermelha, mas isto é devido a ele também estar, com certeza, com o rabo preso com essa canalhada e com a lava-jato! Se bobear ele vai ser derrubado por essa canalhada vermelha!!! Também o Temer dizem, que está envolvido com o Foro de São Paulo e também com o Satanismo, com o Satanismo não tenho bem certeza, mas com o Foro de São Paulo é quase certeza!!! E agora, o que vai acontecer??? Os psicopatas vermelhos já estão tramando a volta da Dilmaldita, como é que vai ficar a coisa? O negócio é uma Intervenção Militar provisória para colocar o país nos eixos!!! Não acha???

Denise Oliveira disse...

Grata surpresa,quando me deparo com um posicionamento rígido e acurado em meio a um pau-de-sebo que é a opinião jornalística atual.
Pincá-lo foi um achado.
Agradecida.

Anônimo disse...

Atacar Temer nesse momento é tudo o que os vermelhos mais querem para melar o impeachment. Ou são muito burros ou muito CANALHAS.

Anônimo disse...

Caro Aluizio, estou mandando um texto do Politicamente Irado do Facebook, para o pessoal aí que comenta saber como tirar os 11 capas pretas do Supremo Tribunal Federal(isto se o Supremo Tribunal Militar também não estiver aparelhado!). Vou tentar mandar o texto, segue abaixo, se não der eu mando em 2 partes, é o seguinte:
Politicamente Irado
01/06/2016
A LAVA JATO NÃO PODE INVESTIGAR JUÍZES DO SUPREMO. MAS UM TRIBUNAL MILITAR PODE. ESTÁ NA HORA DO POVO DERRUBAR ESTA CORTE DE BANDIDOS E MANDAR OS CAPA PRETA PARA A CADEIA.
Paulo Maluf é a prova de que o Supremo sempre serviu ao crime organizado. Maluf, procurado até pela Interpol, jamais foi importunado pela Corte Suprema pelos crimes do qual era, e é acusado: enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro, desvio de verbas e corrupção. Não é de hoje que o Supremo arquiva processos, some com provas, VENDE e NEGOCIA Habeas Corpus, arquiva de processos e comete sem parar, crimes de prevaricação e de obstrução de justiça.
No governo FHC a corrupção comia solta e o Supremo fazia vista grossa, sendo um mero coadjuvante e cúmplice indireto na roubalheira e na impunidade. No governo Lula, o mensalão foi parcialmente favorável a Lula, sumiu com provas, não fez investigações e cometeu uma série de crimes que acabaram punindo apenas alguns capangas do esquema, pois Lewandowski livrou a cara do Chefão Lula e do marqueteiro Duda Mendonça. Boa parte dos corruptos envolvidos no mensalão já começam a ser perdoados e devolvidos a sociedade. Uma maravilha que somente o Supremo é capaz de promover.
No governo Dilma um forte oposição se ergueu nas redes sociais contra o PT e na sequência, o STF ganhou projeção, principalmente nas páginas policiais. Vários magistrados da Corte tiveram seus nomes envolvidos em grampos e gravações secretas e ambas continham revelações bombásticas de que juízes do Supremo estariam favorecendo políticos e partidos. O vazamento do conteúdo das gravações revelou que boa parte do Supremo estaria alinhado com o governo. Mas não ficou apenas nisso. Delações de Delcídio do Amaral também revelaram que Dilma se gabava de dizer que tinha cinco ministros da Corte no bolso. Aloísio Mercadante também foi grampeado dizendo que havia juízes negociáveis no Supremo. Tantas denúncias e nenhuma providência. Até Eduardo Cunha disse dias atrás, que que certos ministros da Corte lhe devem favores.
Ricardo Lewandowski saiu em defesa da instituição. O que é natural. Lewandowski, Dias Toffoli e Zavascki foram os mais citados nos grampos e gravações. Ricardo Lewandowski, defendeu ser normal integrantes da Corte manterem conversas com representantes da classe política, mas afirmou que isso não traz nenhum prejuízo à imparcialidade do magistrado. “Faz parte da natureza do Poder Judiciário ser aberto e democrático. Magistrados, entre eles os ministros da Suprema Corte, são obrigados, por dever funcional, a "ouvir" os diversos atores da sociedade que diariamente acorrem aos fóruns e tribunais”, afirmou. Bem lembrado, "ouvir" e não serem CITADOS! HÁ UMA GRANDE DISTÂNCIA ENTRE OUVIR OS TAIS ATORES, E SER CITADOS POR ELES COMO CÚMPLICES.

Anônimo disse...

Politicamente Irado
01/06/2016
2a.Parte

A LAVA JATO NÃO PODE INVESTIGAR JUÍZES DO SUPREMO. MAS UM TRIBUNAL MILITAR PODE. ESTÁ NA HORA DO POVO DERRUBAR ESTA CORTE DE BANDIDOS E MANDAR OS CAPA PRETA PARA A CADEIA.

Em um dos diálogos gravados por Machado, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) aparece dizendo que estaria construindo um pacto, inclusive com a participação do Supremo, para tentar barrar o avanço da Lava Jato. Depois de os áudios virem à tona, Jucá teve de deixar o Ministério do Planejamento. Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ex-presidente José Sarney, também sugeriram articulações para influenciar o ministro do STF Teori Zavascki, relator da Lava Jato na Corte. Em um dos trechos da conversa, Sarney cita o nome do ex-ministro Superior Tribunal de Justiça (STJ) Cesar Asfor Rocha como alguém que teria proximidade com Teori. Em outra gravação, o advogado Eduardo Ferrão é citado com alguém próximo ao ministro.
O próprio Lewandowski é citado em uma das conversas entre Machado e Renan. Na gravação, o peemedebista diz que a presidente afastada Dilma Rousseff contou a ele que tentou conversar com o presidente do Supremo sobre o processo de impeachment, mas o magistrado só queria falar sobre o reajuste do Judiciário. Como se não bastasse, um Juiz do Supremo disse que magistrados estavam fatiando a Lava Jato para afastar o Juiz Sérgio Moro e foi mais longe, disse que a Corte estava se tornando uma Corte bolivariana, alinhada com o socialismo e com uma tentativa de ruptura do regime. O Supremo tentou atrapalhar o impeachment de Dilma Rousseff, blindou bandidos e corruptos e está criando Leis arbitrárias para atrapalhar a Lava Jato. Está na hora do povo pedir um Tribunal Militar para colocar ordem nessa bagaça!
CURTA NOSSA PÁGINA: https://www.facebook.com/Politicamente-Irado-1397388943838…/
CURTA NOSSO GRUPO: https://www.facebook.com/groups/851548761546071/
http://oestadobrasileiro.com.br/mas-lava-jato-nao-pode-inv…/

Cactus disse...

.
Ao anônimo acima.
.
Se os vermelhos querem ou não querem não faz a menor diferença, não são os vermelhos que vão nos pautar. Não são os vermelhos que vão ser a base dos nossos argumentos.
.
Se você não tem um contra-argumento, então age igual aos vermelhos, desqualifica quem tem. Quem é o canalha?
.