TRANSLATE/TRADUTOR

segunda-feira, novembro 28, 2016

ESTADOS FALIDOS, INFLAÇÃO, VIOLÊNCIA, DROGAS E ANARQUIA: O BRASIL PÓS-LULA E SEUS SEQUAZES.

Sem lastro o dinheiro não vale nada. É um pedaço da papel.
O que já apareceu de patifarias e roubalheiras durante o reinado de Lula e seus sequazes é apenas um tico da realidade. Mas já dá para compreender porque a nossas moeda, o Real, esfarelou. Uma nota de R$ 100 reais, por exemplo, cuja circulação era mais rara passou a ser corriqueira e como já afirmei aqui pode ser trocada em qualquer birosca de esquina.

Se não tivessem ocorrido o impeachment e a Operação Lava Jato o Brasil já estaria igual à Venezuela, isto é, com a população sofrendo a escassez. Supermercados estariam fechando suas portas, as prateleiras estariam vazias a violência atingiria níveis jamais imaginados. 

A bem da verdade não estamos livres desta desgraça, haja vista pela falência do Estado do Rio de Janeiro e a devastadora crise econômica que vive o Rio Grande do Sul, cujos cofres estatais foram pilhados durante o governo do petista Tarso Genro. 

Calcula-se, entretanto, que não são apenas esses dois estados que foram para o buraco. Uma matéria veiculada pelo jornal O Estado de S. Paulo é apavorante. Explica muito bem a penúria em que vivem a totalidade dos Estados brasileiros e seus municípios. E, por consequência, explica também por que Lula e seus sequazes tinham o apoio geral e irrestrito de governadores, prefeitos, deputados, senadores, empresários, enfim, falava-se até mesmo que o PT se tornaria uma espécie de partido único, a exemplo do que aconteceu no México com o PRI. Neste caso as eleições seriam pró-forma porque a oposição com viabilidade eleitoral teria sido inviabilizada.

Nessa época Lula dava voltas ao mundo a bordo do Aerolula e vivia rindo à toa. Inclusive alardeava que o Brasil já tinha acumulado uma fabulosa reserva em ouro e dólares. Se esse tesouro realmente existiu está na hora de fazê-lo aparecer. 

Em que pese tudo isso, a realidade dos fatos explica a verdade: como todos os partidos comunistas no poder fizeram, Lula e seus petralhas faliram o Brasil. Rodaram loucamente as máquinas da Casa da Moeda para comprar apoio político. Emitiram moeda sem lastro esfarelando a economia. Mesmo assim, face a leniência e fraqueza do governo de Michel Temer, continuam em ação, praticando todas as barbaridades possíveis e imagináveis, como ocupação de escolas e universidades, destruindo laboratórios e demais instalações, enquanto Lula, leve e solto, continua fazendo comícios minúsculos, é verdade, porém contando com os préstimos do jornalismo chulé e mentiroso que domina as redações da grande mídia. Basta Lula dar um traque para que o fato se transforme em notícia enquanto a economia continua esfarelando. Sem contar o fato que vivem fazendo protestos contra a PEC do teto que visa justamente estancar a sangria dos cofres públicos. 

Essa situação de penúria da economia brasileira que castiga os assalariados, a maioria da população, é fruto direto de mais de uma década de orgias variadas comandadas por Lula e seus sequazes. Nestas alturas é de se indagar: vai ter carnaval no Rio de Janeiro?

Transcrevo a seguir a reportagem do Estadão sobre o fantasma da falência que assombra Estados e municípios brasileiros e, ao mesmo tempo, explica as razões daquele apoio total e irrestrito de governadores e prefeitos, inclusive da oposição, ao demiurgo de Garanhuns. Leiam:
A FALÊNCIA DOS ESTADOS
Mergulhados em uma crise financeira sem precedentes, Estados e municípios devem R$ 120,6 bilhões aos bancos públicos, segundo levantamento do Estado. O passivo é resultado de uma política que, nos últimos anos, irrigou esses governos com recursos federais. 
Até setembro, a exposição no Banco do Brasil chegou a R$ 38 bilhões, enquanto na Caixa a dívida era de R$ 33 bilhões. No BNDES, o valor atingiu R$ 49,6 bilhões da carteira em junho – o banco ainda não divulgou dados do terceiro trimestre.
Os maiores beneficiários foram os Estados, incluindo aqueles que já estavam em péssimas condições financeiras e apresentavam maior risco de calote. A injeção de recursos foi possível porque a União avalizou a maioria das operações, ou seja, deu garantia de que pagaria a dívida em caso de inadimplência.
Normalmente, os bancos ficam mais restritivos quando clientes vivem situações financeiras desfavoráveis. Não foi o que ocorreu com os Estados – especialmente nos últimos meses. Enquanto a arrecadação caía, a carteira de crédito da Caixa para o setor público saltou 22,1% em 12 meses até setembro. O BNDES também foi mais generoso, e as operações subiram 11,8%.No caso do BB, a queda foi de 1,7% em um ano. 
O Estado apurou que, do total emprestado pela Caixa, 42,5% têm o aval da União. No BB, essa parcela é de 97%. O BNDES não informou o porcentual exato, mas disse que a maior parte dos créditos tem garantia do Tesouro Nacional.
Frágeis. Diante da fragilidade financeira dos Estados, algumas instituições têm registrado atrasos em pagamentos, que acabam bancados pelo Tesouro. O Rio de Janeiro já precisou que a União honrasse R$ 1,16 bilhão em seu lugar. Para não ficar no prejuízo, a União bloqueia dinheiro de contas indicadas pelo próprio Estado, geralmente aquelas que recebem o Fundo de Participação dos Estados (FPE) e a arrecadação do ICMS.
O relatório do Tesouro não detalha quais instituições financeiras foram pagas com recurso federal, mas dados da Secretaria de Fazenda do Rio mostram ausência de pagamentos em linhas do BNDES, BB e da Caixa em diversos meses, a partir de maio. Procurado, o órgão admitiu que está inadimplente com os três bancos públicos, sem detalhar valores, e disse que não tem previsão da normalização dos pagamentos.
A Secretaria de Fazenda do Rio afirmou que também está atrasando pagamentos de dívidas sem garantia da União. O Tesouro informou que a cobrança dessas operações é de inteira responsabilidade dos bancos.
De 2006 a 2012, o Rio obteve aval para empréstimos sem garantias da União com BNDES (R$ 1,5 bilhão), Caixa (R$ 1,16 bilhão) e BB (R$ 152,8 milhões), segundo o sistema de acompanhamento de operações do Tesouro. Quando isso ocorre, o Estado pode negociar diretamente garantias, como sua cota no Fundo de Participação ou outros fluxos de receitas.
O BNDES, por exemplo, tem R$ 14,4 bilhões de sua carteira com Estados e municípios (29%) garantida por esses recursos. Na Caixa, o porcentual é de 57%. O BB tem o menor índice: 3%. Procuradas, as instituições disseram que as operações são protegidas pelo sigilo bancário e não informaram se essas linhas estão com parcelas atrasadas.
Em meio às dificuldades, o BNDES detectou aumento na inadimplência até 60 dias de governos estaduais e municipais, de R$ 692 milhões, em março, para R$ 814,6 milhões, em junho. Em nota, contudo, disse que “a situação dos Estados não teve impacto relevante no aumento da inadimplência no último trimestre”.
Na última quinta-feira, o Tesouro anunciou que vai retomar as concessões de garantias para que Estados possam contratar novos financiamentos. As análises estavam suspensas desde maio. Com isso, o governo pretende dar fôlego aos governos estaduais que ainda têm espaço para se endividar. Do site do Estadão

10 comentários:

Anônimo disse...

Sr Amorim, seu blog é o único veículo em que os Patriotas são livres para expressarem suas opiniões. Parabéns! Enquanto "jornalistas" farsantes que se dizem democratas e legalistas vetam nossas opiniões, dentro da estratégia já conhecida das esquerdas como TESOURA, em seu Blog podemos continuar lutando pelo melhor Brasil Verde-Amarelo!!Que fique claro: O BRASIL NÃO VAI TOMAR JEITO ENQUANTO NÃO SE LIVRAR DE COMUNISTAS, SOCIALISTAS, SOCIAIS-DEMOCRATAS, OLIGARQUIAS,ESTRANGEIROS, TRAFICANTES, BANDIDOS E VAGABUNDOS DE TODAS AS ESPÉCIES. Depositamos alguma confiança no governo TEMER mas os últimos acontecimentos fizeram com que perdêssemos as esperanças.O interino, como alguém disse, acha que pode governar o BRASIL como preside o PMDB. O pior é ver o corrupto CALHEIROS E o banana MAIA ao lado do Presidente da República. Terrível. Não sairemos dessa falência enquanto executivo, legislativo e judiciário estiverem nas mãos dessas QUADRILHAS e enquanto a Constituição,Leis, Códigos e mídia derem guarida ao GANGSTERISMO que espolia o povo Brasileiro.

Cactus disse...

.
Vejam este vídeo, o ano que vem será terrível, é muito importante:
.
https://www.youtube.com/watch?v=pFhxkgHv7mA
.

Anônimo disse...

Isso não caracteriza, também, pedaladas fiscais?

Brasil para os brasileiros disse...

Com a morte do Fidel, surgem as viúvas do grande sanguinário. Este é um bom momento para avaliar em quem o povo brasileiro depositou seu futuro, nosso futuro: FHC, Serra, Aécio, um sem número de vagabundos petistas que arruinaram a Nação, não apenas economicamente, porém eticamente.
As conseqüências estão aí, terríveis, e a tarefa de reconstrução é hercúlea. Porém, quem, ou qual grupo tem condições morais ou mesmo capacidade para desempenhar os papéis?
Não os senhores deputados e senadores que desejam soltar os bandidos e se livrarem, eles mesmos, da Justiça.
Quem, meu caro jornalista?

Anônimo disse...

O Brasil só não caiu ainda no buraco poque é um pouco maior.De acordo com aProcuradoria da Fazenda Nacional,menos de 13 mil pessoas fisicas e empresas devem quase R$900 bilhões em tributos à União.A dívida total é de R$ 1,8 trilhão,sendo que 22,3% são débitos previdenciários e 1,3% do FGTS.
A matéria completa está na "Agencia Camara Noticias".
A solução existe sim,o que não existe é vergonha na cara do governo que joga para a população pagar a conta criada pelas insenções fiscais.Não existe crise na previdencia,mas os aposentados,maiores vítimas da roubalheira,de nada são informados e poucos procuram saber,e quem sabe não é ouvido.

Anônimo disse...

COM TODA RUINDADE QUE FOR, o governo Temer é e será menos ruim que o do PT, pois todo o povo sabe que o problema de Temer e de seus componentes do PMDBandido é que ele era a base de aluguel do chantagista PT, como uma prostituta que presta serviços por dinheiro ao cliente!
Assim, ele não pode se impor muito, querer dar uma de honesto e correto pois militava com uma quadrilha de assaltantes, como comparsas do bando do PT, portanto, conversar pouco e acertado, dando tempo ao tempo até chegar 2018 e parar de suar frio!
Pelas proprias circunstancias, o governo Temer está acuado; colocar o traste Renan?
Deixe como está!

Anônimo disse...

2016 esta sendo o ano das máscaras caidas, muito didático, para os bem informados pela verdade dos fatos, nada de novo ou espantoso, mas para o pacato cidadão que queira sair da "caverna" ficou clara a canalhice da midia e que essa turma toda da politica Brasileira é comunista, basta ler as "carinhosas" deticatorias que FHC, Aécio et caterva fizetam em suas contas no Foicebook, não acredite em mim, vá la e confira. A oposição no Brasil é o povo, esqueçam a classe politica, quem não é comunista é oportunista canalha. Acordem não existe conteapinto politico aos comunistas.

Andre Giskard Aquino da Silva disse...

Engraçado como um presidente tem poder. O congresso deve ter sido destituído para que ele aprovasse e pudessem em prática todas essas medidas comunistas. Senhor Amorim, não pense que todos são influenciáveis como alguns de seus leitores. O senhor deve ser como a maior parte dos Brasileiros, de memória curta, ou, esta sendo muito bem pago para escrever algumas dessas linhas preconceituosas e tendenciosas.
Enfim, continue tentando, talvez alguns comecem a acreditar.

Anônimo disse...

Prezados amigos,

Visitem o blog da "Mônica Bérgamo dos Tucanos", Reinaldo Azevedo, e pasmem: agora o cara pirou de vez e quer que haja boicote ás manifestações de rua marcadas para o próximo domingo. Leiam, lá, as imbecilidades que ele escreve sob o título que segue abaixo

"Ninguém tem o direito de achar que pode haver anistia. É impossível! Marchar contra políticos é uma má escolha."

Anônimo disse...

Sr André Giscard acima está nervosinho pela saída do PT, pela morte do deus forte da NOM Fidel Castro e a decadencia do famigerado Foro de São Paulo?
Se acaso for por isso, prepare-se, pois breve tem mais!
Em 2018 todos os comunistas declarados PT e associados, e seu socio PSDB disfarçado, sairão com o rabo atrás das pernas!
Quem livrou o Mula em 2006 do impeachment foi FHC!