TRANSLATE/TRADUTOR

terça-feira, abril 25, 2017

SENADOR CATARINENSE PAULO BAUER APRESENTA PROJETO QUE ACABA COM O FAMIGERADO HORÁRIO ELEITORAL NO RÁDIO E TELEVISÃO

De vez em quando parlamentares fazem algumas coisas sensatas. É o caso do senador catarinense Paulo Bauer (PSDB/SC) que apresentou projeto destinado a acabar com o horário eleitoral gratuito e com a política partidária no rádio e na televisão bancado com dinheiro público, isto é, dinheiro dos contribuintes. O PLS 108 de 2017 põe fim aos programas eleitorais, às inserções diárias durante as campanhas e à propaganda dos partidos políticos em períodos não eleitorais.
Segundo o autor do projeto, o senador Paulo Bauer, cerca de metade dos custos das campanhas eleitorais está na propaganda veiculada no rádio e na televisão. Além disso, há ainda as compensações tributárias que o Governo Federal faz para as emissoras de rádio e TV. Este valor foi superior a R$ 3,5 bilhões entre 2004 e 2016.
“O horário não é gratuito. A sociedade paga abrindo mão de impostos. É um custo elevado, seja para o Governo ou para as campanhas. A eficácia dessa propaganda é totalmente questionável, uma vez que a população pouco ou nada assiste ou ouve”,argumenta o senador catarinense.
Para Bauer, que é líder do PSDB no Senado, o excesso de marketing nas campanhas afasta os candidatos do eleitorado.
“Os candidatos precisam se apresentar à sociedade como são, sem recursos de marketing ou efeitos especiais, e isso só será possível no contato direto com o eleitor de porta em porta. Partidos e candidatos precisam voltar às ruas para o contato direto com a população”, defende Bauer.
O senador explica que não há justificativa, hoje, para o uso de TV e Rádio, com recursos públicos, para a propaganda de partidos e para campanhas eleitorais. Bauer argumenta que os tempos mudaram e há outras formas de os políticos chegarem aos eleitores.
“Se, no passado, em face do quase monopólio do rádio e da televisão como meios de comunicação de massa, justificava-se que o poder público abrisse mão de valores significativos de recursos financeiros para proporcionar a propaganda eleitoral e a propaganda partidária gratuitas no rádio e na televisão, hoje não mais se justifica”, pondera o líder tucano.

O projeto apresentado pelo senador Paulo Bauer mantém a realização de debates, bem como estimula o uso das redes sociais, uma ferramenta importante para o contato entre políticos e eleitores. Com informações do site do Senador Paulo Bauer

8 comentários:

Zé Sereno disse...

Até que enfim hein? Mas só vou comemorar no dia em que acabar aquela aberração chamada "Voz do Brasil". Aí sim!

Anônimo disse...

OUTRO QUE PRECISAR ACABAR É COM INSTITUTO DE "PESQUISAS", OS IBOPES da vida que fazem a cabeça dos eleitores mal preparados, a maioria NEM PERCEBE ESTAR SENDO ENGANADA!
Assim, idiotizados nas propagandas de tv, além de em muitas igrejas, pastores comprados a peso de ouro para ajudarem a votar nos comunistas, que subiram ao poder com ajuda de muitos deles, assim como da extrema-esquerda Teologia da Libertação-TL, a traidora do povo!

Anônimo disse...

a possibilidade de isso ser aprovado deve beirar a zero...

capaz que eles vao perder essa vitrine gratuita (para eles), mesmo que ninguem assista...

Anônimo disse...

Para mim tanto faz ter ou não esse horário assim como toda programação péssima, deseducativa e desinformativa da TV. Alias nem tenho mais TV em casa, e nem sinto falta alguma.

A respeito da "voz do Brasil" eu acho interessante e as vezes escuto partes, vc fica sabendo as traquinagens que os parlamentares estão fazendo, lá não é "propaganda", mas sim a respeito de projetos de leis.

Anônimo disse...

Está mais para "Otário Eleitoral Gratuito"...

Davi Abreu disse...

Quer você assista TV ou não (meu caso) esse projeto é de fundamental importância para o Brasil! Observem a montanha de (nosso) dinheiro que é colocada nisso! Absurdo! Meus comprimentos ao Ilmo. Senador Paulo Bauer, é nessas horas que me orgulho de meus conterrâneos, assim como me orgulho do autor deste magnífico Blog!

Marcelo Rodrigues Cunha disse...

Isso mesmo. Tem que acabar com horário político e também com o fundo partidario. Financiamento apenas privado. Fim do imposto sindical obrigatório. A solução da politica é o Distritao. Acabaria com puxador de voto e partidos de aluguel.Obrigaria o politico ter uma solida base eleitoral e este ficaria totalmente dependente dela. Fortaleceria partidos verdadeiros e programaticos.

Despetralhando disse...

Demorô, faz muito tempo que não vejo, ouço ou para na frente da tv na hora da desgraceira que é este engodo, alias duvido que esta jabuticaba seja vista por mais que 2% da população?
É dinheiro jogado fora sim, com retorno sofrível e injustificável.