TRANSLATE/TRADUTOR

sexta-feira, abril 29, 2016

REDES SOCIAIS, BLOGS E PORTAIS CONSERVADORES DETONAM O CERCO DA GRANDE MÍDIA ESQUERDISTA. CRESCIMENTO DA LIDERANÇA DO DEPUTADO JAIR BOLSONARO É UM EXEMPLO.

Deputado Jair Bolsonaro torna-se o porta-voz do enorme contingente de eleitores conservadores que até o advento da internet e redes sociais foi represado pela grande mídia controlada pelos esbirros do movimento comunista internacional. Redes sociais, blogs e portais conservadores derrubaram a muralha vermelha.
Uma guinada conservadora nas próximas eleições municipais de outubro deste ano e nas presidenciais em 2018 tem chances reais de acontecer. Até o estouro das redes sociais essa possibilidade era remota porque institutos e pesquisa e a grande mídia formavam sozinhos a opinião pública. Com o crescimento devastador das redes sociais, sobretudo Facebook e Twitter, além de blogs e portais independentes que também têm crescido muito em audiência, a grande mídia e seus jornalistas vinculados aos partidos e grupos de pressão comunistas vêm perdendo espaço.
Em suma, a opinião pública já não é formada por aquilo que dizem os jornalistas e analistas a eles afinados oriundos da academia. Os tais cientistas sociais e sociólogos variados levam ferro nas redes sociais e são imediatamente ridicularizados. Qualquer vacilo dos ditos comunicadores é escancarado em segundos nas rede sociais e, dependendo da situação, podem viralizar.
É por causa disso que, por exemplo, o deputado Jair Bolsonaro já não é mais considerado apenas um tracinho nas pesquisas que medem tendências em relação a candidaturas à presidência da República. Bolsonaro, muito bem votado no seu Estado, o Rio de Janeiro, e parlamentar aguerrido sempre presente e defendendo de forma intransigente as teses conservadoras, contrapondo-se à ditadura do ‘pensamento politicamente correto’ propalado pelos comunistas, já se transformou num nome nacional. 
Não é à toa que o analista de pesquisas do jornal O Estado de S. Paulo, o jornalista José Roberto de Toledo, dedicou sua última coluna a uma análise do desempenho do deputado Jair Bolsonaro na corrida presidencial, valendo-se dos índices revelados pelo Ibope e DataFolha. 
Toledo, que tenta passar a impressão de que é um analista imparcial, já nas primeiras linhas de seu artigo qualifica o discurso de Bolsonaro de “radicalmente conservador”. O que dizer então do PT e seus grupelhos de agitação que queimam pneus sobre as estradas, que invadem fazendas produtivas, que promovem quebra-quebra, que infernizam a vida das pessoas, sem falar nas roubalheiras, sem falar nas mais de 300 mil ONGs que lavam dinheiro público para manter coisas como MST, black blocs e outros grupos de arruaceiros? Quem são, objetivamente, os radicais?
Seja como for, o fato é que há um contigente expressivo de eleitores conservadores em todo o território brasileiro que até hoje desovaram seus votos em favor de candidatos oposicionistas - principalmente do PSDB. Faltava opção à direita, já que o PSDB é social-democrata  e, portanto, sua vertente ideológica é o “socialismo fabiano” que sempre serviu de porta de entrada para o comunismo puro e simples. 
E não precisa ser versado em filosofia política para constatar que há um contingente enorme de eleitores conservadores no Brasil. Não fosse assim, Bolsonaro estaria confinado no seu reduto eleitoral que é o Rio de Janeiro. O fato é que por onde passa Jair Bolsonaro tem platéia de bom tamanho e muito além do que se poderia supor. Já é um ator político de nível nacional ainda que estejamos longe do pleito de 2018. Deve-se acrescentar que a performance de Jair Bolsonaro torna-se muito mais eloquente pelo fato de ser perseguido pelos jornalistas de toda a grande mídia nacional. Bolsonaro só aparece na imprensa para levar paulada da vagabundagem comunista que controla as redações dos grandes veículos de mídia. 
Entretanto, o reinado desses pretensos formadores da opinião pública não é mais absoluto. Ninguém precisa mais esperar pelo jornal nas bancas. Aliás, a mídia imprensa tende a desaparecer muito mais cedo do que se imaginava, pela ação corrosiva das redes sociais, blogs e sites independentes e/ou conservadores. É praticamente a primeira vez na história do Brasil e de resto de toda a América Latina em que as teses e propostas conservadoras são debatidas e defendidas.
Os alegres rapazes e raparigas dos grandes veículos de mídia terão que disputar espaço na internet, sobretudo nas redes sociais. Foi-se o tempo que influenciavam sozinhos a opinião pública, de forma exclusiva e ‘excludente’, para usar uma terminologia tão cara à ditadura do pensamento politicamente correto. Essa situação é mais ou menos parecida com uma grande barragem que começa a romper-se de forma avassaladora e sem possibilidade de ser restabelecida. E isso é muito bom para o Brasil. Afinal, todos os maiores e mais importantes países do mundo possuem partidos e candidatos conservadores fortes e respeitados. 

quinta-feira, abril 28, 2016

Sponholz: Assim caminha a impunidade.


LAVA JATO DEVE APRESENTAR NESTA QUINTA-FEIRA PRIMEIRAS ACUSAÇÕES FORMAIS QUE ENVOLVEM LULA E GIM ARGELLO.

Força-tarefa está finalizando novas acusações que serão avaliadas pelo juiz Sérgio Moro; Serão as primeiras acusações formais desde que a Lava Jato avançou sobre o "departamento de propinas" da Odebrecht, sobre o ex-presidente Lula e sobre o ex-senador Gim Argello (PTB).
A força-tarefa da Lava Jato vai apresentar nesta quinta-feira, 28, mais duas novas denúncias contra os investigados na megaoperação de combate a corrupção na Petrobrás e que avançou para outras áreas do governo federal. Os procuradores da República em Curitiba, responsáveis pela investigação na primeira instância, estão concluindo desde a manhã desta quinta-feira acusações que devem ser protocoladas à tarde na 13ª Vara Federal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro, de acordo com informações do site do Estadão.
Até o momento ainda não há informações sobre quem e quantos serão denunciados, a previsão é de que as denúncias sejam apresentadas à imprensa às 14h desta quinta, na sede da Procuradoria da República no Paraná, em Curitiba. Serão as primeiras acusações formais desde que a Lava Jato avançou sobre o “departamento de propinas” da Odebrecht e sobre o ex-senador Gim Argello (PTB), preso preventivamente sob suspeita de receber R$ 5,3 milhões para evitar a convocação de empreiteiros nas CPIs que investigaram a Petrobrás no Senado e no Congresso em 2014.
Até hoje a operação já apresentou 37 denúncias contra 179 pessoas acusadas de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, formação de organização criminosa, tráfico de drogas, crimes contra o sistema financeiro, dentre outros. Das 37 acusações, o juiz Sérgio Moro já proferiu sentença em 18 ações penais, contabilizando 93 condenações cujas penas somadas chegam a 990 anos e sete meses de prisão.
Os investigadores apontaram o pagamento de R$ 6,4 bilhões em propinas, dos quais ao menos R$ 2,9 bilhões já foram recuperados por meio de acordos de colaboração premiada. Ao todo, segundo o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, já são 65 acordos de colaboração firmados no âmbito da operação, a maior do País. Do site do Estadão

Sponholz: Dilma derretendo.


UMA ÓTIMA IDEIA DE MICHEL TEMER: O FIM DA REELEIÇÃO PARA PRESIDENTE.

Como tudo depende do resultado da votação do impeachment no Senado, o noticiário político dos últimos dias mais parece fofoca de comadres, porquanto baseia-se, a rigor, num turbilhão de especulações. A única coisa verdadeira mas que os alegres rapazes e raparigas da grande imprensa nacional não tocam é num fato público e notório: a ojeriza da esmagadora maioria do povo brasileiro a Lula, Dilma et caterva do PT. Há uma exigência clara e objetiva para que o Senado conclua o trabalho, isto é, afastando Dilma do Planalto. Esta é a primeira fase - acreditem - de grandes mudanças que ocorrerão na sequência. 

Lembro-me daquele domingo em que a Câmara dos Deputados detonou Dilma de forma arrasadora. E fiquei mesmo surpreso pelas reações de diversas pessoas de todos os estratos sociais quando fui almoçar num restaurante aqui em Florianópolis. Pessoas que jamais me procuraram para falar sobre política, ainda que sabendo que sou jornalista com blog ativo na internet há quase uma década, naquele domingo histórico se revelaram curiosas e torcendo pelo impeachment. "Será que ela (Dilma) cai ou não cai? - indagavam ansiosas. E não precisava ser jornalista para intuir que o resultado seria aquele que aconteceu. Mas as pessoas estavam inquietas. Talvez mais inquietas e ansiosas do que em jogo decisivo para o Brasil num final de Copa do Mundo.

Quando o último voto foi concluído pelo impeachment a cidade explodiu. Foguetório geral aqui em Florianópolis, gritos, buzinaços. Essa algazarra comemorativa ocorreu em todo o Brasil. 

A segunda-feira amanheceu silenciosa. E como a maioria já tivesse a certeza que impeachment avançaria no Senado, as 'armas' foram ensarilhadas, mas continuam à mão. Os senadores, velhos de guerra na política, sabem que o povo brasileiro como nunca antes na história deste país está acompanhando tudo. Qualquer vacilo por parte de suas excelências significará o repúdio imediato e impiedoso da maioria da população brasileira, especialmente dos eleitores.

Este é o pano de fundo do palco onde se desenvolvem as escaramuças políticas neste momento. Todos dependentes da votação do impeachment no Senado. O foco é este. Há um silêncio geral e irrestrito nas ruas. Quem faz barulho, ou pelo menos tenta fazer, são os jornalistas da grande mídia. No entanto, um barulho abafado, decorrente da ausência de fatos concretos. A ninguém, a não ser aos atores envolvidos nos bastidores da política, talvez interesse a profusão de especulações entremeadas de mentiras e balões de ensaio.

Se as coisas ficassem apenas no terreno especulativo, que aliás faz parte desse interregno da votação final, tudo bem. Entretanto, quando os veículos de mídia tentam influir no resultado de forma desabusada trocando a informação legítima pela deletéria desinformação em proveito dos atuais inquilinos do Planalto, tem-se uma manipulação criminosa da opinião pública e isto tem de ser denunciado.

De tudo que se fala por meio da mídia nestes últimos dias pouca coisa é fato concreto. Entretanto, o site Diário do Poder, dirigido pelo jornalista Cláudio Humberto baseado em Brasília, trouxe no início desta madrugada uma informação digna de nota. Ainda que seja uma especulação terá por certo o apoio da maioria dos brasileiros caso venha a se tornar realidade.

A nota de Cláudio Humberto revela que se Michel Temer for investindo na condição de Presidente da República com o afastamento da Dilma, sua primeira medida a ser anunciada ao povo brasileiro será o fim da reeleição em todos os níveis.

De tudo que foi publicado nos últimos dias pelas editorias dos jornalões e redes de TV, não resta dúvida de que esta é uma notícia interessantíssima. Concluo estas linhas reproduzindo na íntegra a informação do Diário do Poder. Leiam:

O vice-presidente Michel Temer afirmou a interlocutores do Congresso que uma de suas primeiras providências, na eventualidade de assumir a presidência da República, será enviar ao Congresso uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) extinguindo a reeleição para cargos majoritários, inclusive o dele, já valendo para as eleições de 2018. Em qualquer quadro, Temer garante que não disputará qualquer cargo. A informação é do colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder.
Michel Temer prevê pressões para preservar o “direito à reeleição” dos eleitos em 2014 e 2016. Nesse caso, ele promete não ser candidato.
Para demonstrar seu compromisso, Temer garante que já no discurso de sua eventual posse anunciará o fim da reeleição no Brasil.
A decisão de acabar a reeleição soou como música aos ouvidos da cúpula do PSDB, que não abre mão do projeto presidencial.
O fim da reeleição para cargos majoritários, e até para mesas diretoras no Poder Legislativo, é raro consenso no debate sobre reforma política.

quarta-feira, abril 27, 2016

Sponholz: Curitiba, a palavra fatídica.


JUIZ SERGIO MORO, NA LISTA DAS 100 PESSOAS MAIS INFLUENTES DA REVISTA 'TIME', É HOMENAGEADO EM NEW YORK.

Juiz Sergio Moro e sua esposa Rosangela Wolff Moro, chegando para o evento na noite desta terça-feira em New York.
O juiz federal Sergio Moro, que conduz os processos da Operação Lava Jato, participou na noite desta terça-feira de um evento da revista americana Time, em Nova York. Na semana passada, Moro entrou para a lista das 100 pessoas mais influentes do mundo elaborada pela publicação. Ele é o único brasileiro na relação.
Com roupa de gala, o juiz compareceu à cerimônia ao lado de sua mulher, a advogada Rosangela Wolff Moro. Ao chegar ao evento, Moro declarou ao Jornal Nacional, da TV Globo, que a presença de seu nome na lista da Time "honra muito a instituição, o trabalho institucional". "Acho que é reconhecimento também que o Brasil toma passos importantes na prevenção e no combate à corrupção, nessa perspectiva acho muito positivo", disse o juiz.
Moro foi incluído pela revista na categoria 'Líderes' e divide espaço com nomes como os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da Rússia, Vladimir Putin, e a chanceler alemã Angela Merkel. A publicação destacou que Moro tem seu nome gritado nas ruas "como se fosse um jogador de futebol" e explicou que o juiz é responsável por "um processo envolvendo um escândalo de corrupção tão grande capaz de derrubar um presidente - e talvez mudar uma cultura de corrupção que há muito prejudica o progresso do seu país". Do site da revista Veja

A ÚLTIMA CARTADA DE JARARACA E RATINHO: O GOLPE DO PLEBISCITO BOLIVARIANO.

O pontapé que o Brasil inteiro quer ver e comemorar
O jornal Folha de S.Paulo, um ninho de hipsters esquerdistas desde o tempo do pretensioso psicopata  Cláudio Abramo, tornou-se agora uma espécie de pasquim de humor delirante. Num momento em que até os cachorros da rua aguardam mais alguns dias para festejar a deposição da Dilma, os alegres rapazes e raparigas da redação fazem das tripas coração. Alguns, segundo me contaram, ainda estão trabalhando graças aos ansiolíticos.
Não sei qual será a manchete da Folha desta quarta-feira, mas na disputa do nobre espaço do enfatuado diário paulistano concorre, com toda a certeza, a notícia do encontro   de jararaca e ratinho. Lula esteve com Renan Calheiros combinando as tratativas para a realização de um “plebscito bolivariano”, destinado a abortar o impeachment para fazer nascer com pretensão de eternidade o regime dos sonhos dos comunistas. Uma coisa que já aconteceu na Venezuela e em outras republiquetas controladas pelo Foro de São Paulo.
Tanto é que a Folha escalou meia dúzia de repórteres para cobrir o insólito encontro. Do lado de fora é claro. Houve apenas um momento especial em que jararaca e ratinho saíram do breu da tocas para a fotografia que seria estampada no site da Folha. E ainda pode ilustrar a chamada de capa do jornal impresso.
No bate-papo jararaca e ratinho confabularam a respeito de um plebiscito que seria realizado no pleito municipal de outubro deste anos sugerindo novas eleições presidenciais.
E mais no final, a matéria da Folha afirma que “Lula está bem posicionado nas últimas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República”. Áulicos do lulismo disseram que ao ver aqueles números do DataFolha, jararaca sacudiu o rabo e mostrou a língua. 
Daqui de longe eu vejo aquelas repórteres da Folha com um chapeuzinho na cabeça comprado em brechó chique, um cachecol islâmico enrolado no pescoço, uma saia pelo tornozelo e um tênis surrado de marca famosa. Pendendo do ombro uma bolsa de crochê e, sobre o nariz, óculos de aros grossos e lentes redondas. 
Convenhamos, não dá para escrever uma crônica política sem enveredar pelo caminho da galhofa. Ainda bem que a comissão do impeachment avança a passos largos. E a Operação Lava Jato também. A força tarefa já se preveniu com um estoque de soro antiofídico.

Sponholz: Carta enigmática.

segunda-feira, abril 25, 2016

O EXORCISMO

Por Maria Lucia Victor Barbosa (*)
O exorcismo é uma cerimônia religiosa na qual se esconjura o demônio ou espíritos maus. Utilizada pela Igreja Católica e muitas outras religiões já apareceu em forma de ficção em filmes que revolveram crenças e medos antigos.
O primeiro destes filmes, “O Exorcismo”, teve enorme sucesso. Na história morreram três padres que tentaram livrar uma adolescente do obsessor medonho que a atormentava e a transformava numa figura hedionda. As pessoas que assistiram o enredo, mesmo sem crença nos ardis do demônio, quedaram horrorizadas.
Charge by Sponholz
Mais recente, o filme “O Ritual” não foi menos aterrorizante. Conta que um jovem padre foi enviado ao Vaticano para aprender o ritual do exorcismo. Mas ele não crê no demônio e sua fé em Deus é vacilante. Todavia, o sacerdote assistiu aulas de um vaticanista, o qual ensinou que, ao final da cerimônia o condutor deve obrigar o demônio a dizer seu nome para que a vítima seja libertada.
Dito isso façamos uma analogia, isto é, “um ponto de semelhança entre coisas diferentes” e, simbolicamente conclamemos o exorcismo político do PT (Partido dos Trabalhadores ou Partido das Trevas).
Para melhor embasar essa analogia nada como citar um dos mais conceituados e brilhantes sociólogos, o alemão Max Weber, que em um dos trechos de “A Ciência como Vocação” afirmará:
“Cuidado, o diabo é velho; envelhecei também para compreendê-lo. Isso não significa a idade, no sentido da certidão de nascimento. Significa que se desejarmos haver-nos com esse diabo teremos de não fugir à sua frente, como gostam de fazer tantas pessoas hoje. Em primeiro lugar, temos de perceber-lhe os processos , para compreender seu poder e suas limitações”.
Como processo o PT foi fundado numa propositada ilusão e se transformou numa farsa danosa ao país. Iludiu incautos com a promessa mentirosa de ser o único partido ético, para depois institucionalizar a corrupção. Atribui-se uma ideologia de esquerda devidamente adaptada aos desígnios de poder de seus dirigentes, através da qual destilou o ódio entre ricos e pobres, negros e brancos. Simulou democracia para chegar ao totalitarismo que é sua essência.  O fundamento de sua força foi a mentira e como o diabo inverteu os sinais confundindo a noção entre certo e errado. Glorificou a criminalidade. Justificou a imoralidade. Introduziu o abominável “politicamente correto”.  Estimulou a ganância de seus adeptos e os seduziu com a vaidade dos cargos. Uniu-se à escória política do País. Simulou o que não era. O ódio, o rancor, a intriga, violência foram suas armas para destroçar os adversários transformados em inimigos.
Esse Partido das Trevas se metamorfoseou na seita dos adoradores da “serpente do mal” ou jararaca, uma falsa divindade que se sentiu acima da lei e do comum dos mortais. Embriagado com tanto poder a jararaca estava longe das condições psíquicas para manejá-lo, não passando de um tosco Mussolini de Terceiro Mundo, um reles farsante a quem chamaram de estadista, atribuindo-lhe virtudes que nunca teve.
A seita não nasceu do proletariado, como querem fazer crer, mas do peleguismo sindical, do carnaval esquerdista das academias, dos artistas embevecidos consigo mesmos, de parte do clero da Teologia da Libertação essa esdrúxula mistura de Jesus Cristo com Karl Marx.
Voltando a Max Weber na mesma obra não se pode deixar de citar o seguinte trecho:
“Se tentarmos construir intelectualmente novas religiões sem uma profecia nova e autêntica, então, num sentido íntimo, resultará alguma coisa semelhante, mas com efeitos ainda piores”. “E a profecia acadêmica finalmente, criará seitas fanáticas, mas nunca uma comunidade autêntica”.
O ritual político do PT começou. As legiões alcunhadas de “pão com mortadela” prometem cuspir fogo e enxofre na defesa da jararaca de ovos de ouro. A criatura, cujo fracasso é muito mais do seu criador do que dela, de novo está fazendo o diabo. E só há um jeito do exorcismo chegar ao seu termo: Lula terá que dizer seu nome e partir para sempre: Lulanás!  
Sem ele o Partido das Trevas chegará ao fim e o Brasil, aos poucos, se libertará do mal que a seita de fanáticos e aproveitadores produziu.
(*) Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga.

Sponholz: Dilma no divã.

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada

TENSÃO PRÉ-IMPEACHMENT: PALÁCIO DO PLANALTO REFORÇA ESTOQUE DE MEDICAMENTOS PARA TAQUICARDIA, INSÔNIA E DEPRESSÃO.

Nem mesmo o passeio a New York teve impacto positivo no humor da "Presidenta" que segundo afirmam, continua muito tensa. Foto DP by Adriano Machado/IstoÉ
A Presidência da República reservou R$ 3,6 mil para compra de remédios para tratamento de taquicardia, depressão, insônia, amidalite, entre outras enfermidades. No total, segundo a ONG Contas Abertas, foram 50 ampolas de adenosina (taquicardia), 1.200 ampolas de água destilada, 280 comprimidos de amoxicilina (antibiótico para bactérias), 10 frascos de lidocaína (anestésico), 100 ampolas de midazolam (sedação e insônia) e 120 comprimidos de quetiapina (anti-psicótico).
Enquanto isso, nas redes sociais a galera não perdoa e parte para a gozação sugerindo medicamentos da denominada "medicina alternativa" afirmando que conferem um maior "empoderamento" aos pacientes. Mesmo assim, admitem que numa crise aguda nem o já famoso "Ficabonzin" resolve. Neste caso o mais indicado é o "Chá de Sumiço".
EXPLOSÕES NERVOSAS
No início do mês, a revista IstoÉ revelou que a presidente Dilma, dominada por sucessivas explosões nervosas, estava consumindo medicamentos controlados, tipo tarja preta. A revista contou que Dilma, “além de destempero, exibe total desconexão com a realidade do País”.
A adenosina, conforme descrição da internet, é um remédio antiarrítmico cardíaco utilizado para tratar taquicardia. A quetiapina é um medicamento anti-psicótico. Ele é usado para tratar o transtorno bipolar (psico maníaco depressiva) em adultos e crianças que tenham pelo menos 10 anos de idade. A quetiapina também é usada em conjunto com medicamentos antidepressivos para tratar transtorno depressivo maior em adultos. Já o maleato de midazolam é um medicamento de uso adulto indicado para tratamento de curta duração de insonia.
Outro produto adquirido, a amoxilina,  é um antibiótico muito usado para tratar vários tipos de infecção bacterianas, como amidalite, bronquite, entre outras. A água destilada é utilizada para enxaguar instrumentos após imersão na solução de desinfecção/esterilização a frio, entre outras finalidades. Do site Diário do Poder

Sponholz: 'Presidenta' fora do eixo.


domingo, abril 24, 2016

FORÇA TAREFA DA LAVA JATO DIZ TER ELEMENTOS PARA LEVAR LULA AO BANCO DOS RÉUS

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada
A força-tarefa da Operação Lava Jato considera ter elementos para levar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao banco dos réus, acusado de envolvimento com a organização criminosa que corrompeu e lavou dinheiro desviado da Petrobrás – independentemente de qual instância ele será processado. O inquérito sobre a compra e reforma do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), será a primeira acusação formal entregue à Justiça.
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá ainda se Lula pode assumir o cargo de ministro da Casa Civil e se ele será denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR), considerando o direito ao foro especial por prerrogativa de função, ou se as acusações poderão ser apresentadas pela Procuradoria, em Curitiba, diretamente ao juiz federal Sérgio Moro – dos processos em primeiro grau da Lava Jato.
Alvo em Curitiba de três frentes de apuração na Lava Jato – as outras duas envolvem o tríplex 164 A, da OAS, no Guarujá, e os pagamentos e repasses para o ex-presidente via sua empresa de palestras, a LILS, e para o Instituto Lula -, a que envolve o sítio de Atibaia é a mais robusta, na avaliação dos investigadores. Os inquéritos estão suspensos depois que ele foi nomeado ministro da Casa Civil pela presidente Dilma Rousseff, no dia 17, e o tema foi levado ao Supremo.
 A peça apontará a família do ex-prefeito de Campinas (SP) e amigo de Lula Jacó Bittar (PT) como “laranjas” na ocultação da propriedade, adquirida em 2010 pelo valor declarado de R$ 1,5 milhão. Os registros de escritura em nome dos donos oficiais, um “contrato de gaveta” em nome do ex-presidente e da mulher, Marisa Letícia, encontrado nas buscas e depoimentos dos investigados farão parte da acusação
O compadre e defensor jurídico do ex-presidente Roberto Teixeira também será citado como parte da operação de formalização do negócio. Oficialmente a propriedade está registrada em nome de um dos filhos de Bittar, Fernando Bittar, e do empresário Jonas Suassuna – ambos sócios do filho de Lula. O registro de compra do imóvel foi realizado pelo escritório de Teixeira. Clique AQUI para ler tudo e ver facsímiles de documentos o fotos

Sponholz: Diálogos impertinentes...


sábado, abril 23, 2016

JOSÉ DE ABREU, O CUSPIDOR DA REDE GLOBO.

Num país onde fanfics são transformadas em verdades absolutas pelo jornalismo bundalelê com pitadas de marxismo petista, convém sempre ficar com um pé atrás. Aliás é isso que de forma insistente tenho advertido os aqui no blog. As minhas advertências não têm sido em vão. Tanto é que o ator da Globo José de Abreu só não apanhou na cara num restaurante de São Paulo porque o segurança impediu. O global cuspiu nos rostos de um cidadão e de sua mulher.
O episódio foi noticiado amplamente pelos alegres rapazes e raparigas da grande mídia, com base na fanfic construída pelo próprio Abreu por meio do Twitter. Como o indigitado ator é “mortadela premium” do PT o que disser é a regra para esse sub-jornalismo que infesta as redações.
Em boa hora Flavio Morgenstern colocou os fatos no seu devido lugar, em texto postado no excelente site Senso Incomum. Clique aqui para ler.

PRESENÇA DE DEPUTADOS DA OPOSIÇÃO EM NOVA YORK DETONA PLANO COMUNISTA MONTADO POR DILMA E SEUS SEQUAZES


Neste vídeo, que já viralizou na redes sociais, José Carlos Aleluia (DEM-BA) e Luiz Lauro Filho (PSB-SP), que viajaram aos Estados Unidos para acompanhar a participação da Dilma na reunião da ONU, conversam com um grupo de brasileiros que vive em New York.

Como é sabido, os dois parlamentares da oposição decidiram viajar aos Estados Unidos depois que a imprensa noticiou que Dilma aproveitaria a reunião da ONU para dizer que seria vítima de um “golpe”, aliás tecla que a turma do PT vem batendo desde que foi instaurado o processo de impeachment que agora já está no Senado, tendo sido aprovado pela Câmara dos Deputados com esmagadora maioria.

Os dois parlamentares também denunciam o fato de que o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Antonio Patriota, tentou impedir a presença dos parlamentares brasileiros na reunião da ONU. Posteriormente voltou atrás e credenciou o deputado José Carlos Aleluia para pudesse, como de fato pôde, participar do evento.

Dilma e o PT recuaram do plano de aventar no recinto da ONU a mentira de que estaria havendo um ‘golpe de Estado’ no Brasil.

A presença dos parlamentares oposicionistas em New York funcionou no que tange ao evento da ONU. Todavia, ao conceder entrevista aos jornalistas Dilma voltou a mentir alegando "golpe" e sugerindo a intervenção do Mercosul e da Unasul. Para quem não sabe a Unasul, cuja sede fica no Equador, é uma entidade multilateral comunista que foi criada para substituir a OEA. Sobre a Unasul publiquei aqui no blog uma matéria especial que não saiu e nunca sairá em nenhum veículo da grande mídia. Confiram aqui. Já o Mercosul é também dominado pela turma do Foro de São Paulo.

Seja como for, a presença dos parlamentares oposicionistas em New York foi fundamental para estabelecer um contraponto essencial, principalmente no que respeita à mídia internacional. Embora a grande mídia seja toda controlada pelos esbirros do movimento comunista internacional, foi obrigada a mencionar a presença dos representantes oposicionistas.

Como era de se esperar, Dilma se conteve no pronunciamento no âmbito da ONU. Depois dedicou o tempo para passear pela cidade mais cosmopolita e capitalista do mundo, que é New York e, claro, propalar a mentirada aos jornalistas de que está em curso no Brasil um golpe para destituí-la.

Dilma não engana mais ninguém. Aliás, nunca enganou. E a bem a da verdade deve-se assinalar que Lula, Dilma et caterva do PT chegaram ao poder por meio do apoio da vagabundagem esquerdista da grande imprensa nacional e internacional. O PT sempre foi uma miragem que não consegue reunir mais do que um punhado de comparsas se não for na base de sanduíches de mortadela e generosa remuneração em dinheiro público. A comitiva da Dilma que viajou a New York reúne mais de 50 pessoas e isto é um acinte, um deboche, quando se sabe da penúria que já castiga até mesmo a classe média brasileira. O PT conseguiu falir o Brasil. Dilma será 'impichada' e o PT e demais partidos comunistas serão proscritos.

sexta-feira, abril 22, 2016

Sponholz: Os marketeiros da Dilma.


ARTISTA QUALIFICA DE "VERMES" OS POLÍTICOS DO PT QUE ATACAM O JUIZ SERGIO MORO

Evandro Mesquita
Nem todos os artistas brasileiros chafurdam no lodaçal da vagabundagem comunista que ataca o Juiz Sergio Moro. É o caso de Evandro Mesquita, que mandou ver na sua página no Facebook chamando de "vermes" os petistas desesperados que investem contra o Juiz da Lava Jato. O site Diário do Poder noticiou:
Um dos mais queridos e admirados cantores e atores brasileiros Evandro Mesquisa chamou de "vermes" os senadores petistas e seus aliados que assinaram documento pedindo a abertura de processo disciplinar contra o juiz federal Sérgio Moro. Criador da banda Blitz, Evandro lista esses políticos, em seu perfil no Facebook, e ainda apela para que seja repassada, "até a nação tomar ciência desses vermes que nos envergonham!!!"
O desabafo do artista foi feito agora há pouco. O documento dos parlamentares é considerado uma tentativa de intimidar o juiz titular da Vara Federalo de Curitiba, quecoordena as ações da Operação Lava Jato.
Ele lista os petistas Antela Portela (CE), Donizetti Nogueira (MG), Fátima Bezerra (RN), Regina Souza (PI), Humberto Costa (PE), Paulo Rocha (PA), Lindbergh Farias (RJ), Gleisi Hoffmann (PR), Jorge Viana (AC) e José Pimentel (CE), além de Telmário Motta (PDT-RR) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).
Evandro Mesquisa afirma ainda, em sua mensagem, que os políticos que tentam intimidar o juiz Sérgio Moro "estão todos na lista da Odebrecht". O documento da empreiteira, apreendido pela Polícia Federal, mostrou uma lista de cerca de 200 políticos brasileiros que recebiam dinheiro da principal empreiteira enrolada nas investigações da Operação Lava Jato. 

Sponholz: Uma ex-presidenta em New York.