sexta-feira, março 27, 2015

O CONCLAVE DE WASHINGTON E O INÍCIO DE UMA GRANDE LUTA PARA LIVRAR OS BRASILEIROS DA MALDIÇÃO DO TOTALITARISMO COMUNISTA DO SÉCULO XXI


Como sabem os estimados leitores este blog está em viagem e esta é a razão pela falta de atualização diária. Estou em Miami há quase uma semana. Não se trata de férias mas sim uma viagem de observação. Já declinei aqui em post mais abaixo as minhas impressões gerais. Afinal, em poucos dias é impossível se conseguir os elementos para uma análise mais sólida. Todavia já deu para sentir a força da economia norte-americana e a predominância evidente da ética do trabalho em contraposição à ética da malandragem que se registra em toda a América Latina, sobretudo no Brasil. 

Alguns leitores cobraram do blog a cobertura do "Conclave de Washington pela Democracia", realizado na capital americana no último dia 21. Ainda em Florianópolis postei sobre isso conforme podem verificar mais abaixo aqui no blog. Entretanto, a viagem levou à quebra do meu cotidiano e isso prejudicou a atualização do blog. Entretanto, conhecer mais de perto os Estados Unidos deveria ser uma obrigação para todos os jornalistas não somente do Brasil mas de todos os países do mundo. Os Estados Unidos constituem o eixo em torno do qual o mundo gira. Esta é a verdade. O resto é conversa fiada da idiotia comunista dita do século XXI.

Mas voltando ao Conclave de Washington pela Democracia, que se concretizou graças ao esforço inaudito de Dalmo Accorsini, um brasileiro que vive há pelo menos 20 anos na Flórida. Entretanto essas duas décadas não conseguiram desligar Accorsini de sua terra natal. Dalmo simplesmente poderia ter virado as costas para o Brasil, no entanto abraçou a causa que leva milhões de brasileiros às ruas no sentido de livrar o  Brasil das garras do Foro de São Paulo, a organização comunista fundada por Lula e Fidel Castro em 1990, na capital paulista, destinada a transformar o Brasil e toda a América Latina num apêndice de Cuba. Deu no que deu.

Os brasileiros que viajarem agora para os Estados Unidos e a Europa constatarão de forma prática e objetiva que o PT de Lula e seus sequazes conseguiu quebrar o Brasil. Nossa moeda foi liquidada e não vale mais nada. Chega a ser humilhante. Muitos brasileiros que vivem aqui em Miami me perguntaram atônitos: "O que está acontecendo com o Brasil?". Recomendei que aqueles que já vivem aqui nos Estados Unidos permaneçam aqui e jamais caiam na tentação, pelo menos agora, de regressar.

O CONCLAVE DE WASHINGTON
Um leitor do blog em boa hora deixou nos comentários o vídeo acima que reproduz na íntegra uma excelente palestra do filósofo, jornalista e escritor Olavo de Carvalho, proferida no Conclave de Washington. De forma clara, simples e objetiva Olavo resume tudo aquilo que levou o Brasil a esta lamentável situação. Portanto, vale muito a pena ver e ouvir este vídeo com atenção bem como compartilhar ao máximo pelas redes sociais.

Na próxima semana a atualização do blog voltará ao normal quando procurarei postar mais informações sobre esse importante conclave realizado no National Press Club em Washington. 

E, para concluir este post, tenho a dizer a todos vocês que daqui dos Estados Unidos, quando acesso os sites noticiosos brasileiros, sinto uma sensação muito estranha e fico severamente preocupado. Ao mesmo tempo aumenta a minha vergonha de dizer que sou brasileiro.

quarta-feira, março 25, 2015

O BLOG NOS ESTADOS UNIDOS: VENDO DE PERTO O QUE É A VERDADEIRA INCLUSÃO SOCIAL E A IGUALDADE DE OPORTUNIDADES QUE SÓ O CAPITALISMO DE VERDADE É CAPAZ DE REALIZAR.

Bombando: o blog em Miami Beach vendo de perto a pujança norte-americana.
Como os estimados leitores já estão sabendo o blog está em Miami Beach. Neste momento num café e bistrô cheio de gente. Antes o blog perambulou por algumas ruas e avenidas. Incrível saber que é possível andar nas ruas desta cidade à noite. Agora mesmo pensava sobre isso. Comparava o Brasil com os Estados Unidos.

Há um calçadão aqui perto que estava repleto de pessoas. Quase uma rua inteira de calçadão com mesas, cadeiras, poltronas, toldos. Gente de todas as idades conversando, comendo e bebendo. Diversos restaurante e cafés excelentes. Cardápios para todos os gostos. Alimentação farta e de alto nível.

A economia americana é algo fantástico. Tudo bombando! A pegada em nível de trabalho dessa gente é incrível. O salário mínimo é de US$ 8 dólares por hora. Uma atendente de um restaurante aqui de Miami com 22 anos de idade, sem grandes especialidades, me disse que ganha por mês US$ 2 mil dólares, algo em torno de no mínimo uns R$ 6 a 7 mil reais pelo cambio atual.

Se alguém quer ver mesmo igualdade e inclusão social vá aos Estados Unidos. Estou chegando à conclusão que o  capitalismo turbinado é o paraíso na Terra.

Nunca vi nada igual em toda a minha vida. Já estive em alguns países europeus, mas nada que se compare com os Estados Unidos.

O avião em que viajei, um Boeing 777, veio lotado até a boca! Vou  conferir quantos passageiros são desovados em Miami diariamente.

Já há uma legião enorme de brasileiros vivendo aqui em Miami e em outras cidades da Florida. A maioria não é constituída de ricaços, mas de pessoas que eram pobres no Brasil e já estão atingindo o patamar da classe média. Estão felizes. Muitas me perguntam o que está acontecendo com o Brasil.

É surpreendente e gratificante saber que é possível o progresso em todos os sentidos. Todas as expectativas que alimentei sobre os Estados Unidos ao longo da minha vida estão sendo superadas a cada minuto que passa nesses poucos dias que estou aqui. Impossível descrever com palavras esta experiência. Não vim fazer compras como faz a maioria dos que vêm aqui. Vim conferir. Vim observar tudo que é possível ser observado. Incrível é que me sinto à vontade. Os Estados Unidos constituem um país insuperável em todos os sentidos.

domingo, março 22, 2015

EX-ASSESSOR DE SEGURANÇA DE CHÁVEZ FALA NO 'CONCLAVE DE WASHINTON PELA DEMOCRACIA' SOBRE A ALTERAÇÃO DE RESULTADOS ELEITORAIS NO BRASIL, VENEZUELA E DEMAIS DITADURAS COMUNISTAS.


O programa A Tarde Fim de Semana da rede de televisão colombiana NTN24,  apresentou matéria exclusiva desde Washington com Anthony Daquin, ex-Assessor de alta segurança do governo de Hugo Chávez, especialista na área de tecnologia e defesa e convidado especial do "Conclave de Washington pela Democracia, que aconteceu neste sábado, dia 20 de março, no National Press Clube, o famoso Clube Nacional de Imprensa da capital norte-americana, conforme publiquei aqui no blog.
Infelizmente este vídeo não está legendado em português. Mas dá bem para assistir. Daquin aborda uma questão sensível principalmente para brasileiros e venezuelanos que vêm sendo enganados pelas máquinas de votação eletrônicas da Smartmatic.
Espero poder ainda neste sábado obter as informações sobre o Conclave de Washington quando então postarei aqui no blog.
EN ESPAÑOL - El programa La Tarde Fin de Semana de NTN24, conversó en exclusiva con Anthony Daquin, Exasesor de Seguridad del alto Gobierno de Hugo Chávez, experto en temas de informática y defensa e invitado especial al "Cónclave de Washington por la Democracia", que se llevó a cabo este sábado en la capital estadounidense.
Daquin explicó las conclusiones de éste evento en el que se develaron las presuntas formas como se habrían alterado los resultados electorales en países como Brasil y Venezuela, por medio de la manipulación del sistema de voto electrónico.

O BLOG EM VIAGEM VÊ DE PERTO A TERRA FORTE DE TIO SAM E DE LONGE UM PAÍS EM RUÍNA CHAMADO BRASIL

Numa das largas avenidas de Miami Beach propaganda de um show de Madona estampando uma daquelas limousines americanas enormes. 
Estimados leitores, o blog está não propriamente em férias, mas pegando mais leve nesta semana, fazendo uma incursão pelas terras do Tio Sam, só naquela pontinha do continente norte-americano um pouco acima de Cuba onde resplandece um dos locais mais agradáveis do planeta que é Miami.

Alguém já definiu Miami como uma cidade latina de primeiro mundo. Tudo a ver. Tanto é que que se pode ouvir aquele "sonido" que revela a presença importante de latino-americanos, incluindo é claro, centenas de cubanos que escaparam do comunismo e muitos hoje são empresários bem sucedidos aqui na Flórida.

O que posso dizer a vocês é que embora não exista no mundo nenhum país perfeito, pois países são materializados pela presença de humanos. Todavia os mais imperfeitos são justamente aqueles que cairam nas garras dos comunistas. Os mais perfeitos são aqueles que se aproximam dos Estados Unidos.

O clima aqui em Miami está muito agradável e bem quente durante o dia. Estou escrevendo este post sentando na mesa e um restaurante numa movimentada avenida de Miami Beach agora mesmo, passando alguns minutos da meia noite, horário local. Aqui não há guardadores de carro, flanelinhas, mendigos rondando bares e restaurantes e se pode sentir mais segurança nas ruas mesmo à noite. Segundo consta, Miami não é uma das cidades mais destacadas em segurança dos Estados Unidos. Entretanto, perto do Brasil é um Oásis de paz. Já não estava mais acreditando que se pudesse andar tranquilo pelas ruas de uma cidade.

Isto só evidencia uma dramática realidade: o Brasil foi destruído pelos governos do PT.

sexta-feira, março 20, 2015

CRISE NO BRASIL GERADA PELO PT SE AGRAVA PELO IMOBILISMO E A LENIÊNCIA OPORTUNISTA DAQUELES QUE TÊM O PODER E O DEVER CONSTITUCIONAL DE AGIR

O cotidiano na Venezuela: filas imensas nos supermercados para adquirir alimentos, principalmente. 
Geraldo Samor é um dos analistas do mercado dos mais atilados. Em sua coluna no site da revistsa Veja faz sérias advertências sobre o futuro imediato nada promissor para os brasileiros. Ao que eu acrescento: caso as autoridades constituídas - tirante evidentemente o Palácio do Planalto - no Congresso Nacional passando pelas lideranças políticas dos principais partidos políticos - fora o PT, é claro - e as Forças Armadas, continuarem cultivando esse imobilismo, quando não uma leniência absurda de forma a colocar um pedra sobre o caos instalado no Brasil pelo PT e seus seus sequazes, tudo de ruim que se possa imaginar está a caminho. Mais um pouco estaremos rivalizando com a Venezuela em termos de desastre geral e penúrias inimaginável que castigarão a já depauperada classe média e os estratos mais frágeis economicamente da sociedade brasileira.  Erosão da classe média verdadeira é o caminho mais curto para o empobrecimento geral e irrestrito do país, ou seja, o caminho mais curto para a cubanização do Brasil.
Leiam a análise de Geraldo Samor:
O dólar está a 3,30 mas é impossível encontrar alguém que ache que este preço ‘paga’ todas as incertezas do Brasil hoje.
Proteja a cabeça e prepare-se para o impacto. Vai ser um pouso forçado.
O mercado de crédito está travado. Os bancos botaram os balanços na parede.
Há relatos de que várias empreiteiras estão sem receber, tanto do governo federal quanto dos estaduais.
No leilão de ontem, o Tesouro Nacional engoliu o orgulho a seco e escolheu defender seu caixa. Aceitou vender LTNs (títulos pré-fixados) com vencimento logo ali, em 1 de outubro. (No mundo da política isso hoje parece uma eternidade, mas no mercado de renda fixa trata-se de um vencimento curtíssimo.)
A humilhação máxima – o rebaixamento do crédito do Brasil — parece iminente. A impressão é de que, mesmo se as agências não derem o corte, isso em nada aliviará o mercado, simplesmente porque a confiança entre os locais está zerada. A realidade já se impôs. A confiança de empresários e consumidores convergiu para o mesmo sentimento: o Brasil hoje é junk.
É um mundo de CDI, de preservação de liquidez, de um dia de cada vez. A declaração de Armínio Fraga de que o Governo precisaria fazer uma economia mais do que o dobro da que está fazendo dá uma ideia do tamanho do buraco em que meteram o País.
O objetivo principal do ajuste fiscal é fazer com que o tamanho da dívida pública em relação ao PIB entre numa trajetória de queda nos próximos anos. (O raciocínio é lógico: se a dívida como proporção do PIB aumentar sem parar, uma hora o Estado fica insolvente. Quebra. Game over.)
Fraga disse que precisamos de um ajuste de ‘mais de 3%’ do PIB para retomar essa trajetória de queda, mas todo mundo sabe como Joaquim Levy está suando — aliás, sangrando a camisa — para entregar o 1,2% que prometeu.
Enquanto isso, Brasília vive mais um Baile da Ilha Fiscal, desperdiçando energia em factóides: o ministro demitido pelo semideus… os benefícios de uma reforma ministerial… os cinquenta tons de bullying do PMDB.
Para quem vive os desafios diários da economia, toda essa discussão é exasperante porque não substantiva. A política geralmente se resolve sozinha. Já a economia precisa de empenho, intelecto e convicção.
O problema do Brasil hoje não é de ministério — é de confiança.
Os grandes motores da economia — a Petrobras, a construção civil, as empreiteiras, as montadoras — tudo está parado.
A Petrobras precisa ser capitalizada — ou o Governo coloca lá um dinheiro novo que não tem, ou vende uma parte grande da empresa. Não há espaço para timidez, tergiversação ou pusilanimidade. Enquanto este aumento de capital (ou esta monetização de ativos em larga escala) não acontecer, a empresa vai agonizar em praça pública. Piada a propósito: “Cite quatro coisas no Brasil viciadas em injeções de capital — PDG, Petrobras, PT e PMDB.”
É verdade que a Bolsa andou tendo uns dias de alta, e pode até subir mais.
Com o real se desvalorizando mais de 20% em apenas 40 dias, o País está ficando barato para os gringos — e cada vez mais caro para os brasileiros.

A riqueza do País está trocando de mãos. Você sabe a quem agradecer. Da coluna de Geraldo Samor

"CONCLAVE DE WASHINGTON PARA A DEMOCRACIA" DENUNCIARÁ NESTE SÁBADO O AVANÇO COMUNISTA NA AMÉRICA LATINA E FRAUDE ELEITORAL NA ÚLTIMA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL NO BRASIL

Neste sábado, 21 de Março, acontecerá em Washington, DC, um evento muito especial no The Nation Press Club, o tradicional Clube Nacional de Imprensa dos Estados Unidos, denominado 'Conclave de Washington para a Democracia". É especial porque se destina a denunciar à imprensa internacional o avanço comunista bolivariano no Brasil e em toda a América Latina. O destaque será a denúncia de fraude eleitoral na eleição presidencial do ano passado em que foi reeleita Dilma Rousseff, agora encalacrada pelo petrolão, a corrupção e a roubalheira descoberta na Petrobras. Ao mesmo tempo, a organização do evento denunciará a Smartmatic, empresa venezuelana que fornece e opera máquinas eletrônicas de votação e que foi contratada pelo Tribunal Superior Eleitoral no Brasil. 

Esse evento em Washington é aberto aos jornalistas americanos e correspondentes estrangeiros baseados na capital americana e também aos ativistas políticos que lutam contra o avanço do denominado 'comunismo bolivariano', em todos os países latino-americanos.

O organizador desse Conclave é Dalmo Accorsini, um brasileiro que vive na Flórida, Estados Unidos há pelo menos 20 anos, onde se dedica a atividades empresarias e cinematografia. No dia 21 de fevereiro passado, Accorsini realizou o mesmo Conclave em Lisboa, conforme o vídeo acima, quando concedeu entrevista ao jornalista Santos Neto na capital portuguesa, conforme noticiei também aqui no blog.

Toda a organização do Conclave de Washington, como o de Lisboa, foi realizada por meio das redes sociais, como destaque para o Faceboook, Twitter e FundRazr que é um site americano que viabiliza a obtenção de donativos para custear campanhas e eventos culturais, sociais e políticos. Foi através dessa ferramenta que até esta madrugada Dalmo Accorsini já havia conseguido mais de 12 mil dólares em doações que continuam abertas. Esses recursos, segundo Accorsini, destinam-se a custear as taxas cobradas pelo Clube Nacional de Imprensa, bem como viabilizar passagens de alguns convidados e despesas correlatas.

O Conclave de Washington é, portanto, um evento pioneiro voltado a denunciar aos Estados Unidos e ao mundo, a nefasta ação do Foro de São Paulo em todo o continente sul americano. Esse Foro foi fundado por Lula e Fidel Castro em 1990 na capital paulista com a finalidade de reunir todos os partidos esquerdistas da América Latina, incluindo também os grupos terroristas como as FARC da Colômbia e outros aparelhos de agitação comunista. O objetivo do Foro de São Paulo é transformar todos os países latino-americanos em Repúblicas Socialistas. Desde 1990 o Foro de São Paulo reúne-se em congressos e eventos análogos. O penúltino congresso foi no Brasil e o último na Bolívia, um dos países já sob domínio total do comunismo bolivariano. A Venezuela é outra Nação que caiu nas garras os sequazes de Fidel Castro e de seu irmão Raúl. 

Desde de sua criação o Foro de São Paulo é dirigido pelo PT e Lula o seu comandante, principalmente depois que Fidel Castro sucumbiu a uma misteriosa doença que o transformou num zumbi.

Em uma de suas últimas postagens no Facebook, antes de embarcar para Washington,  Dalmo Accorsini diz o seguinte:
"Bom dia a todos! Estou nos preparativo finais e já saindo esta tarde para Washington! Neste momento Gilson Da Silva Paula, também esta a caminho de Washington e muitas outras pessoas, dedicados patriotas que estão lutando para reverter esse quadro e mudar o Brasil! No Sábado apresentaremos PROVAS contra a SMARTMATIC, provas reais não imaginarias ou circunstanciais! Podemos provar sem sombra de duvida que existem méritos para que a passada eleição seja ANULADA! Precisamos do seu apoio mais que nunca! Doem ao Máximo por favor!"
EXPECTATIVA
Segundo Dalmo, diversas autoridades e ativistas políticos já chegaram a Washington para o Conclave, dentre eles o diplomata panamenho Willy Cochez, bem como o general Peñalosa, ex-Comandante das Forças Armadas da Venezuela que vive exilado em Miami.

Estão previstas as presenças de outras autoridades e lideranças latino-americanas. Foram convidados o ex-Primeiro Ministro da Espanha Jose Maria Aznar, Ex-Presidente colombiano Alvaro Uribe, Ex-Presidente do Mexico Vicente Fox, Ex-Governador da Florida Jeb Bush, Senador Marco Rubio entre outras lideranças políticas de peso internacional. Também está prevista a participação do filósofo, jornalista e escritor brasileiro Olavo de Carvalho, que vive há mais de 10 anos nos Estados Unidos, e que há pelo menos 20 anos vem denunciando a ação do Foro de São Paulo no Brasil em toda a América Latina.

O Conclave de Washington já vem ganhando destaque na mídia americana, tendo sido citado, por exemplo, pelo prestigioso site Accuracy in Media, dentre outros.
IN ENGLISH: 
  • On Saturday, March 21, at 1:00 p.m., the Washington Conclave for Democracy will be held at the National Press Club in Washington, D.C. to discuss freedom, democracy and free elections in Latin America. “The conference is aimed to expose fraud and deception in electoral processes in Latin America,” says organizer Dalmo Accorsini. The event is open to the press and the public and will feature several speakers with knowledge of the communist advance in the Western hemisphere, including in the U.S.

DUQUE OBEDECE À MAJESTADE E POR ISSO PODE MOFAR NA CADEIA PELO RESTO DE SUA VIDA. PAULO ROBERTO COSTA ESTÁ EM CASA.

O que segue abaixo, após este prólogo, é a integra da reportagem de Veja sobre o depoimento do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, à CPI do Petrolão. Mas antes destaco uma nota do site O Antagonista que tem tudo a ver com Duque que corre sério risco de virar um novo Marcos Valério, o operador do mensalão que está em cana, com uma pena de 40 anos de reclusão.
Diz O Antagonista: “O advogado Alexandre Lopes disse que o seu cliente, Renato Duque, não fará delação premiada.
Afirmou Alexandre Lopes: "Não há quem delatar nem o que delatar. Sou contra a delação premiada. Acho isso uma indecência. É você dar um prêmio à alcaguetagem. Jamais prestaria, como advogado, a dar base jurídica a uma delação. Para mim, isso não é advocacia."
O Antagonista lembra a Renato Duque e à sua família que o advogado Kakay tinha o mesmo discurso em relação ao doleiro Alberto Youssef. Na verdade, Kakay não estava trabalhando em prol do seu cliente, e sim de quem tinha medo de ser delatado por ele.
Não será Alexandre Lopes que pegará cana dura, família Duque, mas Renato. Conversem com a família do ex-colega de Petrobras Paulo Roberto Costa ou com o próprio. Ele está em casa. A delação premiada é o único caminho a seguir.” 
Segue a reportagem do site da revista Veja:
Apontado pelas investigações da Operação Lava Jato como o grande elo entre o PT e o esquema de corrupção que sangrou os cofres da Petrobras, o ex-diretor de Serviços da estatal Renato Duque cumpriu durante boa parte do tempo a recomendação de seus advogados para permanecer calado em depoimento à CPI da Petrobras. Mas, diante dos questionamentos dos parlamentares durante quatro horas, acabou perdendo a paciência em alguns momentos - e falou. Duque se pronunciou para dizer que sua mulher não é parente do ex-ministro e mensaleiro condenado José Dirceu, seu padrinho na Petrobras. Também afirmou que ela não procurou o ex-presidente Lula pedindo sua liberação da cadeia e, em tom exaltado, reclamou que "não é Pedro Barusco". Indagado pelo deputado Ivan Valente (PSOL-SP), Duque acabou na sequência expondo outra brecha: "Não conheço o senhor Youssef", disse, sobre o doleiro-delator do petrolão. Valente emendou: "E o senhor Vaccari, o senhor conhece?". A resposta foi reveladora: "Permanecerei calado".
Nomeado por indicação do partido para o cargo na estatal, o ex-diretor se beneficiou de desvios milionários em parceria com o tesoureiro do PT, João Vaccari, segundo dados colhidos pela Lava Jato. O depoimento começou por volta das 10h30. Duque anunciou que não responderia a nenhuma pergunta. E de fato cumpriu o prometido na maior parte do tempo: não deu qualquer resposta sobre os crimes pelos quais é investigado. Mas acabou sucumbindo.
Depois de ouvir provocações de parlamentares e ser chamado de "criminoso", Duque acabou por se irritar e, desobedecendo a orientação do advogado, respondeu a duas perguntas feitas pelo deputado Izalci (PSDB-DF). Sobre a suspeita de que sua mulher seja parente de Dirceu, afirmou: "Basta olhar a árvore genealógica de um e de outro. Não tem nenhum parentesco".
Depois, para tentar evitar que sua mulher fosse convocada para a CPI, respondeu outra pergunta e negou que ela tenha pedido ao ex-presidente Lula, por meio de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, que intercedesse pela libertação de Duque para evitar que o ex-diretor contasse o que sabe. "Minha esposa nunca esteve com o presidente Lula ou o senhor Okamotto. Não conhece e nunca conheceu", afirmou o depoente.
Antes disso, uma das únicas afirmações espontâneas de Renato Duque surgiu quando, por engano, o deputado Altineu Côrtes (PR-RJ) o chamou de "Pedro Barusco" - o ex-gerente que atuava sob coordenação de Duque revelou a divisão da propina entre a dupla e o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Duque gesticulou enfaticamente e repetiu, exaltado: "Eu não sou Pedro Barusco".
Sem perspectiva de obter explicações do ex-diretor, a oposição tentou convencê-lo a firmar um acordo de delação premiada para contar à Justiça o que sabe. "O senhor não tem vergonha de ter roubado o Brasil e vir aqui ficar calado?", provocou o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP). "Vossa senhoria vai ter no mínimo trinta anos de prisão a cumprir e a chance de ser protegido pelo PT é zero. Vossa senhoria tem família, tem parentes e tem amigos. Faça uma análise de consciência junto com seus advogados, se vale a pena esse ônus recair sobre seus ombros", afirmou o líder do PSDB, Carlos Sampaio (SP). O tucano citou o episódio do mensalão, que resultou em penas de mais de trinta anos de prisão para os operadores financeiros do esquema, enquanto os agentes políticos receberam sentenças muito mais brandas.
Já no final do depoimento, Duque também decidiu quebrar o silêncio para responder a questionamento se o seu filho trabalharia no exterior em uma empresa ligada à UTC Engenharia, cujo presidente, Ricardo Pessoa, está preso. "A empresa é muito maior do que a UTC. Meu filho é economista e foi recrutado como head hunter. Quando ele foi recrutado nos Estados Unidos, fiz uma consulta formal ao jurídico da Petrobras se haveria algum empecilho e a resposta foi não. Ele retornou ao Brasil depois de um ano e meio e algum tempo depois se retirou para montar o próprio negócio", disse. Em seguida, foi pontual ao dizer que não tinha "nenhuma" relação com as atividades da Sete Brasil, companhia formada pela Petrobras e sócios privados para administrar o aluguel de sondas para o pré-sal.
Nas considerações finais da CPI, Duque rebateu as críticas em torno do custo de viajar até Brasília e permanecer calado. "Foi comunicado com antecedência que eu me manteria calado. Já era uma decisão tomada de acordo com a orientação do advogado e do meu direito constitucional". O ex-diretor afirmou ainda que tem a "consciência tranquila" e "argumentos suficientes" para rebater as acusações que pesam contra ele, mas que aguarda outro momento para se defender. "Eu vou provar que meus bens são fruto do meu trabalho. Tenho 34 anos de companhia, tenho orgulho de ter sido diretor e lamento que a Petrobras esteja nessa situação. Não era para acontecer isso. Mas tudo tem seu tempo. Vou me defender na hora certa", afirmou. A sessão foi encerrada após mais de quatro horas de audiência. Do site da revista Veja

quinta-feira, março 19, 2015

AS CORES DE MARÇO

Por Maria Lucia Victor Barbosa (*)
Nunca houve manifestação como a do dia 15 de março. Era como se um só corpo imenso ondulasse por todas as cidades e capitais, notadamente, em São Paulo. Não houve violência como o PT torceu para que houvesse. Não houve ódio como pregou insistentemente o governo. Não havia golpismo, pois pedir o impeachment de um governante é legal e legítimo.
Quanto a crítica, segundo a qual toda aquela gente era composta por uma elite branca, pertencente à classe alta, adepta da direita e clamando por terceiro turno, mais parece uma alucinação ideológica ou uma distorção do fato na tentativa de desqualifica-lo. Elite branca? Então, estaríamos em outro país como a Dinamarca, Escandinávia, Suécia, mas não no Brasil.
O que houve foi o povo enchendo as ruas para deixar claro que a propaganda tem limite, que a mentira tem limite, que a hipocrisia tem limite e que não se acredita mais em conversa fiada.
Se existiu cor marcante entre os milhões de cidadãos essa foi verde-amarela. Quem ficou no vermelho foi o governo petista, que precisou chamar seus movimentos chapa branca para defendê-lo. No desfile chocho dos vermelhos muitos ganharam transporte e trinta reais para desfilar sem saber o porquê do ato. Um desses incautos ao ser perguntado sobre o que fazia ali titubeou, enrolou e depois de um grande esforço balbuciou: “nós viemos aqui para pedir que a Dilma saia”. Que ironia!
Desse modo, o exército de Stédile convocado pelo marechal de campo do PT, Lula da Silva, não foi expressivo. O MST, depois do apelo do seu patrono ficou destruindo pesquisa científica, invadindo aqui e ali, mas não chegou a exercitar toda sua costumeira violência na passeata. A CUT bem que se esforçou com os carros de som, os manifestantes pagos, as bandeiras e balões, mas não foi exitosa. A UNE, outrora vanguarda estudantil e agora diluída em pequenos e radicais partidos de esquerda, e que também vive à custa do governo petista parece ter perdido a mística, apesar de ainda haver fundamentalistas baseados na fé entre suas fileiras.
Contudo, o que explica a falta de entusiasmo dos vermelhos em contraste com os verde-amarelos é que os primeiros também eram contra os ajustes ficais e a perda de direitos trabalhistas, coisas ditas, é claro, de outro modo para disfarçar. E esse dado mostra a solidão da governanta hoje com 13% de aprovação segundo um instituto, 7% por outro.
Existem também certas características que precisam ser ressaltadas nas manifestações de 15 de março com relação às críticas que o ato sofreu:
1º - Os chamados “aspectos difusos” da manifestação não resistem à verdade de que o foco era nitidamente um só: a insatisfação popular. Foi essa insatisfação que gerou os brados de “fora Dilma”, “fora Lula”, “fora PT”.
2º - Em pronunciamento a governanta disse que a corrução é uma “velha senhora”. Sem dúvida, todos sabem disso, porém, nunca um partido conviveu tanto com essa antiga conhecida. A Operação Lava jato continua trazendo à tona o maior escândalo já havido, no qual os roubos são em milhões, perfazendo bilhões. A Petrobras foi arrombada durante os governos petistas de Lula da Silva e Dilma Rousseff, sendo que esta foi ministra de Minas e Energia, ministra da Casa Civil, presidente do Conselho da Petrobrás e presidente da República. Não é difícil adivinhar a quem os cartazes das manifestações se referiam no tocante a corrupção.
3º- Pela primeira vez apareceram cartazes com “fora Lula” e cantos debochados foram entoados contra o aquele que deixou a presidência com 80% de aprovação. Esse fato é que mais deve ter horrorizado o PT. Rousseff é descartável, mas sem Lula PT acaba.
4º - Quando o povo gritou “fora Dilma”, não estava se referindo aos dois meses do mandato que ora se inicia, mas aos doze anos do PT no poder, especialmente aos quatro de Rousseff. Nesse tempo não só a Petrobras foi assaltada, como o Brasil foi arrebentado, dilapidado, saqueado.
Finamente, os que estão usando o antiquado termo burguês são incapazes de entender que não há governo que aguente quando a economia vai mal. A tendência é piorar e dificilmente vão ter paciência os que sofrem as consequências da inflação, dos juros altos, de mais impostos, do desemprego que já mostra sua cara, da perda de direitos sociais, das altas da energia e dos combustíveis.
O que deseja o governo petista? Que o povo pague por seus erros e que o PMDB e demais partidos assumam o desgaste político do arrocho que estão tentando empurrar goela abaixo dos brasileiros. Enquanto isso, Lula, Rousseff e demais companheiros continuariam na doce vida, prestigiando a velha senhora.
Isto pode acontecer, mas será um governo morto-vivo, no qual uma presidente sem dignidade para renunciar vagará por seus palácios sem coragem de ir às ruas. Agora, as ruas são do povo.
(*) Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga. www.maluvibar.blogspot.com.br

Sponholz: A roubalheira e o cinismo do PT.


quarta-feira, março 18, 2015

VÍDEO MOSTRA TUDO O QUE O JORNALISMO IDIOTA E DEPRAVADO DA MAIORIA DA GRANDE MÍDIA ESCONDE: EM 15 DE MARÇO O BRASIL REPUDIOU DEFINITIVAMENTE O PT E SEUS SATÉLITES.


Este vídeo dá uma boa ideia do tamanho do protesto contra o PT e pelo impeachment imediato da Dilma Rousseff realizado em 15 de Março, último domingo. Faço a postagem para que os leitores do blog no exterior, que não são poucos, também possam formar um juízo exato do que se passa no Brasil.

Vídeo como este jamais será apresentado nas grandes redes de televisão. A maioria dos jornalistas, inclusive correspondentes estrangeiros no Brasil, também fazem parte da malta comunista. Esses vagabundos e depravados jamais irão mostrar a realidade política do Brasil, embora cedam espaços generosos, cobertura ampla e fotos de páginas inteiras para as passeatas LGBT.

Também são generosos e condescendentes com as passeatas vermelhas dos criminosos do PT e de qualquer facção esquerdista. São eles os principais responsáveis por esconder a verdade. São eles os princiapis operadores da 'engenharia social', a difusão do pensamento politicamente correto e a lavagem cerebral das massas.

Finalmente são eles, esses depravados da grande mídia em geral, responsáveis por transformar Lula, o sujeito mais abjeto e mentiroso em personalidade mundial. 

E eles continuam mentindo, tergiversando, promovendo a lavagem cerebral de forma brutal para tentar salvar o desgoverno do PT. 

Nao poderia perder a oportunidade de lançar uma cusparada na Folha de S. Paulo, que é o locus que abriga um bando de tarados ideológicos. Eu não preciso de emprego em jornal nenhum. Atuo há mais de 40 anos no jornalismo e lutei e luto muito todos os dias para não precisar de emprego nessas pocilgas onde chafurdam esses idiotas mentirosos cuja especialidade é lamber os pés de Lula et caterva.

BRASIL NA ENCRUZILHADA DE SEU DESTINO ESPERANDO O INEVITÁVEL CONFRONTO FINAL

Dado ao caótico e incessante fluir de escândalos, roubalheiras, mentiras, cinismo num torvelinho sem fim que se esparrama a partir do Palácio do Planalto, nesta altura transformado no derradeiro bunker do PT que tenta desesperadamente se manter a qualquer custo no poder, há duas coisas que se pode ter certeza que irão acontecer de uma maneira ou de outra: o PT dá a volta por cima e transforma o Brasil numa nova Cuba ou será apeado do poder à força.

Estamos a um passo do confronto final. E este confronto ocorrerá sem qualquer dúvida.

Manifestações educadas e pacíficas nunca tiraram comunistas do poder. Vide a Venezuela.

CONEXÃO VENEZUELA: CONSTRUTORA BRASILEIRA GARANTIU CONTRATO COM CHÁVEZ DEPOIS DE PAGAR "CONSULTORIA" DE JOSÉ DIRCEU

A construtora paranaense Consilux consta da lista de empresas que pagaram pelos serviços da consultoria JD Assessoria, do ex-ministro José Dirceu. Em 2012, a empreiteira pagou 1,04 milhão de reais pelos serviços do petista. Neste mesmo ano, arrematou um contrato de mais de 200 milhões de dólares com o governo de Hugo Chávez para construir 5.000 unidades do programa de moradias populares Misión Vivienda, similar ao Minha Casa Minha Vida.
O site de VEJA teve acesso a um documento da Receita Federal que analisou a movimentação financeira da empresa de Dirceu, a JD Assessoria. A quebra de sigilo foi determinada pela Justiça em janeiro, após indícios de que empreiteiras citadas na Operação Lava Jato e que participaram do megaesquema de fraudes em contratos com a Petrobras repassaram dinheiro para o ex-ministro. O documento mostra que o petista faturou 29 milhões de reais com a consultoria entre 2006 e 2013 e, deste valor, 8 milhões foram pagos por empresas citadas no petrolão.
A Consilux é uma empresa de porte médio com sede em Curitiba. Contudo, até ganhar seu primeiro contrato na Venezuela, em 2006, suas atividades se restringiam a comercializar radares e lombadas eletrônicas para municípios brasileiros - em especial a capital paranaense. Na esteira dos acordos de cooperação firmados entre o então presidente Lula e Hugo Chávez, em 2005, o governador do Paraná, Roberto Requião, promoveu um encontro bilateral em Caracas entre empresários do Estado e o governo chavista. Dali surgiu a oportunidade para que a construtora diversificasse sua atuação justamente em território estrangeiro. A empresa, que até então não atuava na área da construção civil, arrematou um contrato de 200 milhões de dólares para construir 5.000 moradias do Misión Vivienda.
Até 2011, ano do primeiro pagamento da Consilux a Dirceu, no valor de 87.600 reais, as coisas na Venezuela não iam nada bem. O projeto das 5.000 moradias estava emperrado e quatro loteamentos estavam paralisados. Não bastassem os problemas burocráticos, o governo de Hugo Chávez havia congelado repasses à Consilux e devia cerca de 100 milhões de reais à empresa - os congelamentos chegaram a durar mais de seis meses. Trabalhadores das obras fizeram vigília e greve de fome em frente à Embaixada do Brasil em Caracas, afirmando que salários e benefícios estavam atrasados.
Em 2012, contudo, as coisas começaram a andar. A construtora não só fechou mais um contrato de construção de 5.000 casas para o mesmo programa, também com valor de 200 milhões de dólares, como também foi citada pelo próprio Chávez em um de seus intermináveis discursos em defesa dos programas habitacionais financiados com o dinheiro da petroleira estatal PDVSA. Naquele ano, os pagamentos a Dirceu cresceram para 1,04 milhão de reais. Em 2013, ano em que o mensaleiro foi condenado e preso, os pagamentos da Consilux foram de 100.000 reais.
Representantes da Consilux não foram localizados pela reportagem para comentar os serviços prestados por Dirceu. Contudo, em entrevista ao jornal Valor Econômico publicada em 2012, o executivo brasileiro da empresa em Caracas, Espartano da Fonseca, afirmou que os atrasos nos pagamentos e o risco político não eram necessariamente um problema para a empresa na Venezuela. A mudança de governo, sim."O cenário político só pode intervir se houver mudança do presidente. Caso contrário, não", disse o executivo. Neste contexto, a morte de Hugo Chávez não trouxe grandes sobressaltos. Antes de suceder o caudilho, Nicolás Maduro era chanceler - e uma de suas principais atribuições como tal era "cuidar" dos empresários de países "amigos", como o Brasil, a China, o Irã e outros parceiros. Do site a revista Veja

Sponholz: Zé Guerrilha, o impoluto!


FORA PT!, É O GRITO DE 15 DE MARÇO QUE NÃO QUER CALAR. AGORA SÃO 93% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA EM AÇÃO PARA VARRER O PT DA VIDA POLÍTICA NACIONAL.



Enquanto a maioria da grande mídia nacional continua tergiversando como faz a Folha de S. Paulo, na tentativa de safar  Lula e seus sequazes do PT, para fazer crer que os 2 milhões e 200 mil brasileiros que foram às ruas de norte a sul do país protestaram apenas contra a corrupção, se constata por meio das redes sociais que o grito geral desse mega protesto é francamente anti-PT e continua ecoando Brasil a fora.
O vídeo acima mostra o ato de conclusão da grande manifestação de protesto em Porto Alegre, no último domingo, 15 de março, que reuniu pelo menos 100 mil pessoas. Este vídeo registra o momento do discurso do professor Paulo Moura, muito conhecido dos gaúchos pelo seu ativismo político de alcance nacional.
Moura é graduado em Ciências Sociais, com mestrado em Ciência Política pela UFRGS e Doutor em Comunicação Social pela PUC/RS. Articulista prolífico possui um site e leciona no Doutorado da ULBRA, ministrando as disciplinas de Ciência Política; Marketing Político e Pesquisa de Opinião. Além disso atua nas redes sociais.
Nem precisa dizer que as manifestações que levaram no dia 15 milhares de  brasileiros e brasileiras às ruas tiveram um profundo impacto político demonstrando que o povo brasileiro decidiu desalojar o PT do poder. 
Tanto é que o debate político, antes escasso, já supera os assuntos triviais que outrora mobilizava os bate-papos entre as pessoas. A política e os rumos do Brasil constituem agora os temas principais das conversas e troca de ideias entre os cidadãos brasileiros.
E é bom assinalar que esse debate não está mais circunscrito apenas àquela parte mais letrada da população brasileira. Passou a envolver todos os estratos sociais. O 15 de Março já é um marco divisório entre a apatia e o ativismo político que se agiganta turbinado pela capilaridade e mobilização extraordinária das redes sociais. Pela primeira vez na história do Brasil houve uma manifestação organizada sem a participação de partidos políticos, ONGs ou outras organizações semelhantes e sem qualquer líder.
Na verdade, os mais de 2 milhões de cidadãos que marcharam nas ruas do Brasil contra o desgoverno do PT representam uma amostra viva, uma autêntica pesquisa de opinião cujo gráfico, se fosse desenhado, mostraria que 93% da população brasileira quer o PT fora do poder e, quiçá, legalmente dissolvido e banido para sempre da cena política nacional, coincidindo com as pesquisas internas do Palácio do Planalto apontado que Dilma tem o apoio apenas de 7% dos brasileiros, conforme revelou matéria do site de Veja.
Mas como diz o professor Paulo Moura em sua alocução, os petistas, como cães raivosos e esfomeados, não querem largar o osso, ou seja, o poder, como se fossem donos do Brasil. Mas não são não! Por isso o grito Fora PT! continua e continuará na ordem do dia até que todos os petistas sejam banidos da vida política nacional. 

terça-feira, março 17, 2015

JOSÉ DIRCEU FATUROU R$ 29 MILHÕES COM SUA CONSULTORIA. VEJAM A LISTA DE SEUS CLIENTES.

 Vida burguesa: José Dirceu e sua namorada singrando os mares em dia sol radiante
A empresa do ex-ministro José Dirceu faturou 29,2 milhões de reais com a prestação de serviços de consultoria, de 2006, depois de deixar o governo Lula, a 2013, quando começou a cumprir pena pela condenação no julgamento do mensalão. O site de VEJA teve acesso a um documento da Receita Federal que analisou a movimentação financeira da empresa de Dirceu, a JD Assessoria. A quebra de sigilo foi determinada pela Justiça em janeiro, após indicativos de que empreiteiras citadas na Operação Lava Jato e que participaram do megaesquema de fraudes em contratos com a Petrobras repassaram dinheiro para o ex-ministro.
Só em 2013, ano em que começou a cumprir pena de prisão em regime semiaberto no Complexo Penitenciário da Papuda, a empresa de Dirceu faturou 4,159 milhões de reais. Ele foi para a cadeia em novembro daquele ano e ganhou o direito de progredir para o regime aberto cerca de um ano depois, em novembro de 2014.
De acordo com os dados apresentados pela Receita Federal e anexados ao processo que investiga o escândalo do petrolão, nenhum ano foi tão lucrativo para Dirceu quanto 2012: amealhou 7 milhões de reais. Foi neste ano que o ex-chefe da Casa Civil e homem-forte do governo Lula recebeu pena de dez anos e dez meses de prisão, depois revertida para sete anos e onze meses no mensalão. Em 2013, nova enxurrada de dinheiro para a JD Consultoria: foram 4,159 milhões de reais.
A movimentação financeira do ex-homem forte do governo Lula consta de dados requeridos pelos investigadores da Operação Lava Jato da Polícia Federal. Agora, o juiz federal Sérgio Moro retirou o sigilo dos autos em que houve a quebra do sigilo fiscal e bancário de Dirceu. A decisão ocorreu depois que o empresário Gerson Almada, sócio da Engevix, prestou depoimento sobre Dirceu. Após revelar novos detalhes sobre o escândalo do petrolão, Almada pediu que Moro revogasse sua prisão. Leia MAIS
OS CLIENTES DE JOSÉ DIRCEU

Sponholz: Estão chegando perto do Lula.


MINISTÉRIO PÚBLICO ESTOURA O ESQUEMA DE FALSAS DOAÇÕES AO PT. DINHEIRO VINHA DA ROUBALHEIRA NA PETROBRAS.

Denúncia do Ministério Público contra o ex-diretor de Serviços Renato Duque e o tesoureiro petista João Vaccari traz tabela com cruzamento das datas das liberações de recursos da estatal para cartel e dos repasses ao PT. Veja a tabela abaixo como cruzamento dos dados.
A comparação entre as datas de pagamento da Petrobrás para os consórcios Interpar e Intercom (formados pela Mendes Jr, MPE e SOG) nas obras de reforma de duas refinarias entre 2008 e 2010 e as datas de doações para o PT por uma das empreiteiras é considerada uma das provas de que o sistema oficial de financiamento partidário foi usado para tentar ocultar propinas. É o que sustenta a força-tarefa da Operação Lava Jato em sua denúncia de ontem contra o ex-diretor de Serviços Renato Duque e o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto – por corrupção e lavagem de dinheiro.
Os dois nomes petistas da estatal e outros 25 denunciados são apontados no desvio de R$ 135 milhões em quatro obras: na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, na Refinaria de Paulínia (Replan), no Gasoduto Pilar-Ipojuca (Alagoas-Pernambuco) e no Gasoduto Urucu-Coari (Amazonas).
“A vinculação entre as doações políticas e os pagamentos feitos pela Petrobrás aos Consórcios Interpar e Intercom pode ser comprovada pela comparação entre as datas em que a Petrobrás pagou os consórcios e as datas, subsequentes, em que empresas controladas por Augusto Mendonça promoveram a transferência de propina disfarçada de doações oficiais para partido político”, sustenta a denúncia do MPF. Leia MAIS

NA MIRA DA POLÍCIA, PT TENTA SALVAR LULA, O CHEFÃO, ENTREGANDO O TESOUREIRO JOÃO VACCARI NETO.

João Vaccari Neto, o tesoureiro do PT em sua indefectível mochila: fim de careira. (Foto: Veja)
Embora em público a presidente Dilma Rousseff afirme que não acredita que o indiciamento do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, tenha reflexos sobre o governo, nos bastidores o partido já desenha uma estretégia para se descolar de Vaccari. Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o governo e a cúpula do partido pressionam o tesoureiro a deixar o cargo. Em conversas reservadas, dirigentes do PT dizem que a situação de Vaccari é "insustentável". O roteiro faz lembrar a tática adotada pelo partido em 2005, no auge do mensalão: na ocasião, a sigla expulsou o tesoureiro Delúbio Soares para tentar acalmar a opinião pública. Mas em julho de 2011 o ex-tesoureiro foi readmitido nos quadros partidários do PT, numa estratégia adotada pelo partido para limpar a imagem dos envolvidos no esquema, com vistas ao julgamento no Supremo Tribunal Federal, que se aproximava. Não deu: Delúbio acabou condenado por corrupção ativa e hoje cumpre pena em regime aberto.
Alvo da Operação Lava Jato, Vaccari foi denunciado pelo Ministério Público à Justiça pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha. Segundo as investigações, ele intermediou doações de 4,2 milhões de reais de empresas investigadas que, na verdade, eram oriundos do propinoduto da Petrobras. Foram 24 repasses de empreiteiras, em dezoito meses, no período de 2008 a 2010.
Vaccari foi citado nos depoimentos do doleiro Alberto Youssef, do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e do ex-gerente de Serviços da companhia Pedro Barusco. Os três mencionaram o tesoureiro petista como responsável por receber propina em nome do partido. Barusco disse que o petista recebeu aproximadamente 50 milhões de dólares desviados entre 2003 e 2013, e que o valor desviado para o PT, também com a participação do tesoureiro, chegou a 200 milhões de dólares. Também foi Barusco quem decifrou para os investigadores o significado da palavra "Moch", que aparecia nas planilhas detalhando a divisão do dinheiro. Era uma menção ao apelido de Vaccari - "mochila", um acessório que ele sempre carrega.
Segundo o jornal, o argumento dos petistas que pedem o afastamento do tesoureiro é que o PT e a presidente Dilma Rousseff vivem uma crise política de alta intensidade e sua permanência causaria ainda mais desgaste para o partido e o Palácio do Planalto. Mesmo quem apoia Vaccari no partido argumenta que ele precisa se afastar para se defender e lembra que isso já foi feito por Ricardo Berzoini, seu amigo e hoje ministro das Comunicações. Em 2006, Berzoini presidia o PT, coordenava a campanha à reeleição do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e teve o nome associado ao escândalo dos aloprados. Por ordem de Lula, Berzoini se afastou da campanha e do partido. No ano seguinte, reassumiu o comando do PT.
Em nota, o advogado de Vaccari, Luiz Flávio Borges D'Urso, negou que o petista tenha solicitado dinheiro para campanhas eleitorais do PT. Ele disse que Vaccari "repudia as referências feitas por delatores a seu respeito, pois não correspondem à verdade". Do site da evista Veja

SponholzL Uma senhora idosa e mentirosa!


segunda-feira, março 16, 2015

OLAVO DE CARVALHO SEMPRE TEVE RAZÃO

PRAZO DE VALIDADE
Por Olavo de Carvalho
Aquela história da mentira infindavelmente repetida que se torna verdade é ela própria uma mentira infindavelmente repetida, que pode ser usada com algum sucesso se você não acredita nela mas leva aos mais desastrosos resultados quem acredita. Na maior parte dos casos, ela não passa de uma autopersuasão de avestruz, boa para induzir um cretino a caminhar com uma autoconfiança de sonâmbulo em terreno minado. O próprio dr. Joseph Goebbels, a quem se credita a invenção dessa frase, terminou muito mal.
Chavões e frases feitas são afirmações gerais de validade muito relativa, a que você apela como premissas autoprobantes para sustentar outras afirmações que em geral não têm validade nem mesmo relativa. São as ferramentas de eleição do automatismo mental, criadas para você pensar que está pensando quando na verdade está apenas falando. São o Petit Larousse do psitacismo.
O Príncipe de Maquiavel, o Manifesto Comunista e as obras de Antonio Gramsci são depósitos clássicos onde os necessitados sempre encontram as fórmulas de que necessitam para realizar, de novo e de novo, a proeza de não entender coisíssima nenhuma.
O prestígio do maquiavelismo é algo que não cessa de me deslumbrar. Como é possível que tantas pessoas aparentemente inteligentes continuem seguindo com devoção de coroinhas as lições de sucesso de um bobão cronicamente fracassado?
E como é possível alguém continuar acreditando na teoria marxista da luta de classes depois que Lênin demonstrou, por palavras e atos, que se queriam mesmo uma revolução proletária era preciso realizá-la sem proletários?
Desde que Jim Fixx, o inventor dos exercícios aeróbicos, morreu de ataque cardíaco em pleno jogging, aos 52 anos de idade, comecei a desconfiar que todas as fórmulas infalíveis são um perigo para a humanidade. A verdade é matéria de intelecção direta, o ato mais individual e intransferível que existe. Tão logo se cristaliza numa fórmula uniformemente repetível, a fórmula se torna o melhor pretexto para não ter intelecção nenhuma.
O sinal mais visível de esgotamento de uma corrente de idéias é quando seus porta-vozes insistem em apegar-se aos seus chavões consagrados  justamente nas horas de desespero e confusão em que essas chavões se relevam mais deslocados da situação concreta, mais incapazes de descrever o que está se passando.
Quando noventa e três por cento dos brasileiros expressam claramente seu desprezo ao governo Dilma, não falta nos altos escalões do esquerdismo quem diga que isso é a “elite” voltada contra “o povo”. Nunca imaginei que, mesmo no mais excelso patamar de desenvolvimento econômico concebível, pudesse uma nação ter sete por cento de povo e noventa e três por cento de elite.
Em plena efervescência geral contra a roubalheira petista, Frei Betto, André Singer e mais dois bonecos de ventríloquo se reúnem na Apeoesp para discutir “a ameaça conservadora aos direitos sociais”, quando é patente que em todos os protestos populares anti-Dilma ninguém disse uma palavra contra “direito social” nenhum, exceto o direito social de meter a mão nos cofres públicos.
Quando milhões de brasileiros estavam batendo panelas em protesto contra o último discurso da presidenta, um líder petista, com ares de quem revela preciosa inside information, afirmou “haver indícios” de que os partidos de oposição haviam “financiado o panelaço”. Até agora me pergunto como, por que meios, mediante quais artifícios bancários esotéricos seria possível financiar um panelaço.
E, é claro, não poderia faltar quem, rastreando as pistas mais sutis e inefáveis, visse no panelaço a mão sinistra do governo de Washington. William F. Engdahl, o Emir Sader americano, nosso já velho conhecido (v. http://www.olavodecarvalho.org/semana/100503dc.html ehttp://www.olavodecarvalho.org/semana/100623dc.html), jura até que o “Movimento Passe Livre” foi inventado pelo sr. Joe Biden para “desestabilizar o governo Dilma Rousseff”, quando no Brasil até as crianças sabem que foi criado pelo próprio governo Dilma Rousseff para desestabilizar a administração estadual paulista.
Em suma, aconteça o que acontecer, o cérebro da esquerda, em avançado estado de decomposição, já não sabe senão repetir os mesmos chavões de sessenta, setenta anos atrás, desejando ardentemente que a mentira repetida não apenas seja acreditada, mas adquira, pela força mágica da repetição, a virtude transfigurante de uma profecia auto-realizável.
É verdade que a debacle intelectual não traz necessariamente a derrota política. Ao contrário. A própria história do PT mostra que é possível um partido alcançar o cume do sucesso político justamente numa época em que, intelectualmente, o seu discurso já estava morto e enterrado. Mas, quando a glória política começa a declinar, não há sinal de impotência mais deplorável e patético do que o esforço de apegar-se, retroativamente, a um discurso já mil vezes desmoralizado. As mentiras repetidas podem, às vezes, passar por verdades. Mas, como todos os utensílios, têm um prazo de validade limitado. [Artigo publicado no Diário do Comércio e no site Mídia Sem Máscara]