sexta-feira, maio 22, 2015

ESQUEÇA OS OVOS. REPORTAGEM-BOMBA DE VEJA REVELA "LULA (QUASE) LÁ". TESTEMUNHAS CONTAM A QUE CUSTO O APEDEUTA ESCAPOU DAS MALHAS DA LEI NO CRIME DO MENSALÃO.

O ovo além de ser realmente um alimento completo, como comprova a ciência, tem outras utilidades, como por exemplo, ser atirado na cara de contumazes vagabundos, mentirosos e ladravazes, como os políticos brasileiros. Até porque o estoque de impropérios já foi todo gasto e não causa mais qualquer impacto. 

A vergonha foi para o espaço catapultada pelo petrolão justamente no momento em que os predadores dos cofres públicos festejam uma década do mensalão! 

Como se pode notar, a rapaziada da revista Veja anda meio contaminada pelo pensamento politicamente correto. Tanto é que na página da revista no Facebook os leitores estão atirando ovos contra o editor da revista inconformados com o fato de que a reportagem-bomba tem uma chamada minúscula na faixa preta acima, ao centro, com o título : Lula (quase) lá! Sim, porque a reportagem de peso da revista que chega às bancas neste sábado revela que nos dez anos do mensalão, testemunhas contam como e a que custo o Apedeuta escapou.

Outra matéria que também poderia ser destaque grandioso na capa de Veja,  ganha uma chamadinha no alto. Versa sobre corrupção oficial: quanto mais militantes do PT nos cargos públicos, maiores são os escândalos que diariamente enojam os brasileiros decentes e trabalhadores que, afinal, mantêm o país de pé. Há sem dúvida uma repulsa inaudita do povo brasileiro em relação aos governos do PT em qualquer esfera, com destaque evidente para o desgoverno federal.

Por conta da contaminação do deletério pensamento politicamente correto, desconfia-se que uma ativa patrulha zanza pela redação de Veja, a ponto de conseguir uma chamada de capa afirmando que a cada passagem pelas cadeias brasileiras, o criminoso fica mais letal. É o tipo de reportagem completamente descabida. A letalidade dos criminosos é um fato genético, inato, e a ciência já comprovou que os bandidos são perversos por natureza e a perversidade não tem cura. Para o perverso os mecanismos da culpa e do remorso não existem. Se existissem um criminoso não esfaqueava um médico, como ocorreu agora mesmo no Rio de Janeiro, para roubar uma bicicleta. Esses tipos matam um ser humano como se mata um mosquito. Depois vão curtir a vida com o produto do crime como se nada demais tivesse acontecido.

O problema da criminalidade absurda existente no Brasil é a impunidade. Dia desses saiu na imprensa levantamento estatístico mostrando que os Estados Unidos têm a maior população carcerária do planeta. É por isso que há um mês e pouco estive nos Estados Unidos e verifiquei um excelente nível de segurança. E olhem que estive apenas em Miami. Mas há um detalhe: a Flórida tem pena de morte e as cadeias estão cheias. Acresce a isto, ou seja, o bom nível de segurança pública, ao fato de que os cidadãos possuem armas e os bandidos sabem que esses cidadãos não hesitarão em usá-las para se defender.

Por tudo isso, a revista Veja, que é o último bastião de resistência à nefasta engenharia social que imbeciliza e imobiliza os cidadãos, mormente através da mídia, não deve e não pode escorregar em ovos. Não é à toa que os leitores já estão cobrando pelas redes sociais. O feedback é imediato e a edição corre o risco de boiar nas bancas ocorrendo ainda notável retração de leitores online.

EM VÍDEO PASTOR MALAFAIA DETONA LULA E LHE FAZ UM ALERTA: "LULA, VOCÊ SABIA QUE JESUS LIBERTA DA CACHAÇA?"


Sempre atilado e em cima do lance full-time, o colunista do site de Veja Lauro Jardim mandou ver, postando o vídeo do Pastor Silas Malafaia que reproduzo acima e que responde a mais uma patifaria de Lula, que fez gozação até dizer chega dos pastores evangélicos e da crença bíblica em seu discurso ao um grupo de sindicalistas. 

Lula mexeu num vespeiro.

Ao final deste vídeo, Malafaia, conclui afirmando: “Lula, você sabia que Jesus liberta da cachaça?

DILMA VETA QUEBRA DE SIGILO E BNDES CONTINUARÁ COM EMPRÉSTIMOS SECRETOS PARA FINANCIAR PROJETO COMUNISTA DO FORO DE SP

A presidente Dilma Rousseff vetou nesta sexta-feira a emenda aprovada no Congresso que previa o fim do sigilo nos empréstimos e financiamentos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Considerado uma derrota para o governo, o texto havia sido incluído pelos senadores da oposição na Medida Provisória que liberou o repasse de 30 bilhões de reais do Tesouro para o banco de fomento. A decisão da presidente foi divulgada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União.
No texto, a presidente justificou o veto com o argumento de que a divulgação das operações financeiras "feriria sigilos bancários e empresariais e prejudicaria a competitividade das empresas brasileiras no mercado global de bens e serviços, já que evidenciaria aspectos privativos e confidenciais da política de preços praticada pelos exportadores brasileiros em seus negócios internacionais". Dilma ainda afirmou que o BNDES já divulga suas operações "com transparência" e que o dispositivo incorreria em "vício inconstitucional".
Nos últimos anos, levantou-se suspeitas sobre os empréstimos do BNDES concedidos com juros subsidiados, bem abaixo do mercado, ao grupo JBS-Friboi, à construção do Porto de Mariel, em Cuba, e a investimentos aplicados em Angola - para citar apenas alguns exemplos. Neste ano, a oposição tentou criar uma CPI no Congresso para descobrir detalhes das operações, mas não conseguiu quórum suficiente para que a comissão fosse instalada.
Apesar de divulgar na internet informações sobre as transações feitas no Brasil, como o valor dos financiamentos e o nome das empresas, o banco mantém sigilo sobre operações realizadas no exterior e sobre a taxa de juros aplicada.
Além disso, a presidente também vetou o aumento do limite de crédito consignado de 30% para 40% da renda do trabalhador. A rejeição já havia sido combinada pelo líder da bancada do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), quando o texto passou na Casa. Atualmente, a legislação prevê que a parcela do pagamento da dívida contraída não pode superar o teto de 30%. Neste caso, a presidente afirmou, no texto, que "a medida proposta poderia acarretar um comprometimento da renda das famílias para além do desejável e de maneira incompatível com os princípios da atividade econômica".
Os vetos fazem parte da MP sancionada pela presidente nesta sexta que libera o crédito de 30 bilhões de reais para o BNDES. Do site da revista Veja

Sponholz: O espadachim do diabo.


UMA VIAGEM DO PARAÍSO PARA O ESGOTO DO INFERNO. AMANHECE, BOM JESUS!

Ao ler a Folha de S. Paulo nesta madrugada deparo com aquelas matérias calcadas no pensamento politicamente correto, falando no desmanche do minhocão, criação de parques urbanos, ciclovias e coisas do gênero. Me veio à mente uma viagem inesperada que me levou de Guarulhos ao Aeroporto de Congonhas.

Confesso que foi um trajeto angustiante. Problema de desconexão de vôos obrigou-se ao deslocamento a Congonhas. Felizmente uma atendente da TAM que parece ter caído do céu dispensou-me uma atenção fora do comum, tomando as providências para que eu pudesse embarcar para Florianópolis duas horas depois em Congonhas. Ofereceu-me o transfer da própria TAM. Todavia quando cheguei ao local havia uma fila quilométrica. Para não perder tempo, tomei um táxi rumo a Congonhas, desses que operam entre os aeroportos. O motorista muito educado e, sobretudo, politizado, me coduziu com rapidez e eficiência até lá.

Mesmo assim, senti medo. Ao longo da viagem, cortando praticamente todo o miolo de São Paulo, passei inclusive próximo aos famosos Arcos do Jânio, que o prefeito petista Haddad, apoiado pelos alegres e descolados rapazes da redação da Folha, cedeu aos grafiteiros. Creio que foi no início deste ano, se não me engano, que num desses Arcos foi desenhado uma cara gigante de Hugo Chávez, o finado ditador bolivariano da Venezuela, que até hoje não se sabe onde está o cadáver. 
Enquanto eu via São Paulo passar da janela do Táxi, o motorista me informava tudo ao contrário do que leio na Folha de S. Paulo. “Já fui assaltado quatro vezes por motoqueiros” - exclamou o taxista com os olhos grudados na estrada. “O senhor olha aí, as pichações, a sujeira, o lixo. O PT está acabando com São Paulo” - desabafou o motorista, um cidadão de mais de 50 anos de idade.
Como era um domingo, o trajeto foi vencido com facilidade pela ausência de congestionamentos. Agradeci ao anjo da guarda, enquanto olhava pela janela a pujante São Paulo completamente avariada em todos os aspectos. Fazia tempo não passava por lá. Na verdade, alguns anos. Só sendo obrigado pelas circunstâncias para sair daqui de Florianópolis. Logo eu que passei boa parte da minha vida profissional viajando sem parar. Pude ver novinhos em folha os aeroportos de Guarulhos, Confins, Tom Jobim e outros no Norte e Nordeste para onde nunca mais fui. Toda essa infraestrutura foi edificada pelos governos militares. Os aeroportos eram bonitos, limpos, confortáveis e seguros, como eram os aviões das antigas Varig, Transbrasil e até mesmo da então estreante TAM, além da Vasp. Dessas companhias sobrou apenas a TAM. Tudo de bom que foi feito no período dos governos militares está sendo destruído e o que se salva é que faz o Brasil ainda existir. Se algo ainda funciona, deve-se aos governos militares. Energia, transporte, aeroportos e comunicação.
Tudo isso passava pela minha cabeça enquanto o táxi se aproximava do meu destino. Estava ansioso para chegar, temendo que o táxi sofresse um assalto a qualquer momento. Principalmente depois que o motorista lastimou a morte de um colega, assassinado durante um assalto havia alguns dias.
Louvações outra vez ao anjo da guarda quando o táxi chegou a Congonhas. Paguei e agradeci ao atencioso motorista entrando imediatamente no Aeroporto. Fiquei apavorado. Congonhas se transformou numa favela. Estava estropiado. Cansado de uma noite inteira num avião. Regressava de Miami. Impossível não estabelecer uma comparação como o que tinha visto nos Estados Unidos e com o que me deparava naquele momento. Nem mesmo o jet lag, que deixa o sujeito meio zonzo, foi capaz de impedir que minha memória funcionasse a todo o vapor. 
A constatação era de que havia deixado o paraíso e mergulhado no esgoto do inferno, agora que perambulava naquela 'favela aeroportuária'. Morto de sede e de fome não tive coragem de consumir nada naquelas lanchonetes nauseabundas. E aí me lembrei da ala de embarque do aeroporto de Miami, onde a pude tranquilamente me alimentar com segurança e qualidade numa unidade da Starbuck. 
Enfim, cheguei em Florianópolis. Chovia. E o aeroporto Herícílio Luz, que embora seja internacional, não possui fingers. A obra do novo aeroporto não sai por causa dos ecochatos que provavelmente esperam pelas propinas para conceder uma licença ambiental. Tivemos que aguardar que o pessoal de terra providenciasse centenas de guarda-chuvas para que pudéssemos desembarcar.
Para variar, o aeroporto de Florianópolis estava abarrotado de gente. Eu tinha saído do paraíso para me atolar de novo nos confins do inferno. E aquele cineminha norte-americano que passava no meu cérebro, insistia em repetir mil vezes o “filme” que acabara de ver. Ou seja, um documentário ao vivo e em cores na terra do Tio Sam. Lembrei daquele filme de Wood Allen, “A Rosa Púrpura do Cairo”, com a cena da mulher entrando na tela do cinema para viver um idílico romance que a vida real lhe negara. Eu, ao contrário, estava saindo da tela diretamente para a funesta realidade brasileira. 
Desembarcava numa terra de loucos, bandidos, assaltantes, ladravazes dos cofres públicos, onde nada, mas nada mesmo, funciona e a mentira é elevada à categoria de virtude. Completa este quadro tétrico o fato de que um país das dimensões do Brasil é governado pelo PT. Ou melhor, desgovernado por um bando de psicopatas.
Que os deuses se apiedem de nós. Amanhece, bom Jesus!

quinta-feira, maio 21, 2015

O FORO DE SÃO PAULO E O PROJETO DO PT EM BUSCA DO MONOPÓLIO DA VIOLÊNCIA PARA COMUNIZAÇÃO DO BRASIL

O texto que segue é de autoria de Bruno Braga, bacharel em Direito e em Filosofia com mestrado em Filosofia. Braga também mantém um blog onde publica seus trabalhos de análise da conjuntura política nacional e, particularmente, sobre as ações do Foro de São Paulo no continente latino-americano e, em especial, no Brasil. 
Este trabalho que publico aqui foi postado no site Mídia Sem Máscara e faz uma análise meticulosa sobre a ação do Foro de São Paulo, a partir de um livro publicado pelo ex-secretário geral dessa organização comunista transnacional.
Trata-se de um tema que foi transformado em tabu pela grande imprensa brasileira e que é criminosamente escamoteado dos brasileiros. Só com o advento da internet, dos blogs independentes e das redes sociais foi possível quebrar esse tabu. “Fora Foro”, por fim, foi gritado nas ruas do Brasil nas últimas mega manifestações anti-PT, mas o nível de desconhecido desse projeto diabólico do PT ainda é grande. Portanto, este post vale a pena ser lido. É mais um facho de luz sobre a escuridão da ignorância operada e mantida pela grande mídia a serviço do PT. Leiam e compartilhem estas informações com seus amigos e familiares. Leiam:
"Foro de São Paulo". A expressão, antes pronunciada com heroísmo por alguns poucos, está cada vez mais presente nos debates sobre a situação política do país. Nos últimos protestos contra a Presidente Dilma e contra o PT, que levaram milhares de pessoas às ruas, ela compôs gritos de denúncia, apareceu nas faixas e cartazes empunhados pelos manifestantes. Miopia aguda ou surdez dissimulada, não há outra forma de explicar a omissão da imprensa de não destacá-la.
O Foro de São Paulo foi criado por Lula e por Fidel Castro em 1990. O objetivo era - e é - reunir a esquerda latino-americana, de partidos políticos a quadrilhas de narco-guerrilheiros, para transformar o continente na "Pátria Grande" socialista-comunista. Porém, dúvidas e suspeitas são lançadas contra o audacioso projeto. Uma reação natural de desconfiança por causa do impacto da denúncia ou um artifício para ofuscar a gravidade das acusações. Mas, seja lá o que for, a documentação pode ser examinada por qualquer um que tenha interesse no assunto. E, para dissipar qualquer nuvem de incerteza, basta ler "A estrela na janela: ensaios sobre o PT e a situação internacional" [1]. O livro foi escrito por Valter Pomar, que o apresenta como a "prestação de contas" do seu trabalho de oito anos à frente da Secretaria de Relações Internacionais do PT e da Secretaria Executiva do Foro de São Paulo (2005-2013) (pp. 07-08).
"O Foro de São Paulo já é parte indissolúvel da história da esquerda latino-americana durante a última década do século XX e a primeira do XXI" (p. 256). O mapa do continente não foi pintado de vermelho de forma espontânea: "o Foro participou e contribuiu para esta mudança de correlação de forças na América Latina e Caribe" (p. 244). Pomar observa que, "quando o Foro foi criado, havia apenas um governo encabeçado pela esquerda: Cuba. Hoje governamos parte importante dos países da região. Isto se deve, ao menos em parte, à ação dos partidos que integram o Foro" (p. 267) [2].
As palavras do petista dão uma idéia da importância do Foro de São Paulo para a configuração do atual cenário político e da dimensão monstruosa que adquiriu este projeto de poder que é sim comunista [3]. Valter Pomar escreve como parte do movimento revolucionário. Ele enaltece a herança soviética, elogia o "modelo" cubano, faz da Unidade Popular do Chile uma fonte de inspiração, é um entusiasta das relações entre Brasil e China. O ex-secretário executivo do Foro de São Paulo fala abertamente sobre o horizonte perseguido pela organização:
[...] "o termo 'comunismo' é recusado ou simplesmente deixado de lado por amplos setores da esquerda, inclusive por alguns que se proclamam revolucionários. Mas, desde o ponto de vista teórico, o uso do termo é essencial, uma vez que permite distinguir entre o que é a 'transição' e o que é o 'objetivo final' (ou seja, a forma madura de sociedade que se pretende construir)" (p. 93).
Pomar ressalta que "a luta pelo poder pode se resolver no prazo de anos, mas a construção de outra sociedade é um projeto de décadas e séculos" (p. 117). As conquistas até o momento são inegáveis: "o potencial da esquerda latino-americana é confirmado, ao longo dos anos 1990 e adiante, com o surgimento do Foro de São Paulo; a gestação do Fórum Social Mundial; e a eleição de uma onda de presidentes progressistas" (p. 139). Porém, não basta estar no "governo" para "controlar o poder" (p. 155). O esquema comunista deve ser ampliado em uma "segunda etapa" (p. 206), e por duas vias: "aprofundar as mudanças e acelerar a integração" (p. 247).
"Temos que mudar o Estado, mudar sua natureza, não apenas sua forma" (p. 221). Pomar observa que as mudanças devem ser feitas com rapidez, porque as crises "externas" ou "internas" poderiam colocar "em questão nossa permanência no governo" - [...] "o tempo é curto, a janela é pequena, pode se fechar" (p. 213). Para ele, "reformas estruturais" precisam ser promovidas: a reforma política (p. 211); o controle do judiciário e dos meios de comunicação - o domínio da indústria cultural e do sistema educacional (p. 221).
A reforma política é imprescindível para o Foro de São Paulo:
"Nós precisamos fazer uma REFORMA POLÍTICA, mas não conseguimos, desde 2003 até hoje, fazer que este debate ganhe a sociedade. Não há como fazê-lo desde o governo nem desde o parlamento. Haveria que desencadear um movimento político-social, que tenha o partido [o PT] e os partidos de esquerda aliados como protagonistas" (p. 211).
A ARAPUCA DA REFORMA POLÍTICA
As principais propostas de reforma política oferecidas para o público são a execução da estratégia descrita por Pomar. Para conquistar a adesão das pessoas, a coleta de assinaturas para a convocação de um Plebiscito Constituinte e para a legitimação do projeto de lei de "iniciativa popular" da "Coalizão pela Reforma Política Democrática" é propagandeada como mobilização da "sociedade civil organizada". Porém, os "movimentos sociais" envolvidos, as ONG's e sindicatos, ou estão a serviço do PT, ou estão de alguma forma alinhados com o partido. Pior. As propostas preveem - entre outros absurdos - a inserção desses mesmos grupos em instâncias decisórias da administração pública, promovendo aquilo que tanto quer o petista Valter Pomar: a ampliação sorrateira do esquema de poder do Foro de São Paulo [4]. Para a vergonha dos católicos - porque contraria escandalosamente os princípios e as orientações da Igreja, a CNBB apoia a convocação do Plebiscito Constituinte e assina o projeto da "Coalizão pela Reforma Política Democrática" [5].
A respeito da instrumentalização da Igreja Católica pelos comuno-petistas - algo que ocorre há décadas com a pregação de um engodo criado pela KGB e batizado por ela de "Teologia da Libertação" [6] - Pomar observa o estusiasmo da esquerda latino-americana com Francisco, o Papa argentino que poderia ser explorado para a promoção dos seus planos (p. 259).
Pomar - que esteve presente na fundação do Foro de São Paulo como representante do Instituto Cajamar, a "escola de quadros" do PT (p. 07) - destaca a importância da educação e da cultura para as pretensões da organização comunista. "A construção deste pensamento de massas, de uma cultura de massas, é, dentre as tarefas de longo prazo, talvez a mais estratégica" (p. 255). Trata-se de um ardil conhecido, sobretudo nos moldes gramscianos. Ocupação das universidades; formação de professores militantes; doutrinação nas escolas; "intelectuais" e artistas engajados - e a colaboração ingenua dos "idiotas úteis". Uma estratégia eficiente, que não só consagrou o comunista e "apóstolo" da Teologia da Libertação, Paulo Freire, como patrono da educação brasileira, mas forjou a falsa reputação que tanto contribuiu para a ascensão do PT ao poder [7].
Dentro do plano de promoção das "reformas estruturais", a reeleição de Dilma Rousseff, alertava Pomar, era imprescindível. "Não se trata da vitória de uma pessoa, mas sim da vitória de um projeto, de uma aliança, de um Partido" - o governo Dilma, no segundo mandato, "com reformas, com mudanças profundas, nos aproxima do socialismo" (p. 88). E a candidata petista foi de fato reeleita. Uma fraude eleitoral escandalosa conservou a marionete do Foro de São Paulo na Presidência da República [8].
Elias Jaua, o ministro venezuelano responsável pela agitação comunista em recente ação no Brasil doutrinando jovens.
PÁTRIA GRANDE COMUNISTA
Quanto à "integração", ela não é outra coisa que a construção da "Pátria Grande" comunista na América Latina. Trata-se de uma "integração de amplo alcance", que possa consolidar "laços econômicos, sociais, políticos, militares e ideológicos" entre os países governados pela organização (p. 37). "Esta compreensão de uma integração de amplo escopo constitui o pano de fundo da criação da Comunidade Sul-Americana de Nações (2004), cujo nome foi posteriormente alterado para UNASUL (2007)" (p. 141). O Foro de São Paulo é um dos "laboratórios" encarregados de planejar a institucionalidade da "integração" comunista (p. 268).
No entanto, observa Pomar: "Não haverá integração sem Brasil. Talvez sejamos o país menos latino-americano da região, mas somos também o capitalismo mais potente, que tem melhores condições para ajudar a financiar a integração" (p. 204). Os investimentos em "infraestrutura" são estratégicos, e devem subordinar "a ação das empresas brasileiras aos interesses da política externa e convertendo nossa política externa de política de governo em política de Estado" (p. 245). Porto em Cuba, metrô na Venezuela, estradas na Bolívia, hidrelétrica na Nicarágua. Um mar de dinheiro público, em vez de ser investido em obras que o país tanto precisa, é canalizado para patrocinar - com o disfarce de "integração" - o totalitarismo na América Latina.
Enfim, esta síntese da "prestação de contas" do ex-secretário executivo do Foro de São Paulo deixa à mostra o nefasto projeto de poder comunista. O petista diz que agora, da "planície", continuará contribuindo com a "luta pelo socialismo", com o Partido dos Trabalhadores (p. 08). O PT, contudo, permanece no altos postos de poder. Por isso, uma observação de Valter Pomar - feita quando ainda estava à frente da organização fundada por Lula e por Fidel Castro - é importante para concluir: "o PT valoriza extremamente o Foro de SP" [...] "Devemos, portanto, combinar a necessária luta ideológica em favor do socialismo, com uma estratégia e uma política organizativa mais amplas" [...] "para nós, do PT, o Foro de São Paulo é prioritário" (p. 87).
"Democratização das armas": a "desmilitarização" e o poder do Foro de São Paulo
Valter Pomar também apresentou no livro a "prestação de contas" do seu trabalho como secretário executivo do Foro de São Paulo [9]. Nela, o petista enaltece as conquistas da organização fundada por Lula e por Fidel Castro, principalmente a de ter instalado mandatários comprometidos com o seu projeto em diversos países da América Latina. Mas, Pomar observa que estar no "governo" não é suficiente para "controlar o poder" (p. 155). Para isso, é necessário promover uma série de "reformas estruturais" - entre elas: a reforma política, o controle do judiciário e dos meios de comunicação. Reformas que têm uma espécie de coroa:
"A conquista do poder de Estado é um processo complexo, cujo PONTO DE CRISTALIZAÇÃO é o MONOPÓLIO DA VIOLÊNCIA" (p. 95).
Referências:
[1]. POMAR, Valter. "A estrela na janela: ensaios sobre o PT e a situação internacional". Editora Fundação Perseu Abramo: São Paulo, 2014.
[2]. Em 2012, o ex-Presidente Luiz Inácio enalteceu o papel do Foro de São Paulo na construção do projeto de poder comunista na América Latina: "hoje governamos um grande número de países, e mesmo onde somos oposição, os partidos do Foro têm uma influência crescente na vida política e social" (Mensagem enviada para o XVIII Encontro do Foro de São Paulo, realizado em Caracas. Cf. [http://b-braga.blogspot.com.br/2012/07/sob-o-efeito-do-encanto.html]).
[4]. Cf. "A reforma política para o Foro de São Paulo continuar governando o Brasil" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/04/a-reforma-politica-para-o-foro-de-sao.html].
[5]. Cf. "Padres pregam proposta de reforma política. Fiéis, não assinem!" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/07/padres-pregam-proposta-de-reforma.html]; "O porta-voz comunista da reforma política celebrada por padres" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/07/o-porta-voz-comunista-da-reforma.html]; "A reforma política da CNBB. Católicos, não assinem!" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/08/a-reforma-politica-da-cnbb-fieis.html]; "Se a CNBB realmente quer 'eleições limpas'..." [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/11/se-cnbb-realmente-quer-eleicoes-limpas.html].
[6]. PACEPA, Ion Mihai. "A KGB criou a Teologia da Libertação" - http://www.midiasemmascara.org/artigos/desinformacao/15820-2015-05-11-05-32-01.html. Tradução do Capítulo "Liberation Theology" (15), que é parte do livro "Disinformation": former spy chief reveals secret strategis for undermining freedom, attacking religion, and promoting terrorism (WND Books: Washington, 2013). ______. "A Cruzada religiosa do Kremlin". 
[7]. Cf. "A 'pedagogia' do Foro de São Paulo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/04/a-pedagogia-do-foro-de-sao-paulo.html].
[9]. POMAR, Valter. "A estrela na janela: ensaios sobre o PT e a situação internacional". Editora Fundação Perseu Abramo: São Paulo, 2014. Cf. "A 'prestação de contas' do ex-Secretário do Foro de São Paulo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/05/a-prestacao-de-contas-do-ex-secretario.html].
[10]. Grupo interno do PT.
[11]. A apresentação completa de Valter Pomar pode ser assistida neste link: [https://www.youtube.com/watch?v=G9GFaQFcLSU])
[12]. "Proposta PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA: DESMILITARIZAÇÃO das polícias" [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/11/proposta-petista-socialista-comunista.html]; "AGENDA conjunta" [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/11/agenda-conjunta.html]; "SINDPOL-MG tornase instrumento para exigir aprovação de projeto PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA: a DESMILITARIZAÇÃO das polícias" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/05/sindpol-mg-tornase-instrumento-para.html].

POLÍCIA FEDERAL DEFLAGRA NOVA FASE DA OPERAÇÃO LAVA JATO E PRENDE LOBISTA LIGADO AO JOSÉ DIRCEU E VINCULADO AO PETROLÃO

Milton Pascowitch no momento de sua prisão em São Paulo. (Foto: Veja)
A Polícia Federal (PF) desencadeou na manhã desta quinta-feira a 13ª fase da Operação Lava Jato e cumpre mandado de prisão preventiva contra o lobista Milton Pascowitch, amigo do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil), condenado no mensalão. Pascowitch é apontado pelos investigadores como um dos operadores financeiros que atuavam em contratos entre as empreiteiras integrantes do "Clube do Bilhão" e a Petrobras.
Na 13ª fase da Lava Jato a PF cumpre ao todo seis mandados judiciais: além da prisão de Pascowitch, há mais quatro ordens de busca e apreensão, e uma de condução coercitiva contra José Adolfo Pascowitch, irmão dele. Depois de ser preso na capital paulista, Pascowitch será levado para a Superintendência da PF em Curitiba (PR), que coordena a Lava Jato.
As buscas estão sendo realizadas por dezesseis policiais federais nas capitais do Rio e de São Paulo, além do município de Itanhandu, no interior de Minas Gerais. A cidade fica a 15 quilômetros de distância de Passa Quatro, onde Dirceu nasceu.
O Ministério Público Federal já investigava a empresa de fachada Jamp Engenheiros Associados, ligada a Pascowitch e usada para lavar dinheiro do escândalo do petrolão. Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o vice-presidente da Engevix, Gerson Almada, disse que Dirceu fazia "lobby internacional" em nome da empreiteira, enquanto Milton Pascowitch atuava como mediador das "relações partidárias" da construtora.
A Engevix pagou pouco mais de 1 milhão de reais à JD Assessoria e Consultoria, empresa de Dirceu, conforme mostrou o site de VEJA. Pascowitch já havia sido detectado também na lista de supostos clientes da "consultoria" de José Dirceu. No rol de contratantes compilados pela Receita Federal, aparece a Jamp - ela pagou 1,457 milhão de reais para Dirceu.
De acordo com Gerson Almada, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso na fase anterior da Operação Lava Jato, e o próprio Pascowitch pediram que a empresa fizesse doações a petistas. Coube a Pascowitch, por exemplo, pedir à construtora doações para a campanha do filho de Dirceu, o atual deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR).
"A ideia dele [Pascowitch] era fazer com que a nossa empresa ficasse conhecida pelo partido [PT], já que nós não tínhamos relacionamento nenhum, fazer apresentações de pessoas. Se eu tivesse a intenção de participar de outras concorrências, ele me proporia fazer ajuda. Nesse relacionamento estaria envolvido o repasse de valores, um percentual dos contratos que variava de 0,5% a 1%", declarou Gerson Almada em depoimento à Justiça Federal. Do site da revista Veja

Sponholz: Corra Lula, corra!


PRESIDENTE DA CAMARGO CORRÊA CONFIRMA NA CPI O APARELHAMENTO DA PETROBRAS PELO PT

Dalton Avancini, da Camargo Corrêa
O diretor-presidente da construtora Camargo Corrêa, Dalton Avancini, reafirmou nesta quarta-feira à CPI da Petrobras que o pagamento de propina a executivos da companhia estava ligado ao aparelhamento político na estatal. Ele disse que os valores destinados ao PT passavam pelas mãos de Renato Duque, então diretor de Serviços. No caso do PP, o caminho era a diretoria de Abastecimento, comandada à época por Paulo Roberto Costa.
Avancini foi diretor de Óleo e Gás da Camargo Corrêa a partir do fim de 2008. Ele contou que, ao assumir o cargo, encontrou um esquema de corrupção em pleno funcionamento. "O diretor que me antecedeu, Leonel Viana, me comunicou que já era um processo existente e que existia um compromisso da empresa de pagamentos dentro da diretoria de abastecimento e da diretoria de serviços", afirmou.
Ainda se referindo ao antecessor na diretoria de Óleo e Gás, Dalton Avancini mencionou a justificativa que recebeu para o esquema de corrupção: "Ele informou que existia dentro desse processo um apoio partidário dentro dessas diretorias e que era um compromisso da empresa fazer esse apoio partidário".
O presidente admitiu que, ao todo, autorizou o pagamento de 110 milhões de reais em propina: 63 milhões de reais para Duque e 47 milhões de reais para Costa. O pagamento era feito por meio de intermediários: no caso de Duque, Júlio Camargo. No de Costa, o doleiro Alberto Youssef. Normalmente, a propina correspondia a 1% do valor do contrato.
Avancini confirmou ainda que o valor da propina normalmente era embutido no valor do orçamento apresentado pela empresa à Petrobras. "Os valores que se atribuem como propina eram incluídos dentro desses preços. Quando se fala de superfaturamento, esse valor estava dentro do preço", disse ele, contrariando a tese petista de que os acertos envolviam apenas a margem de lucro das empresas e não implicaram desvio de recursos públicos.
Para assegurar que sairia vencedora na concorrência mesmo com o sobrepreço causado pela corrupção, a Camargo Corrêa se valia do cartel apelidado de "clube do bilhão". As outras companhias apresentavam preços superiores e, assim, a Camargo Corrêa saía vencedora da concorrência. Havia uma espécie de rodízio para permitir que todas as empresas fossem beneficiadas.
Coerção - O presidente da construtora afirmou que os diretores praticavam "todo o tipo de coerção" para forçar o pagamento de propina. Uma das formas de pressionar as empresas era adiar o início de obras ou a formalização de aditivos em contratos. "À medida que você tinha vários aditivos sendo discutidos, vários contratos em andamento, o atraso trazia danos pesados para a empresa", disse ele. Segundo ele, isso ocorreu em 2008, quando Avancini assumiu a presidência e suspendeu o pagamento de propina. A diretoria comandada por Renato Duque começou a colocar empecilhos à obra. A Camargo Corrêa acabou retomando os pagamentos ilegais.
Avancini também disse que o cartel era facilmente detectável e não funcionaria sem colaboração de autoridades da Petrobras. "Qualquer diretor da Petrobras que olhasse o resultado das licitações tinha condição de saber o que estava acontecendo".

O presidente da Camargo Corrêa disse estar arrependido de ter integrado o esquema de corrupção. "Lamento por não ter tido a coragem e a força para romper com um processo que acontecia e a gente vê hoje claramente o quão danoso foi." Do site da revista Veja

Sponholz: Podridão!


quarta-feira, maio 20, 2015

O NEGÓCIO DA CHINA QUE NÃO ACONTECEU. IMPEACHMENT DA DILMA ROUSSEFF NÃO SAI DA ORDEM DO DIA NEM QUE A VACA TUSSA.

Da visita do chinês restou uma constatação: Dilma é a cara do Confúcio.
Tirante o restante da grande mídia, apenas o site da revista Veja noticiou com precisão essa história do "negócio da China", que na verdade é mentira. Mais uma jogada de marketing do Foro de São Paulo. Tanto é, como mostra a foto mais abaixo, que mandaram à favas o protocolo e ao fundo se vê uma profusão de bandeiras alternadas sobressaindo, como se constata, o vermelhão da bandeira comunista chinesa, enquanto a Dilma ostentando agora uma magreza cadavérica, voltou a vestir a gandola encarnada, provavelmente por recomendação do ministro sem pasta, o marketeiro João Santana.

Fato parecido com este que agora está rolando no Brasil, ocorreu recentemente na Venezuela. Depois de dilapidar os cofres públicos daquele país, Nicolás Maduro embarcou num de seus potentes aviões e foi à China tentar conseguir dinheiro. Aproveitou no trajeto para descolar algum ato de benemerência de outros países, incluindo ditaduras islâmicas. Voltou de mãos abanando. 

A diferença é que Dilma não precisou ir à China, o que já está de bom tamanho e os brasileiros estão livres de bancar mais um gasto astronômico que seria financiar a farra da petralhada a bordo do Air Force 51, sem contar mais uma aeronave de segurança levando milicos da Aeronáutica, para garantir toda a segurança da "presidenta".

Como ninguém gosta de fazer negócios com país falido, os chineses, velhos de guerra, resolveram dar uma mãozinha para a petralhada vermelha, mas só em termos de marketing. Como atesta o site de Veja, a visita do chinês resultou apenas na assinatura de um memorando de intenções: quem sabe, mais à frente, num futuro próximo etc e tal. Dindim que é bom nada. 

Resultado: tudo continua na estaca zero, ou seja, as finanças brasileiras foram zeradas pela farra dos bolivarianos tupiniquins e a situação permanece tão ruim, mas tão ruim que fez sumir até mesmo o brilho dos olhos de Lula, conforme noticiou o diário stalinista paulistano. Aliás, é de se indagar: cadê o Lula? 

Enquanto tudo continua intocável, isto é, ruim pra burro, o fantasma do impeachment da Dilma e eventual processo contra Lula por tráfico de influência no caso Odebrecht, continuam em pauta. Nem mesmo um negócio da China será capaz de restituir vida política ao PT e seus sequazes. Nem mesmo com toda a grande mídia liderada pela Folha de S. Paulo e seus jornalistas amestrados cumprindo pautas do João Santana e da Secretaria de Comunicação do PT serão capazes de reverter o sentimento de repulsa à bandalha vermelha. 

Isto igualmente vale para suas excelências no Senado e na Câmara, já consideradas dejetos a céu aberto pela maioria do povo brasileiro. O Fachin do PT no Supremo Tribunal Federal também é mais um tiro n'água. Nada, ninguém consegue deter o tsunami de insatisfação e ira popular contra o PT.

O que conta é que a Marcha da Liberdade prossegue em direção a Brasília, chegando à capital federal neste 27 de maio, oportunidade em que deverá acontecer uma grande manifestação com o encaminhamento do pedido de impeachment da Dilma. 

Para concluir transcrevo a nota do site de Veja, intitulada: Brasil e China: valor dos acordos está nos manuscritos de Confúcio. Leiam:
João Santana mandou a Dilma vestir outra vez a gandola vermelha enquanto o chinês preferiu o azul tucano.
A presidente Dilma anunciou nesta terça-feira um acordo nababesco com o governo chinês. Serão 53 bilhões de dólares em trocas comerciais, um fundo de investimentos de 50 bilhões de dólares para infraestrutura e outro de 30 bilhões de dólares para não se sabe o quê. O discurso soa como música aos ouvidos de quem está cansado de ouvir notícias ruins sobre a economia. Como o diabo está nos detalhes, quando os representantes do governo brasileiro foram confrontados com perguntas básicas sobre os acordos, na coletiva de imprensa, as respostas não poderiam ser mais evasivas. Resumo da história: os números são fictícios e nenhum acordo foi firmado. O que houve, durante a visita do premiê Li Keqiang, foi um memorando de intenções que pode resultar em acordos no futuro. Disse o vice-presidente da Caixa, Marcio Percival, que não sabia de nada e que o jornalista teria de procurar a informação com os chineses. "Não tem nada contratado. Houve uma lista de intenções apresentada pelos chineses e esses números precisam ser consolidados. Por enquanto, há apenas a intenção", disse. O fato de Percival não conhecer os números é elucidativo: um dos memorandos firmados nesta terça envolve a Caixa e o Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) na criação de um fundo de 50 bilhões de dólares. O executivo também não soube explicar o quanto a Caixa deverá aportar desse valor. Talvez os jornalistas tenham de recorrer aos manuscritos de Confúcio para encontrar a resposta. 

terça-feira, maio 19, 2015

PROGRAMA POLÍTICO DO PSDB QUE VAI AO AR NESTA NOITE FAZ DE CONTA QUE NÃO SABE DA EXISTÊNCIA DE UM GOLPE COMUNISTA EM ANDAMENTO


Este vídeo acima mostra o programa do PSDB que vai ao ar nesta noite, terça-feira, dia 19 de abril, em rede de rádio e televisão dentro do espaço destinado por lei aos partidos políticos. O programa reflete a revolta do povo brasileiro contra o desgoverno do PT e está bem feito do ponto de vista técnico.

Todavia, faltou a este programa do PSDB a abordagem política e ideológica. Afinal o que originou a brutal crise que arrebentou a economia. Foi apenas a incompetência? No que concerne a isto o programa do PSDB passou ao longe e não teve coragem de tocar, ou não quis fazê-lo em virtude de seu viés também socialista, ainda que possa ser qualificado de "socialismo fabiano", como de fato é.

O PSDB teria que denunciar que o Brasil, sob o domínio do PT e de seus sócios mega empresários, está na verdade sustentando um projeto de amplitude continental dentro das diretrizes do Foro de São Paulo, a organização comunista fundada por Lula e Fidel Castro em 1990, cujo objetivo é transformar todos os países latino-americanos em repúblicas socialistas de viés cubano. A Venezuela, por exemplo, já vive essa experiência funesta e macabra, com a escassez de alimentos, a fome, o terror e uma inflação galopante. Lembrem que a inflação é uma forma de controle social. A inflação é como uma prisão sem grades.

O PSDB teria de explicar que a corrupção e a roubalheira assombrosas fazem parte do esquema do Foro de São Paulo. 

Teria de ter a coragem também de admitir que somente o impeachment da Dilma e a cassação do registro partidário do PT e demais agremiações comunistas trarão a paz social e a decência, porque a turbulência política, as ameaças, a insegurança, a imoralidade e a indecência constituem o caminho mais curto para a instalação de um regime de terror. E isto é objetivamente o plano diabólico do PT, fundador e dirigente do Foro de São Paulo.

Notem que o programa do PSDB trata o PT como se fosse um partido político normal e democrático, quando na verdade é um ajuntamento de comunistas que almejam o poder eterno.

Esta é a verdade dos fatos que não dá mais para esconder e que já está na boca do povo e foi expressada como todas as letras nas recentes manifestações gigantescas ocorridas em todo o Brasil.

O programa do PSDB torna-se insosso e incolor justamente pela ausência de todos estes aspectos nefastos que acabei de apontar e que mereceriam uma forte denúncia por parte dos líderes do PSDB.

AGITADORES DO PT INVADEM E DEPREDAM MINISTÉRIO DA FAZENDA. UM TÍPICO ESQUEMA DO FORO DE SÃO PAULO.

A foto de Levy "dialogando"com os agitadores do PT é do site Folha de S. Paulo. Já a foto mostrando a depredação do prédio que foi invadido sem qualquer resistência é do site Diário do Poder.
Não deixa de ser surrealista este episódio. Os bate-paus do PT invadiram e depredaram o prédio do Ministério da Fazenda nesta manhã, e tentam sitiar Joaquim Levy, o ministro da Fazenda da Dilma. É o próprio PT contra o seu próprio governo. Isso é uma típica manobra do denominado comunismo bolivariano.
A Folha de S. Paulo, o panfleto petista, reporta a invasão do Ministério da Fazenda, cujos funcionários foram impedidos até agora de entrar no prédio. O texto da Folha conclui afirmando que “o Ministério da Fazenda tem sido alvo constante de protestos nos últimos meses, por estar na dianteira do arrocho fiscal”.
Vejam só: é como se o Ministério da Fazenda fosse um órgão autônomo e como Joaquim Levy não fosse lá colocado pela Dilma. Ou seja: o culpado da desgraça que se abate sobre os brasileiros em virtude da roubalheira dos cofres públicos não é o governo do PT, mas o Ministério da Fazenda. Quem está na dianteira do arrocho contra o povo brasileiro é o Ministério da Fazenda e não a Dilma, entenderam a jogada?
É de se indagar: por que Joaquim Levy se submete a tudo isso? Cadê a segurança do prédio do Ministério da Fazenda? Onde estava no momento da invasão? Por que os arruaceiros podem fazer o que bem entendem destruindo patrimônio público sem que haja qualquer punição, e sem que haja uma só crítica da grande imprensa brasileira a tudo isso?
Impeachment da Dilma é pouco. O PT e demais partidos e organizações comunistas têm de ser fechados para sempre. 
Não há dúvida que amanhã o Brasil será a Venezuela onde mais de 300 bolívares são necessários para comprar US $ 1 dólar! Tudo caminha de acordo com as diretrizes do Foro de São Paulo com o apoio da grande mídia, com raras exceções, e mais: com o apoio do núcleo duro da economia nacional representado pelos mega empresários e banqueiros.
Tudo igual à Venezuela. O ato final será a bancarrota econômica com a escassez de alimentos e, depois, de todos os principais produtos. Nesse estágio o povo tornar-se-á cativo para sempre do sistema comunista como ocorreu em Cuba e agora ocorre na Venezuela.


Teoria conspiratória? Tá bom.

Sponholz: Negócio da China.


CAIXA PRETA DO BNDES VAI EXPLODIR. ROMBO PODE REPRESENTAR VÁRIAS VEZES OS R$ 6,2 BILHÕES ROUBADOS DA PETROBRAS. MPF PEDIU PRISÃO DE MAIS DE 60 SUSPEITOS.

Dilma e o ditador cubano Raúl Castro: o segredo dos empréstimos para Cuba, Angola e outras ditaduras comunistas está na caixa preta do BNDES prestes a ser aberta. 
Após minuciosa investigação no BNDES, uma força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) pediu a prisão de mais de 60 suspeitos. O caso é tratado sob sigilo, mas, segundo fonte ligada às investigações, o MPF devassa operações do BNDES no Brasil e também no exterior, além dos aportes bilionários que o tornaram sócio de empresas. Os pedidos de prisão incluem executivos do banco e de grandes corporações.
Ainda não há estimativa dos desvios ocorridos no BNDES, mas representariam várias vezes os R$ 6,2 bilhões roubados da Petrobras.
A Justiça pode não atender os mais 60 pedidos, mas espera-se que muitas prisões sejam decretadas na investigação do BNDES.
O MPF esquadrinha os principais negócios realizados à sombra ou com recursos tomados pelo BNDES junto ao Tesouro Nacional.
Além de desvios, são objetos da investigação denúncias de tráfico de influência e de pagamentos indevidos a executivos e a políticos. Do site Diário do Poder/Claudio Humberto

Sponholz: Levy, o serviçal da bruxa comunista!


segunda-feira, maio 18, 2015

AO POTENCIALIZAR O PATRIMONIALISMO, DELETÉRIO CONTUBÉRNIO ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO, O PT DESTRUIU O BRASIL.

O texto que segue é meio longo. Todavia não há como ir a fundo em temas complexos com notas e notinhas miúdas. Entender as coisas dá trabalho. Não há outro meio de mudar o Brasil que não seja ampliando o conhecimento. E isso só pode se dar pelo estudo, pela leitura atenta e a reflexão. Recomento que leiam o texto que segue. 

O site da revista Veja fez uma entrevista excelente com o professor Ricardo Vélez Rodriguez que é uma figura peculiar no meio acadêmico: nascido na Colômbia, ele coordenou um dos primeiros centros de pós-graduação dedicados exclusivamente ao pensamento brasileiro, na Universidade Federal de Juiz de Fora. Autor de obras sobre o patrimonialismo e o Castilhismo - regime autoritário que nasceu no Rio Grande do Sul e teve influência decisiva sobre a República brasileira -, Rodriguez vive no Brasil desde 1979 e especializou-se em identificar as raízes históricas e culturais das mazelas que assolam a política brasileira. Aos 72 anos, ele vive em Londrina (PR) e continua lecionando. Rodriguez analisa o cenário político atual e afirma: o Partido dos Trabalhadores elevou as práticas patrimonialistas a um nível sistêmico.
O conceito de patrimonialismo é encontrado em Max Weber no tipo de dominação tradicional. Grosso modo significa a confusão entre as esferas pública e privada, enquanto o tipo dominação racional legal estabelece a separação entre essas duas esferas e aí se tem o Estado moderno, tipificado pelo império da lei e da impessoalidade.
No caso brasileiro, a análise do professor Vélez Rodriguez está absolutamente correta e até mesmo assemelha-se com o que tem formulado Olavo de Carvalho. Eu mesmo também em posts passados já me referi à questão do patrimonialismo que o PT conseguiu turbinar a um ponto que não tem paralelo na história da República e o resultado foi este que se está vendo, um desastre total com a falência do Brasil.
Explica-se por meio desta análise as razões pelas quais os mega empresários brasileiros estabeleceram esse deletério contubérnio com o governo do PT. Tanto é que não querem largar esse esquema nem a pau. Quem garantiu o PT no poder até hoje foram os mega empresários, banqueiros e capitães de indústrias principalmente. Não é à toa que a indústria brasileira seja um sucatão dependente da importação de máquinas, insumos, equipamentos, tecnologia e até mesmo de ferramentas de gestão. Empresário brasileiro não cria uma agulha, nada,  pois vive de mamar nas tetas do Estado. Por isso 100% dos pequenos e médios empresários são visceralmente contra o PT.
Feita esta necessária digressão, transcrevo aluns tópicos da entrevista do professor Ricardo Vélez Rodriguez com link ao final para a leitura completa da entrevista. Vale a pena conferir:
Prof. Ricardo Vélez Rodriguez
A corrupção no governo do PT tem algo de inédito? A ciência política tem o conceito de patrimonialismo, que consiste na utilização do Estado como instrumento de enriquecimento. Ele é tão velho quanto a história do Brasil. Há momentos na história republicana em que esse senso de patrimonialismo fica evidente. Um deles foi no governo Sarney. Mas o PT realmente piorou as coisas em relação aos períodos anteriores, porque tornou a corrupção sistêmica. Elaborou uma espécie de grande proposta estratégica de garantir a roubalheira continuada utilizando para isso as empresas e os bancos estatais. Nunca se viu algo tão sistemático. Fernando Collor foi posto na rua porque Paulo César Farias tinha uma certa ideia de engenharia da corrupção, mas era ladrão de galinha comparado com o que o PT fez. Nos dez anos antes de chegar ao poder, o PT já tinha aparelhado o segundo escalão de ministérios da área social, como Saúde e Educação. Depois foi só colocar a colocar a culpa e sistematizar a coisa, porque já estava feito o trabalho de penetração. Eu digo que com o PT houve o seguinte fenômeno: a engenharia da corrupção conseguiu realizar a corrupção da engenharia. As grandes empresas que faziam obras de vulto para o Estado todas entraram no beco da corrupção com o PT.
O PT usa o patrimonialismo para fins diferentes? Não tenha dúvida. Há uma proposta hegemônica no PT, aliada a um populismo que desmancha as instituições. Lula se encarregou de desprestigiar todas as instituições republicanas, começando pelo Executivo, que ficou cheio de podridão. O Legislativo, com o mensalão e o petrolão, tentou-se comprar. E o Judiciário foi aparelhado. Havia marxistas-leninistas no meio pensando a coisa. É o caso de José Dirceu. O PT tinha na cúpula um elemento estratégico que pensava uma perpetuação hegemônica do poder, de tipo gramsciano, e buscava garantir o financiamento disso. Foi um momento de potencialização dessa tendência privatista do poder econômico através do Estado para garantir uma hegemonia partidária em direção a um modelo totalitário, não há dúvida. O desaguadouro disso é a Venezuela. O modelo venezuelano é um modelo já mais avançado.
Mas a postura do PT nem sempre coaduna com os ideais socialistas. O que acho que se deve compreender é o seguinte: qual é a carta que o PT e os bolivarianos compraram? O pensamento de Chávez, o líder dos bolivarianos, qual era? Chegar ao poder utilizando o voto e as estruturas existentes. A proposta da revolução cultural gramsciana é esta. Visto que a revolução do proletariado no modelo clássico leninista sai muito cara e é muito pouco realizável devido à conjuntura internacional, é muito mais prático tomar por dentro. Como? Fazendo cair os valores da chamada sociedade burguesa. Então atacam a família, atacam a religião e tomam conta do sistema de ensino para rebaixá-lo. Paralelamente aparelham o Estado para financiar o partido no poder, que era a ideia de Gramsci. O "novo príncipe" de Gramsci era o partido hegemônico. O que o PT queria é isso.
O surgimento de uma oposição mais forte ao PT é algo temporário ou o cenário realmente mudou? Acho que é algo diferente, porque passam meses e meses e os panelaços continuam. Querem tirar o PT de todas as formas. Eu acho que a oposição formal brasileira não entendeu direito o espírito da coisa. Os cardeais tucanos voaram todos em bando para Nova York no dia em que Fachin iria ser sabatinado no Senado. A oposição dá refresco demais ao PT. Era o papel da oposição formal, fundamentalmente do senador Aécio Neves, dar as caras e fazer o combate. E as ruas entendem isso. O próprio PSDB vai sentir nas próximas manifestações um pouco essa cobrança. Clique AQUI para ler TUDO

MBL CONFIRMA MEGA CONCENTRAÇÃO "OCUPA BRASÍLIA" DIA 27/MAIO E RECEPÇÃO À "MARCHA DA LIBERDADE" COM ENCAMINHAMENTO DO IMPEACHMENT DA DILMA

O Movimento Brasil Livre já criou no Facebook a página Ocupa Brasília, convidando todos a participarem a recepção à Marcha da Liberdade que segue a pé de São Paulo a Brasília. A chegada da marcha está prevista para o dia 27 deste mês de maio, quando haverá uma mega concentração em Brasília com o encaminhamento do pedido de impeachment da Dilma. O ato terá início a partir das 13 horas em frente ao Museu Nacional.

O texto-convite do MBL no Facebook diz o seguinte:

Dias 15 de março e 12 de abril fizemos história. Milhões de brasileiros indignados com os rumos políticos de seu país tomaram as ruas do Brasil para demandar o IMPEACHMENT da Presidente Dilma Rousseff.

Agora é hora de fazermos com que nossas vozes sejam ouvidas em Brasília, sem intermediários. Ocuparemos a capital federal em um grande ato público em defesa da democracia e das instituições republicanas.

Na Esplanada dos Ministérios, recepcionaremos os HERÓIS da Marcha pela Liberdade que terão caminhado mais de mil km desde São Paulo para demandar o IMPEACHMENT de Dilma.

Venha conosco, traga seus amigos e família. Ajude a escrever a história do Brasil!

Concentração a partir das 13h em frente ao Museu Nacional.

LULA ESTÁ "SEM BRILHO NO OLHAR", DIZ ASSESSOR

Depois que estourou o escândalo do petrolão nem colírio reaviva o olhar do Apedeuta
A Folha de S. Paulo é uma espécie de veículo de mídia alternativo do PT. Como Lula não concede entrevistas para jornalistas desde que estourou o escândalo de corrupção envolvendo sua amante, Rosemary Noronha, há cerca de dois anos, é a Folha que funciona como um ventríloquo lulístico.
Eis uma matéria sobre o futuro político do Apedeuta. Como comunistas usam e abusam da ‘desinformação’ esta matéria da Folha deve ser interpretada com cuidado, se é que me entendem.
Dada as circunstâncias atuais, Lula e seus sequazes já não podem mais aparecer em lugares públicos, como por exemplo restaurantes. Como noticiei aqui no blog o Alexandre Padilha, o homem que trouxe os médicos cubanos para o Brasil foi hostilizado num restaurante em São Paulo. Já o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega também enfrentou clima hostil em um hospital paulista e teve que tirar o time de campo.
Apesar disso, Lula montou uma espécie de “grupo de trabalho” para preparar - pasmem - a sua candidatura para 2018! Todavia, diz a Folha, segundo um dos assessores lulísticos, que “Lula está sem brilho no olhar”. Leiam:
O ex-presidente Lula tem repetido que descarta a hipótese de concorrer à Presidência num cenário como o atual. Mas, por via das dúvidas, arregimentou uma equipe para pavimentar uma eventual candidatura em 2018.
Batizado de "grupo para o futuro", o time foi montado em 2014 e tem se reunido semanalmente no Instituto Lula, seu escritório político.
Além de assessores da entidade, o conselho de Lula inclui os prefeitos Fernando Haddad (São Paulo) e Luiz Marinho (São Bernardo) e os secretários municipais Alexandre Padilha (Relações Governamentais) e Arthur Henrique (Trabalho).
As reuniões contam ainda com a participação do empresário Josué Gomes, presidente do grupo Coteminas, do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e do presidente do sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques.
Até janeiro, quando assumiu o Ministério do Planejamento, Nelson Barbosa foi assíduo participante. Agora, sua presença foi reduzida.
O presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Luciano Coutinho, é um conselheiro eventual.
Lula conduz o debate baseado em pilares que define como marcos de sua administração: desenvolvimento social, estabilidade, direitos humanos e política externa.
Insatisfeito com a articulação política do governo da presidente Dilma Rousseff, repete que não tem condições de disputar a Presidência sem propostas. E admite não ter ainda essas respostas.
Segundo aliados, Lula teme o desvanecimento de seu capital político e está apreensivo quanto ao destino do PT.
Na opinião de um amigo, pela primeira vez Lula está "sem brilho no olhar".
Em busca de saídas, Lula recrutou seus colaboradores. Nos encontros, instiga-os a apresentar soluções. Ele também ouve muitas reclamações e pedidos de intermediação junto à presidente.
"As reuniões servem de aconselhamento ao presidente [Lula].Para orientá-lo nos movimentos que ele deve fazer", explica Rafael Marques.
Filho do ex-vice-presidente José Alencar, morto em 2011, Josué Gomes afirma que sua participação depende da disponibilidade de agenda.
"Participo quando o assunto envolve economia. Para dar um depoimento sobre como estão o mercado e a competitividade", afirma.
Além dessas reuniões, o instituto organiza a cada 15 dias um encontro ampliado, com a presença dos presidentes do PT, Rui Falcão, e da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Vagner Freitas.
Para esses encontros, realizados num hotel, Lula convida palestrantes. Luciano Coutinho e o economista-chefe do banco Credit Suisse, Nilson Teixeira, já foram lá.
Instado a falar de sua atuação no time de Lula, Arthur Henrique desconversou: "O time de Lula é o Corinthians". Da Folha de S. Paulo desta segunda-feira

DILMA TORRA R$ 2,3 MILHÕES COM INSTALAÇÃO DE INTERNET RÁPIDA EM SEUS DOIS AVIÕES

Enquanto Dilma vive as delícias do poder, manda seu estafeta Joaquim Levy aumentar os impostos, a energia elétrica e demais tarifas públicas castigando o povo brasileiro com arrocho inaudito. A "presidenta" Possui dois aviões: o famoso "Air Force 51" e um jatinho Embraer último tipo. Segundo anota Cláudio Humberto em sua coluna, Dilma mandou colocar internet de alta velocidade nas aeronaves e todos os demais equipamentos de comunicação. Transcrevo abaixo a nota do Cláudio Humberto que está no site Diário do Poder:
Lembram-se desta cena? Dilma tuitando em sua mansão que foi alugada especialmente para sua primeira campanha eleitoral à Presidência? Os comunistas são assim mesmo. Gostam é da vida burguesa: mansão, cartões corporativos com verba secreta, muito luxo e conforto e mandam a conta para o povo pagar. 
"Dilma não dispensa internet rápida nem quando viaja no “Air Force 51”, que custou ao contribuinte R$ 156 milhões, e no jatinho da Embraer: a Presidência contratou internet, fax e telefone via satélite exclusivos para serem usados nos dois aviões dela. O custo é de R$ 2,3 milhões por ano e usa exclusivamente equipamentos SwiftBroadband, da inglesa Inmarsat, que tem rede de 11 satélites espalhados pelo mundo.
A previsão da Presidência é de que o telefone satélite do avião custe R$ 2 mil/mês; o fax, R$ 1 mil/mês; e a internet, R$ 188 mil por mês.
As empresas de telefonia brasileiras não possuem a tecnologia exigida por Dilma para equipar os jatos: teve de apelar para a empresa inglesa.
Dilma “contorna” com tecnologia inglesa problema típico brasileiro: internet péssima. A diferença é que a conta não é ela quem paga.
O contrato de R$ 2,3 milhões por ano para bancar internet via satélite nos aviões de Dilma é válido por 12 meses e renovável por até 5 anos."
Viram só? Para a patuléia a desgraça do arrocho, para a soberana os confortos gerados pelo capitalismo, como convém a todos os comunistas, principalmente, os comunistas do PT que continuam a meter a mão no jarro à vontade e na maior cara de pau mandam a fatura para povo brasileiro quitar.