domingo, abril 19, 2015

PEDIDO DE IMPEACHMENT DA DILMA PODERÁ SER APRESENTADO EM BREVE PELA OPOSIÇÃO E SE TRANSFORMA NO ÚLTIMO RECURSO PARA SALVAR O BRASIL. A CRISE NÃO DÁ TRÉGUA.

Foto ou fotomontagem que circula pelas redes sociais. Todavia é a forma como os brasileiros dão o seu recado pelo Facebook, Twitter e demais redes da internet numa onda que cresce dia a dia e já atingiu em cheio o Congresso Nacional sem que se possa prenunciar que irá amainar. Com razão, senadores e deputados já sentiram o cheiro de carne queimada.
O texto que segue é um editorial do jornal O Estado de S. Paulo que além de estar correto e bem escrito, coisa cada vez mais rara na grande mídia brasileira, vai diretamente ao ponto, ou seja, analisa a crise em que o PT mergulhou o Brasil e revela que um grupo de partidos da Oposição deverá apresentar, talvez dentro de poucos dias, o pedido de impeachment da Dilma.
Cumpre notar que o jornal O Estado de S. Paulo , embora contaminado pelo jornalismo chulé que domina a grande mídia brasileira, mantém uma reserva de jornalistas de boa cepa em sua equipe de editorialistas, talvez remanescentes de uma época em que a profissão de jornalista exigia muito mais do que um diplominha conferido por esses centros de lavagem cerebral comunista conhecidos como “cursos de jornalismo”. O título original do editorial é "A crise não dá trégua".Leiam:
Água morro abaixo e fogo morro acima, diz a sabedoria popular, ninguém segura. É o que se pode dizer também da crise política em que a soberba e o sentimento de impunidade do PT mergulharam o País ao longo de 12 anos em que a gestão da coisa pública foi colocada prioritariamente a serviço de um projeto de poder. Dia após dia, novas revelações sobre desmandos do governo e investigações criminais no âmbito público explicitam as razões pelas quais os índices de avaliação popular da administração petista e do desempenho pessoal da presidente Dilma Rousseff situam-se em níveis baixíssimos.
A gravidade da situação fica evidenciada, do ponto de vista político-institucional, pelo fato de que o efeito bola de neve da crise está levando ao fortalecimento da demanda popular pelo "fora Dilma", reiteradamente apoiada por pesquisas de opinião e pelas manifestações de rua. E a novidade é que essa reivindicação, até agora tratada com a indispensável cautela pela representação política institucional, começa a ser adotada como bandeira pelos partidos de oposição.
Isso significa que o debate sobre o impeachment passa a fazer parte da pauta política do Congresso Nacional e poderá resultar, talvez mais brevemente do que se possa imaginar, no pedido formal de afastamento da presidente da República.
IMPEACHMENT NÃO É GOLPE!
Conforme já foi mais de uma vez dito neste espaço, impeachment não é golpe, como deseja fazer crer o PT. Trata-se de recurso constitucional, remédio amargo para situações extremas, sempre com as cautelas legais e políticas necessárias para minimizar o inevitável impacto da deposição de um governante que tenha perdido a legitimidade com que foi eleito.
Estabelece a Constituição que o presidente da República pode ser acusado, no exercício de suas funções, tanto por infrações penais comuns quanto por crimes de responsabilidade. Em ambos os casos a acusação formal deve ser submetida à Câmara dos Deputados, que a aceitará ou recusará pela maioria qualificada de dois terços de seus integrantes. Aceita a acusação pelos deputados, quando se tratar de crimes comuns, o julgamento será feito pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Nos crimes de responsabilidade, a decisão cabe ao Senado, também com quórum qualificado de dois terços.
Os crimes de responsabilidade do presidente da República, previstos no artigo 85 da Constituição, são, entre outros, aqueles praticados contra a existência da União, o livre exercício dos Poderes da República, o exercício dos direitos políticos e a probidade na administração. Nesses casos, o julgamento assume caráter essencialmente político, pelo simples fato de a decisão caber não a magistrados, mas aos senadores da República. Essa certamente é uma condição que será levada em conta pelos partidos de oposição ao propor à Câmara um pedido de impeachment de Dilma Rousseff.

=============================
ENTENDA O QUE SÃO 'PEDALADAS'
Para que os leitores entendam de forma fácil o que são as pedaladas, coloco aqui no meio do texto do Estadão, um vídeo em que Diogo Mainardi e Mario Sabino, do site O Antagonista, trocam em miúdos esta questão. A explicação de Sabino de forma simples, revela o tamanho da enrascada em que Dilma e seus sequazes se meteram para fabricar falso superavit nas contas governamentais. 

=============================

Até agora as investigações da Operação Lava Jato não levantaram nenhuma prova direta do envolvimento de Dilma Rousseff no escândalo da Petrobrás. Mas, como afirmou o procurador-geral, Rodrigo Janot, as investigações que envolvem políticos serão necessariamente demoradas. No mesmo dia o Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu, por unanimidade, que as manobras que foram realizadas pelo Tesouro com dinheiro de bancos públicos para maquiar as contas públicas constituem crime de responsabilidade. Essa decisão não atinge Dilma, mas envolve 17 ministros, ex-ministros ou altos executivos de seu governo, como Guido Mantega, Luciano Coutinho, Nelson Barbosa, Alexandre Tombini e Aldemir Bendine, este hoje presidente da Petrobrás. Todos têm 30 dias para se explicar junto do TCU.
Na mesma quarta-feira, estimulados pelos últimos acontecimentos, os partidos de oposição - PSDB, PPS, DEM, PSB, SD e PV - reuniram-se em Brasília e decidiram que apresentarão à Câmara, em conjunto e em breve, pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidente. Pelo jeito, depois de mais de 12 anos os tucanos, no embalo da água que desce e do fogo que sobe, parecem ter descoberto que formam o principal partido da oposição e só serão levados a sério se seus atos tiverem alguma contundência.

POVO E RALÉ

O artigo que segue é do filósofo, escritor e jornalista Olavo de Carvalho. Vale a pena ler pois Olavo consegue sintetizar em poucas linhas a origem dessa espécie de marxismo “bundalelê” que gerou excrescências com o PT e há pouco um tal de “Podemos” na Espanha, que jornal ABC.es esmiuçou em reportagens devastadoras.  
O mais interessante é que Olavo consegue explicar em poucas linhas o efeito deletério da tenebrosa Escola de Frankfurt, a principal matriz dessa esculhambação que se materializou em partidos políticos e conseguiu falir um país do tamanho do Brasil ou levar agora mesmo a Venezuela à completa ruína. 
O que é mais curioso é que Olavo, sem transigir no rigor conceitual, histórico e analítico, consegue produzir um texto sociológico e político utilizando exemplos, conceitos e comparações que podem ser perceptíveis a qualquer leitor. Leiam:
Acima a sede da Escola de Frankfurt. Abaixo Theodor Adorno, Herbert Marcuse e Walter Benjamin, três porras-loucas dessa escola alemã que professores da área de Ciências Humanas das universidades continuam obrigando os alunos a lerem seus livros.
Por Olavo de Carvalho
Transcrito do site Mídia Sem Máscara
Karl Marx podia ter todos os defeitos do mundo, desde a vigarice intelectual até as hemorróidas, mas ele sabia que a palavra “proletário” significa “gente que trabalha” e não qualquer Zé-Mané. Ele combatia o capitalismo porque achava que os ricos enriqueciam tomando o dinheiro dos pobres, o que é talvez a maior extravagância matemática que já passou por um cérebro humano, mas, reconheça-se o mérito, ele nunca confundiu trabalhador com vagabundo, povo com ralé.         
Alguns discípulos bastardos do autor de “O Capital”, uns riquinhos muito frescos e pedantes, fundaram um instituto em Frankfurt com o dinheiro de um milionário argentino e resolveram que valorizar antes o trabalho honesto do que os vícios e o crime era uma deplorável concessão de Marx ao espírito burguês. Usando dos mais requintados instrumentos da dialética, começaram ponderando que o problema não era bem o capitalismo e sim a civilização, e terminaram tirando daí a conclusão lógica de que para destruir a civilização o negócio era dar força aos incivilizados contra os civilizados.      
Os frankfurtianos não apostavam muito no paraíso socialista, mas acreditavam que a História era movida pela força do “negativo” (uma sugestão de Hegel que eles tomaram ao pé da letra), e que portanto o mais belo progresso consiste em destruir, destruir e depois destruir mais um pouco. Tentar ser razoável era apenas “razão instrumental”, artifício ideológico burguês. Séria mesmo, só a “lógica negativa”.        
A destruição era feita em dois planos.         
Intelectualmente, consistia em pegar um a um todos os valores, símbolos, crenças e bens culturais milenares e dar um jeito de provar que no fundo era tudo trapaça e sacanagem, que só a Escola de Frankfurt era honesta precisamente porque só acreditava em porcaria – coisa que seu presidente, Max Horkheimer, ilustrou didaticamente pagando salários de fome aos empregados que o ajudavam a denunciar a exploração burguesa dos pobres. Isso levou o nome hegeliano de “trabalho do negativo”. A premissa subjacente era:        
-- Se alguma coisa sobrar depois que a gente destruir tudo, talvez seja até um pouco boa. Não temos a menor idéia do que será e não temos tempo para pensar em tamanha bobagem. Estamos ocupados fazendo cocô no mundo.        
No plano da atividade militante, tudo o que é bom deveria ser substituído pelo ruim, porque nada no mundo presta e só a ruindade é boa. A norma foi seguida à risca pela indústria de artes e espetáculos. A música não podia ser melodiosa e harmônica, tinha de ser no mínimo dissonante, mas de preferência fazer um barulho dos diabos. No cinema, as cenas românticas foram substituídas pelo sexo explícito. Quando todo mundo enjoou de sexo, vieram doses mastodônticas de sangue, feridas supuradas, pernas arrancadas, olhos furados, deformidades físicas de toda sorte – fruição estética digna de uma platéia high brow. Nos filmes para crianças, os bichinhos foram substituídos por monstrengos disformes, para protegê-las da idéia perigosa de que existem coisas belas e pessoas boas. Na indumentária, mais elegante que uma barba de três dias, só mesmo vestir um smoking com sandálias havaianas -- com as unhas dos pés bem compridas e sujas, é claro. A maquiagem das mulheres deveria sugerir que estavam mortas ou pelo menos com Aids. Quem, na nossa geração, não assistiu a essa radical inversão das aparências? Ela está por toda parte. 

Logo esse princípio estético passou a ser também sociológico. O trabalhador honesto é uma fraude, só bandidos, drogados e doentes mentais têm dignidade. Abaixo o proletariado, viva a ralé. De todos os empreendimentos humanos, os mais dignos de respeito eram o sexo grupal e o consumo de drogas. De Gyorgy Lukacs a Herbert Marcuse, a Escola de Frankfurt ilustrou seus próprios ensinamentos, descendo da mera revolta genérica contra a civilização à bajulação ostensiva da barbárie, da delinqüência e da loucura.           
Vocês podem imaginar o sucesso que essas idéias tiveram no meio universitário. Desde a revelação dos crimes de Stálin, em 1956, o marxismo ortodoxo estava em baixa, era considerado coisa de gente velha e careta. A proposta de jogar às urtigas a disciplina proletária e fazer a revolução por meio da gostosa rendição aos instintos mais baixos, mesmo que para isso fosse preciso a imersão preliminar em algumas páginas indecifráveis de Theodor Adorno e Walter Benjamin, era praticamente irresistível às massas estudantis que assim podiam realizar acoincidentia oppositorum do sofisticado com o animalesco.   Com toda a certeza, a influência da Escola de Frankfurt, a partir dos anos 60 do século passado, foi muito maior sobre a esquerda nacional que a do marxismo-leninismo clássico.         
Sem isso seria impossível entender o fenômeno de um partido governante que, acuado pela revolta de uma população inteira, e não tendo já o apoio senão da ralé lumpenproletária remunerada a pão com mortadela e 35 reais, ainda se fecha obstinadamente na ilusão de ser o heróico porta-voz do povão em luta contra a “elite”.         
Dois anos atrás, já expliquei neste mesmo jornal (v. http://www.olavodecarvalho.org/semana/140209dc.html) que uma falha estrutural de percepção levava a esquerda nacional a confundir sistematicamente o povo com o lumpenproletariado, de tal modo que, favorecendo o banditismo e praticando-o ela própria em doses continentais, ela acreditava estar fazendo o bem às massas trabalhadoras, as quais, em justa retribuição de tamanha ofensa, hoje mostram detestá-la como à peste.           
O Caderno de Teses do V Congresso do PT é um dos documentos mais reveladores que já li sobre o estado subgalináceo a que os ensinamentos de Frankfurt podem reduzir os cérebros humanos.

sábado, abril 18, 2015

O VÍDEO CENSURADO PELAS TELEVISÕES: POVO ENFRENTA O PT EM SÃO PAULO EM MEGA PROTESTO, RASGA E TOCA FOGO NA BANDEIRA VERMELHA.


Está aí um vídeo que mostra o que a televisão e demais veículos da grande mídia escondem. São cenas do mega protesto do dia 15 deste mês de março ou ainda a reação popular anti-PT em 2013. O vídeo não traz estsa informação de forma precisa. Todavia essa reação popular anti-PT é notória demonstrando que o povo analisa com precisão o viés ideológico e político da ameaça esquerdista.

Já com relação ao último protesto de 12deAbril os alegres rapazes e velhotes das redações o qualificaram de "pequeno", de "menor" tentando passar a impressão ao grande público de que a revolta da maioria dos brasileiros contra o PT estaria esmaecendo. Ah!, também afirmam que apenas as "elites" é que participam dessas manifestações de repúdio ao PT, mas isso não corresponde à verdade.

Jornais como a conhecida Falha de S. Paulo, por exemplo, afirmaram que a maioria protestou apenas contra a corrupção. Trata-se de uma forma capciosa de livrar a cara do PT. Mas este vídeo mostra tudo de forma nua e crua. Vê-se uma multidão de pessoas gritando slogans de repúdio ao PT, com destaque para o discurso de um cidadão negro, por sinal muito bem articulado, a mostrar que o povo brasileiro repudia a corrupção, evidentemente, mas já identificou os seus agentes. Ato contínuo populares arrebatam bandeira do PT, rasgam e a incendeiam. 

Sem qualquer dúvida, o povo brasileiro está sabendo muito bem que a avassaladora corrupção que corrói o Brasil, sendo a conta transferida à família brasileira, tem um culpado: o PT. Além do mais a ficha já caiu inteirinha para a maioria do povo brasileiro que sabe agora muito bem que o PT pretende golpear a democracia brasileira para sonegar a nossa liberdade transformando o Brasil num apêndice de Cuba, conforme as diretrizes do Foro de São Paulo.

Esta é a verdade que agora vêm à tona pela voz do próprio povo nas ruas de todo o país. No último mega protesto foram mais de 400 cidades que gritaram #ForaPT, dobrando portanto a capilaridade da onda anti-PT em todo o Brasil.

O povo não é bobo.

Sponholz: O Papudo, a Papuda e o tesoureiro do PT!


REPORTAGEM-BOMBA DE 'VEJA' PREVÊ A EXTINÇÃO DO PT QUE VAI SUMINDO NO LAMAÇAL DA ROUBALHEIRA DESENFREADA, DOS ESCÂNDALOS VERGONHOSOS E DA CORRUPÇÃO INFAME.

A reportagem-bomba da edição de Veja que chega às bancas na manhã deste sábado é substanciosa o suficiente para saciar a fome de informação do público brasileiro com o saco cheio da embromação de coisas como Folha de S. Paulo, Carta Capital, Rede Globo e outras publicações do gênero. Veja, como sempre continua sendo um pérola no meio do chiqueiro petista onde chafurdam os jornalistas de aluguel do PT.

A capa já é, por si só, uma informação de primeira linha. Constata, em forma de indagação, uma realidade confirmada até dizer chega pelos fatos: dois tesoureiros do PT presos, um ex-presidente acuado que não pode mais andar pelas ruas, uma presidente (presidenta, segundo o marketeiro baiano), bancadas parlamentares envergonhadas e um escândalo atrás do outro. Algo inaudito que acabaria sendo manchetes dos maiores veículos de mídia do mundo se não fossem os correspondentes estrangeiros no Brasil que não são diferentes da maioria dos boçais pátrios. Os vagabundos já contaminaram até mesmo publicações tradicionais e sérias, como The Economist

Tanto é que a reportagem do último número dessa publicação britânica comparou os mega protestos que explodiram de Norte a Sul do Brasil, com o Tea Party, o famoso e influente movimento conservador norte-americano. Evidentemente que não tem nada a ver. Mas o inglês vagabundo que fez a reportagem sobre as manifestações no Brasil provavelmente costuma tomar uns choppinhos em happy-our com os alegres rapazes e velhotes da Folha de S. Paulo. A confraria comunista e descolada dentro das redações não age apenas no Brasil. A ação perniciosa desses semoventes é global. São coiteiros do PT, viúvas de Hugo Cháves e de Fidel Castro e de outros ditadores assassinos do mesmo naipe.

Para a infelicidade desses escrotos e mentirosos e para felicidade geral da Nação brasileira, tem-se as redes sociais e os blogs independentes. No que respeita à grande mídia, passa na peneira do jornalismo verdadeiro a revista Veja e seu site na web. Tanto é que o único veículo de mídia a sofrer o ataque dos terroristas sob o comando de Lula foi justamente a sede da revista Veja na véspera da eleição presidencial do ano passado. Lula denomina esses ajuntamentos de criminosos de "movimentos sociais". Está aí uma bela pauta para o correspondente de The Economist.

Finda esta necessária digressão retomo o mote deste artigo, chamando a atenção para um fato que a reportagem-bomba de Veja organiza e traz à luz o que mentalizam os cidadãos brasileiros trabalhadores (as) e que prezam os valores morais e éticos: o PT está em extinção. E isto, sem qualquer dúvida, representa um linimento para a verdadeira alma brasileira vilipendiada pela nefasta ação de um bando de psicopatas que se encastelou no poder.

Até nunca mais PT. Vade retro!

sexta-feira, abril 17, 2015

NOVO TESOUREIRO DO PT RECEBEU DOAÇÃO DE EMPRESA DO PETROLÃO POR MEIO DA DIREÇÃO NACIONAL DO PT CUJO CAIXA ERA VACCARI

O novo tesoureiro nacional do PT, Márcio Macedo (foto), recebeu no ano passado uma doação de 95.000 reais da Construtora Andrade Gutierrez S/A, uma das empreiteiras que faziam parte do cartel do petrolão. A contribuição foi repassada a Macedo pela Direção Nacional do PT, cujo caixa era comandado por João Vaccari Neto, preso nesta quarta-feira pela Polícia Federal na Operação Lava Jato.
Vaccari foi afastado da secretaria de Finanças do partido sob suspeita de ter intermediado junto a empreiteiras fornecedoras da Petrobras pagamentos de propina dissimulados como doações oficiais de campanha, registrados no Tribunal Superior Eleitoral.
Em 2014, Macedo não se reelegeu para seu segundo mandato como deputado federal por Sergipe e atualmente é suplente da bancada. Ele arrecadou ao todo 493.726,94 reais - 25% (123.500 reais) repassados por Vaccari. Além da Andrade Gutierrez, a outra parcela de 28.500 reais era uma doação da Fator Empreendimentos e Participação, do ramo imobiliário paulista. Do site de Veja

POR QUE O ADVOGADO DE ZÉ DIRCEU ESTÁ TÃO NERVOSO E ANSIOSO?

O criminalista Roberto Podval, que defende o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil, governo Lula), foi ao gabinete do juiz Sérgio Moro, em Curitiba, nesta quinta-feira, 16. Ele disse ao juiz que o ex-ministro está à disposição da Justiça e da força tarefa da Operação Lava Jato para todos os esclarecimentos necessários.
Intriga e preocupa o advogado a sucessão de rumores de que seu cliente poderá ter a prisão decretada a qualquer momento. Podval até escreveu um artigo em seu site, postado na madrugada de quinta – cópia da mensagem ele enviou para amigos.
No texto, ele diz que ‘todos os amigos jornalistas o informam que José Dirceu será preso amanhã’.
 “Whatsapp, e-mails, telefonemas e mensagens me encontram com a mesma afirmativa, e eu tentando entender o que estamos vivenciando. Fico imaginando que na época em que nasci vivíamos um período parecido. A grande diferença é que na ditadura todos sabiam as razões! Aqui, por mais que procuro, nada encontro para que se possa justificar a anunciada prisão”, escreveu Roberto Podval.
Sérgio Moro, que o advogado de Dirceu visitou, é o famoso juiz da Lava Jato. Por suas mãos passam todos os processos e inquéritos da incrível investigação que escancarou esquema de corrupção na Petrobrás e pôs abaixo sólido cartel de empreiteiras que assumiram o controle de negócios bilionários da estatal.
Um tentáculo da investigação da Lava Jato mira em José Dirceu. A suspeita é que a JD Assessoria e Consultoria, empresa do ex-ministro, teria sido usada para captar propinas do esquema Petrobrás. Algumas empreiteiras do cartel que operou na estatal petrolífera entre 2003 e 2014 mantinham contratos com a JD Assessoria e Consultoria.
Os investigadores trabalham com a hipótese de que a empresa de Dirceu não prestava serviço, de fato, para as empreiteiras. Eles avaliam que a situação do ex-ministro ‘é complicada’.
Segundo Roberto Podval, durante o encontro desta quinta-feira, 16, no Fórum Federal de Curitiba, o juiz da Lava Jato lhe disse que “são boatos” as notícias sobre a prisão de Dirceu. Leia mais

CUNHADA DE VACCARI, O EX-TESOUREIRO DO PT, SE ENTREGA À POLÍCIA FEDERAL EM CURITIBA.

Marice Correa de Lima, cunhada de João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, se entrega à PF em Curitiba (PR) (Foto: site de Veja)
Marice Correa de Lima - cunhada do tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto - se entregou à Polícia Federal em Curitiba (PR) por volta das 14 horas desta sexta-feira. Ela era considerada foragida pela Justiça. Marice alegou que estava em um congresso profissional fora do país, no Panamá, até esta quinta-feira, um dia depois da deflagração da 12ª fase da Operação Lava Jato. A informação foi confirmada ao site de VEJA pelo advogado de Marice, o criminalista Cláudio Gama Pimentel. Segundo o advogado, ela providenciou o retorno a São Paulo assim que soube do mandado de prisão temporária e depois se deslocou acompanhada de outro defensor à Superintendência da PF, onde ficará detida, inicialmente, por cinco dias.
O advogado de Marice estima que ela deve ser ouvida pelos delegados da PF na segunda-feira. "Assim que soube do envolvimento do nome dela nesta fase da Lava Jato, ela imediatamente pegou um avião e veio para esclarecer tudo", disse Pimentel, que foi contratado pela família de Marice, irmã da mulher de Vaccari, Giselda Rousie de Lima. "Ela está muito calma, serena, e segundo ela tem explicações para toda a movimentação financeira."
De acordo com as investigações, Marice operava uma central de propinas em casa. De acordo com interceptações telefônicas da Operação Lava Jato, Marice recebia remessas de dinheiro, destinadas ao petista, em seu apartamento no bairro Cerqueira César, região central de São Paulo. No dia 3 de dezembro de 2013, Marice recebeu em sua residência duas entregas com o total de 244.260 reais, enviadas pelo doleiro Alberto Youssef a pedido da construtora OAS.
A cunhada também atuava como emissária de Vaccari. Segundo Youssef, Marice visitou uma vez seu escritório na capital paulista para retirar 400.000 reais em dinheiro - propina paga ao PT a mando da Toshiba, que participou de uma licitação da Petrobras para o Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro). Leia mais

"É MENTIRA DO PT", O NOVO CANAL NO YOUTUBE QUE ESTÁ BOMBANDO PRA VALER.

Um canal criado no Youtube, denominado "É Mentira do PT",  reúne dezenas de vídeos expondo as contradições e as mentiras que vêm sendo propaladas pelo PT, principalmente depois que dito "partidos dos trabalhadores" alcançou o poder. Para acessar e ver todos os vídeos clique AQUI.

ADAMS, O ADVOGADO GERAL DA UNIÃO, DÁ A "PEDALADA" QUE FALTAVA PARA O IMPEACHMENT DA DILMA E OPOSIÇÃO PARTE PRA CIMA.

A afirmação do advogado-geral da União (AGU), Luís Inácio Adams, de que as controversas 'pedaladas fiscais' do governo Dilma Rousseff são uma prática recorrente é considerada por parlamentares do PSDB como mais um argumento para embasar um possível pedido de impeachment da presidente. Na tentativa de defender o governo da manobra fiscal, Adams fez nesta quinta-feira, segundo os tucanos, uma espécie de "delação não premiada".
"Desde 2001, quando foi criada a Lei de Responsabilidade Fiscal, esta sistemática de pagamentos acontece. Por que só agora estão questionando isto?", questionou Adams, que ainda hoje pretende recorrer da decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de cobrar explicações da alta cúpula da equipe econômica do primeiro governo Dilma sobre as pedaladas fiscais. A manobra do time do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega fazia parte da estratégia do governo de segurar pagamentos devidos a bancos públicos com o intuito de registrar gastos menores. Com isso, o governo conseguia melhorar artificialmente suas contas para engordar a meta de superávit primário - que é a economia feita para o pagamento dos juros da dívida pública. A operação é considerada irregular, pois fere a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
Desde que o TCU responsabilizou, na última quarta-feira, a equipe econômica pelos atrasos nos repasse de recursos federais para os bancos como forma de melhorar artificialmente o resultado das contas públicas, um grupo de analistas contratos pelo PSDB avalia ponto a ponto a decisão para verificar se a presidente Dilma pode ser incluída entre as responsáveis pela medida e, com isso, se abrir caminho para um processo de impeachment por crime de responsabilidade. "Com aquela defesa, Adams fez um libelo das pedaladas. Foi uma delação não-premiada que dá um ponto para o impeachment porque significa que a presidente tinha conhecimento das manobras. As pedaladas era uma operação oficial", disse ao site de VEJA o líder do PSDB no Senado Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).
Apesar de o PSDB ter projetado que até a próxima terça-feira poderia concluir essa avaliação, o jurista e ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr. recomendou ao partido mais cautela e tempo para que o pedido de afastamento, quando for apresentado, seja mais substancioso. Com isso, os tucanos trabalham com novos prazos de pelo menos mais duas ou três semanas para concluir os argumentos pró-impeachment. Nos bastidores, além das pedaladas fiscais, eles consideram como tese para o impeachment a declaração de que dinheiro desviado da Petrobras foi repassado pelo tesoureiro petista João Vaccari Neto para uma gráfica ligada ao PT.
Os investigadores da Operação Lava Jato descobriram indícios de que Vaccari usou recursos desviados da Petrobras e da Sete Brasil para quitar dívidas com uma gráfica ligada ao partido - e que foi multada por fazer campanha irregular para a presidente Dilma Rousseff em 2010. A informação surgiu em depoimento do executivo Augusto Ribeiro, da Setal Oléo e Gás (SOG), ao Ministério Público Federal e foi uma das razões listadas pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, para decretar a prisão preventiva do petista. A mando de Vaccari, duas empresas controladas por Augusto Ribeiro - Tipuana e Projetec - realizaram pagamentos que somam 1,5 milhão de reais à Editora Gráfica Atitude, entre 2010 e 2013, por meio de repasses mensais. Os depósitos foram comprovados pelo Ministério Público. Ribeiro disse, porém, que Vaccari teria pedido o pagamento de 2,5 milhões de reais em troca de supostos anúncios impressos em revistas da gráfica e editora. Do site da revista Veja

CUNHADA DE VACCARI ESTAVA NO PANAMÁ MAS RETORNA LOGO PARA SE ENTREGAR À POLÍCIA, SEGUNDO SEU ADVOGADO.

Marice Lima
Considerada foragida da Justiça e prestes a se entregar à Polícia Federal, Marice Correa de Lima - cunhada do tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto - estava em um congresso profissional fora do país, no Panamá, até esta quinta-feira, um dia depois da deflagração da 12ª fase da Operação Lava Jato. A informação foi confirmada ao site de VEJA pelo advogado de Marice, o criminalista Cláudio Gama Pimentel. Segundo o advogado, ela providenciou o retorno a São Paulo assim que soube do mandado de prisão temporária e está neste momento em deslocamento para a Superintendência da PF em Curitiba (PR), onde ficará detida, inicialmente, por cinco dias.
O advogado de Marice estima que ela deve ser ouvida pelos delegados da PF na segunda-feira. "Assim que soube do envolvimento do nome dela nesta fase da Lava Jato, ela imediatamente pegou um avião e veio para esclarecer tudo", disse Pimentel, que foi contratado pela família de Marice, irmã da mulher de Vaccari, Giselda Rousie de Lima. "Ela está muito calma, serena, e segundo ela tem explicações para toda a movimentação financeira."
De acordo com as investigações, Marice operava uma central de propinas em casa. De acordo com interceptações telefônicas da Operação Lava Jato, Marice recebia remessas de dinheiro, destinadas ao petista, em seu apartamento no bairro Cerqueira César, região central de São Paulo. No dia 3 de dezembro de 2013, Marice recebeu em sua residência duas entregas com o total de 244.260 reais, enviadas pelo doleiro Alberto Youssef a pedido da construtora OAS.
A cunhada também atuava como emissária de Vaccari. Segundo Youssef, Marice visitou uma vez seu escritório na capital paulista para retirar 400.000 reais em dinheiro - propina paga ao PT a mando da Toshiba, que participou de uma licitação da Petrobras para o Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro). Do site da revista Veja

MARCHA PELA LIBERDADE VAI A PÉ DE SÃO PAULO A BRASÍLIA DE ONDE NÃO SAIRÁ ATÉ QUE SENADORES E DEPUTADOS ATENDAM AS REIVINDICAÇÕES DOS CIDADÃOS BRASILEIROS #FORAPT

Clique sobre as imagens para vê-las ampliadas
O roteiro  roteiro da Marcha da Liberdade, organizada pelo Movimento Brasil Livre está pronto. Sairá da praça Panamericana na capital paulista dia 24/04 e chegará no Congresso Nacional no dia 27/05. Serão cerca de mil km percorridos a pé pela liberdade no país.
Os organizadores do MBL, um dos movimentos que tem levado milhares às ruas do Brasil contra o PT e o Foro de São Paulo, explicam que esse é um desafio árduo e, por isso, contam com quem puder nos ajudar no caminho, nem que seja com um lugar para dormir ou um copo de água. Os organizadores lembram que todos que quiserem caminhar junto com o MBL serão bem vindos, seja por 1km, 10 ou 1000.
O objetivo da Marcha pela Liberdade é pressionar diretamente o Congresso Nacional para tender imediatamente as demandas dos cidadãos brasileiros que já não suportam mais a roubalheira, a corrupção e sobretudo a permanente ameaça de golpe comunista bolivariano que representa o PT no poder. 
Na página do Facebook o MBL destaca os seguintes links que as pessoas podem clicar seja para curtir a página ou ainda ajudar com doações por meio do PayPal e também adaquirir produtos no site:
Curta: Marcha pela Liberdade
Ajude do donativos na luta contra o PT
https://www.paypal.com/cgi-bin/webscr…
Compre nossos produtos e ajude a tirar o PT do poder.
http://www.movimentobrasillivre.org/#!loja-virtual/cwdc
Neste vídeo, um dos líderes do MBL, o jovem Kim Kataguiri, explica de forma sintética como será a Marcha da Liberdade. Vejam:



Kim Kataguiri explicando alguns detalhes da Marcha pela Liberdade.A marcha começa dia 24/04, sexta-feira da semana que vem, e chega a Brasília dia 27/05.Ajude o MBLhttps://www.paypal.com/cgi-bin/webscr?cmd=_s-xclick&hosted_button_id=B9TYQZB7UH642Compre nossos produtos e ajude a tirar o PT do poder.http://www.movimentobrasillivre.org/#!loja-virtual/cwdc
Posted by Movimento Brasil Livre on Quinta, 16 de abril de 2015

EM HANGOUT COM OLAVO DE CARVALHO ADVOGADO EXPLICA O PEDIDO DE IMPEACHMENT DO MINISTRO DIAS TOFFOLI



Está aí um excelente hangout com Olavo de Carvalho que traz ao debate na sua parte inicial o pedido de impeachment do ministro Dias Toffoli que foi apresentado no dia 9 deste mês de abril ao Senado pelo advogado Matheus Faria Carneiro, conforme noticiei aqui no blog. Carneiro é Procurador da Fazenda Nacional, todavia enfatiza o fato de que apresentou o pedido ao Senado na qualidade de cidadão brasileiro.

Neste hangout, Matheus Carneiro explica os fundamentos legais que sustentam o pedido cujo provimento foi negado ontem pelo Presidente do Senado Renan Calheiros alegando inépcia. Carneiro explica tudo neste hangout e avisa que o próximo passo é entrar com mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal.

Na segunda parte do hangout é debatida também a crise política e institucional que vive o Brasil, as manifestações de protesto nas ruas e os próximos passos a serem dados, bem como a Marcha Pela Liberdade.

Por tudo isso, vale muito a pena ver este hangout que supera todo e qualquer programa político apresentado nas redes de televisão. Aliás, acompanhando esses hangouts as pessoas poderão ver o quanto de informação é sonegada pela grande mídia brasileira, sobretudo as televisões, cujas redações são patrulhadas pelos esbirros do PT.

Obs.: Quem desejar ler na íntegra da petição do pedido de Impeachment de Dias Toffoli, clique AQUI

quinta-feira, abril 16, 2015

VÍDEO: PT É ESCORRAÇADO POR POPULARES NO CENTRO DE SÃO PAULO AOS GRITOS DE LADRÃO, LADRÃO, LADRÃO.


Não tem preço ver o povo na rua, espontaneamente, repudiar o PT. O vídeo acima, postado na coluna do sempre excelente Augusto Nunes, mostra o exato momento em que meia dúzia de petistas psicopatas, o que já é uma redundância, resolveram hastear bandeiras vermelhas próximo ao Teatro Municipal de São Paulo, e distribuir panfletos atribuindo ao governador Geraldo Alckmin a culpa pela seca que castigou São Paulo recentemente.

Foi o bastante para serem vaiados por populares que gritavam "ladrão, ladrão, ladrão....". Como observa Augusto Nunes, o Lula repete  há anos que o Brasil é dividido entre “eles” e “nós”. O chefe da seita está começando a colher o que plantou.

Não tem dúvida que tendência é o PT voltar às origens, ou seja, à condição de partido nanico como, aliás sempre foi. Na verdade o PT chegou a poder não pelo apoio do povão, mas pelos ricaços mega empresários e banqueiros eternamente patrimonialistas que vêem na possibilidade de uma ditadura comunista bolivariana a forma mais fácil de mamar nas tetas do Estado.

Tanto é que a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde corre o inquérito da Operação Lava Jato, tornou-se pequena para abrigar tantos empresários vagabundos que se tornaram comparsas do PT na ladroagem de dinheiro público.

quarta-feira, abril 15, 2015

REPRESENTANTES DE 26 MOVIMENTOS QUE PROTESTAM NAS RUAS ENTREGAM AO CONGRESSO PAUTA DE REIVINDICAÇÕES

Representantes de 26 movimentos que protestaram nas ruas contra a corrupção e o governo da presidente Dilma Rousseff nas históricas manifestações de 15 de março e 12 de abril entregaram nesta quarta-feira ao Congresso Nacional uma pauta de reivindicações intitulada "Carta do Povo Brasileiro" - uma alusão à Carta ao Povo Brasileiro, escrita pelo então candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva em 2002. No texto, eles defendem a transformação do crime da corrupção em crime hediondo, com penas de até 25 anos de prisão, a tipificação do crime de lesa pátria e a possibilidade de que partidos sejam responsabilizados caso suas contas ou candidatos se beneficiem de dinheiro de caixa dois. O PT, que há mais de 12 anos ocupa o Palácio do Planalto, foi eleito um dos alvos preferenciais do movimento.
"O Partido dos Trabalhadores teve 13 anos de poder para mudar o Brasil, conforme prometeu em sua Carta ao Povo Brasileiro em 2002. Ele agora recebe do mesmo povo uma carta que repudia a situação no qual o país foi deixado", diz trecho do manifesto. "Vivemos um quadro assustador de corrupção no seio dos poderes constituídos. Há 12 anos, ela se tornou sistêmica e se institucionalizou na máquina pública em níveis sem precedência. Um câncer a comer as entranhas já podres do país".
Contra o que considera um cenário de "impunidade reinante", a Aliança Nacional de Movimentos resumiu o sentimento das cerca de duas milhões de pessoas que foram às ruas nos protestos de março e abril: "No campo da moralidade, a ética e a decência desapareceram. A mentira passou a ser procedimento costumeiro nos pronunciamentos do governo federal à nação. A trama da manipulação de dados é um aliado habitual para justificar os consecutivos erros. Não existe por parte do governo o reconhecimento dos equívocos e de suas fragilidades. Não existe pudor".
Os movimentos exigem que deputados e senadores endossem a tese de que a presidente Dilma Rousseff deveria ser investigada no escândalo do petrolão, já que foi citada onze vezes em delações e depoimentos da Operação Lava Jato como uma das autoridades que tinha conhecimento do mega esquema de corrupção que sangrou os cofres da Petrobras. Conforme revelou na edição de 27 de outubro de 2014 reportagem de VEJA, o doleiro Alberto Youssef afirmou em juízo que Dilma, o ex-presidente Lula e a alta cúpula do governo petista sabiam do esquema de corrupção e distribuição de dinheiro sujo na estatal.
"Acabou-se o tempo do conformismo. Os trabalhadores brasileiros (...) não mais assistirão impassíveis às manobras de visam à manutenção do poder. Não mais aceitarão um governo mentiroso", dizem os manifestantes, que se intitulam como Aliança Nacional de Movimentos.
Além de pedir a abertura de investigação "por crime comum da cidadã Dilma Vana Rousseff", o manifesto pede para que o Congresso aprecie com transparência possíveis pedidos de impeachment contra a petista e defende submeter os acordos de leniência relacionados à Operação Lava Jato a aval do Ministério Público e afastar o ministro José Antonio Dias Toffoli do Supremo Tribunal Federal (STF) "por não atender ao critério de imparcialidade". Há ainda exigências para uma melhor gestão do governo, como a redução no número de ministérios, e para pontos de uma reforma política, como a implantação do voto distrital e o fim da reeleição.
A Carta do Povo Brasileiro foi recebida por deputados, senadores e pelos presidentes do PSDB, DEM, PSB, PPS, Solidariedade e PV. Apesar do viés anti-governista das reivindicações, os partidos de oposição foram cobrados pelos movimentos para serem mais atuantes no Congresso em defesa das pautas das ruas. "A oposição não estava sendo feita de verdade. A oposição estava apenas nas ruas. Nas ruas o povo diz sua voz e aqui o povo constituído é obrigado a ouvir", disse Janaína Lima, líder do movimento Vem Pra Rua São Paulo.
"O nível de indignação é máximo", afirmou o porta-voz do Vem Pra Rua Rogério Chequer. "Não é mais suficiente ter uma pauta alinhada. O que vai ser suficiente daqui para frente é o resultado efetivo. Faz sete meses que as ruas se organizam e vem protestar. Isso é sem precedentes no Brasil. Se até as ruas são capazes de se organizar, por que a oposição não pode?", questionou ele.
Na Carta do Povo Brasileiro, os movimentos ainda criticam a ineficiência da gestão pública, o clientelismo das máquinas públicas, o processo de 'toma lá dá cá' na definição de cargos públicos, a precarização dos sistemas de saúde e educação e a escalada da violência urbana. "A economia enverga, os empregos somem, a inflação cresce, a moeda se desvaloriza. Administra-se por contingência e (...) para reparar seus maus feitos, o governo pede ao povo para pagar a conta da ineficiência", diz trecho do documento.
Racha - A carta elaborada pelo Vem pra Rua não leva a assinatura de dois dos principais movimentos que convocaram as manifestações de rua nos dias 15 de março e 12 de abril - o Brasil Livre e o Revoltados Online. Isso porque, alegam os dois últimos grupos, o movimento encabeçado por Chequer não enfatiza o pedido do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Um dos líderes do Movimento Brasil Livre, Renan Haas, fez questão de dizer que não é signatário da carta por considerá-la muita genérica. "Eles vão pra Brasília para pedir mais saúde, educação e lutar contra a corrupção. Se é assim, pede logo paz no mundo", ironizou Haas. O movimento anunciou que vai fazer uma marcha a pé de São Paulo a Brasília na próxima semana para chamar a atenção do Congresso em relação ao pedido de destituição da presidente.
No domingo, Chequer havia afirmado que uma associação entre cinquenta grupos anti-Dilma estavam sendo formada sob o nome de Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos. No entanto, apenas 26 grupos assinaram a carta lida hoje no Congresso. O Vem pra Rua explicou que a aliança ainda está sendo "amarrada" e que nem todos puderam ir para Brasília nesta quarta-feira. Do site da revista Veja

DILMA E O PT: AS PEDALADAS FATAIS. O IMPEACHMENT CADA VEZ MAIS MAIS PERTO. FALTA POUCO. MUITO POUCO.

Augustin, ex-secretário do Tesouro e um dos artífices das pedaladas (Foto: Veja)
O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu nesta quarta-feira que cobrará explicações da alta cúpula da equipe econômica do primeiro governo da presidente Dilma Rousseff (PT) sobre as "pedaladas fiscais". Os ministros do tribunal foram favoráveis à recomendação de investigação feita por técnicos e pelo procurador do órgão, Júlio Marcelo de Oliveira.
As chamadas "pedaladas" fazem parte da estratégia do governo de segurar pagamentos devidos a bancos públicos com o intuito de registrar gastos menores. Com isso, o governo conseguia melhorar artificialmente suas contas para engordar a meta de superávit primário - que é a economia feita para o pagamento dos juros da dívida pública. A operação é considerada irregular, pois fere a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
Caso o TCU apure que houve irregularidade no cumprimento da LRF, os envovidos podem ser acusados crime de responsabilidade, o que pode resultar no pagamento de multana até a perda do cargo. Os responsáveis também podem ter de responder por ato de improbidade, que prevê a devolução dos recursos perdidos pela União. O TCU deve repassar os dados da defesa ao Ministério Público Federal (MPF), órgão responsável por analisar esse tipo de crime.
O ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior foi consultado por membros da oposição sobre o tema e já começou a elaborar um parecer prévio que pode ser usado por parlamentares para pedir a investigação da presidente Dilma Rousseff por irregularidades cometidas no primeiro mandato. Trata-se de um primeiro passo que pode subsidiar o Congresso para um eventual pedido de impeachment.
O deputado tucano Izalci Lucas (PSDB-DF) afirmou que a decisão encorpa o argumento para o pedido. "O governo cometeu uma fraude, uma irresponsabilidade muito grande e perdeu toda a credibilidade", afirmou. Leia MAIS

OPOSIÇÃO CHEGA MAIS PERTO DO FIAT ELBA DA DILMA E PODE PARTIR PARA O PEDIDO DE IMPEACHMENT DA GOVERNANTA

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, disse nesta quarta-feira que o partido discute internamente e "de forma muita franca" a possibilidade de ingressar com um pedido de impeachmentcontra a presidente Dilma Rousseff (PT). Para o senador, porém, ainda é preciso encontrar indícios de que a petista tenha praticado crime de responsabilidade. A expectativa de tucanos é reunir até a próxima terça-feira argumentos que possam apontar que a petista cometeu crime de responsabilidade. O PSDB encomendou pareceres de diversos juristas, incluindo o ex-ministro da Justiça Miguel Reale, para listar argumentos para embasar o pedido de afastamento da presidente.
Uma das principais apostas da oposição é relacionar o possível pedido de impeachment com o fato de o tesoureiro do PT João Vaccari Neto ter usado recursos desviados da Petrobras e da Sete Brasil para quitar dívidas com uma gráfica ligada ao partido. Essa acusação, na avaliação de parlamentares do PSDB, poderia funcionar como o "Fiat Elba" da petista. Durante o governo de Fernando Collor de Mello, a compra de uma perua Fiat Elba foi a prova utilizada para comprovar que o hoje ex-presidente se beneficiou do esquema de corrupção do tesoureiro PC Farias. "O caso da gráfica é um fato gravíssimo. Ninguém deveria ter receio em falar em impeachment porque isso é um preceito constitucional. Devemos ter esses estudos concluídos até a próxima terça-feira para que todo o embasamento sobre o pedido possa ser feito", disse o líder do PSDB na Câmara Carlos Sampaio (PSDB-SP).
"Estamos avaliando todas as denúncias que nos chegam, seja a utilização de empresas públicas de forma criminosa durante a campanha eleitoral, seja agora essa nova denúncia que demonstra que a Controladoria Geral da União omitiu durante todo o processo eleitoral as denúncias e a documentação [sobre o petrolão] que já havia recebido", disse ele. "Estamos avaliando com juristas se existe a caracterização de crime de responsabilidade. Se acharmos que existem indícios, o PSDB poderá, sim, avaliar essa hipótese de impeachment. Não temos ainda essa decisão tomada, mas é uma possibilidade que o PSDB hoje discute de forma muito franca", completou Aécio. Do site da revista Veja

LAVA JATO ESTOURA APARELHO DE AGITAÇÃO POLÍTICA DO PT. GRÁFICA E REVISTA ACUSADAS DE LAVAR DINHEIRO DO PETROLÃO,

Entrada da sede da revista Brasil Atual e da Gráfica Atitude no centro de São Paulo que compõe o aparelho de agitação política do PT em São Paulo e, segundo a Operação Lava Jato é também "lavanderia" do dinheiro do petrolão. Foto do site de O Globo
Investigada na Operação Lava Jato por ter recebido ao menos 1,5 milhão de reais desviados da Petrobras e da Sete Brasil, a Editora Gráfica Atitude Ltda é uma sociedade mantida por dois sindicatos umbilicalmente ligados ao PT: o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. Os sindicatos são sócios e indicam os diretores da gráfica - quase todos filiados ao PT e sempre dirigentes dos sindicatos. Aliado do ministro Ricardo Berzoini (Comunicações), o ex-deputado paulista Luiz Claudio Marcolino (PT) comandou a gráfica, assim como José Lopez Feijóo, que era assessor especial da Secretaria Geral da Presidência sob comando do ex-ministro Gilberto Carvalho.
A empresa mantém veículos de imprensa alinhados com o governo federal e com o PT, como a Rede Brasil Atual, a Rádio Brasil Atual e a Revista do Brasil. Em 2012, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) multou em 15.000 reais cada, a editora e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), por propaganda irregular nas eleições presidenciais de 2010. Na ocasião, o TSE entendeu que a Revista do Brasil e oJornal da CUT, impressos na gráfica, eram peças de propaganda ilícita favorável à presidente Dilma Rousseff e desabonadora para o senador José Serra (PSDB), à época adversário de Dilma na disputa da Presidência da República. Em depoimento no último dia 31 de março, Augusto Ribeiro Mendonça, um dos executivos da Setal Óleo e Gás presos no petrolão, revelou ao Ministério Público que fez pagamentos da ordem de 2,5 milhões de reais à gráfica a mando do tesoureiro nacional do PT,  João Vaccari Neto, preso nesta quarta-feira pela Polícia Federal. Ribeiro repassou o dinheiro em parcelas mensais entre 2010 e 2013. A operação foi simulada como compra de anúncios e , segundo os investigadores, tem características de lavagem de dinheiro e caixa dois. (Felipe Frazão, de São Paulo) Do site da revista Veja
APARELHO DE AGITAÇÃO POLÍTICA DO PT MANTIDO COM DINHEIRO DE SINDICATOS
Segundo matéria do site de O Globo, a editora Gráfica Atitude funciona no 19º andar de um prédio no centro de São Paulo. A empresa é responsável pela publicação da “Revista do Brasil”, do site “Rede Brasil Atual” e um programa de rádio. No mesmo local funciona a redação de jornais de dois sindicatos. Em abril de 2012, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) multou a Atitude por fazer, em 2010, propaganda eleitoral considerada ilícita em favor da então candidata do PT à Presidência, Dilma Roussef.

CRESCE A POSSIBILIDADE DE EXTINÇÃO DO PT. OPOSIÇÃO AFIRMA QUE PARTIDO DE LULA ATUA COMO LAVANDERIA DE DINHEIRO ROUBADO.

Entre os partidos oposicionistas, a avaliação é de que a prisão do tesoureiro petista reforça a tese que o PT, depois de ter amargado desgaste com as falcatruas do ex-tesoureiro Delúbio Soares, condenado no julgamento do mensalão, utilizou doações eleitorais por meio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para lavar dinheiro da propina do petrolão. Em sua sugestão de pacote anticorrupção, o Ministério Público defende a possibilidade de extinção de siglas políticas que corriqueiramente tenham se abastecido de dinheiro resultado de crime.
Para o líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio (RJ), a prisão de Vaccari comprova "que o mensalão foi o protótipo do petrolão, dois esquemas de corrupção criados para drenar dinheiro público para os cofres do PT com o objetivo de financiar o projeto partidário em detrimento dos interesses do país".
"O PT transformou a Justiça Eleitoral em lavanderia. É o segundo tesoureiro preso por envolvimento em corrupção", disse o líder do PSDB, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). "O PT não tem credencias de partido político, e sim de lavanderia. O partido é reincidente ao ter o tesoureiro Vaccari, sucessor de Delúbio Soares, flagrado e preso por arrecadar dinheiro desviado de empresas públicas para alimentar suas campanhas e encher os bolsos de seus dirigentes", completou o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO).
Para Caiado, a reincidência de irregularidades no alto escalão do PT já seria suficiente para que a sigla pudesse perder o registro eleitoral. "Diante desse cenário, tudo caminha para que o PT perca o registro de partido político. E, comprovado que a presidente Dilma foi beneficiada por esse esquema em suas campanhas, será mais que suficiente para ela perder o mandato por corrupção", afirmou.
"A prisão do tesoureiro do PT, mantido na função, não pode deixar de ser vista como a prisão preventiva do próprio PT", disse o presidente do Democratas José Agripino. "A máxima do dia é que mentira tem perna curta. Vaccari foi preso menos de uma semana depois de mentir descaradamente na CPI da Petrobras", declarou o líder do DEM na Câmara Mendonça Filho (DEM-PE). "A prisão do tesoureiro representa o PT na cadeia. Prisão preventiva é assunto sério e sinaliza que solto ele poderia atrapalhar as investigações e apagar os rastros da roubalheira comandada pelo PT não só na Petrobras, mas em outros setores do governo", afirmou o líder do PPS na Câmara Rubens Bueno. Do site da revista Veja - Leia mais

OPOSIÇÃO JÁ FALA EM CANCELAMENTO DO REGISTRO DO PARTIDO DE LULA. VACCARI É O SEGUNDO TESOUREIRO DO PT PRESO EM CINCO ANOS.

João Vaccari Neto é segundo tesoureiro do PT preso em cinco anos; o outro foi Delúbio Soares (Fotos: Diário do Poder)
O tesoureiro petista João Vaccari, acusado de articular o desvio de recursos públicos para abastecer o caixa 2, é o segundo ocupante desse cargo, na direção nacional do PT, a ser preso de corrupção. O outro, Delúbio Soares, cumpriu pena de prisão no presídio da Papuda, no Distrito Federal, por envolvimento no escândalo do mensalão, no primeiro governo Lula.
Partido que tem dois tesoureiros presos em cinco anos já motiva ação judicial para o cancelamento do seu registro, segundo o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO) afirmou nesta quarta-feira.
"O PT não tem credencias de partido político, e sim de lavanderia. O partido é reincidente ao ter o tesoureiro Vaccari, sucessor de Delúbio Soares, flagrado e preso por arrecadar dinheiro desviado de empresas públicas para alimentar suas campanhas e encher os bolsos de seus dirigentes", comentou o democrata.
Para Caiado, a reincidência de irregularidades no alto escalão do legenda já é o suficiente para colocar em suspeição a legitimidade do grupo partidário e da reeleição da presidente Dilma.
"Diante desse cenário, tudo caminha para que o PT perca o registro de partido político. E, comprovado que a presidente Dilma foi beneficiada por esse esquema em suas campanhas, será mais que suficiente para ela perder o mandato por corrupção", afirmou.
Para Ronaldo Caiado, a única oportunidade de João Vaccari se livrar de uma punição máxima entre os envolvidos na Operação Lava Jato seria em um acordo de delação premiada, onde ele poderia ajudar a Polícia Federal a chegar aos verdadeiros chefes e mentores do Petrolão.
"Vaccari tem a chance de falar a verdade e não arcar sozinho com as consequências. Pode denunciar os verdadeiros chefes desse esquema", sugeriu. Do site Diário do Poder