segunda-feira, setembro 29, 2014

HANGOUT DO INSTITUTO LIBERAL SABATINA LOBÃO PROMOVENDO UM ÓTIMO DEBATE! VALE A PENA VER ESTE VÍDEO!


Aí está o excelente hangout do Instituto Liberal que faz uma sabatina com o músico, escritor e colunista de Veja, o Lobão. Na pauta, evidentemente, a política e, sobretudo, a campanha eleitoral presidencial. O debate é apresentado e conduzido pelo economista e colunista de Veja, Rodrigo Constantino que também é o presidente do Instituto Liberal e conta, ainda com as participações de Paulo Figueiredo e Bernardo Santoro, ambos diretores desse Instituto.

Recomendo que vejam, pois ao longo do vídeo são discutidos temas que dificilmente são aventados pela grande mídia, como por exemplo a ligação umbilical do PT e de Marina Silva com o Foro de São Paulo, que é a organização comunista fundada por Lula e Fidel Castro que tem como objetivo transformar a América do Sul num grande galinheiro comunista.

Se eventualmente a eleição se reduzir a uma escolha entre Dilma e Marina Silva, valeria a pena o voto na candidata do PSB para impor uma derrota ao PT? As opiniões se dividem. O que fica evidente é que Marina Silva, apesar do grupo de economistas liberais que a acompanham, não convence. Até porque o PSB que abriga Marina Silva é um dos partidos fundadores do Foro de São Paulo e a própria Marina Silva tem ligações diretas com o esquerdismo camuflado de verde, que é o poderoso movimento ambientalista internacional, o principal ícone da ideologia 'politicamente correta' que embala o 'socialismo do século XXI'. 

Além do aspecto político-eleitoral este hangout também analisa o momento artístico brasileiro, já que Lobão é da área e conhece a fundo essa questão. Nesse quesito Lobão faz uma análise que evoca o âmbito da estética em sua ponte com a política.

Por tudo isso, este debate está muito interessante e esclarecedor sobre o momento político e social que vive o Brasil. Lobão avisa que vota no Aécio Neves, ainda que não deixe de fazer reparos ao partido que abriga o mineiro. Todavia, Lobão reconhece que o PSDB não se constitui, grosso modo, num viveiro de gafanhotos vermelhos. E isso é relevante para livrar o Brasil de seguir o caminho da Venezuela bolivariana. Neste caso, o voto em Aécio Neves representa na verdade não só o protesto ao PT, mas um grito afirmativo em favor da democracia e da liberdade.

ROUBALHEIRA DA PETROBRAS CHEGA AO DEBATE DOS PRESIDENCIÁVEIS, MAS OS NANICOS RIDÍCULOS ATRAPALHAM EM FAVOR DO PT.

Nanicos atrapalharam, como sempre, ao levantar teses idiotas e consumir o tempo do debate, favorecendo, evidentemente, à candidata da gandola vermelha.
Como não poderia deixar de ser as denúncias da roubalheira na Petrobras pautram o debate dos presidenciáveis levado ao ar pelo TV Record, deixando claro que o candidato Aécio Neves é disparado o mais preparado, o que fala melhor, de forma clara sem impregnar o seu discurso com a demagogia do pobrismo que caracteriza os discursos da Dilma e da Marina Silva.
Aécio Neves demonstrou que sabe o que diz, tem conhecimento dos grandes problemas brasileiros e identifica com precisão os gargalos que impedem que o Brasil se torne realmente um país desenvolvido.
Ficou também evidenciado que tanto o PT da Dilma e do Lula bem como a Marina Silva e seus ‘sonháticos’ não conseguem emitir um só discurso que não fale em pobre. Incrível que em pleno século XXI o discursos desse tarados ideológicos se repetem e, apesar de contribuir para que o Brasil seja essa pocilga de violência, de atraso brutal em todos os níveis, fatos primeiros da causa da pobreza, continuam dando o tom para qualquer debate.
Não fosse essa fixação na pobreza quem sabe o Brasil hoje já poderia se igualar, pelo menos, a países como a Austrália. Mas não, permanece estacionado e submetido ao jugo de um bando de psicopatas comunistas que chegam a ser ridículos, extemporâneos, bizarros. E isso tudo minimiza e conspurca qualquer debate e adia sine die as soluções que a parte mais consequente e objetiva da Nação demanda.
Outro fato que deve ser notado diz respeito à presença burlesca e idiotizante dos tais candidatos nanicos que roubam o tempo precioso para que possa se estabelecer um confronto sério entre Aécio Neves, Dilma e Marina Silva, que são os três candidatos que pontuam nas pesquisas.
Os nanicos neste caso cumprem a deletéria missão de furtar o tempo e atrapalhar o debate impedindo que problemas sérios como a roubalheira da Petrobras sejam realmente esmiuçados. E soa patético escutar gente como essa tal de Luciana Genro e o ecochato Eduardo Jorge. Todos esses candidatos nanicos sem distinção fazem parte do esquema do PT para impedir qualquer debate. Afinal, todos os nanicos são integrantes base aliada do PT no Congresso Nacional.
Em suma, qualquer pessoa, mesmo os aqueles áulicos mais radicais da Dilma e da Marina Silva, sabem que o único que se salva dentro dessa selva de gente esquisita é o Aécio Neves. 
Reproduzo logo abaixo um ligeiro resumo publicado no site da revista Veja que pinça aqueles que foram os principais momentos do debate. Eu disse “momentos”, porque os nanicos mais uma vez se encarregaram de detonar o tempo e transformar o que deveria ser coisa sério na condição de picadeiro de circo mambembe. 
DILMA FOI UM FIASCO
A uma semana das eleições, os três principais candidatos à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), protagonizaram o mais tenso debate na televisão até agora, promovido pela TV Record, com embates diretos e os escândalos de corrupção na Petrobras no centro das discussões. 
Visivelmente irritada, Dilma pediu direito de resposta quatro vezes e reclamou que estava impedida de rebater ataques laterais dos adversários. A emissora acatou somente uma queixa. A petista tentou usar seus trinta segundos extras dizer que demitiu o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que revelou em delação premiada um esquema de propina e desvios da estatal para políticos e partidos – inclusive a campanha de Dilma em 2010, conforme revelou a edição de VEJA desta semana. Dilma, entretanto, não conseguiu completar seu raciocínio porque estourou o tempo.
Numa estratégia arriscada, a própria presidente-candidata tentou virar o jogo e levar a Petrobras para o debate: ao questionar Aécio Neves, citou um discurso de 1997 no qual o então deputado disse que a privatização da estatal petroleira "estava no radar" do governo Fernando Henrique Cardoso. A pergunta resultou num tiro no pé. Na resposta, o tucano disparou: "Não vou privatizá-la, vou reestatizá-la, tirá-la das mãos do grupo que aí está. O coordenador de campanha do PT pediu recursos para sua campanha nesse esquema e não vejo em você uma reação de indignação".

A partir daí, a maioria dos candidatos aproveitou para manter o tema no centro do debate. Pastor Everaldo, do PSC, aproveitou para lembrar que a campanha de Dilma acionou a Justiça Eleitoral contra uma peça de propaganda do PSC que apontava a corrupção na Petrobras. E até o folclórico Levy Fidelix, do nanico PRTB, abriu mão de falar do seu aerotrem para alfinetar a presidente-candidata: "Já tivemos alguns escândalos recentes, como o mensalão e outros. Ao que tudo indica, o Youssef (o doleiro Alberto Youssef) vem com novos escândalos".

Dilma ainda tentou voltar ao tema da corrupção num embate direto com Aécio ao afirmar que "deu autonomia para a Polícia Federal prender Paulo Roberto Costa". Aécio devolveu, constrangendo a rival: "A senhora não tem que autorizar a Polícia Federal a prender ninguém porque isso é uma prerrogativa cosntitucional.
BRIGA DE COMADRES
Quando teve a oportunidade de escolher para quem dirigiria sua pergunta, Dilma escolheu inicialmente o confronto com Marina, sempre repetindo a linha de sua propaganda na televisão de desconstrução da imagem da rival – que esteve mais apagada do que nos debates anteriores. "A senhora mudou de partido quatro vezes em três anos, mudou de posição em questões como a CLT e a homofobia. Qual foi sua posição em relação a CPMF?", disse. Na TV, o PT tem pregado que a ex-senadora disse ter votado a favor o antigo imposto do cheque, mas os registros do Legislativo apontam o contrário. Marina evocou o senador petista Eduardo Suplicy, falou em "oposição raivosa" e tentou revidar: "Mudei de partido para não mudar de ideais e de princípios". E Dilma emendou: "Não entendo como a senhora pode esquecer que votou quatro vezes contra a criação da CPMF".
Aécio também mostrou suas armas contra Marina: além de manter o tema da corrupção na Petrobras orbitando o debate para desgastar Dilma, lembrou diversas vezes o passado de Marina no PT. Ao falar sobre o combate à inflação no governo Fernando Henrique Cardoso, cutucou: "Lutávamos contra o PT e na época a senhora era do PT".
O tucano também aproveitou uma dobradinha com Pastor Everaldo para lembrar as lamentáveis declarações de Dilma defendendo diálogo com terroristas durante a Assembleia da ONU. "Foi um dos mais tristes episódios da política externa brasileira, para perplexidade de diplomatas. A presidente usou a Assembleia da ONU para fazer autoelogios ao seu governo e também propôs diálogo com o Estado Islâmico, que está cortando a cabeça de pessoas." Do site da revista Veja

Sponholz: O curral eleitoral do PT! Gado marcado!


domingo, setembro 28, 2014

CERCA DE 28 MILHÕES DE ELEITORES DECIDIRÃO EM QUEM IRÃO VOTAR DURANTE ESTA SEMANA QUE ANTECEDE A ELEIÇÃO E PODE HAVER SURPRESA

Estrategistas de campanhas e especialistas em análises de cenários eleitorais trabalham com um número decisivo nesta reta final de campanha: 28 milhões de votos. Segundo analistas ouvidos pelo GLOBO, este número representa o índice histórico de eleitores que iniciam a última semana de campanha antes da eleição sem ter definido em quem votar para presidente. Eles constituem cerca de 20% dos 142.822.046 brasileiros aptos a ir às urnas no próximo domingo, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
A última rodada de pesquisas, na semana passada, estimou que entre 7 milhões (Ibope) e 8,5 milhões (Datafolha) de eleitores não respondem ou dizem não saber em quem vão votar para presidente. Só em São Paulo, o maior colégio eleitoral do país, são 3 milhões de indecisos, segundo o Ibope, ou 10% do eleitorado no estado.
Além do perfil clássico de indecisos, há ainda um grupo de eleitores chamados pelos analistas de infiéis — são aqueles que apontam um candidato de preferência, mas não declaram ter certeza absoluta da escolha e dizem que ainda podem mudar de ideia. A análise da pesquisa Ibope divulgada semana passada mostra que só essa fatia alcançava 51 milhões de eleitores. Ou seja, a dez dias da eleição, nada menos do que 58,2 milhões de pessoas, 40% do eleitorado que podem ser classificados como infiéis ou indecisos, não tinham uma decisão firme de voto. Se os padrões dos analistas políticos se repetirem, esse contingente cairá para cerca de 28 milhões esta semana. Mesmo assim, uma estatística considerável para mexer com o resultado final.
Os votos voláteis se espalham por todas as candidaturas. De acordo com o Ibope, 43% dos que declaravam voto em Marina Silva (PSB) admitiam que ainda poderiam trocar de candidato. Entre os eleitores de Aécio Neves (PSDB), 39% disseram ainda não estarem totalmente certos da opção. Já entre os que escolheram a presidente Dilma Rousseff (PT), o índice de incerteza é de 31%. Segundo analistas, a vantagem da candidata à reeleição tem explicação. Como é presidente e portanto, tem um alto grau de exposição, as críticas feitas pelos rivais durante a campanha são igualmente mais conhecidas e, assim, têm impacto menor do que as que recaem sobre os adversários.
Com a diminuição da distância entre Marina e Aécio na disputa pela vaga no segundo turno mostrada nas pesquisas recentes, aumenta a relevância dessa parcela do eleitorado na última semana antes do primeiro turno. A vantagem de Marina sobre o tucano, que girava em torno de 25 milhões no início do mês, é, hoje, de 14 milhões de votos, segundo o Ibope, e de 12,8 milhões, de acordo com o Datafolha.
A análise mais detalhada dos dados do Ibope só sobre o grupo de indecisos mostra que são mais numerosos entre os eleitores com escolaridade mais baixa (7% na parcela que completou a 4ª série do Ensino Fundamental) e com renda familiar mensal de até um salário mínimo (8%).
NORDESTINOS MAIS INDECISOS
Por região, o índice é mais elevado no Nordeste, onde 7% do eleitorado ainda não decidiram em quem votar. Entre os estados, São Paulo, onde 10% estão indecisos, tem um número elevado de votos que ainda podem ser conquistados: 3 milhões. Entre os que avaliaram o governo Dilma como “regular”, 8% estão indecisos, acima da média geral de 5%. A margem de erro da pesquisa Ibope é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
A sondagem divulgada pelo Datafolha na sexta-feira indica Dilma com 45% dos votos válidos (excluindo brancos e nulos), o que torna indecisos e infiéis também decisivos para a campanha petista, mesmo na liderança, em busca de uma definição no primeiro turno.
— Cerca de 20% do eleitorado devem decidir na última semana. Quando temos uma situação como a desta eleição, que pode ter fim mais apertado, uma pequena margem de votos faz muita diferença na reta final — analisa o professor Valeriano Ferreira Costa, do Centro de Estudos de Opinião Pública da Unicamp, que vê como ponto mais sensível a disputa pela segunda vaga no segundo turno.
O filósofo e cientista político José Augusto Guilhon Albuquerque, do Centro de Estudos Avançados da Unicamp, acredita que os 20% de eleitores que vão decidir o voto nesta semana podem provocar mudanças surpreendentes no resultado das eleições.
— Desde o início desta campanha, nunca esteve muito claro o resultado. A incerteza tem sido bem maior. O voto por oposição tem um peso muito grande. É um voto útil e, numa situação de incerteza, é difícil definir quem tem chance de ir ao segundo turno. As curvas de Aécio e Marina podem acelerar nesta reta final.
A diretora-executiva do Ibope Inteligência, Márcia Cavallari, diz que, ao contrário do senso comum, que atribui o voto do indeciso ao líder nas pesquisas, a observação mostra que o comportamento do eleitor é outro.
— Esse contingente de eleitores indecisos não se distribui igualmente entre todos os candidatos. Geralmente, quem está indeciso vota no segundo ou no terceiro colocado, ajudando a levar a decisão para o segundo turno — destaca.
Já o cientista político Paulo Baía, professor da UFRJ, afirma que os indecisos constituem um eleitorado “absolutamente descrente dos políticos”. Segundo ele, é um eleitor que não se sente representado e que vai às urnas movido pela rejeição.
— É um eleitorado refratário à política. Quando vota, é contra alguém, não a favor. Acho difícil que as campanhas se beneficiem de uma corrida em direção a esse eleitor, a não ser que estimulem um voto útil contra determinado rival. Mas acredito que as campanhas, nesta última semana, vão trabalhar para tentar diminuir os índices de rejeição dos candidatos — opina. Do site de O Globo

AÉCIO NEVES QUALIFICA DE EXTREMAMENTE GRAVES AS DENÚNCIAS DE CORRUPÇÃO TRAZIDAS PELA REPORTAGEM-BOMBA DE 'VEJA' E COBRA APROFUNDAMENTO DAS INVESTIGAÇÕES.

Aécio Neves durante entrevista com correspondentes de jornais do interior paulista em Osasco-SP, ao lado de Ronaldo Fenômeno (Foto: O Globo)
O candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves, defendeu hoje que as investigações sobre corrupção na Petrobras sejam aprofundadas. Ele avaliou como “extremamente graves” denúncias trazidas neste sábado por reportagem da revista “Veja”, sobre um suposto pedido de dinheiro do então coordenador da campanha de Dilma, em 2010, Antonio Palocci, ao diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Segundo a revista, o dinheiro financiaria a campanha do PT naquele ano. Costa teria revelado o pedido em depoimento à Justiça, durante o processo de delação premiada, sem dar certeza sobre se o dinheiro chegou à campanha de Dilma. À revista, Palocci negou o pedido. Para Aécio, as investigações precisam ser comprovadas.
— É assustador o que está acontecendo no Brasil. A cada semana, a cada dia, uma nova denúncia de corrupção. E são denúncias extremamente graves. É claro que precisam ser comprovadas. Mas quem diz isso não é a oposição. É o diretor da empresa na sua delação premiada — disse o candidato, depois de participar de uma entrevista com correspondentes de jornais do interior paulista em Osasco, na Grande São Paulo.
Aécio, que está em terceiro lugar nas pesquisas, disse estar comprometido com o “combate à corrupção” caso seja eleito.
— É preciso que essas investigações possam ir a fundo e quero aqui reafirmar, eu vou tirar a Petrobras das garras desse grupo político que se apoderou da nossa maior empresa pública para fazer negócios — disse.
Depois do encontro com jornalistas, Aécio fez caminhada no centro de Osasco, na companhia do candidato ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e do ex-jogador Ronaldo “Fenômeno”, amigo pessoal do tucano. Ronaldo reclamou de “casos de corrupção que não acabam nunca mais” e citou Aécio como “a melhor mudança para nosso país”, em sua visão.
— Quero deixar aqui meu apoio ao Aécio e dizer que de virada é mais gostoso —brincou o atacante, arrancando risadas de Aécio e da plateia.
Segundo levantamento divulgado na noite de sexta-feira pelo Datafolha, Dilma Rousseff tem 40% das intenções de voto, Marina Silva tem 27% e, Aécio, 18%. De acordo com a pesquisa, a diferença entre o tucano e Marina caiu quatro pontos em relação à última rodada de entrevistas, o que animou Aécio:
— Nossa diferença para a candidata que está em segundo lugar só diminui. Em uma semana cresci seis pontos em São Paulo, quatro pontos em Minas Gerais, em apenas uma semana. Tenho a menor rejeição entre os três principais candidatos — disse.
Na tarde deste sábado o tucano participa de encontro com cafeicultores em Varginha, no interior de Minas Gerais.
Em nota divulgada neste sábado, o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR) anunciou que pedirá a convocação do ex-ministro Antonio Palocci para que ele explique o uso de dinheiro do esquema de corrupção na Petrobras na campanha da presidente Dilma em 2010. Bueno é titular da CPI mista da Petrobras, mas o requerimento de convocação tem que ser aprovado pela maioria dos integrantes da comissão. A CPI só se reunirá após as eleições de 5 de outubro.
"Protocolaremos o requerimento de convocação na segunda-feira (29) e deixaremos que o presidente Vital do Rêgo (PMDB-PB) defina se convoca uma reunião extraordinária para a próxima semana mesmo ou se deixa para definir sobre a ida de Palocci no dia do depoimento de Meire Poza (contadora do doleiro Alberto Youssef), no dia 8 de outubro ", afirmou, na nota o líder do PPS. “Não podemos nos esquecer que a CPI do Cachoeira foi empastelada quando chegou à campanha de Dilma em 2010, às doações de empreiteiras e de empresas fantasmas. Temos que retomar essa história daquele ponto”, disse o líder.
PARA AÉCIO, PROGRAMAS 
DO PT SÃO MENTIROSOS.
Mais tarde, em Varginha (MG), Aécio Neves afirmou que os programas de TV de Dilma Rousseff são mentirosos.
- Ela tem uma propaganda maciça, com muito pouco compromisso com a verdade. Nós temos uma candidata à presidência que mente. Mentiu ao dizer que seus adversários acabariam com os programas sociais, o que não é verdade - atacou Aécio.
O tucano afirmou ainda que "o governo do PT fracassou, em seus doze anos de governo", e que Marina Silva se contradiz em suas palavras e se desmente o tempo todo. Acompanhado do candidato ao governo de Minas Gerais, Pimenta da Veiga (PSDB), Aécio disse que Minas Gerais não aguenta mais a corrupção e que tem convicção que seu aliado é a melhor opção para governar o Estado.
- Tenho certeza que Minas vai se levantar e dizer ao Brasil que chega de tanta corrupção. Não queremos ter aqui em Minas aquilo que o Brasil já não quer mais - disse Aécio.
O candidato se reuniu com cafeicultores da região e disse que o Brasil não tem uma política séria de médio e longo prazo para o café e afirmando que, se eleito, vai estimular o agricultor a produzir mais e ter melhores condições de vendas. Do site de O Globo

sábado, setembro 27, 2014

ANÁLISE DAS PESQUISAS EVIDENCIA POSSIBILIDADE DE VIRADA NAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DO BRASIL LEVANDO OPOSICIONISTA AÉCIO NEVES AO SEGUNDO TURNO


O vídeo acima postado agora à noite no Youtube apresenta uma análise das pesquisas eleitorais por Rafael Oliveira, um carioca bastante conhecido nas redes sociais como @rafasoli e entusiasta da candidatura de Aécio Neves.

Com base no clima da campanha presidencial e, particularmente, em cima dos índices de pesquisas de três institutos: Ibope, DataFolha e Sensus, há de fato indicações que mostram que o oposicionista Aécio Neves reagiu e recuperou os índices apresentados antes da entrada de Marina Silva no páreo em decorrência do acidente que causou a morte de Eduardo Campos criando um clima de comoção nacional.

Passado esse interregno emotivo a candidata Marina Silva começou a cair enquanto Aécio Neves realmente mostra uma recuperação segura demonstrando grande possibilidade de superar a candidata do PSB. 

A conjuntura política aliada às pesadas denúncias que vieram a público neste final de semana com novas revelações da delação do homem-bomba da Petrobras veiculadas pela revista Veja, Aécio Neves ressurge como o candidato que reúne as melhores condições de derrotar Dilma Rousseff e essa realidade está embutida nos números desses três institutos de pesquisa.

Nessa reta final da campanha Rafael Oliveira, de forma sucinta e objetiva, demonstra para os eleitores que, sem qualquer dúvida, Aécio Neves é o único candidato com reais condições de derrotar a candidatura do PT. E um detalhe importantíssimo deve ser levado em consideração: Aécio Neves nunca pretenceu ao PT e nunca integrou os governos petistas, ao contrário de Marina Silva, que além de ter sido petista histórica foi ministra de Lula e isso fragiliza sua candidatura, mormente num embate contra a máquina petista.

A análise contida neste vídeo indica a evidente possibilidade de virada em favor de Aécio Neves e as reais condições de vencer a candidata petista no segundo turno! 

O PODEROSO ARRECADADOR DO PT



Neste vídeo a jornalista Joice Hasselmann, do site da revista Veja, revela quem era o poderoso arrecadador do PT que garantiu a portentosa campanha do partido do mensalão em 2010 levando o poste de Lula à Presidência da República.

Resta saber se isso aí é tudo. 

REPORTAGEM-BOMBA DE 'VEJA' REVELA O NÚCLEO ATÔMICO DA DELAÇÃO DE 'PAULINHO' E COLOCA DILMA ROUSSEFF DENTRO DA ARENA DA ESCÂNDALOSA CORRUPÇÃO NA PETROBRAS

VEJA O VÍDEO: O PODEROSO ARRECADADOR DO PT!
Se alguém imaginava que a delação premiada do homem-bomba da Petrobras, Paulo Roberto da Costa, a quem Lula tratava carinhosamente de "Paulinho", se resumirá em delatar apenas corruptos periféricos, poderá estar enganado. Tanto é que a reportagem-bomba da revista Veja que vai às bancas neste sábado vaza uma parte do "núcleo atômico da delação". Como podem notar, a coisa começou pela periferia. Isto quer dizer que tem mais a ser desovado do dito "núcleo atômico".

"Paulinho" é velho de guerra. Sabe que se revelar apenas abobrinhas tem tudo para terminar seus dias na Papuda. É coisa grande e, como tal, poderá bater o recorde de Marcos Valério, o operador do mensalão que, perto dos gatunos de alto coturno da Petrobras acaba se transformando num ladrão de galinhas.

Segundo a reportagem-bomba de Veja, 'Paulinho', entre outras coisas, revelou que em 2010 a campanha de Dilma Rousseff pediu dinheiro ao esquema de corrupção da Petrobras.

Convenhamos, num país realmente democrático e sério isso já seria o suficiente para a impugnação da candidatura à reeleição da Dilma e, ato contínuo, a abertura de processo de impeachment. De quebra Lula, cujo capitão de seu time, José Dirceu, está lá na Papuda, teria de ser, obrigatoriamente intimado nesses dois processos.

Dia desses, o nordestino boçal no seu blog alojado no site do jornal O Globo, disse adeus a Aécio Neves, em função dessas pesquisas eleitorais, ao mesmo tempo em que afirmou só algo muito grande poderia mudar a tendência eleitoral em favor da Dilma.

Não basta para esse adulador de comunistas a gatunagem já comprovada e operada nas entranhas da Petrobras. Mas não é só ele. É a maioria dos jornalistas da grande imprensa nacional e os próprios donos de jornais e televisões acumpliciados com o esquema montado pelo Foro de São Paulo. A eles interessa que possam meter a colher no erário de alguma maneira. Estão se lixando para o destino da democracia brasileira e à própria liberdade de imprensa, a ponto da Folha de S. Paulo ter recentemente contratado como colunista semanal do jornal o pau mandado de Lula que promove a agitação e invasão propriedades privadas em São Paulo.

E o que estou afirmando é só uma ponta do iceberg. Só os cegos por conviência criminosa fingem não ver. O grosso dos votos contabilizados pela Dilma não são apenas aqueles concedidos pelos ditos bolsas família. É gente graúda da pesada e boa parte da classe média verdadeira todos animados com a possibilidade de também participar desse banquete de abutres. Sob o signo do PT, o que restava de dignidade foi para o esgoto. A maior conquista de Lula e seus sequazes foi corromper até a alma os brasileiros de A a C.

Corroborando tudo que afirmei até aqui está o fato inelutável: não fosse a revista Veja jamais saberíamos o que acontece nos porões do poder sob a égide do PT.

Neste sábado os grande veículos de comunicação correrão atrás do prejuízo sendo obrigados pautar repórteres com base no conteúdo da reportagem-bomba de Veja.

Ainda assim, vão tentar dourar a pílula e colocar entre aspas as afirmações de Veja, na tentativa de criar dúvida sobre aquilo que todos os brasileiros têm certeza absoluta, ou seja, que os cofres estatais foram tomados de assalto por um turbilhão de gafanhotos vermelhos. 

É por isso que o PT, se vencer a eleição, passará a executar o seu plano de "controle social da mídia" por meio dos 'sovietes' criados pelo dec. 8.243, eufemismo para a censura à imprensa e o início da perseguição e prisão de todos os dissidentes, como acontece na Venezuela! O efeito colateral dessa ação deletéria fará o Brasil retroagir no tempo, como ocorreu com Cuba sob o comunismo e agora está ocorrendo na Venezuela. O alvo é a revista Veja, ou seja, o Grupo Abril!, o último bastião de defesa do que resta das instituições democráticas do Brasil, dentre elas a própria liberdade de imprensa que, a rigor, é oxigênio da democracia e das liberdades civis.

A sorte é que esse jogo ainda não foi jogado. E tudo o que se sabe por enquanto não é tudo! Que o bem prevaleça. A reportagem-bomba que coloca Dilma Rousseff no olho do furacão da corrupção bilionária da Petrobras se desdobra em outra, que também é chamada de capa de Veja: uma legião dos ditos indecisos pode decidir o placar eleitoral no dia 5 de outubro. 

sexta-feira, setembro 26, 2014

HOMEM-BOMBA DA PETROBRAS GANHARÁ LIBERDADE JÁ NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

Paulo Roberto Costa: a um passo da liberdade.
O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa deve ser solto até segunda-feira (29) e usará tornozeleira eletrônica em prisão domiciliar no Rio de Janeiro, segundo a Folha apurou.
Antes de ser preso na Operação Lava Jato, em março, o ex-diretor morava no Rio de Janeiro com sua família. Ele está preso na superintendência do Paraná. A tornozeleira eletrônica foi cedida à PF nesta tarde pelo governo do Paraná.
Agentes da Polícia Federal farão a segurança da residência do ex-diretor. A soltura deve ocorrer ao longo do final de semana para evitar que ele seja transportado em avião de carreira. A operação eleitoral da PF já começou e as aeronaves do órgão ficam comprometidos com a movimentação de policiais entre os Estados.
A liberação de Paulo Roberto ocorre após o ex-diretor fechar um acordo dedelação premiada com a Justiça Federal do Paraná. Ele decidiu contar o que sabe para deixar a prisão.
O ex-diretor da Petrobras foi preso pela segunda vez no dia 11 de junho, após as autoridades da Suíça informarem a Justiça brasileira que ele tinha contas com US$ 23 milhões naquele país. Ele havia sido preso inicialmente em 20 de março sob acusação de ocultar provas, mas foi liberado 59 dias depois pordecisão do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal.
Ele fez o acordo no último dia 29 após saber que a PF poderia prender suas filhas. A Justiça havia autorizado operações de busca e apreensão em 13 empresas no Rio de Janeiro que pertencem a uma filha, um genro e um amigo de Costa. Leia MAIS

Sponholz: A burka vermelha!


EM VÍDEO QUE BOMBA NAS REDES SOCIAIS ESTUDANTES DA UNB DETONAM LUCIANA GENRO E SEU ATAQUE DE IDIOTICE AGUDA NO PROGRAMA DE DANILO GENTILI


Recentemente Luciana Genro, do PSOL, concedeu uma entrevista no programa The Noite, de Danilo Gentili, quando abriu aquela bocarra para expelir todo o tipo asneiras contidas no arsenal teórico do comunismo. E ainda teve a petulância de repreender Gentili, recomendando que fosse estudar o socialismo.

A picaresca entrevista desse ícone da idiotia esquerdista botocuda caiu nas redes sociais e até hoje continua sendo motivo de gozação. 

Entretanto, o vídeo acima, realizado por estudantes da Universidade de Brasília, está impagável. Os jovens estudantes detonam a bizarra militante comunista. 

Felizmente há jovens estudantes inteligentes no Brasil, o que não deixa de ser um alento, haja vista que são os jovens e adolescentes os alvos principais desses comunistas criminosos infiltrados nas universidades e que utilizam a cátedra para promover a doutrinação comunista.

Aliás, o PSOL, mantém permanentes madrassas onde forma militantes, quando os jovens são submetidos à lavagem cerebral. A Luciana Genro é um exemplo. Transformaram essa mulher numa completa idiota.

Vale a pena ver este vídeo onde os estudantes com educação, elegância e sobretudo inteligência e argumentos irrefutáveis detonam Luciana Genro e demonstram o grau de ignorância dessa mulher. Chega a dar vergonha alheia face ao turbilhão de bobagens que Luciana Genro destilou no programa de Danilo Gentili.

Valeu galera da UNB!

PAULO ROBERTO COSTA DIZ QUE RECEBEU U$ 23 MILHÕES DE DÓLARES DE EMPREITEIRA NO EXTERIOR PARA FACILITAR CONTRATOS COM PETROBRAS E AINDA MAIS US$ 1,5 MILHÃO DE DÓLARES PARA "NÃO ATRAPALHAR" COMPRA DE PASADENA

Paulo Roberto Costa nos "bons tempos" concede um autógrafo nas costas da "Presidenta" Dilma, durante ato oficial da Petrobras
Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, disse ter recebido US$ 23 milhões (R$ 55,2 milhões) de uma empreiteira para facilitar contratos dessa empresa com a estatal. O ex-diretor deu a informação num dos cem depoimentos que já prestou depois de assinar o acordo de delação premiada, revelou ao GLOBO um dos investigadores da Operação Lava-Jato. O ex-diretor também confessou ter recebido US$ 1,5 milhão (R$ 3,6 milhões) para “não atrapalhar” a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, transação que resultou em prejuízos para a Petrobras.
Os US$ 23 milhões estão bloqueados em 12 contas bancárias na Suíça e deverão ser repatriados ao Brasil ao longo dos processos abertos a partir de descobertas da Lava-Jato, investigação sobre supostas fraudes dos grupos de Costa e do doleiro Alberto Youssef, entre outros acusados. Costa contou ainda que a comissão de US$ 1,5 milhão que recebeu por conta da refinaria Pasadena foi paga por um intermediário de um dos grupos envolvidos no negócio. O nome de quem pagou a propina está sendo mantido em sigilo.
STF PODE ABRIR INQUÉRITOS
A série de depoimentos de Costa começou em 29 de agosto e terminou semana passada. Ao todo, o ex-diretor prestou cem depoimentos a procuradores da força-tarefa que estão à frente das investigações. Depois de fazer um amplo painel sobre a corrupção na Petrobras, Costa foi chamado para explicar detalhes de cada uma das delações que fez em troca de redução de pena. Os depoimentos foram criptografados e enviados ao ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal. Na próxima semana, o ministro deverá decidir se abre ou não inquérito contra os parlamentares acusados pelo ex-diretor.

Costa denunciou a empreiteira ao explicar o papel que teve na intermediação de contratos dela com a Petrobras. Ele apontou os contratos onde teriam ocorrido as irregularidades e indicou como recebeu os US$ 23 milhões.
Costa revelou um detalhe que deixou os procuradores surpresos. Ele disse que recebeu os US$ 23 milhões sem a habitual ajuda do doleiro Alberto Youssef. Teria sido uma “comissão por fora”, sem que o doleiro soubesse. Ele e Youssef operavam juntos. Costa fazia a intermediação de contratos e Youssef se encarregava da movimentação do dinheiro. Mas alguns negócios de Costa eram tocados por duas filhas e dois genros.
Antes mesmo da prisão de Costa, os investigadores já tinham recebido informações sobre pagamentos da empreiteira ao ex-diretor na estatal.
Costa decidiu fazer acordo de delação premiada no final de agosto, depois que PF e Ministério Público fecharam o cerco sobre os negócios das filhas e dos genros. Ele teve receio de ver as filhas presas e resolveu abrir o jogo. A confirmação das denúncias poderá livrar Costa de futuras penas de prisão. Do site do jornal O Globo

VELHO, DOENTE E CORRENDO O RISCO DE PERDER A VOZ, LULA FAZ APOLOGIA DO ROUBO EM COMÍCIO. SERIA ALZHEIMER?

No melhor estilo socialista neanderthal, a propaganda eleitoral do PT na televisão elegeu os banqueiros como vilões nesta campanha. O ex-presidente Lula levou uma versão desse discurso para um palanque na cidade de Santo André, no ABC paulista, na noite desta quarta-feira. No tom jocoso que às vezes o aproxima do deputado-palhaço Tiririca e o afasta do mínimo de compostura que deveria sempre pautar o comportamento de um ex-presidente da República, Lula deu a entender que roubar um banqueiro não é nada de tão condenável. 

Disse Lula: "A coisa está tão grave que é pobre roubando pobre. Eu, antigamente, via: ‘Bandido roubou um banco’. Ficava preocupado, mas falava: 'Roubar um banqueiro… O banqueiro tem tanto que um pouquinho não faz falta. Afinal de contas, as pessoas falavam: ‘Quem rouba mesmo é banqueiro, que ganha às custas do povo. Eu ficava preocupado... Era chato, mas era… Sabe, alguém roubando rico”.

A fala do petista só não foi a pior da semana (que ainda não acabou) porque o discurso da presidente-candidata Dilma Rousseff na ONU, equiparando os bárbaros decapitadores do Estado Islâmico (EI) às forças ocidentais que os combatem, ultrapassa todos os limites da infelicidade. Do site da revista Veja

OS POSTES

Por Maria Lucia Victor Barbosa (*)
No meu primeiro livro, O Voto da Pobreza e a Pobreza do Voto – A Ética da Malandragem, editado por Jorge Zahar, escrevi:
“É necessário que o candidato em seus discursos aborde problemas cotidianos e use uma retórica exaltada, eivada de ideologia cabocla de justiça social, pois é necessário ressaltar a diferença entre ricos e pobres e clamar por vingança contra os que no momento ou no passado não conseguiram satisfazer as aspirações populares”.
Focando na figura de Lula da Silva compreende-se que foi graças a tais artimanhas que ele, na quarta tentativa, chegou lá. De um lado agradou a maioria composta pela pobreza. De outro, convenceu aos que depois chamou de “zelite”, que não ia mexer no mercado ou desagradar banqueiros, empreiteiros, grandes empresários. Aquela linguagem revolucionária de esquerda era só de brincadeirinha.
No poder Lula deu migalhas aos pobres e agiu como “coronel”, daqueles do “voto de cabresto”. Aos ricos proporcionou lucros inimagináveis e eles, agradecidos, sustentaram suas campanhas e a de seus companheiros. A classe média, onde entre outras categorias se inserem artistas, intelectuais, universitários, profissionais liberais que costumam ostentar ser de esquerda, Lula provocou aquele embasbacar pueril que faz a alegria dos demagogos.
Lula fez da presidência da República seu palanque de politicagem no qual achincalhou a língua pátria e se deliciou ao utilizar pesada retórica onde não faltaram palavrões, impropriedades e estultices. Louvado pela obra de ficção descrita pelo marketing como o Brasil transformado em paraíso reinou absoluto sem nenhuma oposição, quer partidária, quer institucional.
O saldo do seu longo período é a herança maldita que se sente no caos econômico, na corrupção presente em escândalos que permearam seus oito anos de governo, mais os quase quatro de Rousseff em que ele foi o presidente de fato.
O último e mais estrepitoso escândalo está sendo escancarado pelo detento, Paulo Roberto da Costa, ex-diretor da Petrobrás, o companheiro Paulinho. Na tentativa de diminuir sua pena, Paulo Roberto está mostrando que se roubou não em milhões, mas em bilhões e dá nome aos poderosos que se locupletaram, sobretudo, aos companheiros do PT e aos amigões do PMDB e do PP. Lula e Rousseff durante anos não viram nada, não souberam de nada e se alguma coisa houve a culpa foi dos Estados Unidos, de Fernando Henrique e da crise internacional.
Mantém ainda Lula o mesmo poder? Seu primeiro poste, a criatura Rousseff, é um retumbante fracasso e tem conduzido o Brasil à bancarrota. Seu segundo poste, Fernando Haddad, eleito por Lula prefeito de São Paulo, tem uma das piores avaliações entre os prefeitos de todo o país. O terceiro poste, o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, amarga o último lugar na campanha ao governo de São Paulo.
  O teste das urnas, que inclui outros candidatos do PT Brasil afora mostrará se Lula continua poderoso ou não. Para alegria dos petistas pesquisas do momento estão dando esperança ao PT, que estava sentindo medo. O chamado escândalo do pretrolão que fez empalidecer o mensalão não sensibilizou o povo. Inflação acelerada junto com inadimplência, indústria afundando, piora no emprego, o Brasil entrando em recessão, nada disto é notado pelos eleitores que continuam otimistas.
Se os brasileiros não ligam mais para seu bolso, que como dizem é a parte mais sensível do corpo, seria difícil imaginar a maioria assistindo ou entendendo a recente entrevista concedida por Rousseff ao Bom Dia Brasil. Naquela ocasião a governanta esbanjou prepotência, cinismo e total ignorância de dados do seu próprio governo e do panorama internacional.
A última da governanta se deu na ONU, dia 23, antes de seu discurso de autoelogio feito na abertura do evento. Não se sabe se por inspiração de Lula da Silva, que sempre defendeu a pior escória mundial ou se por instrução do chanceler de fato, Marco Aurélio Garcia, Rousseff se posicionou contra os Estados Unidos e aliados, e a favor do Estado Islâmico. Uma aberração diplomática capaz de matar de vergonha os brasileiros que têm informações e senso das medidas.
De fato, com bem disse uma autoridade israelense, somos um anão diplomático. Afinal, apoiamos terroristas fanáticos cujas ações contra os que consideram infiéis são a degola, a crucificação, o enforcamento, o estrupo, a flagelação e o apedrejamento de mulheres. A governanta certamente ignora que pelas leis do IE é uma infiel e, que por isso, merece perder literalmente a cabeça ou no mínimo ser obrigada a usar burca.
Diante de tantos descalabros e ao ver o poste Rousseff subindo nas pesquisas, a pergunta a se fazer não é mais que país é esse, mas que povo é esse, que não se envergonha da incompetência e da corrupção internas e da repulsiva política externa. A resposta estará contida no teste de poder de Lula quando as urnas mostrarem os resultados.
(*) Maria Lucia é socióloga. www.maluvibar.blogspot.com.br

Sponholz: O poste e a melancia.


quinta-feira, setembro 25, 2014

COLUNISTA DA FOLHA DE S. PAULO PROMOVE AGITAÇÃO E INVASÃO DE PROPRIEDADES PRIVADAS NA CAPITAL PAULISTA

O petista Guilherme Boulos, colunista da Folha de S. Paulo em ação, promovendo agitação e invasão de propriedades privadas.
O texto que segue após este prólogo é do jornalista Reinado Azevedo, dos poucos jornalistas inteligentes que restam no Brasil. 
Já a foto e o título acima são aqui deste blog. Esse indivíduo há muito tempo identificado pelo nome de Guilherme Boulos, foi recentemente contratado pela Folha de S. Paulo como colunista semanal desse jornal. Num país verdadeiramente decente Boulos estaria na cadeia por incentivar a invasão de propriedades privadas. No Brasil ganha o status de colunista num dos maiores jornais do Brasil.
Isso demonstra, sem qualquer dúvida, que algo vai mal no Brasil, muito mal. Entretanto, o mais curioso de tudo isso é que, segundo as pesquisas eleitorais, os responsáveis pela existência dessa rede de psicopatas liderada por Lula, Dilma e seus sequazes, estão sendo apoiados pelos eleitores.
Já o Otávio Frias Filho, jornalista dono da Folha, pensa que acoitando psicopatas seu jornal escapará da degola depois que esses comunistas tiverem o controle total e absoluto do Estado brasileiro. Quem viver, verá!
Leiam o que noticia Reinaldo Azevedo, sobre mais um ataque dos psicopatas em São Paulo, liderados por um colunista da Folha de S. Paulo. Parece apenas uma piada, mas lamentavelmente isto é a realidade:
Independentemente do resultado nas urnas no dia 26 de outubro, pouco importa quem vai se sagrar o vencedor na disputa presidencial, um modelo de fazer política está chegando ao fim. Mesmo que ele ganhe uma sobrevida de quatro anos, assistiremos a um período de esgotamento. A que me refiro? Duas ocorrências nesta quinta evidenciam a que ponto de cinismo pode chegar a turma que confunde partido e movimento social. E tudo, na verdade, porque se disputa mesmo é o poder.
O MTST, o movimento dos autointitulados trabalhadores sem-teto — curiosamente, a turma não trabalha — decidiu, ora vejam, promover um protesto em frente à Sabesp, em parceria com o movimento Periferia Ativa. Não se descartava nem mesmo a invasão da sede da empresa. Por quê? Para acusar um racionamento de água que não existe.
Todos sabem que o MTST é mero esbirro, mera escora, do PT — um esbirro do lado esquerdo, mas esbirro ainda assim. Guilherme Boulos, o chefão do grupo, é só uma das vozes do partido entre os chamados “movimentos sociais”. É o que se chama “um quadro”. Está sendo preparado e treinado para tarefas maiores. Boulos pretende ser, em suma, um Lula com curso universitário. Vamos ver quanto tempo vai demorar para que se candidate a um cargo público. É questão de tempo. Felizmente, São Paulo dá mostras de estar com o saco cheio de oportunismos dessa espécie.
Também nesta quinta, acreditem, um grupelho de 150 professores ligados à Apeoesp, o sindicato da rede estadual de ensino, decidiu fazer uma passeata e uma assembleia para, atenção!, discutir o aumento de salário do… ano que vem. Sabem quando é o dissídio da categoria? Em março! Faltam ainda cinco meses, quase meio ano. Ah, sim: eles  protestam também contra a crise hídrica e o desequilíbrio climático global — seja lá o que isso signifique. O ato, para não variar, começou na Avenida Paulista, e os gatos-pingados seguiram em passeata até a Assembleia Legislativa.
Em março de 2010, esse mesmo sindicato, liderado por uma petista conhecida por “Bebel” — tenham sempre cuidado com mulheres e homens maduros com apelido de criança —, resolveu promover uma greve de professores em São Paulo. Já estava claro que José Serra, então governador, seria o candidato do PSDB à Presidência, e que Dilma Rousseff disputaria pelo PT. Em cima de um caminhão de som, a tal Bebel prometeu: “Vamos quebrar a espinha de Serra”. Terminado o ato, ela seguiu para um encontro com Dilma.
Foi a primeira greve na história em que um sindicato pediu a extinção de benefícios. O governo Serra, então, havia instituído:
– plano de carreira — Bebel era contra;
– promoção salarial por mérito — Bebel era contra;
– bônus salarial — Bebel era contra;
– escola para formação de professores — Bebel era contra;
– material didático para a orientação das aulas — Bebel era contra.
A greve terminou no dia 8 de abril daquele 2010, um mês depois de começar. Nunca atingiu mais de 1% da categoria. O governo não cedeu a nenhuma das reivindicações boçais, e a tal Bebel teve de fugir dos ovos na assembleia que decidiu o fim da paralisação que não houve. Ah, sim: o TSE multou a Apeoesp por propaganda eleitoral indevida.
A mesma propaganda a que o grupelho se dedica agora, em parceria com o MTST. Isso tudo é desespero eleitoral. O candidato do sr. Boulos e da sra. Bebel tem, segundo o Ibope, apenas 8% das intenções de voto. Esses dois gênios da raça não se conformam que a população de São Paulo não concorde com eles. Para encerrar: em Guarulhos, senhor Boulos, há, de fato, racionamento de água. Lá, a Sabesp não opera. O sistema é monopólio da prefeitura — uma prefeitura que está com o PT há 14 anos. Boulos, no entanto, este gigante moral, não marca protesto nenhum na cidade administrada por seus companheiros.
Eu sinto vergonha até de escrever sobre essa gente. A vergonha que eles não sentem de ser o que são e de fazer o que fazem. Do blog do Reinaldo Azevedo

AÉCIO NEVES DENUNCIA: DILMA QUER NEGOCIAR COM TERRORISTAS.

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, afirmou nesta quinta-feira ter ficado “estarrecido” diante das declarações da presidente Dilma Rousseff, que “lamentou” a ação dos Estados Unidos para combater o avanço dos terroristas do Estado Islâmico na Síria. Segundo Aécio, Dilma não apenas utilizou seu discurso na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas na quarta-feira, em Nova York, para se comportar como candidata, como “propôs que se negocie com grupos extremistas que decapitam pessoas". As declarações foram dadas durante visita do tucano a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.
“Fiquei estarrecido com as declarações da presidente da República na ONU. Ela utilizou um espaço do Estado brasileiro para fazer campanha política. A história se lembrará do discurso da presidente, quando ela esqueceu onde estava e para quem falava, para fazer propaganda para o horário eleitoral”, afirmou Aécio. O tucano criticou em especial a manifestação de Dilma em relação aos ataques ao EI. “A presidente propõe negociar com um grupo que está decapitando pessoas", disse.
Na quinta-feira, depois de “lamentar” o bombardeio dos Estados Unidos contra terroristas na Síria, a presidente reafirmou sua posição diante dos chefes de Estado reunidos na ONU, ao condenar o “uso da força” como forma de resolver conflitos mundiais. Dilma colocou no mesmo cesto Iraque, Síria, Líbia, Ucrânia e Palestina, ignorando o fato de que, nos dois primeiros, um dos grupos terroristas mais selvagens em atividade está avançando e espalhando o horror de forma brutal, por meio de decapitações, crucificações e execuções sumárias. 
PÉSSIMO EXEMPLO
"Essa não é a política externa digna do Brasil e consagrada pelo país ao longo de tempos. Em relação também à política externa, infelizmente a presidente da Republica deixa péssimos exemplos para seu sucessor", afirmou Aécio.
O tucano, que visitou Porto Alegre ao lado da candidata ao governo do Estado Ana Amélia Lemos, do PP, corre contra o tempo para tentar angariar votos e chegar ao segundo turno. Aliada de Aécio no Rio Grande do Sul, Ana Amélia está na dianteira das pesquisas de intenção de voto. No último levantamento realizado pelo instituto Datafolha, a senadora aparece dez pontos percentuais à frente do atual governador, Tarso Genro (PT). Apoiado em Ana Amélia, Aécio percorrerá ainda nesta quinta-feira mais duas cidades no Estado, Santa Maria e Caxias do Sul. "Continuo até o último dia andando pelo Brasil com a mesma pregação que tive lá atrás", disse ele. "Me preparei ao longo de toda minha vida para governar o Brasil", afirmou. "A única candidatura que cresce constantemente de dez dias para cá é a nossa e vai continuar a crescer", destacou, comparando sua performance com a da concorrente Marina Silva, do PSB.
O tucano criticou, novamente, a gestão da Petrobras, a qual classificou como "trágica e perversa", e citou o acordo de delação premiada assinado pelo doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, da Policia Federal. "O meu sentimento é que a coisa é muito mais grave do que está sendo noticiado. Tem muita gente que treme por aí só de saber da delação (do Youssef). Essa coisa funcionou de forma orgânica dentro da Petrobras durante todo o governo Dilma. Será que dá para dizer que não sabia?", questionou Aécio. "Do ponto de vista política, a presidente tem responsabilidade, sim", acrescentou. Do site da revista Veja

terça-feira, setembro 23, 2014

O FORO DE SÃO PAULO E O FUTURO DA DEMOCRACIA NO BRASIL: AÉCIO NEVES É O ÚNICO CANDIDATO QUE ESTÁ FORA DESSA DIABÓLICA ARTICULAÇÃO COMUNISTA.

Os eleitores brasileiros, sobretudo, os mais instruídos e que se consideram bem informados, não podem ignorar a verdade dos fatos se é que desejam viver num país livre e democrático. Nesta eleição presidencial de 5 de outubro não se estará escolhendo um presidente da República apenas, mas optando pelo destino institucional e político do Brasil. A escolha do candidato não se restringe, portanto, no que se refere ao fato de que reúne ou não qualidades para o cargo. A coisa vai muito além deste fato que é importante sim, mas o fulcro da escolha concentra-se no plano ideológico.
Este texto, portanto, tem o objetivo de esclarecer os brasileiros sobre o que está em jogo nesta eleição. Se observarmos no leque de opções partidárias, veremos que a esmagadora maioria é esquerdista. Dos três candidatos apontados pelas pesquisas, Dilma , Marina e Aécio Neves, apenas Aécio Neves, é de um partido que não faz parte do Foro de São Paulo.
O leitor menos avisado poderá indagar imediatamente: mas o que é o Foro de São Paulo? É justamente esta indagação o mote deste post. O Foro de São Paulo é uma organização comunista fundada por Lula e Fidel Castro em 1990, em São Paulo e reúne todos os partidos e organizações esquerdistas da América Latina, incluindo as FARC, as famigeradas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, um dos mais antigos grupos terroristas do planeta.
Assim, segundo mostra o site do próprio Foro de São Paulo, o PT da Dilma não só é integrante do Foro como também um de seus fundadores ao lado de Fidel Castro. o PSB da Marina Silva também é participante do Foro e frequenta seus congressos e reuniões.
Escapa, portanto, dessa teia comunista de alto radicalismo, apenas o candidato Aécio Neves.
Lula presidiu a reunião do Foro de São Paulo ocorrida na capital paulista no período de 30 de julho a 4 de agosto de 2013.
Feitas estas considerações e esclarecimentos necessários, vou transcrever abaixo um resumo sobre a história do Foro de São Paulo que foi publicado há algum tempo por um blog conservador que acabou sendo fechado.
Faço também a postagem abaixo de vídeo que mostra o ato de fundação do Foro de São Paulo, sob a chefia de Lula tendo como assessor Marco Aurélio Garcia, que é o principal assessor do governo da Dilma na área internacional. Vale observar que o site do Foro de São Paulo voltou ao ar e pode ser acessado aqui.
Portanto, não há qualquer justificativa para ignorar esta lamentável realidade. Conceder o voto para a Dilma ou Marina Silva é a mesma coisa que subscrever o programa do Foro de São Paulo, cujo objetivo é transformar todo o continente latino-americano num apêndice de Cuba.
Venezuela, Bolívia, Equador e agora mesmo a Argentina, são os países em que as diretrizes do Foro de São Paulo já foram aplicadas em boa medida. Mas o objetivo é a comunização total do continente, que atende pelo eufemismo de 'socialismo do século XXI".
Os partidos brasileiros participantes do Foro de São Paulo, são o PT, o PCdoB, o PCB, PPL, PSB, PPS e PDT. O texto que segue após o vídeo é um relato sucinto da história de criação do Foro de São Paulo e seus objetivos. 
Impressionante é que a maioria da grande imprensa brasileira e redes de televisão transformaram o Foro de São Paulo num tabu. Ninguém toca nesse assunto, nem mesmo a oposição ao PT, o que contribui para manter a maioria dos cidadãos brasileiros numa ignorância total em relação ao futuro da liberdade e da democracia no Brasil.


JUNHO DE 1988 
Em junho de 1988 foi realizada a 19ª Conferência do Partido Comunista da União Soviética. Naquela oportunidade debateram-se os caminhos da “PERESTROIKA” de Mikhail Gorbachev, e já se vislumbrava a eminente queda do Muro de Berlim, o que de fato aconteceu em 9/11/1989.
Com a queda do Muro e com o desmoronamento planejado do comunismo pela União Soviética, Fidel Castro e as esquerdas latino-americanas perderam seu tutor financeiro e ideológico, a Rússia. Era preciso, portanto, articular a criação de um organismo que pudesse manter viva a “chama ideológica marxista-leninista”, bem como orientar e coordenar as suas ações comunistas no Continente.
Antes, porém, em janeiro de 1989, em Havana, por ocasião da reunião de cúpula do Partido Comunista de Cuba e o PT do Brasil foi estabelecido que, se Lula não ganhasse as eleições em novembro de 1989, deveria ser formada uma organização para coordenar as ações de toda a esquerda continental e que a liderança e organização do processo caberia a Luiz Inácio “Lula” da Silva. Portanto, Fidel já sabia dos planos arquitetados na 19ª Conferência do Partido Comunista e preparava terreno no Continente.
Aproveitando o poder parlamentar que tinha o Partido dos Trabalhadores (PT) no Brasil, Fidel Castro, com o apoio de Luis Inácio “Lula” da Silva, convocou os principais grupos terroristas revolucionários da América Latina para uma reunião na cidade de São Paulo. Acudiram ao chamado de Fidel e Lula, além do próprio PT e do Partido Comunista de Cuba, o Exército de Libertação Nacional (ELN), as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) da Nicarágua, a União Revolucionária Nacional da Guatemala (URNG), a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) de El Salvador, e o Partido da Revolução Democrática (PRD) do México.
Este é o eleitor brasileiro emulando a avestruz. E essa nefasta ação do eleitor avestruz não se restringe aos estratos menos informados da população. Haja vista que a maioria dos ricos e boa parte da classe média verdadeira, como mostram as pesquisas, concedem o seu apoio à Dilma ou Marina Silva, as duas candidatas do Foro de São Paulo.
O PRIMEIRO ENCONTRO
O primeiro Encontro aconteceu no Hotel Danúbio na cidade de São Paulo, no período de 1 a 4 de julho de 1990. O nome “FORO DE SÃO PAULO” foi adotado na segunda reunião realizada na cidade do México, no período de 12 a 15 de junho de 1991, quando reuniu 68 organizações de 22 países. E assim nasceu o FORO DE SÃO PAULO. Uma coalizão de terroristas revolucionários, partidos comunistas, partidos de esquerda, enfim, a escória do Continente latino-americano, Caribe e América Central.
Para dirigi-lo centralizadamente, foi criado um Estado Maior civil constituído por Fidel Castro, Lula, Tomás Borge e Frei Betto, entre outros, e um Estado Maior militar, comandado também pelo próprio Fidel Castro, além do líder sandinista Daniel Ortega e o argentino Enrique Gorriarán Merlo.
Em 1991, foram elaborados os estatutos do Foro e escolhida uma direção que ficou composta pelo Partido Comunista Cubano (Cuba), Partido da Revolução Democrática (México), Partido dos Trabalhadores (Brasil), Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (El Salvador), Movimento Lavalas (Haiti), Movimento Bolívia Livre e os 6 partidos integrantes da Esquerda Unida (Peru) e da Frente Ampla (Uruguai, uma frente constituída por diversos partidos e organizações, dentro da qual o Movimento Tupamaros é hegemônico). Em 1992, a URNG – União Revolucionária Nacional Guatemalteca, que agrupa várias organizações voltadas para a luta armada, foi admitida como membro dessa direção.
A partir do II Encontro, realizado no México no período de 12 a 15 de junho de 1991, o FORO DE SÃO PAULO passou a ter CARÁTER CONSULTIVO e DELIBERATIVO dos Encontros. Isso significa que as decisões aprovadas em plenárias e constantes das Declarações finais passaram, a partir de então, a ser consideradas DELIBERATIVAS, isto é, DECISÓRIAS EM TERMOS DE ACEITAÇÃO e CUMPRIMENTO pelos membros do Foro, subordinando-os, portanto, aos ditames dos Encontros na ação a ser desenvolvida em nível internacional e nos respectivos países. Tais deliberações obedecem a uma política internacionalista, com vistas à implantação do socialismo no continente, fato que transfere para um segundo plano os interesses nacionais e fere os princípios da soberania e autodeterminação. A Lei Orgânica dos Partidos Políticos (LOPP) e a Constituição da República definem que “A ação do partido tem caráter nacional e é exercida de acordo com o seu estatuto e programa, sem subordinação a entidades ou governos estrangeiros” (artigo 17 da Constituição e item II, artigo 5º da LOPP). Isso no conceito dos dirigentes dos países membros do FORO DE SÃO PAULO é letra morta.
A DESCOBERTA DO FORO
O FORO DE SÃO PAULO foi descoberto por José Carlos Graça Wagner, um advogado paulista e que o denunciou publicamente em 1º de setembro de 1997, em painel realizado na Escola Superior de Guerra, que versava sobre o tema “Movimentos Sociais e Contestação Sócio-Política – a Questão Fundiária no Brasil”. Com a sua morte, passou a acompanhar e denunciar a formação “eixo do mal” pelo Foro de São Paulo, o jornalista, filósofo e ensaísta, Olavo de Carvalho, o que lhe custou o emprego no jornal “O Globo” e muitos outros periódicos nos quais era articulista.
Lula presidiu a reunião de fundação do Foro de São Paulo em 1990 e até hoje é seu chefe máximo, depois que o ditador Fidel Castro se transformou num morto-vivo pela velhice e a doença. 
O FORO DE SÃO PAULO permaneceu no mais absoluto anonimato, eficientemente protegido pela mídia brasileira, toda ela engajada no esquerdismo marxista. O público brasileiro, mais atento, somente tomou conhecimento e muito discretamente, quase que imperceptivelmente, por ocasião do 7º Encontro realizado na cidade de Porto Alegre em julho de 1997. Foi apenas uma discreta aparição que a imprensa brasileira procurou ocultar por meio da suspensão de todo e qualquer destaque que pudesse levantar suspeitas do que se tratava esse encontro, apesar de presentes 158 delegados, 58 partidos procedentes de 20 países, 36 organizações fraternas e cerca de 400 representantes de partidos e organizações de esquerda do continente.
No dia 2 de julho de 2005, por ocasião do XII Encontro ocorrido em São Paulo, se comemorou os 15 anos de fundação da organização, com discurso laudatório do presidente do Brasil cujo trecho selecionado é reproduzido a seguir:
“Foi assim que nós pudemos atuar junto a outros países com os nossos companheiros do movimento social, dos partidos daqueles países, do movimento sindical, sempre utilizando a relação construída no Foro de São Paulo para que pudéssemos conversar sem que parecesse e sem que as pessoas entendessem qualquer interferência política. Foi assim que surgiu a nossa convicção de que era preciso fazer com que a integração da América Latina deixasse de ser um discurso feito por todos aqueles que, em algum momento, se candidataram a alguma coisa, para se tornar uma política concreta e real de ação dos governantes. Foi assim que nós assistimos a evolução política no nosso continente.”
“E é por isso que eu, talvez mais do que muitos, valorize o Foro de São Paulo, porque tinha noção do que éramos antes, tinha noção do que foi a nossa primeira reunião e tenho noção do avanço que nós tivemos no nosso continente, sobretudo na nossa querida América do Sul.”
“Por isso, meus companheiros, minhas companheiras, saio daqui para Brasília com a consciência tranqüila de que esse filho nosso, de 15 anos de idade, chamado Foro de São Paulo, já adquiriu maturidade, já se transformou num adulto sábio. E eu estou certo de que nós poderemos continuar dando contribuição para outras forças políticas, em outros continentes, porque logo, logo, vamos ter que trazer os companheiros de países africanos para participarem do nosso movimento, para que a gente possa transformar as nossas convicções de relações Sul-Sul numa coisa muito verdadeira e não apenas numa coisa teórica.” (Discurso de comemoração dos 15 anos do Foro, julho de 2005).
Exército da Venezuela destruiu todas as caixas contendo os votos emitidos pela máquina de votação que permitiria uma auditoria na última eleição que elegeu o tiranete Nicolás Maduro. Para o esquema do Foro de São Paulo tanto faz se for urna eletrônica que emite comprovante do voto ou simplesmente voto em papel. De todo jeito a eleição pode ser fraudada como foi recentemente na Venezuela.
DITADURAS VIA ELEIÇÕES
A documentação acerca do FORO DE SÃO PAULO jamais teve ampla divulgação, tendo sido inicialmente publicado apenas na edição doméstica do GRANMA, órgão oficial do Partido Comunista Cubano. Na edição internacional nada transpirou. Mais tarde, passou a ter algum tipo de noticiário restrito em poucos jornais de alguns países e, até numa revista editada na Argentina chamada “América Libre”, quase de circulação interna, dirigida por Frei Betto.
O objetivo do Foro de São Paulo é implantar governos socialistas na América Latina, via eleições “democráticas”, que mais tarde serão convertidos em governos totalitários, a exemplo do modelo cubano em vigor, tudo sob a falsa retórica de “democracia”, tal como eles, os comunistas entendem. Os campos de atividade do Foro são a subversão política e social de todo o continente latino-americano. Veja-se o caso de Zelaya na embaixada brasileira em Honduras. Tudo sob a falsa retórica da “democracia”, repito. Trata-se, portanto, de uma organização que se mantém no anonimato para que seus projetos totalitários não sejam identificados antes que se complete o plano de dominação e implantação do pensamento hegemônico no Brasil e no continente Latino-americano. Para este desiderato o FORO DE SÃO PAULO conta com o apoio da ONU e da OEA.
Como vimos, participam do FORO DE SÃO PAULO partidos e organizações de esquerda, reformistas e revolucionárias; Partidos Comunistas que se definem como marxistas-leninistas; organizações e grupos trotskistas; Partidos Comunistas que continuam se definindo como marxistas-leninistas-maoístas (da Argentina, Peru e Uruguai) e que possuem uma articulação internacional própria em 17 países; Partidos Socialistas filiados ou não à Internacional Socialista; organizações que continuam desenvolvendo processos de luta armada, como as FARC e ELN, na Colômbia e organizações que participaram da luta armada e hoje atuam na legalidade, como o Movimento 19 de Abril, também da Colômbia e os Tupamaros, do Uruguai.
Esta é, portanto, a breve radiografia do FORO DE SÃO PAULO, uma organização que os brasileiros não conhecem e a maioria nem sabe que existe, e cujo objetivo maior é comprar a sua alma para vendê-la ao demônio.

POLÍCIA ENCONTRA NO CAMPUS DA USP O CORPO DO ESTUDANTE DESAPARECIDO DURANTE FESTA NA UNIVERSIDADE

Corpo do estudante Victor Hugo Santos é encontrado na raia olímpica da USP (Foto: Veja)
A Polícia Militar encontrou na manhã desta terça-feira o corpo do estudante Victor Hugo Santos, de 20 anos, que estava desaparecido desde a madrugada de sábado. O corpo foi encontrado na raia olímpica do campus da Universidade de São Paulo (USP), na Zona Oeste da capital paulista, às sete e meia da manhã. Segundo o delegado titular do 93º DP, Paulo Bittencourt, que esteve no local após o corpo ser encontrado, os documentos do estudante estavam no bolso da bermuda que ele usava e a camiseta era a mesma que Victor Hugo vestia na noite da festa.
Segundo a PM, a família do estudante deverá fazer a identificação ainda nesta manhã. O caso está sendo investigado com apoio de equipes do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil paulista.
O estudante desapareu depois de participar de uma festa organizada pelo Grêmio Politécnico, no Velódromo da USP, que reuniu cerca de 5.000 pessoas. A festa em comemoração aos 111 anos da entidade era "open bar" - com bebida alcoólica gratuita no local - e tinha ingressos que custavam entre trinta e noventa reais.
A USP autorizou a realização da festa, que contava com 140 seguranças particulares contratados pelo grêmio. De acordo com representantes da entidade, em nenhum momento houve desentendimento em que fosse necessária intervenção da equipe de segurança para a retirada de participantes do local. Do site de Veja

Sponholz: As alunas de Lula.