domingo, julho 05, 2015

RICARDO PESSOA, O EMPRESÁRIO GRANDALHÃO, SERÁ A TESTEMUNHA-BOMBA CONTRA DILMA.

O empresário Ricardo Pessoa, o poderoso dono da empreiteira UTC, cujo depoimento em delação premiada fez o petrolão se derramar sobre o Palácio do Planalto. Seu testemunho agora ao TSE poderá ser nitroglicerina pura.
O Tribunal Superior Eleitoral se prepara para um dos julgamentos mais importantes da história. Trata-se da denúncia de que a campanha de reeleição da presidente Dilma foi financiada com dinheiro ilegal, fruto da corrupção.
Será decisivo o depoimento, ao TSE, do delator Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC e coordenador do cartel que roubou a Petrobras. Seus testemunho nesse caso será nitroglicerina pura.
O doleiro Alberto Youssef pode também depor no TSE. Ele contou que o PT lhe pediu para “internalizar” R$ 20 milhões para a campanha.
O processo no TSE foi aberto com a denúncia do PSDB de que a campanha de Dilma recebeu doações ilegais e não prestou contas.
Em depoimento à Lava Jato, Ricardo Pessoa confessou haver levado dinheiro vivo, do esquema do Petrolão, para a campanha de Dilma.
A própria Dilma já admitiu haver recebido R$ 7,5 milhões da UTC, que Ricardo Pessoa garantiu terem sido produto de achaque. Da coluna Claudio Humberto/Diário do Poder

sábado, julho 04, 2015

OBAMA, A GATONA E A GORDONA. DANILO GENTILI JÁ COLOCOU O JÔ SOARES NO VOLUME MORTO.


Quem disse que a viagem da Dilma aos Estados Unidos não teve nenhuma repercussão interessante? Serviu pelo menos para estimular protestos anti-PT e, sobretudo, para gerar piadas.

Depois que o Jô Soares foi para o volume morto, sobrou apenas o programa do Danilo Gentili que detona o pensamento politicamente correto e parte pra cima.

Gentili é uma bênção neste mundo sem glamour e sem humor em que tudo é proibido, menos as iniquidades mais nefastas e as idiotices variadas. Vive-se neste século XXI sob domínio absoluto do kitsch.

O Antagonista postou em primeira mão este vídeo. Pesquei lá.

DELAÇÃO-BOMBA: CONTRA SECRETA NA SUÍÇA ABASTECEU CAMPANHA DE LULA EM 2006.

O documento abaixo reproduz a movimentação de uma conta secreta na Suíça aberta pelos empreiteiros para pagar propina. Segundo Ricardo Pessoa, foi dela que saíram 2,4 milhões de reais que reforçaram o caixa da campanha do ex-presidente Lula em 2006 - dinheiro desviado dos cofres da Petrobras que chegou ao Brasil em uma operação financeira totalmente clandestina e ilegal. O delator contou que a UTC, a Iesa, a Queiroz Galvão e a Camargo Corrêa formavam o consórcio que venceu a licitação para construir três plataformas de petróleo. Como era regra na estatal, um porcentual do contrato era obrigatoriamente reservado para subornos. A conta foi criada para o "pagamento de comissionamentos devidos a agentes públicos em razão das obras da Petrobras, ou seja, o pagamento de propinas", disse Pessoa. Ela também ajuda a dificultar o rastreamento de corruptos e corruptores. Foi dessa fonte clandestina que saiu o dinheiro que ajudou Lula a se reeleger.

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada
Para comprovar a existência da conta secreta, o empreiteiro apresentou ao Ministério Público extratos com as movimentações. Batizada de "Controle RJ 53 - US$", a planilha registra operações envolvendo 5 milhões de dólares em pagamentos de propina. Além de financiar o caixa dois de Lula, a conta suíça foi utilizada para pagar os operadores do PT na Petrobras. Entre as movimentações listadas pelo empreiteiro estão pagamentos ao ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro Barusco, um dos responsáveis pela coleta das propinas destinadas ao PT. Os repasses à campanha de Lula foram acertados entre Ricardo Pessoa e o então tesoureiro petista, José de Filippi. Era o próprio empreiteiro que levava os pacotes de dinheiro ao comitê da campanha em São Paulo. A entrega, como VEJA revelou em sua edição passada, era cercada de medidas de segurança típicas de organizações criminosas. Ao chegar à porta do comitê, o empreiteiro dizia a senha "tulipa". Se ele ouvia como resposta a palavra "caneco", seguia direto para a tesouraria. Se confirmados pela Justiça, os pagamentos via caixa dois são a primeira prova de que o ex-presi­dente Lula também foi beneficiado diretamente pelo petrolão. Do site da revista Veja/parte da matéria da reportagem-bomba

Sponholz: Vai cair, vai cair...!


REPORTAGEM-BOMBA DE 'VEJA' FAZ ENTORNAR O TONEL DE ROUBALHEIRAS E CORRUPÇÃO DO PETROLÃO. AS PROVAS DA DELAÇÃO DO EMPRESÁRIO GRANDALHÃO JOGAM A PÁ DE CAL SOBRE A VÍBORA VERMELHA AGONIZANTE.

Um pergunta que não quer calar e que é evocada em todos os diálogos travados pelos cidadãos brasileiros no seu âmbito familiar, nos seus círculos de amizade e no trabalho: o que está faltando para o impeachment imediato da Dilma e a prisão de Lula e seus sequazes? A resposta evidente é que não falta mais nada.
Todavia se era mesmo pela suposta ausência de provas para cassar imediatamente Dilma e processar criminalmente Lula com endereço direto sem escala para a Papuda, a reportagem-bomba de Veja que chega às bancas neste sábado, mais uma da longa série, detona, ou seja, prova com fatos, fotos e cópias de planilhas das propinas, a mega roubalheira que faz enrubescer o mais vil dos ladravazes.
Esse fantástico dossiê da orcrim, a organização criminosa que floresceu nos governos petistas, faz parte do arquivo do empresário grandalhão, Ricardo Pessoa, entregue à polícia para comprovar a sua delação cujo prêmio é diminuir o cheiro da cadeia que o opulento empresário já farejou nos dias em que passou na carceragem da Polícia Federal.
Velho de guerra, Ricardo Pessoa, segundo a reportagem-bomba de Veja guardou tudo minuciosamente e com detalhes nos quais há desde as quantias entregues aos donos do poder, até seus telefones, emails e contas bancárias. Tudo. Tudo. Tudo.
Enquanto os caminhões se enfileiram para pegar a volumosa tiragem de Veja impressa na grande gráfica do Grupo Abril em São Paulo para desovar nas bancas ao longo desta madrugada, os assinantes digitais da revista já têm acesso à publicação.
No entanto o site de Veja já deixou um aperitivo da reportagem-bomba da revista, que transcrevo para saciar a curiosidade, digamos assim, de um público heterogêneo: os cidadãos que desejam limpar o Brasil dessa imundice que é o PT e também os consumidores de calmantes e soníferos... Leiam:
Uma amostrinha do acervo do empresário grandalhão. É o suficiente para estimar o impacto e o corre-corre nas redações dos jornalões neste início da madrugada.
O engenheiro Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC, é famoso por sua grande capacidade de organização - característica imprescindível para alguém que exercia uma função vital no chamado "clube do bilhão". Ele foi apontado pelos investigadores como o chefe do grupo que durante a última década operou o maior esquema de desvio de dinheiro público da história do país. O empreiteiro entregou à Justiça dezenas de planilhas com movimentações financeiras, manuscritos de reuniões e agendas que fazem do seu acordo de delação um dos mais contundentes e importantes da Operação Lava-Jato. O material constitui um verdadeiro inventário da corrupção. Em uma série de depoimentos aos investigadores do Ministério Público, Pessoa detalhou o que fez, viu e ouviu como personagem central do escândalo da Petrobras. Na sequência, apresentou os documentos que, segundo ele, provam tudo o que disse.
​​VEJA teve acesso ao arquivo do empreiteiro. Um dos alvos é a campanha de Dilma de 2014 e seu tesoureiro, Edinho Silva, o atual ministro da Comunicação Social. Segundo o delator, ele doou 7,5 milhões de reais à campanha depois de ser convencido por Edinho Silva. "O senhor tem obras no governo e na Petrobras, então o senhor tem que contribuir. O senhor quer continuar tendo?", disse o tesoureiro em uma reunião. O empreiteiro contou que não interpretou como ameaça, mas como uma "persuasão bastante elegante". Na dúvida, "para evitar entraves" nos seus negócios com a Petrobras, decidiu colaborar para que o "sistema vigente" continuasse funcionando - um achaque educado. Mas há outro complicador para Edinho: quem apareceu em nome dele para fechar os detalhes da "doação", segundo Pessoa, foi Manoel de Araujo Sobrinho, o atual chefe de gabinete do ministro. Em plena atividade eleitoral, Manoel se apresentava aos empresários como funcionário da Presidência da República. Era outro recado elegante para que o alvo da "persuasão" soubesse com quem realmente estava falando. Do site de Veja

sexta-feira, julho 03, 2015

O QUE A GRANDE MÍDIA ESCONDE: POVO DO EQUADOR SE LEVANTA CONTRA O TIRANETE COMUNISTA RAFAEL CORREA, ESBIRRO DO FORO DE S. PAULO E AMIGO DE LULA, DILMA ET CATERVA.


Embora o Equador esteja vivendo uma gigantesca crise política com mega manifestações nas ruas de todo o país, quem acompanha o noticiário internacional nos veículos da grande mídia não tem ideia daquilo que já pode ser classificado de levante popular postulando a derrubada do tiranete comunista Rafael Correa. 

Os jornais brasileiros, bem como seus portais na internet, praticamente têm ignorado o que se passa no Equador. Numa pesquisa hoje no Google encontrei apenas uma matéria de agência no site do Estadão, datada do dia 25 de junho último, um dia depois da mega manifestação ocorrida em Guayaquil (noticiei aqui no blog com fotos), a maior e mais importante cidade equatoriana, que possui mais de 2 milhões de habitantes e que supera a capital Quito em potencial econômico e, por consequência, também em força política. Pode ser que outros veículos de mídia tenham esse protesto também, mas duvido que retratem os fatos equatorianos com adequada contextualização em nível político e ideológico e estabelecendo a necessária ligação com o Foro de São Paulo.

Esta matéria do Estadão é de agência internacional de notícias e relata os últimos acontecimentos naquele país, listando as medidas baixadas por Correa que têm tudo para colocar o país no vinagre. Todavia esse texto desliga a crise do Equador de sua origem principal que é o Foro de São Paulo, a organização transnacional comunista criada por Lula e Fidel Castro em 1990, na capital paulista destinada a implantar o socialismo em todo o continente latino-americano.
Milhares de pessoas na principal avenida de Guayaquil
JORNALISMO DE ALUGUEL
Guardadas as devidas proporções, o que está ocorrendo no Equador é praticamente a mesma coisa do que vem ocorrendo no Brasil. Por isso faixas e cartazes empunhados pelos manifestantes afirmam: "Chega de abusos, chega de impostos" e "Equador não é Venezuela". Se há similaridade entre as revoltas populares equatoriana e brasileira é porque o fato gerador de ambas é rigorosamente o mesmo, ou seja, a aplicação das diretrizes do Foro de São Paulo.

Na matéria à qual aludi, veiculada pelo site do Estadão a narrativa dilui a "bolivarianização" do Equador. Diz apenas que em um discurso duro, o prefeito de Guayaquil, Jaime Nebot afirmou que "o Equador passa por tempos difíceis, não apenas política, mas ideologicamente, e acusou o governo central de dividir os equatorianos, seguindo o caminho do regime venezuelano."

O fato mais importante ainda é resumido apenas em um parágrafo, ao revelar que "os protestos contra o governo eram originalmente organizados por meio de redes sociais, mas agora são também liderados por opositores, sindicatos, populações indígenas e ativistas sociais."

Assim, os leitores que, obviamente são leigos em jornalismo e boa parte não sabe o que é o Foro de São Paulo, vão sendo desinformados por matérias como esta do Estadão.

O que mobiliza milhares de pessoas nas ruas das cidades do Equador, não é pouca coisa. E lá parece que o nível de politização dos cidadãos equatorianos pode ser até maior do que no Brasil. Todas as medidas que o tiranete Rafael Correa quer aprovar, agindo como se fosse dono do país, correspondem aos objetivos do Foro de São Paulo, ou seja, o esfacelamento da economia como já aconteceu na Venezuela para manietar e desmobilizar os cidadãos pela imposição da escassez de alimentos, medicamentos, acesso à saúde etc. Aliás, Cuba é um exemplo disso. De um país majestoso economicamente nos anos 50 do século passado, foi transformado numa grande favela para que a camarilha comunista pudesse reinar absoluta como de fato reina há mais de meio século.
ESCAMOTEANDO O ESSENCIAL
Em certa altura, esta matéria do Estadão lista de forma burocrática algumas medidas que Rafael Correa está tentando aplicar no país:
"Um projeto de lei para taxar heranças em até 77,5% e outro de um imposto de 75% sobre ganhos de capital do setor imobiliário foram o estopim dos protestos, que incluem reclamações contra as políticas econômicas do governo e contra o que os críticos descrevem como a posição ditatorial de Correa. O presidente diz que os protestos buscam desestabilizar seu governo e os novos impostos buscam garantir mais igualdade."
Notem que todas essas medidas são de fato de viés socialista. Mas como acabaram de ler no parágrafo acima, o jornalista que escreveu esse texto diz que "os críticos descrevem como a posição ditatorial de Correa". Isto quer dizer que são apenas "os críticos" - quais, cara pálida?  Na continuação o jornalista coloca o tiranete na parada com aquela conversa mole de que desejam desestabilizar o governo e que os impostos buscam a igualdade. Tá bom. Igualdade como na Venezuela e em Cuba?
Na sequência o texto afirma: "economistas dizem que as leis afetarão negativamente a economia equatoriana e as famílias, em uma nação onde 95% dos negócios são familiares." Ora, se 95% dos negócios são particulares e não estão nas mãos do Estado isso quer dizer que sobrevive nesse país uma economia de mercado, pois prevalece a iniciativa privada, que é o esteio da liberdade em sentido amplo. E é isto que o Foro de São Paulo quer destruir.

Este vídeo mostra o prefeito de Guayaquil, Jaime Nebot, discursando para a multidão.

O PLANO COMUNISTA
Depois a matéria afirma que "na semana passada, Correa retirou temporariamente do Parlamento os dois projetos de lei, antes da visita do papa Francisco ao país, entre 6 e 8 de julho. Os manifestantes querem que as leis sejam definitivamente arquivadas". Como se vê, a estratégia do tiranente Rafael Correa é rigorosamente igual a de todos os tiranos comunista. Avança e recua ao sabor dos acontecimentos enquanto não tem o poder total. Agora com a visita do Papa, dá uma recuada e depois volta com tudo contra o povo até escravizá-lo pela fome e a miséria, já que então aqueles que seguram a economia e que produzem terão fugido do país. É isso que já ocorre agora mesmo na Venezuela. 
No final essa matéria edulcorada pelo viés socialista afirma que "o partido governista, Alianza País, controla 100 das 137 cadeiras da Assembleia Nacional. Os protestos contra as políticas de Correa devem seguir pelo menos até julho, quando sindicatos decidem a data de uma grande greve contra o governo", depreendendo-se que Correa não tem o apoio dos trabalhadores que já sentiram o cheiro de carne queimada e não estão mais a fim de embarcar na canoa bolivariana desse tiranente vagabundo.

REPRESSÃO BRUTAL: Este vídeo mostra a polícia do tiranente Rafael Correa descendo o porrete nos estudantes

MENTIRAS DO COMEÇO AO FIM
O indigitado texto fecha com o seguinte parágrafo: "Correa, que há três meses é alvo de protestos em razão de suas políticas e estilo de governo, registrou este mês o índice de popularidade mais baixo de seu governo (46%) desde que assumiu o poder, em 2007, de acordo com uma pesquisa Cedatos-Gallup publicada nesta quinta-feira. A sondagem revelou uma queda de 5 pontos porcentuais na popularidade do presidente em relação a maio."
O pena alugada do Foro de São Paulo que escreveu essa matéria do Estadão diz que o tirano de Quito é alvo dos protestos por causa de suas políticas e "estilo" de governo. Como podem observar, faltou dizer de que tipo é o "estilo". Democrático é que não é.
Concluindo, recomendo que vejam os vídeos, ouçam o discurso do prefeito de Guayaquil, Jaime Nebot. Muito diferente daquele discurso verberado pelos ditos oposicionistas brasileiros.

E o pior de tudo é que o Papa vai derramar suas bênçãos justamente sobre a cabeça de um tirano comunista vagabundo, levando água ao moinho da bolivarianização do Equador. 

Não passarão!

JUSTIÇA NEGA HABEAS CORPUS PREVENTIVO A JOSÉ DIRCEU EM RELAÇÃO À OPERAÇÃO LAVA JATO

Fotomontagem que está nas redes sociais
O juiz federal Nivaldo Brunoni, convocado para o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, negou nesta sexta-feira pedido de habeas corpus preventivo apresentado pelo ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. Na decisão, o magistrado disse que não está comprovado que o petista, que cumpre prisão domiciliar por ter sido condenado no julgamento do mensalão, esteja em situação de ameaça concreta, critério que, na avaliação de Brunoni, seria necessário para a concessão do recurso.
Nesta quinta a defesa de Dirceu havia apresentado o pedido de habeas corpus para evitar que o ex-ministro pudesse ser preso por conta das investigações da Operação Lava Jato. Embora não haja nenhum pedido de prisão contra Dirceu, a situação do petista ficou mais delicada, segundo a avaliação de procuradores da Lava Jato, após o acordo de delação premiada assinado pelo lobista Milton Pascowitch. Além de dar informações sobre o envolvimento do político com o esquema, as revelações do lobista devem abrir novas linhas de investigação, principalmente sobre o bilionário mercado de exploração do pré-sal.
"Por ter seu nome envolvido no curso da Operação Lava Jato e, recentemente, divulgado pelo delator Milton Pascowitch, o paciente tem inúmeros motivos para acreditar que se encontra na iminência de ser preso", afirmou a defesa. Para o juiz, porém, "o mero receio da defesa não comporta a intervenção judicial preventiva".
Para ele, ainda que o lobista Milton Pascowitch possa ter detalhado, em acordo de delação premiada, a participação de José Dirceu no esquema investigado pela Operação Lava Jato, os depoimentos não são suficientes "para demonstrar que o paciente possa ser segregado cautelarmente e que tal ato judicial representaria coação ilegal". "O fato de o paciente ser investigado e apontado no depoimento de Milton Pascowitch não resultará necessariamente na prisão processual", disse Brunoni, que afirmou ainda que conceder o habeas corpus preventivo neste momento "equivaleria a antecipar-se" a possíveis decisões do juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em Curitiba. Do site da revista Veja

Sponholz: Empreiteiros esperneiam na cadeia.


VÍDEO: JOVEM QUE PROTESTOU CONTRA DILMA NOS ESTADOS UNIDOS EXPLICA COMO ENGANOU A SEGURANÇA DA 'PRESIDENTA'.


O brasileiro Igor Gilly, que mora em São Francisco, na Califórnia, e que protestou contra a Dilma dentro da Universidade de Satanford, filmando tudo [veja o vídeo do protesto], explica neste hangout do grupo Terça-Livre, como conseguiu enganar a segurança da "presidenta".

O hangout é coordenado pelo Italo Lorenzon e tem a participação da ativista Beatriz Kicis que também já morou nos Estados Unidos.

Observação: É muito importante nesses hangout qualificar os participantes com nomes completos e também grafados em legenda e quais são suas atividades profissionais. Isso é uma regra básica de jornalismo, ou seja, a identificação do interlocutor seja numa matéria, entrevista ou vídeo. 
Fica aqui a solicitação que é fundamental para a cobertura de hangouts e/ou entrevistas em vídeo.

quinta-feira, julho 02, 2015

NOS ESTADOS UNIDOS, JOVEM BRASILEIRO SE INFILTRA NA COMITIVA DA DILMA, PROTESTA, FILMA TUDO E ESPALHA NAS REDES SOCIAIS.


Um jovem brasileiro que mora nos Estados Unidos, Igor Gilly, infiltrou-se na comitiva da Dilma, protestou contra a Presidente, filmou tudo e postou em sua página no Facebook. O fato ganhou destaque nos portais da grande mídia e já registra milhares de compartilhamentos nas redes sociais.
O site da Folha de S. Paulo e o site de Veja noticiaram o fato. Transcrevo as duas matérias: 
Folha de S. Paulo: Um jovem brasileiro que mora nos Estados Unidos conseguiu ficar a poucos metros da presidente Dilma Rousseff e xingá-la de "assassina" e ladra. A ofensa ocorreu durante a visita da petista à universidade de Stanford, na Califórnia, em seu périplo pelos Estados Unidos, nesta semana.
Ele ainda diz que "terrorista que rouba o dinheiro da população tem mais é que ser morto".
Igor Gilly gravou a abordagem em vídeo e publicou em sua página no Facebook. No perfil, o jovem, que aparenta ter menos de 30 anos, defende a queda de Dilma e exibe fotos ao lado do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ).
"Cadê o dinheiro da Petrobras?", questiona o jovem no início do vídeo. Pela gravação, parece que ele está acompanhado de um segundo rapaz, que também ofende a presidente. "Vai cair, hein?", ele diz.
"Terrorista que rouba o dinheiro da população tem mais é que ser morto", conclui. No vídeo, é possível ver que a abordagem ocorre quando a presidente chega à universidade, ao lado da ex-ministra de Estado dos Estados Unidos Condoleezza Rice.
Ele ofende a presidente por quase 1min20s, até que uma segurança americana pede que saia do local. O ministro da Defesa, Jaques Wagner, passa pelo jovem e pergunta se ele está com "dinheiro do papai no bolso". "Não, eu não sou petista", ele responde.
A comitiva de Dilma demora a reagir e, quando os seguranças da presidente tentam intervir, Gilly argumenta que eles "não mandam nada" em solo americano.
A Folha não conseguiu localizar o jovem para comentar o episódio. Em seu perfil, ele disse que "valeu a pena" ter se infiltrado na comitiva presidencial. 

Veja: Uma falha de segurança permitiu que o brasileiro Igor Gilly se infiltrasse nesta quinta-feira na comitiva da presidente Dilma Rousseff, nos corredores da Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA). Dilma estava ao lado de Condoleezza Rice, ex-secretária de Estado dos EUA, quando foi abordada de forma grosseira por Gilly. O brasileiro ofendeu a petista com gritos de "assassina", "ladra" e "terrorista". Ele disparou palavrões e chegou ao extremo de dizer que a presidente merecia morrer. "Terrorista que rouba a população tem mais que ser morto", gritou. Gilly publicou o vídeo em sua página no Facebook, que contém fotos dele com o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e outras nas quais exibe cartazes em a favor da intervenção militar no Brasil. Durante a manifestação agressiva, ele foi interpelado pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner (PT), que provocou: "Está com muito dinheiro do papai no bolso?". O brasileiro foi retirado do local pela segurança. Outra brasileira também publicou um vídeo no qual bate panela contra Dilma na porta do Hotel Fairmont, em São Francisco.

OS TRAÍRAS DO PSDB. TUCANO É UMA AVE QUE SOFRE DE INCONTINÊNCIA INTESTINAL.

Há bem pouco tempo o senador Álvaro Dias, um das lideranças mais importantes do PSDB, desempenhou aquele papelão na defesa do nome do petista Luiz Fachin. Como se não bastasse essa enorme desfaçatez agora cinco deputados do PSDB foram os artífices da derrubada da redação da maioridade penal, naquela sessão tumultuada do último dia 30 de junho, conforme noticia o jornalista Gabriel Castro, da sucursal da revista Veja em Brasília:
Faltaram cinco votos para que a proposta que reduz a maioridade penal fosse aprovada pela Câmara dos Deputados nesta quarta-feira. O resultado seria diferente se a bancada do PSDB tivesse votado unida em torno da orientação do partido. A sigla foi parte fundamental do acordo que deu forma ao texto apreciado em plenário. Mas cinco parlamentares da sigla marcaram voto "não": Max Filho (ES), Mara Gabrilli (SP), João Paulo Papa (SP), Eduardo Barbosa (MG) e Betinho Gomes (PE).
Portanto, não dá para contornar isso de maneira nenhuma. Não sé à toa que o PSDB escolheu como emblema do partido o tucano, que é uma ave que sofre de incontinência intestinal.
Se esse partido fosse realmente decente e sério expulsava esses cinco vagabundos traidores. 

BRASILEIRA PROTESTA NOS EUA CONTRA DILMA E PARTE PRA CIMA: "VAI PARA CUBA, DILMA!". MEMBRO DA COMITIVA A MULHER REVIDA E A MULHER RESPONDE: "LADRÕES, SAFADOS".


Brasileira hostiliza a Dilma e comitiva nos Estados Unidos: "Vai pra Cuba, Dilma". Um dos participantes da comitiva ainda tem a cara de pau de desqualificar o protesto. A brasileira não se intimida e parte pra cima acusando-os: "Seus ladrões, safados". Vale a pena ver.

ZÉ DIRCEU ENTRA COM HABEAS CORPUS PREVENTIVO PARA NÃO SER PRESO PELA LAVA JATO

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu apresentou nesta quinta-feira ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, pedido de habeas corpus preventivo para não ser preso no curso das investigações da Operação Lava Jato. O recurso foi impetrado por volta das 10h30 pelo advogado Roberto Podval, que integra a banca da defesa.
Condenado no julgamento do mensalão pelo crime de corrupção ativa, José Dirceu é alvo de inquérito na Lava Jato por suspeitas de utilizar sua empresa de consultoria para lavar dinheiro de propina. A situação do petista ficou mais delicada, segundo a avaliação de procuradores da da Lava Jato, após o acordo de delação premiada assinado pelo lobista Milton Pascowitch. Além de dar informações sobre o envolvimento de Dirceu com o esquema, as revelações do lobista devem abrir novas linhas de investigação, principalmente sobre o bilionário mercado de exploração do pré-sal.
Em depoimento, o ex-vice-presidente da construtora Engevix, Gerson Almada, disse ter pago até 0,9% para Pascowitch por contratos de sondas de exploração de petróleo da Petrobras com a empresa Sete Brasil.
Pascowitch foi preso no final de maio pela Polícia Federal. Com a delação, ele foi autorizado a cumprir prisão domiciliar com o uso de uma tornozeleira eletrônica. O empresário pagou parte da sede da JD Assessoria e Consultoria, empresa do ex-ministro José Dirceu, apontada pelos investigadores do petrolão como um dos possíveis propinodutos para lavar dinheiro desviado da Petrobras. A empresa Jamp Engenheiros Associados, de propriedade do empresário, desembolsou 400.000 reais dos 1,6 milhão de reais utilizados na aquisição do imóvel que sediava a JD, em São Paulo. Mais: uma empresa de Milton Pascowitch também comprou um imóvel em nome de Camila, filha de Dirceu, no bairro da Saúde, na capital paulista. Do site de Veja

Sponholz: Os vagabundos em duvida.


MAIS UM VAI PARA A CADEIA. EX-DIRETOR DA PETROBRAS TENTOU ESCONDER DINHEIRO DA JUSTIÇA NO EXTERIOR. PROCURADOR REVELA REINCIDÊNCIA DE CRIMES MESMO APÓS LAVA JATO.

Momento da prisão de Jorge Zelada, ex-diretor da Petrobras: tentativa de enviar 1 milhão de dólares (R$ 3 milhões de reais) para a China. (Foto: Veja)
O Ministério Público Federal detectou movimentações financeiras do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Jorge Zelada no exterior mesmo depois do início da Operação Lava Jato - o que indica que ele estava tentando esconder da Justiça o dinheiro movimentado no esquema do petrolão, segundo o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, que integra a força-tarefa da Lava Jato. Além dos 11 milhões de euros (cerca de 38 milhões de reais) que mantinha em Mônaco, Zelada tentou enviar pelo menos 1 milhão de dólares (3 milhões de reais) para a China.
O ex-diretor foi preso nesta quinta-feira em sua casa, no Rio de Janeiro, durante a 15ª fase da Lava Jato, nomeada Conexão Mônaco. Segundo o procurador, essa fase encerra a análise das principais diretorias da Petrobras: já foram presos pela PF os ex-diretores Paulo Roberto Costa (Abastecimento), Nestor Cerveró (Internacional) e Renato Duque (Serviços). Costa acabou por selar acordo de delação premiada com a Justiça e hoje cumpre prisão domiciliar. "Ainda há muito, porém, a investigar", salientou Santos Lima.
O procurador afirmou que ainda há crimes sendo cometidos na Petrobras, mas já não no nível das diretorias. "Recebemos diariamente notícias de fatos posteriores ao início da Lava Jato, sobre novas espécies de crime na Petrobras. Novos operadores surgem diariamente", afirmou.
Santos Lima explicou que o fato de Zelada ter continuado a lavar dinheiro foi um dos principais motivos de sua prisão. "Houve remessa de dinheiro para bancos na China, o que indica continuidade criminosa", afirmou o procurador. "Não há duvidas de que esse dinheiro é originário de corrupção", prosseguiu.
O procurador ainda afirmou que a corrupção na Petrobras era institucionalizada e que a propina era cobrada pela simples celebração do negócio, como uma "corretagem". De acordo com ele, o dinheiro era dividido hierarquicamente entre os funcionários das áreas que integravam o esquema, o que os corruptos chamavam de "divisão para a casa". Santos Lima afirmou que há indícios de que Zelada recebeu dinheiro em contratos de aluguel de sondas. Zelada ocupou o cargo de diretor da petroleira de 2008 a 2012, como sucessor de Nestor Cerveró, que está preso no Complexo Médico-Penal em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, e já foi condenado em um dos processos da Lava Jato a cinco anos de prisão por lavagem de dinheiro. Do site da revista Veja

FALANDO BAIXO...
A propósito, o site O Antagonista fez um link oportuno com uma nota da coluna do Cláudio Humberto, publicada no dia 27 de junho passado, revelando encontro de Jorge Zelada com o filho de Renato Duque, que continua preso pela Lava Jato em Curitiba.
Reproduzo a nota de Claudio Humberto:
O ex-diretor Internacional da Petrobras Jorge Zelada almoçou ontem com o filho de Renato Duque, ex-diretor de Serviços, que foi preso em março após transferir da Suíça para Mônaco 20 milhões de euros (R$ 67,6 milhões). Documentos enviados à força-tarefa da Lava-Jato por autoridades de Mônaco apontam que Duque e Zelada controlam contas bancárias de empresas constituídas no paraíso fiscal do Panamá.
Zelada e o filho de Duque almoçaram falando baixo na rua do Ouvidor, nº 10, no restaurante Rio Minho, no centro do Rio de Janeiro.
Jorge Zelada disse na CPI da Petrobras que de nada sabia, mas ele tem 12 milhões de euros (R$ 40,6 milhões) bloqueados em Mônaco.
A Lava Jato tem fichas de abertura de contas e assinaturas de Duque e de Zelada em Mônaco, onde deixaram cópias dos seus passaportes.
Atas das empresas que Renato Duque e Jorge Zelada abriram no Panamá indicam os dois como os operadores das contas bancárias. Do site Diario do Poder/Claudio Humberto)

EM SESSÃO EXTRAORDINÁRIA CÂMARA APROVA REDUÇÃO MAIS LEVE DA MAIORIDADE PENAL. ALTERNATIVA NÃO SATISFAZ ÀS EXIGÊNCIAS DA POPULAÇÃO QUE NÃO SUPORTA MAIS O ASSÉDIO CRIMINOSO DOS VAGABUNDOS.

Em uma decisão histórica, embora reversível, a Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira uma proposta que permite a punição criminal de adolescentes a partir dos 16 anos em casos de crimes graves. O resultado da votação é uma vitória pessoal do presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) - que, sob protestos do PT e de outros partidos contrários à medida - reverteu a derrota de uma proposta semelhante horas antes. Houve 323 votos favoráveis, 155 contrários e duas abstenções.
O texto aprovado é um pouco mais brando do que o rejeitado na madrugada desta quarta, o que foi suficiente para que alguns parlamentares passassem a apoiar a redução e a emenda apreciada ultrapassasse o mínimo necessário de 308 votos. A proposta mantém a redução da maioridade nos casos de crimes graves contra a vida, como homicídio, estupro, sequestro, lesão corporal seguida de morte e exploração sexual infantil. A mudança em relação ao texto anterior significa que os adolescentes de 16 e 17 anos que praticarem tráfico de drogas, roubo qualificado, tortura, lesão corporal grave e terrorismo não serão mais incluídos no sistema criminal: para eles, valerá a regra atualmente em vigor.
Os adolescentes que se enquadrarem na nova regra não ficarão presos em cadeias comuns; eles terão de ser mantidos em unidades ou alas isoladas, de forma que também não tenham contato com os menores que cumprem medida socioeducativa.
A proposta ainda depende de aprovação em segundo turno na Câmara dos Deputados e do aval do Senado, onde a votação deve ser ainda mais acirrada. Em todos os casos, é preciso ter 60% do total de deputados ou senadores para que a proposta de emenda à Constituição (PEC) avance.
A votação foi precedida de queixas de deputados contrários à mudança na legislação. Eles afirmavam que Eduardo Cunha desrespeitou o regimento ao trazer o tema novamente à pauta horas depois da rejeição de uma proposta semelhante.
Parlamentares do PT e de outras siglas de esquerda afirmaram que houve um"golpe". O caso deve chegar ao Supremo Tribunal Federal. "Se vossa excelência quer administrar o parlamento brasileiro por decreto ou de ofício vossa excelência tem que apresentar um projeto para que só vossa excelência determine as decisões a serem adotadas", disse Glauber Braga (PSB-RJ).
Cunha e os defensores da nova emenda argumentaram que o regimento permite que, após a rejeição de um substitutivo, a Câmara aprecie uma proposta alternativa, desde que ela esteja baseada no texto original. No caso, a proposta-base é a que reduz a maioridade para 16 anos em todos os casos. Foi sobre essa proposta que o deputado Laerte Bessa (PR-DF) construiu seu substitutivo derrotado nesta terça.
Na discussão de mérito, o PT e o governo insistiram no argumento de que a redução nada fará para reduzir a criminalidade. O líder do governo, José Guimarães (PT-CE), pediu mais tempo para a construção de um "entendimento": "O caminho é a reforma do ECA, principalmente naqulo que é fundamental, que é a ressocialização", afirmou.
Já o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), defendeu a aprovação da medida: "A proposta é equilibrada e restrita. É a resposta pela qual a sociedade anseia porque não aceita mais a impunidade", afirmou.
Após a sessão, Eduardo Cunha citou o regimento da Casa para afirmar que não há risco de impugnação da votação. "Não há o que contestar. Ninguém é maluco"m, dise ele. O peemedebista também ironizou as críticas dos petistas à condução dos trabalhos: "Eles têm dois pesos e duas medidas. Na verdade, eles foram derrotados na sua ideia porque a maioria da população brasileira quer isso”. Do site da revista Veja
MEU COMENTÁRIO: Este projeto alternativo é mais brando e deixa de fora tráfico de drogas, roubo qualificado, tortura, lesão corporal grave e terrorismo. Adianta muito pouco.
Na verdade a legislação que deve ser adotada é aquela vigente nos Estados Unidos onde criminosos de qualquer idade são punidos pela legislação penal e fim de papo. 
Essa tentativa de dar uma resposta à esmagadora maioria da população brasileira não convence. Os vagabundos continuarão cometendo crimes e permanecerão impunes.
Fiquem sabendo Eduardo Cunha e demais deputados que isso não preenche os requisitos exigidos pela maioria da população que está farta da ação criminosa dos vagabundos de qualquer idade.
Se o Estado permanecer acoitando esses monstros assassinos não há dúvida que os cidadãos vão ter de se organizar armados para detonar a malta criminosa.
É isso que vai acontecer. É uma questão de segurança e sobrevivência.

Sponholz: PT não sai mais do volume morto.

quarta-feira, julho 01, 2015

INTOLERÂNCIA UMA OVA! OS BRASILEIROS NÃO TÊM ÓDIO DO PT, TÊM NOJO! OU: A PESQUISA QUE A CNI/IBOPE NÃO GOSTARIAM DE FAZER.

Cartaz de protesto numa das mega manifestações anti-PT recentemente ocorrida no Brasil (Foto: Veja)
Tanto o DataFolha como o Ibope, considerados os dois mais importantes institutos de pesquisa do Brasil, relutaram um bocado para para ouvir o ronco das ruas. Logos esses dois institutos que derramavam ao longo dos anos do desgoverno do PT um turbilhão de pesquisas que apontavam o Lula e, depois a Dilma, como supostos redentores do Brasil, os construtores do Brasil Maravilha como nunca antes na história deste país.
E, os números dessas sondagens eram abundantemente repercutidos pelos veículos da grande mídia, era o mainstream caboclo a serviço da mentira e da empulhação. Lula e seus sequazes eram os intocáveis e poderiam fazer o que quisessem embalados pelos números dessas pesquisas, espécie de carta de alforria para que Lula e seus asseclas pintassem e bordassem sem dar qualquer satisfação ao distinto público.
Sabe-se, inclusive, que ao longo de todos esses anos, o Ibope mantinha um contrato de fornecimento das ditas “pesquisas qualitativas” com o Palácio do Planalto, adstrito ao Ministério Sem Pasta do marketeiro João Santana. O fato, por si só, por questões éticas, desqualificava o Ibope para a elaboração de pesquisas eleitorais destinadas ao consumo do grande público.
Nessa época sucessivas CPIs da Petrobras foram enterradas no Congresso Nacional. Não havia estourando ainda o fabuloso escândalo do Petrolão que eviscerou a serpente petralha. Estavam todos juntos: os empresários grandalhões, os políticos da base alugada, os jornalistas de aluguel e tutti quanti. A ponto de Lula e seus sequazes ensaiarem a implantação dos “sovietes”, conselhos “populares” no mais legítimo modelo leninista, aos quais caberia a tarefa de decidir políticas públicas e legislar de fato à revelia do Congresso Nacional. Os deputados e políticos de maneira geral que nunca foram tolos, sentiram o cheiro de carne queimada e jogaram na fogueira o projeto de lei da indigitada “Presidenta”.
De tanto dinheiro público que roubaram e face ao extremo perigo de rodar as máquinas da Casa da Moeda a todo vapor, a situação tornou-se calamitosa reafirmando, in totum, a velha máxima verberada com a mais alta sabedoria pela veneranda Dama de Ferro: “O socialismo acaba quando acaba o dinheiro dos outros”.
E como o dinheiro está rarefeito, pero no mucho..., dado ao fato do despudorado aparelhamento de todas as instâncias estatais, os institutos de pesquisa, que não vivem de vento foram à luta, como é o caso agora do Ibope. Esse instituto há anos mantém um contrato de fornecimento de pesquisa para a Conferação Nacional da Indústria (CNI), órgao máximo de representação do empresariado industrial, entidade que há muito tempo se entregou de corpo e alma para o Lula e seus sequazes reeditando o modelo fascista de Mussolini e também nazista de Hitler. Tanto é que deu o SESI - Serviço Social da Indústria, para o PT administrar e lá está o Jair Meneghelli como chefão dessa entidade que gerencia uma verba vultosa. Meneghelli foi um dos acólitos mais próximos de Lula no processo de fundação do PT e da CUT. Está lá desde o primeiro mandato de Lula. 
Como não dá para tapar o sol com a peneira o Ibope teve que fazer jus ao seu contrato com a CNI e foi a campo para testemunhar o que o Brasil todo sabe: ninguém suporta mais o Lula, o PT e o desastroso desgoverno da Dilma. Sim, a intolerância dos brasileiros está expressa no fato de que apenas os mais ferrenhos adeptos do PT conferem ao governo um apoio de apenas um dígito.
Notem que a engenharia social do movimento comunista do século XXI usa e abusa da acusação de "intolerância" invocando-a face a qualquer reação popular que se levante contra esse nauseabundo festival bundalelê que se esparrama pelo mundo.
Talvez isso tenha ficado muito bem caracterizado nas recentes manifestações populares anti-PT que explodiram em todo o Brasil levando milhões às ruas. Numa escala de 1 a 10 a maior e mais perfeita intolerância à cambada de psicopatas que fustiga a Nação brasileira foi grafada num cartaz de protesto numa dessas passeatas. “Não tenho ódio do PT, tenho nojo”.
Para concluir, se verifica nos números do Ibope veiculados no site da revista Veja, a histórica e saudável intolerância à bandalha comunista ladravaz que ainda teima em se segurar no poder. Leiam:
A crise política por que passa o governo Dilma Rousseff derrubou a aprovação da presidente para um dígito, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira. De acordo com o levantamento, 68% dos brasileiros consideram o governo Dilma ruim ou péssimo - pior marca já atingida por um presidente desde a redemocratização do país. Até agora, o recorde negativo pertencia a José Sarney, em julho de 1989 (64% de reprovação). Apenas 9% dos brasileiros consideram o governo bom ou ótimo - número pouco melhor do que o registrado por Sarney naquele ano: 7%.
O levantamento foi realizado entre 18 e 21 do mês passado, antes, portanto, da revelação, por VEJA, do conteúdo do depoimento prestado pelo empreiteiro Ricardo Pessoa em acordo de delação premiada. Apontado como chefe do chamado clube do bilhão, o dono da UTC afirmou aos investigadores que foi coagido pelo hoje ministro Edinho Silva a doar dinheiro para a campanha de Dilma à reeleição. Edinho foi tesoureiro da campanha da petista ao Planalto no ano passado.
Foram ouvidas 2.002 pessoas em 141 municípios. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais e o grau de confiança é de 95%.

Sponholz: Sorry, Vaccari, mas os "pixulecos" e você foram filmados!


terça-feira, junho 30, 2015

FOTO MOSTRA DILMA JUNTO COM RICARDO PESSOA, O DELATOR DO PETROLÃO, QUE ELA AFIRMA QUE NUNCA O RECEBEU.

Dilma Pixuleco, Jacques Wagner, Graça Foster, Marcelo Odebrecht e... Ricardo Pessoa. Clique sobre a foto para vê-la ampliada
Desta vez o site O Antagonista matou a pau e por isso vou transcfever até para ficar registrado aqui no blog. Um dia depois da Dilma ter jurado de pés juntos que nunca recebeu o empreiteiro grandalhão delator, eis que aparece nesta foto com o indigitado líder do clube do bilhão. Diz O Antagonista:

Dilma Pixuleco disse que jamais havia recebido Ricardo Pessoa durante o seu primeiro mandato. A foto acima mostra que não é bem assim. Eles estão juntos, acompanhados de Marcelo Odebrecht, no lançamento da pedra fundamental do estaleiro Enseada do Paraguaçu, em 13 de julho de 2012, na Bahia.