quinta-feira, agosto 28, 2014

VÍDEO: AÉCIO NEVES REVELA EM DEBATE COM JORNALISTAS DO ESTADÃO AS MEDIDAS QUE TOMARÁ PARA EVITAR O CAOS ECONÔMICO DO BRASIL.


Estes três vídeos bem curtos mostram o candidato Aécio Neves sendo sabatinado pelos jornalistas do jornal O Estado de S. Paulo. Vale a pena ver, já que Aécio Neves aborda vários aspectos de seu programa de governo e os destaca com clareza e objetividade. 

Explica também as razões que o levaram a anunciar durante o debate na Band TV, nesta terça-feira que o economista Armínio Fraga será o seu ministro da Fazenda. 

Não resta dúvida que Aécio Neves se destaca de forma extraordinária como o candidato presidencial que reúne as melhores condições de promover as mudanças urgentes e necessárias capazes de livrar os brasileiros do caos econômico e dar condições de fazer o Brasil voltar a crescer.

Sua equipe econômica liderada por Armínio Fraga, um dos pais do Plano Real que acabou com a inflação e permitiu pela primeira vez na história do Brasil a estabilidade dos preços e valorização dos salários, é sem dúvida integrada por pessoal técnico de alto nível e que reúne grande experiência.

Só não enxergam isso os psicopatas e boçais dopados pela cantilena estatista que já destruiu a Petrobras, enquanto a estrutura do Estado brasileiro está inchada, obesa, em decorrência do aparelhamento desencadeado pelos governos do PT.

A situação brasileira, portanto, não é nada boa. Quem é assalariado sabe disso. Ninguém quer de volta a inflação e a corrosão do poder de compra dos salários.

GARGALHADAS
Num dos vídeos, Aécio Neves arrancou gargalhadas dos próprios entrevistadores, ao referi-se à recente entrevista de um dos conselheiros de Marina Silva, o economista Eduardo Giannetti, quando declarou que gostaria de ter no eventual governo de Marina, as participações dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e de Lula. Diz Aécio:
- Ouvi recentemente o Gianetti, de quem gosto, que a Marina gostaria de governar com o apoio do Lula e do Fernando Henrique. Bonita a expressão, mas em que direção? Na de Lula ou do Fernando Henrique? Na da estabilidade ou na do mensalão? Na da responsabilidade fiscal, das privatizações ou do absurdo aparelhamento da máquina pública? Do respeito às regras ou do intervencionismo? Essas são contradições vão ter de ficar claras - cobrou o tucano.

Os presentes não contiveram as gargalhadas.

quarta-feira, agosto 27, 2014

JORNAL NACIONAL REVELA UM TREMENDO EMBUSTE CHAMADO MARINA SILVA

Circulando intensamente pelas redes sociais 
Depois de ver a entrevista da Marina Silva no Jornal Nacional conclui como estava certo quando aqui afirmei que se, por um azar do destino, o segundo turno eleitoral seja uma disputa entre a Dilma e a Marina, não há nenhuma dúvida: anularei o voto. E acredito uma fantástica legião de brasileiros fará exatamente o mesmo: anulará o voto para presidente da República.
Basta olhar nos olhos de uma pessoa e ela se revela por inteiro! A Marina Silva só engana os idiotas que, lamentavelmente, constituem a maioria dos seres humanos. Não fosse assim, Lula, Dilma e seus sequazes não estariam no poder há mais de uma década, pilhando o erário, jogando dinheiro fora, queimando as divisas nacionais com empréstimos para paraísos de lavagem de dinheiro e tráfico internacional de drogas entorpecentes, como Cuba e demais ditaduras africanas assassinas.
Marina Silva é uma embusteira, uma rematada psicopata e, como tal, cínica e mentirosa. Não respondeu à principal pergunta dessa entrevista sobre a sua cumplicidade no que se relaciona ao caixa 2 operado por laranjas. Segundo o revelou o Jornal Nacional nesta terça-feira em matéria reproduzida em texto aqui no blog, com link para o vídeo, uma verdadeira quadrilha que viabilizou os jatinhos da chapa Eduardo e Marina, utilizou até mesmo favelados de Pernambuco, gente humilde e pobre, que rala para viver, para consumação do ato criminoso que, num país minimamente sério, seria suficiente para impugnar a chapa encabeçada por Marina Silva, sem prejuízo de processo criminal posterior.
Marina Silva usou sim os jatinhos da campanha do PSB. E o mínimo que deveria ter ocorrido é que ela, que pretende ser a Presidente do Brasil, tivesse conhecimento de todos os detalhes. Teria obrigatoriamente de saber como então candidata a vice-presidente da República, a origem dos aviões e toda a sua documentação. 
Assim há duas situações; não sabia e nem procurou saber ou sabia e agora, emulando Lula diz que não sabia.
Quem postula a Presidência da República deve ter, no mínimo, esses cuidados. Aliás, cuidados esses que devem ter os eleitores antes de cair no canto de sereia dessa aventureira chamada Marina Silva.
E além de tudo, como já disse, o seu olhar e seu modo de falar deixam transparecer tudo. Marina Silva é unha e carne do PT, é uma esquerdista fanática, uma vermelha fundamentalista cevada no ambientalismo o movimento político mais radical já surgido no mundo moderno. 
Aliás, recentemente vimos aquele episódio de vandalismo completamente maluco que destruiu um laboratório de pesquisas em São Paulo. E vimos também tropas de mascarados denominados black blocs depredando lojas e estabelecimentos bancários. Vimos também que um homem que ficou conhecido como o “sociólogo da barra de ferro”, foi preso nas tais manifestações do ano passado golpeando as instalações do Itamaraty. Esse indivíduo é íntimo de Marina Silva e faz parte da comissão de constituição da tal Rede Sustentabilidade e ao mesmo tempo integra um grupo de militantes políticos jovens coordenados por Gilberto Carvalho, dentro do Palácio do Planalto.
Todos esses tais manifestantes atrelados à ideologia professada por Marina Silva desejam a tal “nova política” e proclamam que ninguém os representa, exceção, evidente, à Marina Silva. Sãos eles os “sonháticos” que não hesitam em lançar mão da violência. Aprenderam durante as madrassas da Rede de Marina Silva. Agora imaginem a Marina Silva aparelhando todas as instâncias da administração pública com essa gentalha!
Convenhamos. O Brasil é e sempre foi uma porcaria imunda. Entretanto, era impossível prever que a democratização pudesse gerar com tanto vigor todo esse lixão que Marina Silva enche a boca para denominar de “nova política”.
Além disso, Marina é pretensiosa, posa de dona da verdade, mas é uma tremenda ignorante no que tange à filosofia política. Não sabe o que é política, nada. É incapaz de formular um conceito de política embora repita a palavra feita um papagaio. 
A entrevista ao Jornal Nacional pôs a nu a verdadeira Marina Silva, o plano B do PT. 
Repito. Se for para escolher entre duas psicopatas, anulo o voto. É isso aí.

VEJAM TAMBÉM: MARINA SILVA E RUMOROSO CASO DAS 6 MIL TORAS DE MOGNO

O FANTASMA DO PREFEITO DO PT CELSO DANIEL, MORTO EM 2002, VOLTA A ASSOMBRAR OS COMPANHEIROS, A PARTIR DE DESCOBERTA DA POLÍCIA FEDERAL.

Foto da operação policial durante o achado do cadáver do ex-prefeito Celso Daniel, no meio do mato, em janeiro de 2002 em Itapecirica da Serra, em São Paulo.
Transcrevo na íntegra artigo do jornalista José Neumâne, publicado no jornal O Estado de S. Paulo desta quarta-feira, 27, que se refere à reportagem veiculada pelo próprio Estadão no último sábado, a respeito de uma descoberta bombástica pela Operação Lavajato, que investiga lavagem de dinheiro pilotada pelo famigerado doleiro Alberto Yousseff. Na papelada apreendida pela Polícia Federal aparece um documento que faz emergir o nebuloso assassinato do prefeito petista Celso Daniel. Fica a pergunta: será que tal fato tem a ver com declaração do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que se habilitou recentemente ao uso da delação premiada para suavizar eventual pena que lhe será imposta, oportunidade, conforme foi divulgado, em que afirmou que se contar tudo não haverá eleição? Leiam e também vejam o vídeo abaixo da entrevista completa realizada com Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel pelo jornalista Augusto Nunes, e publicada em sua coluna no site de Veja em 13 de março de 2012:
Quem poderia imaginar que na quarta campanha presidencial posterior ao aparecimento do cadáver do prefeito de Santo André licenciado para coordenar o programa de governo da candidatura vitoriosa de Luiz Inácio da Silva, do PT, o fantasma de Celso Daniel deixaria o limbo para assombrar seus companheiros? E, pelo visto, o espírito vindo do além não se limitou a puxar o dedão do pé de uns e outros em sono solto, mas deixou-os a descoberto em pleno inverno. Para sorte deles, este inverno não tem sido tão gélido assim. Mas a alma é fria que só. E como é!
Sábado, em reportagem assinada por Andreza Matais, de Brasília, e Fausto Macedo, este jornal noticiou que a Polícia Federal (PF) apreendeu no escritório da contadora Meire Poza, que prestou serviços ao famigerado doleiro Alberto Youssef, contrato de empréstimo de R$ 6 milhões. O documento, assinado em outubro de 2004, reconhece dívida de tal valor, a ser paga em prestações em 2004 e 2005 pelas empresas Expresso Nova Santo André e Remar Agenciamento e Assessoria à credora, a 2S Participações Ltda. A primeira pertence a Ronan Maria Pinto, empresário do ABC e personagem do sequestro e morte de Celso Daniel, cujo cadáver foi encontrado no mato em Itapecerica da Serra em janeiro de 2002. A 2S pertencia ao publicitário mineiro Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, peculato e evasão de divisas a pena de 37 anos, quatro meses e seis dias e multa de R$ 3,062 milhões.
O elo encontrado pelos federais entre o assassinato do principal assessor de Lula na campanha presidencial de 2002, o escândalo de corrupção do mensalão e as denúncias apuradas na Operação Lava Jato, protagonizadas pelo doleiro acusado de lavar R$ 10 bilhões de dinheiro sujo, estava numa pasta identificada como "Enivaldo" e "Confidencial". A PF supõe que este seja Enivaldo Quadrado, condenado no mensalão.
A investigação em que o juiz federal Sérgio Moro encontrou provas suficientes para mandar prender o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa, que substituiu Sérgio Gabrielli na presidência da empresa 24 vezes, apurou que a corretora Bônus Banval não era de Enivaldo Quadrado, mas, sim, de Alberto Youssef. Costa, que o ex-presidente Lula, conforme testemunhos citados no noticiário do escândalo, chamava de Paulinho e teria oferecido ajuda nas investigações em troca de alívio na pena (pelo visto, ele conta até com a eventual liberdade), tem sido motivo de aflição de gente poderosa na República, temendo que suas revelações cheguem a comprometer a realização das eleições gerais de outubro.
O que já se sabe sem sua ajuda é grave. E a entrada em cena do espectro de Celso Daniel - que não é Hamlet, mas já expôs parte considerável da podridão que reina nestes tristes trópicos -, se não alterar o calendário eleitoral, abalará significativamente a imagem de vários figurões que disputam o posto mais poderoso de nossa velha e combalida República.
Em depoimento ao Ministério Público (MP) em dezembro de 2012, também revelado pelo Estado, Valério, chamado pejorativamente de "carequinha" pelo delator Roberto Jefferson, seu colega no banco dos réus do mensalão, contou que dirigentes do PT lhe pediram R$ 6 milhões a serem destinados ao empresário Ronan Maria Pinto. Conforme o depoente, o dinheiro serviria para calar Ronan, que estaria chantageando Lula, o secretário da Presidência, Gilberto Carvalho, e o então chefe da Casa Civil de Lula, José Dirceu. Gilberto Carvalho, conforme se há de lembrar quem ainda não perdeu a memória, tinha sido secretário de Celso Daniel e foi acusado pelos irmãos deste de transportar malas com as propinas cobradas de empresários de ônibus em Santo André para Dirceu, à época presidente do PT.
De acordo com a reportagem do Estado no sábado, há 20 meses "o PT não se manifestou oficialmente, mas dirigentes declararam que ele não merecia crédito". Com a descoberta do documento, contudo, parte da versão de Valério - a que se refere à "dívida", embora não se possa afirmar o mesmo em relação ao motivo desta - deve ter passado a merecer crédito, se não do PT, ao menos da PF. Crédito similar, por exemplo, ao dado pelo partido no poder federal ao chamado "operador do mensalão" quando o mineirinho emergiu como o gênio do esquema de distribuição de dinheiro, que o relator do processo no STF, Joaquim Barbosa, desvendou de maneira lógica e implacável.
O documento assinado por Valério nos papéis da contadora do doleiro acaba com qualquer dúvida, se é que alguém isento e de boa-fé possa ter tido alguma, de que nada há a imputar de político ou fictício à condenação de Dirceu, Valério, José Genoino e outros petistas de escol a viverem parte de sua vida no presídio da Papuda, em Brasília. Isso bastaria para lhe garantir a condição de histórico no combate à corrupção. Mais valor terá se inspirar o MP estadual a exigir da Polícia Civil paulista uma investigação mais atenta e competente sobre a morte de Daniel.
Ao expor a conexão entre o assassinato do prefeito, a compra de apoio ao governo Lula e a roubalheira desavergonhada na Petrobrás, a dívida contraída por Ronan põe em xeque todos quantos, entre os quais ministros do Supremo, retiraram a "formação de quadrilha" da lista de crimes cometidos por vários réus do mensalão. Negar a prática continuada por mais de dez anos de um delito em bando formado pelos mesmos personagens conotaria cinismo e até cumplicidade.
A delação de Paulo Roberto merecerá um prêmio, sim, se ele for capaz de informar quem são os verdadeiros chefões nos três delitos. Acreditar que possam ser um menor da favela, um publicitário obscuro e um doleiro emergente seria como nomear Papai Noel ministro dos Transportes. Do site do Estadão

EM CAMPANHA PELAS RUAS DE SÃO PAULO, AÉCIO NEVES CONTRA-ATACA ADVERTINDO: "O BRASIL NÃO É PARA AMADORES".

Aécio Neves em campanha nesta quarta-feira em São Paulo
No dia seguinte à pesquisa Ibope que apontou Marina Silva (PSB) com 29% das intenções de voto na corrida pelo Planalto, o tucano Aécio Neves endureceu o tom contra a ex-senadora. “O Brasil não é um país para amadores”, afirmou nesta quarta-feira, em referência à adversária. Em evento que marcou o lançamento de uma plataforma para jovens voluntários no comitê estadual do PSDB, Aécio procurou salientar a inexperiência de Marina e classificou as propostas tucanas como “mais consistentes”. "O Brasil pagou muito caro pela inexperiência daqueles que hoje estão no poder. E eu acredito que não vai querer correr novos riscos. Nós somos a mudança segura, responsável e com os melhores quadros", disse o tucano, alvo da artilharia da candidata do PSB no primeiro debate entre presidenciáveis na TV. "O Brasil não é um país para amadores", completou.
O tucano ainda afirmou que a proposta do partido "não é improvisada, é consistente", em contraponto aos planos apresentados pela candidata do PSB. Acompanhado pelo candidato a vice, o senador Aloysio Nunes Ferreira, Aécio cobrou empenho dos voluntários. Já Aloysio reforçou que a corrida eleitoral é "extremamente competitiva" e com "três candidatos que poderão e deverão dividir a atenção do eleitorado" na reta final. O vice de Aécio afirmou ainda que a presidente-candidata Dilma Rousseff vive em um "universo paralelo, acha que está tudo muito bem".
Contra Marina, Aloysio disparou: "Temos uma pessoa que não sabemos se é governo ou se é oposição. Alguém que se apresenta como quem foi ungida pela providência para, de repente, instituir a nova política", afirmou Aloysio. "Mas, não há nova política contraposta à velha política. O que há é a boa política contraposta à má política. E a boa política é a política de propostas", completou o vice de Aécio.  O presidenciável, no entanto, minimizou o impacto da pesquisa eleitoral desta terça – em que aparece com 19% doas intenções de voto, fora de um eventual segundo turno – e afirmou que "pesquisas importantes são aquelas que serão feitas no dia da eleição".
JATINHOS FANTASMAS
Questionado pelo site de VEJA se pretende cobrar de Marina explicações sobre o uso do jato que até agora não consta das prestações de conta da campanha socialista, Aécio afirmou: "Essa é uma questão que não cabe a mim fazer. Espero que o partido saiba dar as informações". Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a aeronave que caiu no 
último dia 13, matando o então candidato Eduardo Campos, não poderia ser utilizada na campanha por estar em nome da AF Andrade, de usineiros de Ribeirão Preto (SP). A legislação só permitiria que o jato fosse usado na campanha como doação se a AF Andrade atuasse no ramo de táxis aéreo. Além de Campos, Marina também utilizou o avião em atividades de campanha. O caso está sendo investigado pela Polícia Federal. Do site da revista Veja

A MÁQUINA DE CAPTAR IMPRESSÕES DIGITAIS PARA CONTROLAR O ABASTECIMENTO PODERIA SER ADOTADA NO BRASIL? NÃO É HIPÓTESE REMOTA SE ELEITORES CONTINUAREM A ELEGER COMUNISTAS.

Máquina para ler as impressões digitais que será utilizada na Venezuela para controlar as compras de quaisquer produtos. É a versão tecnológica do cartão de racionamento cubano. Essa máquina tem tudo para ser utilizada no Brasil em eventual governo da Dilma ou da Marina Silva.
Horário eleitoral gratuito, debate entre candidatos, graves denúncias contra a roubalheira da Petrobras, o escândalo dos jatinhos fantasmas da campanha de Marina Silva, o decreto dos 8.243 que cria os sovietes botocudos, transferências fabulosa de recursos públicos para a ditadura cubana, nada disso tem qualquer influência no comportamento do eleitorado brasileiro. Nada disso conta. É como se não existisse essa funesta realidade.
Os eleitores em sua esmagadora maioria continuam reivindicando mais esmolas estatais. E não são apenas os miseráveis não. A totalidade dos empresários brasileiros fazem a mesma coisa e lhes interessa que nada seja mudado pois desejam que as torneiras do BNDES continuem abertas com juros subsidiados, em suaves prestações a perder de vista.
Por isso o aparecimento da candidatura presidencial da Marina Silva vem como uma bênção para essas duas faixas da população: os ricos e os pobres. Os pobres porque vêem nela a continuidade das bolsas esmolas, enquanto os ricos podem fingir que também desejam mudar e coisa e tal e, de quebra, se posicionar como ambientalistas, coisa da moda. Os burgueses brasileiros acham chique o ecochatismo.
Espremida entre esses dois extremos permanece o que resta da verdadeira classe média brasileira que compõe os ralos 19% de apoio que aufere o candidato Aécio Neves na pesquisa eleitoral.
Mais um mandato para a Dilma ou para Marina Silva, tanto faz, será o suficiente para colocar o Brasil na mesma situação da Venezuela que então poderá exportar para cá a a tecnologia de “captahuellas”, uma máquina computadorizada que capta impressões digitais para controlar o que as pessoas podem comprar. Em outras palavras, trata-se de um controle total sobre os indivíduos já que esses dados podem ser cruzados com as demais informações que o governo já dispõe, especialmente no que tange ao processo eleitoral.
Dada as condições da economia brasileira completamente destroçadas por mais de uma década de governos do PT, é tão certo como o dia é seguido pela noite que passada a eleição presidencial o novo governo, seja ele quem for, terá de fazer os ajustes necessários.
Pelo que se apresenta nos números das pesquisas eleitorais o pleito deverá ser decidido no segundo turno e ao que tudo indica Dilma e Marina serão as opções, porque ambas sinalizam para esse eleitorado faminto por caraminguás estatais que nada irá mudar.
Há muito tempo já se verifica a desindustrialização do Brasil o que é um indicador perigoso, porquanto a já esquálida e antiquada indústria brasileira tende a desaparecer. E foi isso que aconteceu na Venezuela na esteira da loucura estatista bolivariana.
Como o Estado não produz nada a falência do setor produtivo faz os capitais migrarem para outros países de mercado vigoroso. Indústria e comércio vão fechando suas portas e se inicia a desgraça, com o desaparecimento da classe média verdadeira, não essa propalada pelo amante de Rosemary Noronha. A escassez é o primeiro sintoma do descalabro geral e passa a ser utilizada como forma de controle social. 
É por essas e outras que a eleição presidencial deste ano representa - ou já é possível afirmar que representaria - a oportunidade para evitar essa tragédia anunciada. Dos candidatos que estão aí salva-se apenas Aécio Neves que durante o debate realizado na noite de ontem, fez questão de avisar que se eleito for colocará o economista Armínio Fraga no comando da economia. 
Além do mais Aécio Neves foi o único candidato que apresentou uma proposta clara centrada exatamente no que se refere à situação econômica brasileira que é gravíssima. E, evidentemente, Aécio Neves sinalizou que trafega na via contrária ao receituário bolivariano, indicando que fechará as torneiras que sangram os cofres públicos para beneficiar ditaduras cubanas e africanas, parte do projeto de poder comunista traçado pelo Foro de São Paulo. Para quem não sabe o Foro de São Paulo, organização transnacional fundada por Lula e Fidel Castro em 1990, postula a transformação da América Latina numa extensão de Cuba. O PSB, partido que agasalha a Marina Silva, é integrante fundador do Foro de São Paulo.
O que alinhei de forma ligeira neste texto é o que está acontecendo. O mirrado percentual auferido por Aécio Neves nesta última pesquisa do Ibope é sob todos os aspectos dramática. Se o pleito for decidido por Dilma e Marina Silva não há mais nenhuma dúvida de que o Brasil verá a maior enxurrada de anulação de voto em pleito presidencial de sua história.
Seja vencedora uma ou outra candidata, preparem-se para enfrentar as filas da escassez como vem ocorrendo na Venezuela e ver Dilma ou Marina anunciando em rede nacional de televisão a importação da  Venezuela das máquinas “captahuellas”, para “regular o abastecimento” e “preços justos”. Como pano de fundo, as gôndôlas dos supermercados vazias. Esqueça seu churrasquinho de final de semana.
Como diz o velho adágio, cada povo tem o governo que merece. 

terça-feira, agosto 26, 2014

PROTESTOS CONTRA GOVERNO COMUNISTA DE MADURO EXPLODEM NOVAMENTE NA VENEZUELA. AGORA CONTRA O RACIONAMENTO DE ALIMENTOS E MEDICAMENTOS.

Nas cercanias de Caracas o povo volta as ruas para protestar contra o avanço comunista que impõe o racionamento de alimentos, medicamentos e demais produtos, inclusive peças de reposição para veículos. Acima banner de protesto contra a máquina para captar impressões digitais dos consumidores a cada compra. Esta foto do protesto está entre as centenas postadas por meio do Twitter.
Na Venezuela recomeçaram as manifestações de protesto contra a ditadura comunista de Nicolás Maduro, depois que esse títere de Fidel Castro anunciou o racionamento de alimentos, medicamentos e todos os demais produtos, incluindo até mesmo reposição de peças de veículos. E isto poderá finalmente resultar na deflagração de uma guerra civil nesse país.
Imaginem: os vagabundos comunistas inventaram um equipamento para ler as impressões digitais [capta-huelas, em espanhol) em cada compra de qualquer produto que os consumidores realizarem em quaisquer estabelecimentos, tanto públicos como privados.
Os alimentos e demais produtos já estão racionados e os consumidores só poderão comprar alimentos uma vez por semana. 
O fato já degenerou numa revolta feroz da população contra mais essa estratégia comunista que planeja transformar a Venezuela numa cópia de Cuba, onde o racionamento de todos os produtos já dura mais de meio século, fato que transformou o outrora pujante país numa grande favela.
As redes sociais, principalmente o Twitter, fervem a partir da Venezuela e parece que o controle sobre os alimentos, medicamentos e demais produtos, pode se transformar na gota d’água que devará à derrocada o regime bollivariano dos amigos de Lula, Dilma, Marina Silva e Eduardo Giannetti, o economista neo-bolivariano da campanha marinista.
Em suma, desta feita o diabo está apavorado e os deuses a anjos fazem a festa no céu, soprando suas cornetas em direção a América Latina.
Não há mal que sempre dure, embora essa névoa vermelha que envolve o Brasil, a Venezuela e todo o continente latino-americano já tenha passado dos limites. 
A verdade é que a maioria das pessoas, infelizmente, têm de beber o fel para descobrir que é amargo. 

REPORTAGEM-BOMBA DO JORNAL NACIONAL REVELA EMPRESAS FANTASMAS NA COMPRA DO JATINHO DA CAMPANHA DE CAMPOS E MARINA SILVA


Cenas da reportagem-bomba do Jornal Nacional. O vídeo da reportagem na íntegra pode ser visto clicando Aqui
O Jornal Nacional obteve, com exclusividade, documentos importantes da operação de compra e venda do jato Cessna, que era usado pelo candidato do PSB à presidência, Eduardo Campos.
O dinheiro que teria sido usado para pagar o avião em que morreu o candidato Eduardo Campos passa por escritórios em Brasília e São Paulo, e por uma peixaria fantasma em uma favela do Recife.
“Rapaz, eu estou até desnorteado. Como é que eu tenho uma empresa uma empresa sem eu saber?”, questiona um homem.
O Jornal Nacional teve acesso com exclusividade aos extratos da conta AF Andrade – empresa que, para a Anac, é a dona da aeronave. Mas a AF Andrade afirma que já tinha repassado a aeronave para outro empresário, que emprestou para a campanha de Campos.
Os extratos que já foram entregues à Polícia Federal mostram o recebimento de 16 transferências, de seis empresas ou pessoas diferentes. Num total de R$ 1.710.297,03.
Nos extratos aparecem os números do CPF das pessoas físicas ou do CNPJ, das empresas que transferiram dinheiro para a AF Andrade. Com esses números foi possível chegar aos donos das contas.
A empresa que fez a menor das transferências, de R$ 12.500, foi a Geovane Pescados. No endereço que consta no registro da peixaria encontramos Geovane, não a peixaria.
“Acha que se eu tivesse uma empresa de pescado eu vivia numa situação dessa?”, diz Geovane.
Outra empresa, a RM Construções, fez 11 transferências, em duas datas diferentes. Cinco no dia 1º de julho e mais seis no dia 30 de julho, somando R$ 290 mil.
O endereço da RM é uma casa no bairro de Imbiribeira em Recife. Mas a empresa de Carlos Roberto Macedo não funciona mais lá. “Tinha um escritório. Às vezes, guardava o material o outro”, conta ele.
Tentamos falar por telefone com Carlos, mas ele pareceu não acreditar quando explicamos o motivo da minha ligação.
Repórter: Você andou depositando dinheiro para comprar de um avião?
Carlos: Tem certeza disso?
Já um depósito de quase R$ 160 mil saiu da conta da Câmara & Vasconcelos, empresa que tem como endereço uma sala vazia em um prédio e uma casa abandonada. Os dois lugares em Nazaré da Mata, distante 60 quilômetros do Recife.
A maior transferência feita para a AF Andrade foi de R$ 727 mil, no dia 15 de maio, pela Leite Imobiliária, de Eduardo Freire Bezerra Leite.
E completam a lista de transferências João Carlos Pessoa de Mello Filho, com R$ 195 mil, e Luiz Piauhylino de Mello Monteiro Filho, advogado com escritórios em Brasília, Recife e São Paulo, com uma transferência de R$ 325 mil.
Luiz Piauhylino de Mello Monteiro Filho disse que realizou, em junho, uma transferência bancária de R$ 325 mil e que esse valor é referente a um empréstimo firmado com o empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho.
O empresário João Carlos Lyra declarou que, para honrar compromissos com a empresa AF Andrade, fez vários empréstimos, com o objetivo de pagar parcelas atrasadas do financiamento do Cessna.
A Leite Imobiliária confirmou que transferiu quase R$ 730 mil para a AF Andrade  como um empréstimo a João Carlos Lyra.
Já o PSB declarou, nesta terça-feira (26), que o uso do avião foi autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira.
E que o recibo eleitoral, com a contabilidade do uso do Cessna, seria emitido ao fim da campanha de Eduardo Campos.
O PSB afirmou que o acidente, em que morreram assessores do candidato, criou dificuldades para o levantamento de todas informações. Do site G1 onde pode ser também visto o vídeo completo da reportagem do Jornal Nacional

MARINA SILVA DEVE EXPLICAÇÕES SOBRE O JATINHO QUE CHAMAVA DE SEU

Por Nilson Borges Filho (*)
Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima é o nome da moça. Com pose de madre superiora arrependida – embora evangélica – Marina Silva tem estilo próprio. Circula com um xale de brechó, que faz parecer um manto sagrado. Longe de um pretinho básico, peça preferida de dez entre dez moças que se movimentam entre os escaninhos do poder, a candidata a presidente é chegada em roupas com motivos étnicos, mas nada extravagante como é recomendável para uma senhora que professa sua fé nos cultos da Assembleia de Deus. Com um discurso que prega a ética na política, Marina Silva gosta de dar lição de moral nos adversários políticos.
Na verdade são muitos, pois já trafegou pelo PT, PV e agora dá suas cartas no PSB. Tudo indica que não ficará nisso, pois a candidata quer porque quer um partido para chamar de seu. Encerrado o pleito, eleita ou não à presidência, Marina vai pular fora do barco socialista.
Fernando Collor criou um partido só para si, a que deu um nome pomposo, Partido da Reconstrução Nacional (PRN),  que sobreviveu até seu criador ser expulso da vida pública por crime de responsabilidade. Na verdade, Collor e seu partido destruíram as instituições e transformaram a Casa da Dinda, residência de Fernando Collor em Brasília, num valhacouto de políticos corruptos, onde faziam suas traficâncias.
Marina saiu dos seringais do Acre, frequentou universidade pública e saiu com um canudo de historiadora para entrar na política. Chegou ao Senado da República, disputou a presidência com um patrimônio eleitoral de 20 milhões de votos.
É com esse recall de votos somados aos indecisos e, principalmente com os votos dos jovens eleitores que desejam distância de tudo que aí está e dos rebeldes sem causa, que Marina Silva pode incomodar os dois principais concorrentes: Dilma Rousseff e Aécio Neves. De Dilma não sairá surpresa nenhuma, pois sabe-se muito bem o que não fez pelo Brasil depois de 4 anos aboletada na cadeira presidencial.
De Aécio Neves sabe-se muito bem o que pretende fazer pelo Brasil, prova disso são os dois mandatos exitosos no governo de Minas Gerais. De Marina Silva a única certeza é a incerteza de um governo sem sustentação parlamentar e sem a mínima experiência para tratar dos negócios (no bom sentido) do Estado.
O coque fora de moda, o xale de brechó e com aquele ar de santidade do pau oco, Marina é um tiro no escuro, uma aventura que o brasileiro não pode levar adiante. Além do voto de bom tipo, espera-se dos brasileiros um pouco de juízo quando depositar na urna o seu direito de cidadão. Não podemos perder mais 4 anos para construir um Brasil limpo. Tempos atrás, Marina aportou em Belo Horizonte (em que pese Minas não ter saída para o mar), deitou falação e se colocou no pedestal dos vestais de araque, verbis:
 “Eu e o Eduardo Campos estamos lutando contra esses grandes grupos que se alimentam da corrupção. É por isso que cada um tem um mensalão para chamar de seu”. 
Como Eduardo Campos não está mais entre nós, o contribuinte brasileiro e o cidadão de bem deste País exigem da candidata Marina Silva explicações convincentes sobre a origem do dinheiro que abastecia o jatinho que chamava de seu e quem são os reais proprietários da aeronave. Para uma candidata que exalta a ética e se coloca à margem e acima  da política tradicional é obrigação que venha a público para dizer aos eleitores a verdadeira história desse jatinho que Marina chamava de seu.
(*) Nilson Borges Filho é mestre, doutor e pós-doutor em Direito e articulista colaborador deste blog. Foi professor e diretor da Faculdade de Direito da UFSC, professor visitante da UFMG e Juiz do TRE de Santa Catarina.

CRESCE A TENDÊNCIA AO VOTO NULO NO SEGUNDO TURNO SE A ESCOLHA FICAR ENTRE DILMA E MARINA. BYE, BYE, BRASIL!


Neste vídeo a jornalista Joice Hasselmann conversa com o Reinaldo Azevedo. Em foco os misteriosos jatinhos de Marina Silva, uma mulher que pretende estar acima de qualquer mortal. E ainda o turbilhão de bobagens e canalhices que cerca a candidatura da rainha da floresta. 

Reinaldo Azevedo vai diretamente ao ponto sem tergiversar. Quem não viu, não deixe de ver este vídeo.

E vou repetir mais uma vez aqui: se a eleição no segundo turno ficar entre Dilma e Marina, não terei dúvida nenhuma. ANULO O VOTO! E, pelas redes sociais já se pode constatar também que vai haver uma abstenção histórica, caso a disputa fique entre a coisa ruim e o que não presta.

É pelos fatos que são aventados neste vídeo que cresce a tendência do voto nulo e abstenção se a estupidez dos eleitores levar a eleição para o segundo turno com duas candidaturas que, a rigor, são mais do mesmo, ou seja: lixo. Lixo ideológico comunista, até porque a Marina Silva defende o decreto 8.243 da Dilma, que cria os sovietes, os ditos conselhos populares destinados a substituir o Senado e a Câmara Federal, destruindo a democracia representativa. E isto deve ser chamado pelo nome certo: golpe de Estado.

A Marina Silva não passa de mais uma impostora, uma golpista igual a cambada do PT!

Foi assim que aconteceu na Venezuela e deu no que deu!

A ESTUPIDEZ POLITICAMENTE CORRETA É CÚMPLICE DA DESTRUIÇÃO DA CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL

Esta ilustração diz tudo
Do lixo que a Folha de S. Paulo edita diariamente é possível, ainda, encontrar alguns diamantes reluzentes, como este artigo do jornalista e escritor português João Pereira Coutinho. E pode-se contar nos dedos os intelectuais ocidentais como Coutinho, já que a maioria cultiva, se vangloriando, o ataque suicida contra a democracia e a liberdade, os fundamentos da civilização ocidental.
Há alguns dias os assassinos islâmicos degolaram um jornalista americano sem que tenha havido um só artigo em desagravo a esse ato de terrorismo cruel e indescritível cometido contra um profissional que estava trabalhando. Nem uma mísera nota de uma entidade de classe. A maioria desses jornalistas que assinam colunas semanais e/ou diária em grandes jornais foi incapaz de emitir um resmungo, que dirá um artigo denunciando essa barbaridade, como também as televisões se limitaram a dar a notícia como uma notícia igual às outras.
Quaisquer desses vagabundos de toalha na cabeça, véus e adereços correlatos, são intocáveis. E eles vivem à vontade, soberbos mesmo, nas ruas das cidades ocidentais, nos shoppings, na praças, enfim, livres, leves e soltos. E ai de quem ouse censurá-los exijindo que sigam os costumes ocidentais. Com certeza será processado por algum promotor politicamente correto do Ministério Público, desses cevados nas faculdades de Direito que se transformaram em espeluncas vagabundas que promovem a lavagem cerebral dos estudantes. Digo isso porque também sou advogado com mestrado em Direito. Sei muito bem o que estou dizendo. E a OAB também vai no mesmo caminho.
Por tudo isso, transcrevo o excelente artigo de João Pereira Coutinho. Às terças-feiras é Coutinho que salva a Folha; e às sextas-feiras, Reinaldo Azevedo. A maioria do resto é lixo, imundice e vagabundagem cínica e criminosa. E afirmo tudo isso porque além de advogado sou jornalista há mais de 40 anos. E sei muito bem o que estou dizendo. Leiam: 
NÓS, OS VERMES.
Por João Pereira Coutinho
Que beleza, leitor: um grupo intitulado Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) agora domina partes da Síria e do Iraque. Melhor: já faz vídeos. Com decapitações de ocidentais. E proclamações: existe um novo Califado, dizem os assassinos, renascido das cinzas otomanas que a Primeira Guerra provocou.
Essa utopia terrena está atraindo jihadistas do mundo inteiro. Do mundo inteiro, vírgula: do Reino Unido em especial. O premiê David Cameron está pasmo. Membros do seu governo, "idem". E a "inteligência" britânica quer saber como é possível que cidadãos britânicos, que nasceram e cresceram à sombra do Estado de bem-estar social, viram as costas ao Ocidente para lutarem contra o Ocidente.
Boas perguntas. Nenhuma delas é especialmente misteriosa. Qualquer pessoa com dois neurônios compreende que, no caso do Reino Unido, a produção de jihadistas explica-se pela belíssima cultura de "tolerância" que, durante duas gerações, permitiu que muitas mesquitas locais fossem antros de ódio e extremismo.
Só Deus sabe --ou Alá, já agora, para não ferir certas sensibilidades ecumênicas-- a extrema dificuldade legal que Londres teve para extraditar Hamza al-Masri, o famoso "Capitão Gancho" da mesquita de Finsbury Park, em Londres, para os Estados Unidos, onde era acusado de vários complôs. O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem estava preocupado com os "direitos humanos" de um terrorista, mas não com os direitos das vítimas que ele potencialmente causava com as suas palavras de loucura e morte.
E só agora a ministra do Interior britânica, a conservadora Theresa May, promete legislação pesada para o extremismo e as incitações ao ódio --em espaços públicos, escolas, mesquitas etc. Até os trabalhistas aplaudem a "coragem" da senhora.
Não admira: como informa o "Daily Telegraph", existem mais cidadãos britânicos de origem muçulmana marchando nas fileiras do EIIL do que no exército de Sua Majestade. Eis um retrato da pátria de Churchill.
Mas há outro. Porque não existem apenas fanáticos islamitas que, dentro do Ocidente, pregam a morte do Ocidente. É preciso relembrar os fanáticos revisionistas e multiculturalistas que, na mídia e nas universidades, foram oferecendo as doces pastagens da retórica antiocidental.
Caso clássico: anos atrás, Ian Buruma e Avishai Margalit escreverem um livro que inverte o título (e a tese) do celebrado "Orientalismo" de Edward Said. Chama-se "Ocidentalismo" e é um estudo sobre a visão deturpada e grotesca do Ocidente produzida pelos seus inimigos.
E, no topo da lista, está um longo rol de intelectuais ocidentais --de Spengler a Heidegger, sem esquecer o demencial Sartre-- para quem o Ocidente era um antro de decadência/declínio/corrupção/brutalidade/desumanidade/exploração (pode escolher à vontade). Essa retórica, escreviam os autores, acabou por emigrar para o mundo inteiro, Oriente Médio em especial. E é hoje repetida, "ipsis verbis", pela turma do EIIL.
No livro, há até um episódio pícaro (e grotesco; atenção, famílias) que ilustra bem como as más ideias viajam depressa. Acontece quando o Taleban tomou Cabul em 1996, pendurou o presidente afegão Najibullah no poste, encheu os seus bolsos de dólares e colocou cigarros entre os dedos quebrados do cadáver.
Mensagem: esse aí é um produto degenerado do Ocidente em seus vícios e ganâncias.
(Curioso, lembrei agora: as campanhas antifumo poderiam usar a imagem do antigo presidente afegão enforcado e com cigarros entre os dedos. E o lema: "Fumar prejudica a saúde." Mas divago.)
Porque a questão é glacial: se nós, ocidentais, não respeitamos o que somos ou temos, independentemente de todos os erros cometidos (e corrigidos: será preciso lembrar a escravatura, abolida por aqui e praticada ainda no resto do mundo?), por que motivo devem os outros respeitar-nos?
Gostamos tanto de nos apresentar como vermes que os outros acabam olhando para nós como vermes.
Soluções?
Deixemos isso para os líderes do mundo, como Barack Obama, que tipicamente não sabe o que fazer. (Uma sugestão: que tal reduzir à Idade da Pedra quem tem a mentalidade de homens das cavernas, senhor presidente?)
Mas já seria um grande contributo se o Ocidente fosse um pouco mais intolerante com a intolerância daqueles que recebemos, alimentamos, sustentamos --e enlouquecemos de ódio com o ódio que sentimos por nós próprios. Da Folha de S. Paulo desta terça-feira

segunda-feira, agosto 25, 2014

EXCLUSIVO! VÍDEO-BOMBA REVELA ESCASSEZ E CRISE ECONÔMICA VIOLENTA NA VENEZUELA E ARGENTINA. O BRASIL SEGUIRÁ O MESMO CAMINHO COM O RISCO DE ELEGER DILMA OU MARINA SILVA!



A parte sobre a Venezuela começa a partir de 41:20” já que é o programa completo do jornalista Jorge Lanata
Como já informei este blog tem grande audiência em muitos países da América Latina, Estados Unidos e Europa. Todavia se destaca o elevado número de seguidores do blog na Venezuela via Twitter. Dos 15.300 seguidores do blog no Twitter, calculo que só na Venezuela o blog tem no mínimo uns 7 mil seguidores, dentre eles muitos jornalistas renomados desse país, bem como diplomatas, políticos e intelectuais. Isto me gratifica muito porquanto tenho um carinho especial pela Venezuela e seu povo que há 14 anos vem sendo tratado a pontapé pelos sequazes de Fidel Castro.
E mais uma vez, a leitora venezuelana que se identifica pelo pseudônimo de Lucecita, deixou um comentário aqui no blog muito especial e fornece o link desse vídeo postado acima que provavelmente estou postando com exclusividade, já que o programa foi ao ar na noite deste domingo. E esta é a reportagem-bomba que anunciei no início da tarde e que é traz uma realidade dramática que é sistematicamente escamoteada pela grande imprensa brasileira, sobretudo as redes de televisão.
Diz Lucecita: Olá, Aluízio. Te envio o llink de um programa da TV argentina que passaram à noite. Trata-se de um programa dirigido por um jornalista também “politicamente incorreto”, chamado Jorge Lanata, que enfrenta o governo de Cristina Kirchner e a corrupção na Argentina. Lanata alerta que o Congresso tentará aprovar na próxima quarta-feira a Lei de Abastecimento, muito parecida com a nossa e as consequências que terá. Oxalá os argentinos reajam! Esse jornalista (Lanata) veio a Venezuela há alguns anos (época da ditadura do Hugo Chávez) e quase foi preso  por filmar a situção aqui na Venezuela. Desta vez enviou um jornalista que percorreu vários supermercados e entrevistou comerciantes, economistas e o povo em geral. Está muito bem feito e reflete o que aqui vivemos. A parte sobre a Venezuela começa a partir do minuto 41:20. Talvez sirva para que os brasileiros reflitam e não sigam ouvindo o canto de sereia desses governos socialistas que só nos têm levado à destruição moral e econômica.”
É muito importante que vejam o vídeo acima. Lamentavelmente não há legendas em português, mas ouvindo com atenção, mesmo quem não domina o espanhol, dá para ter uma ideia do que está acontecendo na Venezuela e o que vai acontecer imediatamente na Argentina, caso na próxima quarta-feira o Congresso argentino aprove a tal Lei do Abastecimento o que não passa da oficialização da escassez de alimentos, como existe em Cuba e também está ocorrendo há algum tempo na Venezuela. As imagens ajudam a compreender tudo!
Com a pilhagem dos cofres públicos, as dívidas interna e externa, a dependência da maioria da população de caraminguás estatais variados, como bolsas, gratuidade de transporte e a consequente ausência de divisas, aparece como primeira consequência a escassez de alimentos e de forma subsequente os outros produtos, chegando até a reposição de peças de automóveis e caminhões. Mais adiante, diversas indústrias fecham as portas com a falência generalizada da economia mergulhando esses países na soturna penumbra da miséria como existe em Cuba há mais de meio século.
O CASO BRASILEIRO
O que está acontecendo na Venezuela e agora também na vizinha Argentina, ocorrerá no Brasil caso prevaleça a temosia idiota dos eleitores de continuar elegendo um bando de psicopatas comunistas liderados pelo Lula e pela 
Dilma. E como se não bastasse essa barbaridade agora os eleitores brasileiros parece que desejam eleger Marina Silva que não é apenas mais do mesmo, mas que constitui um perigo, pois essa mulher além de pilotar o movimento ambientalista que é mais radical do que o velho partido comunista, nunca administrou nada na vida! Sua maior virtude é ter sido áulica de Chico Mendes, conhecido no Acre como um vagabundo cachaceiro. 
Depois que li a entrevista que concedeu à Folha de S. Paulo nesta segunda-feira o principal formulador da política econômica de Marina Silva, o descolado e oportunista irresponsável Eduardo Giannetti, que se diz doutor em economia, cheguei à conclusão que o número de psicopatas no Brasil é mais elevado do eu imaginava!
Se Marina já é um incógnita, imagina assessorada por gente como esse Giannetti, que depois dos 50 anos de idade resolveu chutar o balde e servir de porta-voz da rainha da floresta acreana.
Notem que até hoje Marina Silva não disse ainda a que veio. E não irá dizer porque não tem o que dizer, tanto é que transfere ao seu conselheiro econômico a tarefa de traduzir o “marinês” com o qual pretende substituir o “dilmês”. Ou ainda transferir ao seu vice a tarefa de explicar a fraude eleitoral que envolve dois jatinhos de alto luxo conseguidos por meio de empresário laranja. Um deles desabou matando Eduardo Campos. Mas como foi noticiado há ainda outro jatinho arranjado por meios pouco lícitos que, a rigor, se enquadra na Lei Eleitoral como fraude!
Espero que a Venezuela e agora a Argentina, como mostra o vídeo acima, sirvam de exemplo para os brasileiros. A menos que desejem passar o resto de suas vidas  submetidos a uma tirania que se utiliza da escassez dos alimentos e demais produtos, para se manter eternamente no poder. 
Na Venezuela, por exemplo, o tiranete Nicolás Maduro, já está aplicando a tecnologia para controlar a venda de alimentos e demais produtos, por meio de um aparelho que lê as impressões digitais. Controlam o quanto as pessoas podem consumir e ainda ficam sabendo tudo sobre os seus hábitos, sobre o que comem e o que fazem no dia a dia!
E não tenham dúvida, isso que ocorre na Venezuela e logo, logo, na Argentina, acontecerá também no Brasil, caso se eleja Dilma ou Marina Silva. 
Se tiver que ser esta a escolha no segundo turno, meu voto, pela primeira na minha vida, será nulo! ANULAREI O VOTO! 
Como já disse aqui no blog, em qualquer eleição em qualquer país democrático do mundo as pessoas votam no menos pior. Candidatos e candidatas são seres humanos, portanto falíveis, mortais, cheios de defeitos. Cumpre ao eleitor consciente escolher o menos pior que neste caso é Aécio Neves.
Mas como o Brasil é o país da jabuticaba, corre-se o risco de ter uma eleição a ser disputada por duas candidatas que não se sabe qual é a pior. Neste caso não há como escapar: anula-se o voto, que é o último recurso do eleitor consciente.

BLOG PROMETE REPORTAGEM-BOMBA EXCLUSIVA NESTA SEGUNDA-FEIRA. FIQUEM ATENTOS!


A REPORTAGEM-BOMBA JÁ ESTÁ NO AR! VEJA AQUI

Ainda nesta segunda-feira, com exclusividade aqui no blog uma matéria especial e vídeo impressionante sobre a brutal realidade que vivem os venezuelanos e argentinos, por conta da escassez de alimentos e a inflaçao galopante.

Trata-se de uma advertência muito séria para os brasileiros. Tanto na Venezuela como na Argentina a inflação corrói os salários e as gôndolas do supermercados estão vazias. 

Tudo isso é resultado da aventura bolivariana que venezuelanos e argentinos embarcaram.

E vamos ser claros: tanto Dilma, Lula como Marina Silva são as versões brasileiras dessa insana escalada bolivariana.

Fiquem atentos. Ainda nesta segunda-feira aqui o blog uma autêntica reportagem-bomba. Imperdível sob todos os aspectos.

Logo que postar aqui no blog também farei postagens com chamadas no Facebook e Twitter. Fiquem atentos!

CAMPANHA DE CAMPOS E MARINA SILVA TAMBÉM UTILIZOU OUTRO JATINHO IRREGULAR DE EMPRESÁRIO LARANJA

Learjet 45, modelo similar ao outo jatinho utilizado pela campanha de Campos e Marina Silva que também está sendo investigado por irregularidades.
Uma das empresas investigadas na compra do jato Cessna Citation 560 XLS, que caiu matando o candidato a presidente pelo PSB, Eduardo Campos, e outras seis pessoas, a Bandeirantes Companhia de Pneus Ltda. tem em seu nome outra aeronave que, em maio, foi usada pelo ex-governador de Pernambuco durante visita de pré-campanha na Bahia. Trata-se do Learjet 45, prefixo PP-ASV, que Campos usou no dia 20 de maio, em visita a Feira de Santana. Em fotografia retirada pela imprensa durante sua chegada é possível ver a aeronave.  De acordo com a resolução 23.406, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a aeronave que caiu no último dia 13 não poderia ser utilizada na campanha por estar em nome da AF Andrade, de usineiros de Ribeirão Preto (SP). A legislação só permitiria que o jato fosse usado na campanha como doação se a AF Andrade atuasse no ramo de táxis aéreos. Além de Eduardo Campos, Marina também utilizou o avião em atividades de campanha.
Mais modesto que o Citation 560 XLS, o avião biorreator usado pelo candidato naquele dia está registrado na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em nome da Bandeirantes, que tem sede em Pernambuco, e pertence a Apolo Santa Vieira. Pelo registro na Anac, o Learjet 45 foi financiado pela Bandeirantes. Como foi comprado por leasing, enquanto a empresa não terminar de pagá-lo, pertence ao Bank of Utah Trustee.
Apolo Santa Vieira é um dos três empresários pernambucanos investigados pela Polícia Federal como supostos laranjas na negociação de arrendamento do Citation, que caiu em Santos (SP). A aeronave está em nome da AF Andrade, que está em recuperação judicial. Em maio, o empresário pernambucano João Carlos Lyra de Melo Filho assinou compromisso de compra da aeronave e indicou as empresas Bandeirantes e BR Par para assumir dívidas junto à Cesnna.
Este é o interior da luxuosa aeronave que também foi utilizada por Marina Silva em suas viagens
Agentes da PF, com auxílio da Receita Federal, tentam identificar de onde veio o dinheiro para a Bandeirantes Pneus, uma importadora e recuperadora de pneus, comprar o Learjet e o Citation. Por meio de nota, a empresa informou que tentou assumir o leasing do Citation (que vale 8,5 milhões de dólares), mas que a compra não se efetivou. A AF Andrade informou que já havia recebido parte das parcelas. No sábado, o candidato a vice de Marina, deputado Beto Albuquerque, tergiversou ao tratar do assunto: "Nós queremos saber, e ainda não foi explicado: como esse avião caiu e matou o nosso líder. Como caiu? Por que caiu? Queremos Justiça nesse caso. Sobre as circunstâncias de titularidade, de quem comprou e quem vendeu, isso não um problema nosso e não é era um problema do Eduardo. É um problema dos proprietários da aeronave. Sobre a relação do avião que nós usávamos, a direção partidária está apurando todas as informações para prestar os esclarecimentos necessários", disse.
Apolo Viera é réu em um processo por sonegação fiscal na importação de pneus, via porto de Suape (PE), que gerou um prejuízo de 100 milhões de reais aos cofres públicos. Sua antiga empresa, a Alpha Pneus, e outras, recorrem em segunda instância. A Bandeirantes foi criada em 2004, em Jaboatão dos Guararapes (PE) e funciona em um galpão de médio porte. A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo localizou uma movimentação de importação financiada registrada pelo Banco Central, em dezembro de 2010, de 1,4 milhão de dólares, via banco Ilhas Cayman e Banco Safra. Do site da revista Veja

MISTÉRIO CONTINUA: MARINA SILVA CALA SOBRE "JATINHO FANTASMA" E TERCEIRIZA O PROBLEMA COM O SEU VICE.

Herança maldita: Acima o então candidato Eduardo Campos em viagem com sua família no "jatinho fantasma" que agora atormenta a candidatura de Marina Silva.
O PSB vai explicar ao País esta semana as dúvidas que cercam o uso do jatinho Cessna 560 XL pelo ex­governador Eduardo Campos, morto no dia 13 de agosto na cidade de Santos. A informação é do deputado Beto Albuquerque (PSB­RS), vice na chapa de Marina Silva. "Estamos agora em um debate jurídico.
O PSB, acho que nessa semana, a partir de amanhã (segunda feira, 25), vai prestar esclarecimentos. Está fazendo levantamentos jurídicos para isso", afirmou neste domingo, 24.
Beto Albuquerque disse que não cabe a ele e nem a Marina comentar as dúvidas acerca do contrato da aeronave usada por Campos na campanha presidencial. "Cabe a mim e a Marina apenas lamentar a queda do avião e cobrar das autoridades brasileiras as explicações convincentes das razões pelas quais esse avião caiu e matou o nosso líder e candidato à Presidência Eduardo Campos", declarou Beto Albuquerque, que companhava Marina Silva em uma visita ao Centro de Tradições Nordestinas (CTN) nesta tarde.
Indagado sobre suspeitas da Polícia Federal de que o avião era contratado com recursos de caixa 2 de campanha, o vice de Marina foi enfático. "Eu não sei o que a Polícia Federal está falando. Se ela está falando ela deve apurar antes de falar".
Polícia Federal não deve falar, Polícia Federal tem que investigar e, quando decidir falar, deve estar com a coisa concluída."
"Eu quero dizer que o partido prestará informações a todos vocês, ao Brasil, sobre as condições daquele contrato (relativo ao jatinho)", anunciou o vice. "Mas eu insisto, o povo brasileiro e o nosso partido queremos saber em que condições caiu esse avião. Está tudo muito mal contado e a gente gostaria muito de ter essa explicação. Essa semana o PSB haverá de se manifestar nessa direção da pergunta  (sobre a origem do jatinho)." Do site do Estadão

domingo, agosto 24, 2014

A SOBREVIVENTE

Por Maria Lucia Victor Barbosa (*)
Da morte trágica do candidato à presidência da República, Eduardo Campos, emergiu a sobrevivente, Marina Silva, que tendo se abrigado no PSB por não ter conseguido registrar o seu partido Rede Sustentabilidade seria a vice na chapa.
Como escreveu Elias Canetti em sua magistral obra, Massa e Poder: “O momento de sobreviver é o momento do poder”. “O espanto diante da visão da morte se dissolve em satisfação, pois não se é o morto”. “O morto está estendido e o sobrevivente está de pé”. “É como se um combate tivesse antecedido aquele momento, e nós mesmo tivéssemos derrubado o morto”. Canetti se referia às batalhas onde se mata e morre literalmente, mas não é uma campanha eleitoral uma espécie de batalha?
Marina, a sobrevivente, se sente ungida pela “providência divina”, segundo suas palavras. Na eleição de 2010 obteve 20 milhões de votos e ficou em terceiro lugar. Neste ano viu frustrada sua intenção de voltar à campanha presidencial por ter falhado a oficialização da Rede Sustentabilidade. Agora, por um desses acasos que ela atribui a forças sobrenaturais ei-la no centro do palco da política.
Alçada à cabeça de chapa Marina se transformou rapidamente de hóspede em hospedeira do PSB e sua primeira providência foi a de substituir os comandos da campanha por gente sua, enquanto alijava o pessoal de Eduardo Campos. Portanto, o PSB pode dar adeus às ilusões. A Rede que ainda não existe adonou-se da escalada ao Planalto e se Marina chegar lá tudo indica que não sobrará nada para os socialistas de Campos. As aspirações pesebista foram sepultadas junto com o líder morto.
Dizem em tom de brincadeira que Marina é verde por fora e vermelha por dentro. Toda brincadeira tem um fundo de verdade e não se duvide que no peito de Marina bata ainda um coração petista. A sobrevivente ungida é como o avatar de um PT já longínquo que se dizia puro, ético, a verdadeira esquerda que vinha para mudar o que estava errado.
Á frente do PT a estrela barbuda, que na quarta tentativa chegou lá depois de vestir terno Armani, aparar a barba e fazer publicar uma Carta na qual se comprometia a manter os fundamentos da nossa economia capitalista de Terceiro Mundo.
No poder os éticos e puros mostraram a que vieram e foram na nossa endêmica corrupção os mais corruptos. Incompetentes, reeditaram a inflação, a inadimplência e nos fizeram o país dos pibinhos, dos descalabros na Educação e na Saúde, da Petrobras arrebentada, da diplomacia vergonhosa que defende e custeia os mais nefastos ditadores mundiais. Para piorar o País é o lanterninha dos Brics.
O Brasil como paraíso é uma fraude gerada pela propaganda enganosa. O que de fato se tem é a herança maldita dos quase 12 anos de governo Lula, pois a bem da verdade, nos últimos desastrosos quatro anos foi o criador que mandou e a criatura somente obedeceu.
Note-se que a sobrevivente já iniciou sua metamorfose ao incorporar como vice o gaúcho Beto Albuquerque, ex-petista que agora é citado como defensor do agronegócio. Marina, como se sabe, sempre foi contra o agronegócio. Será que mudou? Afinal, ela apoia os sem-terra.
A candidata da Rede também já aceita a ideia da autonomia do Banco Central. É o que afirma a herdeira do Banco Itaú, Maria Alice Setubal, amiga e coordenadora do programa de governo da sobrevivente. Sem dúvida, um truque da candidata com o intuito de agradar o mercado, que se antes temia Lula agora a teme. Só falta a Rede lançar uma Carta para apaziguar certos ânimos.
Marina está fortalecida. Leva vantagem sobre Rousseff porque além de ser mulher representa com seu aspecto frágil um perfil bem mais feminino. E ganha de Lula porque teve como ele origem humilde, mas, como já foi dito é mulher e negra. Daqui a pouco vão dizer  de modo politicamente correto que é mulher, negra e índia. Então, aí de quem criticá-la. Tal coisa será considerada não como preconceito, mas como crime de racismo, portanto, inafiançável.
A sobrevivente, que se esclareça, não é terceira via e sim o Lula de saias abanando uma bandeira vermelha. Com relação ao PT ela pode dizer: “eu sou você amanhã”. Mas, quais são seus planos de governo? Já se sabe que seu programa incluirá os tais conselhos populares idealizados pelo PT e outros canais de democracia direta. Uma quinada e tanto à esquerda que talvez o PT faça caso Rousseff ganhe.
Quanto ao PSDB nunca foi oposição ao PT por temer a popularidade do demagogo Lula. Se agora os tucanos continuarem abúlicos por conta do medo da “santa da floresta” e seguirem sacudindo seus punhos de renda contra a borduna do PT e o arco e flecha da Rede, podem jogar a toalha. Então, ecoará da Papuda a profecia de José Dirceu: “Viemos para permanecer 20 anos”. “Muito mais”, dirá Lula, “meu modelo é Fidel Castro”.
(*) Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga www.maluvibar.blogspot.com.br

O MAPA DO BURACO COMUNISTA! OU: COMO 'VEJA' CAIU NESSE BURACO?


Como os leitores podem notar retirei do blog a postagem relativa ao lançamento de um tal Manifesto Mapa do Buraco, supostamente de iniciativa de jovens estudantes. E fui obrigado a fazê-lo, pois alertado por um leitor fui conferir o ato de lançamento do tal manifesto realizado no Rio de Janeiro, conforme pode ser conferido neste vídeo acima e que, curiosamente, é produzido pela Mídia Ninja, organização ligada a movimentos esquerdistas como o Fora do Eixo e que se tornou conhecida por especializar-se em filmar atos de vandalismo durante supostas manifestações populares ocorridas no Brasil no ano passado.
Nesse post em que enfoquei o tal Mapa do Buraco, republiquei um vídeo de entrevista com duas jovens líderes desse movimento estudantil realizada pela TVEJA, a televisão online do site da revista Veja. 
Todavia, verificando o vídeo de cobertura do lançamento do Mapa do Buraco em sua página no Facebook, constatei que entre os articuladores aparecem em destaque: o deputado estadual do PSOL do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo; o deputado federal Jean Wyllys, também do PSOL e Alessandro Molon, do PT.
Em dado momento um dos estudantes do Mapa do Buraco, defende o debate sobre as drogas dentro das salas de aula, sem no entanto referir-se ao tipo de debate pretendido.
Como se pode notar, o buraco desse manifesto é mais embaixo, se é que me entendem.
Freixo, Molon e Wyllys, como entusiastas desse manifesto indica claramente a manipulação comunista que, ao que parece, se utiliza de jovens de cabeça feita nos madrassais do PSOL e do PT.
Recomendo que o editor da revista Veja dê uma olhada nisso aí com mais atenção.

JATINHO FANTASMA: REPORTAGEM-BOMBA REVELA QUE CANDIDATURA DE MARINA SILVA CORRE RISCO DE IMPUGNAÇÃO POR FRAUDE ELEITORAL.

Documentos obtidos com exclusividade por ÉPOCA revelam que o jatinho usado na campanha por Eduardo Campos e Marina Silva pertencia oficialmente ao grupo paulista AF Andrade. No papel, a AF Andrade, de usinas de açúcar, era dona do Cessna Citation, prefixo PR-AFA, quando o jato caiu em Santos, na semana passada – embora tenha dito que o vendeu a um usineiro pernambucano. Comparando-se o que diz a papelada e o que dizem os envolvidos, chega-se à conclusão de que Eduardo e Marina faziam campanha num avião fantasma. Ninguém admite ser dono do Cessna, ninguém admite ter bancado as despesas com o jatinho – e ninguém declarou qualquer informação sobre o uso do avião à Justiça Eleitoral. Para a PF, que investiga o caso, esse conjunto de evidências aponta, até agora, para fraude à Justiça Eleitoral e crimes financeiros e tributários na operação de aluguel – ou venda – do avião.
Os papéis estão com a PF e a Agência Nacional de Aviação Civil, a Anac. Os dois órgãos investigam quem são os responsáveis pelo desastre – a Aeronáutica investiga as causas dele. A identificação dos donos do avião é imprescindível para que as famílias das vítimas possam entrar com pedidos de indenização na Justiça. Os responsáveis responderão também a processos movidos pelo Ministério Público. O comitê presidencial do PSB também pode ser acionado. No limite, a candidatura de Marina poderia ser impugnada por fraude eleitoral. Esse enorme passivo jurídico está por trás, ao menos em parte, da resistência dos envolvidos  em fornecer informações à imprensa e aos investigadores.
O principal documento do conjunto é uma carta da Cessna Finance Export Corporation (leia abaixo), encaminhada no dia 19 de agosto (terça-feira) à Anac. Assinado por um vice-presidente da empresa, Robert Hotaling Jr, e endereçado ao superintendente de aeronavegabilidade da Anac, Dino Ishikuro, o documento diz que a aeronave prefixo PR-AFA é de propriedade da Cessna, mas era operada desde o dia 1º de dezembro de 2010 pela AF Andrade. Por fim, a Cessna informa que não autorizou qualquer transferência do leasing – expediente financeiro por meio do qual a AF Andrade diz que pretendia quitar a compra do avião, avaliado em quase R$ 20 milhões.
Carta a Cessna Finance Export Corporation (Foto: reprodução/Época) - Clique sobre a imagem para vê-la ampliada.
Outro documento que compromete a versão do grupo AF Andrade é o extrato do seguro do avião. Ele foi firmado entre a AF Andrade e a Bradesco Seguros no dia 06 de agosto, uma semana antes do desastre aéreo. O contrato, de acordo com o extrato, tinha validade até o dia 06 de agosto de 2015. A apólice tinha R$ 979 mil como valor máximo. No caso de morte de passageiros e tripulantes, a indenização individual é fixada em R$ 55,9 mil. Para ressarcir despesas com pessoas e bens no solo, o limite estipulado foi de R$ 221 mil. Uma das parcelas do seguro, no valor de R$ 2.287,65, vencia justamente no dia 13 de agosto. Estava em nome da AF Andrade.
Bradesco - Certificado de Seguro Responsabilidade do Explorador ou Transportador Aéreo (RETA) (Foto: reprodução/Época)- Clique sobre a imagem para vê-la ampliada.
Na segunda-feira, dia 18, o advogado da AF Andrade, Ricardo Tepedino, encaminhou uma carta à Anac. Nela, ele afirma que, no dia 15 maio de 2014, o empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho apresentou uma proposta à AF Andrade para que uma empresa – que seria indicada posteriormente – assumisse o leasing com a Cessna. Lyra Filho é um usineiro pernambucano. Era amigo de Eduardo Campos. Lyra Filho assumiria a “custódia” e se responsabilizaria pelas despesas do avião até o dia 16 de junho. Tepedino informa também que, após o dia 15 de maio, os “interessados” forneceram à AF Andrade os recursos necessários ao pagamento de parcelas do leasing devidas à Cessna. Ele não diz quanto foi pago – nem quem pagou. Procurado por ÉPOCA, Tepedino disse não saber quem pagou seu cliente.
No ofício, Tepedino afirma que Lyra Filho apresentou como “arredentárias” as empresas pernambucanas BR Par Participações S.A e Bandeirantes Pneus, “controladas pelo Sr. Apolo Santana Vieira”. Tepedino diz que, após o dia 16 de junho, a transferência do leasing da Cessna para as empresas pernambucanas ainda não se consumara. Apesar disso, afirmou, a aeronave continuou sob o domínio das empresas pernambucanas, mesmo sem qualquer cobertura contratual. “Circunstância que, como se vê, estendeu o termo final da proposta até o momento da queda da aeronave”, diz. ÉPOCA pediu a Tepedino uma cópia da carta assinada por Lyra Filho em maio, assim como comprovantes da transferência de dinheiro necessário para a AF Andrade quitar parcelas do leasing. “Desculpe, mas os documentos ainda não foram entregues às autoridades e, antes disso, não os exibiremos à imprensa”, disse ele. “O avião não chegou a ser transferido do nome da AF, pois sofreu o acidente antes que a Cessna aceitasse ou rejeitasse as empresas pernambucanas.” Por lei, a operação deveria ter sido comunicada à Anac. Não foi.
O empresário Lyra Filho é herdeiro de usina de álcool em Pernambuco, enteado do ex-deputado federal Luiz Piauhylino  e proprietário de quatro empresas. Uma delas, a JCL, é uma factoring que já foi multada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf. Apolo Vieira aparece como sócio em empresas do ramo de pneus, hotelaria e comércio. Vieira é réu, desde 2009, num processo sobre a importação ilegal de pneus. De acordo com o Ministério Público Federal, o esquema em que Vieira está envolvido causou prejuízos de quase R$ 100 milhões à Receita Federal.
AMEAÇA DE IMPUGNAÇÃO
ÉPOCA procurou a campanha do PSB à presidência da República com perguntas sobre o uso da aeronave PR- AFA. Entre outros questionamentos, perguntou se a chapa fizera pagamentos para usar a aeronave, se arcara com as despesas de manutenção e se declarara tais despesas na prestação de contas eleitoral. Na prestação parcial, referente ao mês de julho, não há citação às empresas BR Par e Bandeirantes. ÉPOCA perguntou, ainda, quantas vezes a candidata Marina Silva voou no avião e se ela tinha conhecimento sobre quem arrendara a aeronave. Até o fechamento desta reportagem, o PSB não respondera aos questionamentos. De acordo com a legislação eleitoral, uma empresa não pode fazer doações de bens ou serviços sem relação com sua atividade fim. Por isso, uma empresa do ramo sucroalcooleiro, como da AF Andrade, não poderia emprestar um avião. Se o alugasse, teria de comunicar a Anac. “A Anac não foi informada sobre nenhuma cessão onerosa da aeronave”, informou em nota.
Para o especialista em direito eleitoral Bruno Martins, se o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) chegar à conclusão de que houve omissão nas informações prestadas pela chapa, pode haver uma desaprovação das contas. “Em último estágio, pode haver até mesmo a impugnação da candidatura”, afirma. O advogado que representa o PSB, Ricardo Penteado, afirma que o prazo para a prestação de contas de Eduardo Campos é de 30 dias contados da eleição – e a campanha cumprirá esse calendário.  ÉPOCA tenta falar com Lyra Filho desde segunda-feira, sem sucesso. Apolo Vieira não foi localizado. Da revista Época deste final de semana