TRANSLATE/TRADUTOR

segunda-feira, dezembro 17, 2018

CHRISTMAS AT THE WHITE HOUSE - NATAL NA CASA BRANCA. COMEMORAR O NASCIMENTO DE CRISTO É A MANEIRA MAIS EFICAZ DE NEUTRALIZAR A GUERRA CULTURAL CONTRA A CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL.


O canal de TV norte-americano Fox News realizou uma reportagem para mostrar a decoração de Natal na Casa Branca. A Primeira Dama Melania Trump recebeu a reportagem e deu alguns detalhes dessa célebre e tradicional decoração natalina no interior da Casa Branca.

Pena que o vídeo não está legendado em português, mas dá para ter uma ideia do esmero e do capricho dessa decoração deste Natal de 2018 na fabulosa sede do governo da maior potência bélica e econômica do mundo que, sob a Presidência de Donald Trump, retoma a missão de guardiã da Civilização Ocidental.

Sim, o Natal é a festa máxima da cristandade e há mais de 2 mil anos o nascimento de Cristo é relembrado e comemorado pelos cristãos. E, apesar da funesta guerrilha cultural levada a efeito pelos comunistas para apagar o cristianismo, os cristãos perseveram na fé.

E a comemoração do Natal é tão forte e poderosa que extrapola as fronteiras do Ocidente. Que neste Natal de 2018 os cristãos perseverem nas orações de forma especial. Afinal, nunca na história do Ocidente a Civilização Ocidental foi alvo de tamanha agressão por parte dos comunistas que se empenham como nunca jamais se viu em sua destruição.

Atualmente os comunistas aparelharam até mesmo o Vaticano e as Ordens Religiosas, sem falar nas funestas organizações multilaterais como a ONU, União Européia e congêneres, que atuam para desmantelar o cristianismo essa poderosa muralha que impede a consecução do diabólico projeto globalista.

Portanto, festejar o nascimento de Cristo é a forma mais vigorosa de combater a canalha comunista. Na noite de Natal reúna sua família e volte a cantar Noite Feliz para relembrar a história de Jesus Cristo. O simbolismo deste ato mantém aceso o lume da fé. E um modesto ato de fé neste momento da história universal tem mais força que a sofisticada máquina da guerra cultural que assedia os povos do Ocidente com um turbilhão de imoralidades variadas que justificam como "diversidade".

Antecipo aqui um Feliz Natal aos estimados leitores que prestigiam este blog.

domingo, dezembro 16, 2018

UMA GUERRA INCRUENTA PARA DETONAR A CULTURA OCIDENTAL ESTÁ EM CURSO E O NATAL É O MOMENTO ESPECIAL PARA REFLETIR SOBRE ISSO. ENTENDA TUDO!


Um dos temas que tenho abordado com frequência aqui no blog, e já faz um bom tempo, diz respeito à tentativa de destruição da cultura ocidental cuja matriz é judaico-cristã. Tal fato é admitido até mesmo por empedernidos ateus que possuem o mínimo de inteligência.
Não é à toa que essa intenção que destruir a cultura ocidental sempre foi apanágio dos comunistas. Pelo totalitarismo puro e simples por meio da violência dos quais a ex-URSS foi o símbolo, os comunistas não conseguiram seu intento. Partiram então para a guerra cultural incruenta que seguiu impune até o aparecimento da internet, das redes sociais e dos blogs e sites independentes. 
De repente as pessoas no mundo inteiro começaram a perceber o ardil. Tanto é que como já revelei aqui no blog a União Europeia está prestes a aprovar uma lei que tem em mira o maior ato de censura à internet. E o mais incrível, com o silêncio cúmplice da grande mídia e de seus jornalistas cupinchas dos comunistas e pretensos arautos da verdade.
Em boa hora a excepcional página da Embaixada da Resistência no Facebook fez a tradução com legendas do vídeo do canal Voxversity que ilustra esta postagem. 
Em síntese, o vídeo responde a uma indagação simples porém fundamental: Por que o Cristianismo é tão importante na Sociedade Ocidental? Entender isso é o que se rotula vulgarmente como “o pulo do gato".
Diz o editor da Embaixada da Resistência sobre o vídeo: "Um pequeno retrato acerca da importância das raízes morais que alicerçam tudo aquilo que tomamos como Obra e Graça do "Nada", e que nos leva hoje em dia a testemunhar o colapso da civilização Ocidental." E continua:
"As mentiras se adensam, os erros se materializam, as aberrações se multiplicam. O equívoco da modernidade se torna cada vez mais inegável mesmo para o mais arrogante dos homens, e a humanidade começa a reconsiderar e a repensar o que terá falhado.
A resposta começa a parecer cada vez mais óbvia mesmo para os ateus. O pilar mais importante que sustentava a nossa civilização, tem sido ao longo das últimas décadas e séculos o pilar mais massacrado de todos. Tendo sido basicamente demolido."
Pois bem. Nada melhor para entender essa tentativa de destruição da Civilização Ocidental do que estes dias que antecedem o Natal, que é essencialmente uma festa religiosa quando o povo ocidental a cada final de ano comemora o nascimento de Cristo.
E, para provar que a insidiosa tentativa de desmonte da matriz cultural do Ocidente é uma realidade basta constatar o fato de que já ao longo das últimas décadas do século passado os festejos natalinos vêm perdendo a aura religiosa. Lembro que em tempos passados era comum nesta época do ano a exibição em vitrines de lojas o quadro do Presépio, assinalando o nascimento de Cristo. Ou ainda no período da Páscoa quando muitas emissoras de rádio tocavam músicas sacras na Sexta-Feira Santa.
Os exemplos dessa tentativa de desmonte da Civilização Ocidental são inúmeros. Mas já se nota um crescimento da conscientização da nossa sociedade para esta realidade. Espero que o vídeo acima e este pequeno texto possam de alguma forma contribuir para a compreensão daquilo que de fato está acontecendo e que tem a ver diretamente com cada um de nós no que respeita à liberdade! E isso não é pouco.

Sponholz: O advogado do diabo.

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada

sábado, dezembro 15, 2018

BRASILEIROS ESPERAM QUE A PRIMEIRA MEDIDA A SER TOMADA PELO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO SEJA A RETIRADA DO BRASIL DO FAMIGERADO 'PACTO DE MIGRAÇÃO' DA ONU.


Volto novamente com o tema do Pacto da Imigração, proposto pela ONU dias 11 e 12 deste mês no Marrocos. Segundo consta, ao exalar seus últimos suspiros o Governo do Sr. Michel Temer, que está de saída, concordou com mais esse absurdo promovido pela elite globalista da ONU e reforçado pela deletéria União Europeia.

Todavia, também como informei aqui no blog, o futuro Ministro de Relações Exteriores do Governo Jair Bolsonaro que será empossado dia 1º de janeiro de 2019, o diplomata Ernesto Araújo, afirmou que o Brasil sairá do tal pacto que obriga os países signatários a abrir suas fronteiras para a migração em massa. 

Segundo o futuro Chanceler Ernesto Araújo"o Governo Bolsonaro se desassociará do Pacto Global de Migração que está sendo lançado em Marraqueche, um instrumento inadequado para lidar com o problema. A imigração não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país."

O vídeo acima, traduzido com legendas pela Embaixada da Resistência no Facebook, dá uma ideia do que a canalhada globalista pretende. Vejam no vídeo acima a dura realidade dos países europeus sob o tacão dos tecnocratas de Bruxelas e da ONU. Notem o caso da Inglaterra, cujo Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia, está sendo sabotado!

Portanto, o Brasil e os brasileiros escaparam na última hora de serem invadidos por hordas de imigrantes. Aliás, isso já havia começado com a importação de imigrantes do Haiti pelo governo PT/MDB. Imaginem a continuação do governo comunista do PT, PSDB, PMDB et caterva?

A migração em massa que está afundando a Europa e ameaçava afundar os Estados Unidos se não fosse Donald Trump, é portanto um assunto emergencial, embora a grande mídia continue fazendo crer que nada disso esteja acontecendo. E nem precisa que os empresários donos dos grandes veículos de mídia exijam que as pautas não toquem neste assunto. Os próprios jornalistas se encarregam de continuar escamoteando o essencial do noticiário. São todos capachos do esquerdismo. São idiotas, burros e imbecis. Eu sei muito bem o que estou afirmando porque sou profissional de imprensa há mais de 40 anos e trabalhei por quase 20 anos em redações de jornais diários.

E repito. O Brasil e os brasileiros estão sendo salvos da invasão bárbara promovida pela ONU, essa mega ONG vinculada ao movimento comunista internacional, graças à lucidez de seu povo que decidiu banir da vida nacional os bandoleiros comunistas elegendo Jair Messias Bolsonaro. Tanto é que Bolsonaro já nomeou o Diplomata Ernesto Araújo como o futuro Ministro das Relações Exteriores. O Governo Bolsonaro é, portanto, a última tábua de salvação. Os quase 60 milhões de votos que Jair Bolsonaro amealhou no pleito presidencial constituem a "carta branca" do povo brasileiro para que ele cumpra a risca suas propostas de campanha que incluem a defesa do povo brasileiros contra seus algozes da ONU, União Europeia e demais organismos multilaterais.

Os brasileiros não aguentam mais essa enorme carga tributária. Parte desses vultosos recursos são repassados para a ONU, Mercosul e outras agências multilaterais. O Presidente Bolsonaro tem de passar um pente fino no que respeita à aplicação desses recursos bancados pelo povo brasileiro. Não podemos sacrificar nosso povo para manter as mordomias dos burocratas da ONU e assemelhados. Muito menos abrir nossas fronteiras para serem invadidas por hordas de imigrantes. 

Se os comunistas estão insatisfeitos que emigrem, já que gostam tanto da ONU e de seu ardiloso 'Pacto de Migração'. Que vão para a África e para as arábias; para o diabo que os carregue. A mesma recomendação faço aos trastes das redações de jornais, televisões e do show business aquele bando de histéricos esquerdistas. Há exceções, reconheço, mas contam-se nos dedos.

quinta-feira, dezembro 13, 2018

PACTO DE MIGRAÇÃO GLOBAL DA ONU: O SUICÍDIO DOS ESTADOS-NAÇÃO. RESISTIR É PRECISO!


Mais um vídeo muito importante com a benfazeja tradução e legendas em português da Embaixada da Resistência em sua página do Facebook. O vídeo é uma realização da apresentadora e analista política canadense Faith Goldy. Mais abaixo transcrevo texto dela sobre o assunto. 

O conteúdo do vídeo refere-se ao Pacto de Migração com o qual a cabulosa Organização das Nações Unidas (ONU) pretende atirar a pá de cal sobre os Estados-Nação independentes, apanágio da Civilização Ocidental que gerou a configuração geopolítica do nosso planeta com as respectivas fronteiras e tratados internacionais embasados no Direito Internacional Público e Privado, bem como respeitando os aspectos culturais seculares.

Portanto esse tenebroso Pacto de Migração atende a interesses políticos e econômicos que não coincidem com os interesses da maioria dos povos ocidentais que já começam a perceber a jogada maléfica que abre as portas para um totalitarismo global. Tudo é definido pelo conceito "globalismo" que nada tem a ver com "globalização". Esta refere-se à ampliação do comércio internacional facilitado e agilizado pela evolução do transporte e das comunicações. Já o "globalismo" é um conceito de natureza política porque pretende  usurpar o poder soberano dos Estados-Nação.

Guardadas as devidas proporções emula o conceito de "espaço vital" (lebensraum, em alemão) evocado por Adolf Hitler para justificar o objetivo expansionista da Alemanha Nazista. O conceito "espaço vital" foi um conceito elaborado pelo geógrafo alemão Friedrich Ratzel e que serviu para justificar as pretensões do nazismo. Numa outra ponta, no que concerne ao controle global, está o movimento comunista. Haja vista a ex-União das República Socialistas Soviéticas que posteriormente foi a pique.

Seja como for, o fato é que o controle global por uma espécie de "governo mundial" acabou redivivo na versão "globalista" que se vale do que se convencionou definir como "marxismo cultural", ou seja uma espécie de guerra incruenta destinada em desmantelar a matriz judaico-cristã que originou a civilização ocidental. Não é à toa que os ditos "globalistas", que reputo como neo-comunistas, já infestaram a Europa com a imigração islâmica. No lugar das Catedrais e Igrejas cristãs surge uma profusão de gigantescas Mesquitas, os templos islâmicos, nos países controlados pela União Europeia.

O recente Pacto de Migração formulado pela ONU é mais um passo do globalismo no seu insidioso projeto de destruição da cultura ocidental. No entanto, as reações a esse plano diabólico são notórias e tem como marcos o Brexit no Reino Unido e a eleição de Donald Trump e, mais recentemente o crescimento do conservadorismo aqui mesmo no Brasil, com a eleição de Jair Bolsonaro, além de outros líderes conservadores que ascenderam ao poder na Colômbia, no Paraguai, na Argentina enquanto há insurgências na Bolívia e na Nicarágua contra a tirania comunista. 

No que tange à Europa acaba de explodir a rebelião na França dos ditos "coletes amarelos" enquanto países como Hungria, República Tcheca, Polônia e até a Itália, entre outras, registram também uma guinada conservadora muito forte e de rejeição às "regulações" impostas pelos globalistas da União Europeia e da ONU.

Sabe-se pouco, por enquanto, dado ao 'filtro' comunista que controla toda a grande mídia em nível internacional. O que se sabe é graças à internet e às redes sociais, sites e blogs independentes. Tanto é que a União Europeia por meio do famigerado "Artigo 13", como já expliquei aqui no blog, pretende institucionalizar a censura à internet em todo o continente europeu.

A seguir, transcrevo artigo da analista política canadense, Faith Goldy, relativo ao vídeo que ilustra esta postagem e que vale a pena ver. Leiam:

Entrada do evento da ONU, em Marraqueche, destinado a aprovar o desmantelamento da cultura ocidental em favor do globalismo esquerdista.

O SUICÍDIO DAS NAÇÕES
Por Faith Goldy
Quando as "elites globalistas" começam a perder a guerra da informação e a aprovação popular elas demonstram que não precisam de aprovação popular e conseguem o que querem na marra.
Não é necessário uma "votação", nem um "mandato popular", nem um "referendo", a legitimidade democrática não é importante quando sabem que não podem vencer, e eles sabem com certeza que ninguém está interessado nisto a não ser eles. 
O que está em causa neste caso é nada mais nada menos do que a destruição das nações Ocidentais, a regularização da imigração ilegal, que eles chamariam no seu linguajar orweliano de "humanização da migração".
Ou seja: facilitar regularizar, promover e incentivar a destruição das soberanias nacionais e legalizar as invasões, (tal como a censura obviamente).
Imagine-se que outros crimes sejam "regularizados", tal como referiu Stefan Molyneux, como por exemplo a "fuga aos impostos", porque não promovem esta agenda caros líderes? Humanizem e facilitem a "fuga aos impostos". Chega de tamanha crueldade!
Note-se que uma invasão é por definição uma entrada não autorizada em propriedade alheia, e não necessariamente um exército.
Aliás quem precisa de exércitos para invadir um país quando se tem estes pactos e estes "líderes"? 
Só quem quiser desperdiçar dinheiro em balas.
Este pacto não é à partida necessariamente vinculativo, mas será naturalmente implementado como tal pelos "líderes" nacionais, que vejam na destruição das suas nações alguma forma de ganho político.
Isto perante a total passividade das Forças Armadas nacionais que serviriam em teoria para preservar essa tal de independência e a soberania nacional. Mas que na prática são brinquedos de políticos que são inimigos das suas nações.
Naturalmente este acordo não será seguido pela China, nem pelos países não Ocidentais. O facto de não ser vinculativo serve precisamente para isso, para para não tenha que ser respeitado por aqueles cujo cumprimento não interessa.
A sua subscrição importa apenas para pressionar os países alvo. Tal como o "acordo climático".
A nossa querida ONU é uma espécie de "Vaticano" do presente, com a diferença de que tem muito mais poder e principalmente com a diferença de que a Igreja era querida, apoiada, desejada, EXIGIDA pelo povo e obedecia à Bíblia e a cânones cristãos mais ou menos rigorosos.
A ONU obedece essencialmente àquilo que bem entender ser de seu benefício, e gera "direitos humanos" diretamente do vácuo, transformando crimes em direitos.

BOLSONARO RETOMA SEU CONTATO DIRETO COM O POVO BRASILEIRO EM "LIVE' PELAS REDES SOCIAIS REAFIRMANDO QUE NÃO FARÁ CONCESSÕES À AGENDA ESQUERDISTA.


Em boa hora o Presidente eleito Jair Messias Bolsonaro retomou sua comunicação direta com os brasileiros por meio de 'live' via Facebook e Twitter. 

Vale a plena ver e ouvir o vídeo acima que reproduz a 'live' integral, algo em torno de 15 minutos. Está de bom tamanho.

Recomendo àqueles que não viram essa transmissão que dêem uma olhada. 

Tem-se aí o Bolsonaro retomando diversos assuntos que abordou durante a campanha eleitoral. Neste momento em que seu quadro de ministros está definido Bolsonaro retoma esse imprescindível contato direto com o povo brasileiro.

São assuntos muito importantes que têm de ser solucionados para que o gargalo que impede o desenvolvimento do Brasil seja finalmente detonado.

Na conclusão dessa sua rápida alocução Bolsonaro avisa que vai jogar pesado na área da segurança pública. Aliás, algo que todos os brasileiro de bem esperam com justificada ansiedade. 

quarta-feira, dezembro 12, 2018

O 'ARTIGO 13' DA UNIÃO EUROPEIA PODE DETONAR A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET?


Já abordei com exclusividade aqui no blog a ameaça à liberdade de expressão, sobretudo na internet, caso o famigerado "Artigo 13" (número que já é cabuloso em si mesmo, não é mesmo?) seja aprovado em janeiro próximo pelos euro-deputados da União Europeia. Trata-se de mais uma "regulação" destinada inicialmente ao continente europeu. O troço é mais um esquema de censura que se for levado a cabo acaba inclusive com as redes sociais.

O tal artigo 13 parte do princípio do "copyright", os direitos do autor, sejam de um filme, de um texto jornalístico, de um livro, de um personagem de história em quadrinhos, de um quadro, de uma publicidade ou de modismos variados. Um youtuber, um blogger e demais produtores de conteúdo veiculado pela internet, a vigorar o tal artigo 13 na União Europeia, estão ferrados. Seus vídeos, textos, memes, banners e produtos assemelhados serão simplesmente banidos da internet. Basta que, por exemplo, uma simples gravação de um vídeo de uma festa de aniversário seja censurado porque ao fundo está tocando uma determinada música que sobressai na cena gravada.

O troço está destinado a virar lei para os 28 países que compõem a União Europeia. No entanto, a expectativa é que se espalhe globalmente, ou os gigantes das empresas de internet criarão filtros e algoritmos que terão efeitos apenas na Europa? Isto não está claro. Mas é de intuir-se que essa decisão sendo aprovada pela UE acabaria contaminando a internet globalmente.
O FATOR GRANDE MÍDIA
E por que a grande mídia silencia sobre o que está sendo urdido nos laboratórios da União Europeia? Aparentemente, esta monstruosidade estaria sendo vista como a tábua de salvação da mainstream media em nível global. Haja vista para o fato de que a tentativa de censurar conteúdos veiculados na grande rede por meio de ameaças de empresas ditas de "fact checking", destinadas a coibir "fake- news" (notícias falsas) não surtiu o efeito desejado.

Neste caso a grande mídia estaria vendo com bons olhos a tentativa censória do dito "artigo 13". Teoricamente, a velha grande mídia antevê a possibilidade de restaurar seu passado pré-internet, quando dominava a opinião pública. O que se viu por exemplo nas últimas eleições presidenciais dos Estados Unidos e agora há pouco aqui no Brasil foi o fato de que o protagonismo dos eleitores na internet, sobretudo das redes sociais, blogs e sites independentes, sobrepujou toda a grande mídia. Aqui no Brasil alguns veículos outrora todos poderosos perderam seu tradicional domínio sobre a opinião pública. É aí que mora o perigo, haja vista que as grandes empresas que operam na internet já iniciaram há algum tempo o controle do dito 'alcance orgânico' de postagens, principalmente pelo Google, Facebook, Twitter, Instagram, para citar as mais notórias e de maior capilaridade. Superficialmente são estas considerações que se pode fazer neste momento.

Na sequência, transcrevo texto da página Embaixada da Resistência postado no Facebook e no Youtube, relativo ao vídeo acima que é uma síntese com legendas em português de vários vídeos que abordam o impacto do "Artigo 13" que a União Europeia deseja aprovar no próximo mês de janeiro de 2019. O resumo em vídeo e as legendas são de autoria do editor da Embaixada da Resistência. Leiam:
ARTIGO 13
"EXPLICAÇÃO DEFINITIVA"


Neste vídeo (acima) compilamos e traduzimos algumas análises a respeito do artigo que ameaça implodir tudo aquilo que conhecemos por internet.
Se no início deste processo a "comunicação social" se reduziu ao silêncio total, como sempre faz quando os assuntos não favorecem a sua agenda, desta feita foi forçado a abordar o tema, para fazer aquilo que também sempre faz quando a verdade os incomoda: desinformar o público.
Neste longo vídeo deixamos algumas análises de alguns youtubers de forma a esclarecer alguns pontos.
Algo a sublinhar de antemão, é que não existe ainda uma lei específica, existem "directrizes" gerais que irão a partir da votação final de Janeiro ser especificadas depois na legislação de cada país.
Como tal, e ainda que certos princípios mais trágicos sejam desde já claros, os contornos concretos não são de todo ainda claros. A linguagem é extremamente vaga e indefinida.
Uma das grandes dúvidas que permanece e que pode dar origem a alguma confusão é a existência ou não de um "filtro", sendo que  muitos acreditam que irá existir um filtro e outros acreditam que tal filtro não poderá existir, e que o conteúdo será pura e simplesmente bloqueado em massa. Esta segunda hipótese parece a mais provável e aquela que o Youtube apresenta como possibilidade neste momento. 
Pessoalmente também não consigo imaginar um filtro com o poder de reconhecer todo o conteúdo protegido à face do Planeta.
Em baixo, deixamos os links com alguns vídeos que foram utilizados para produzir este video. Video que se enquadraria no passado como "fair-use" mas que no futuro será tão ilegal quanto qualquer vídeo ilegal. E deixamos ainda a lista de twitter dos euro-deputados.
Podem partilhar este vídeo nos seus canais sem risco de levarem nenhum "strike" da nossa parte.
Gostaríamos também de acrescentar que o grande problema existente para os criadores de Youtube neste momento é precisamente o abuso dos "detentores de direitos" que exploram de forma totalmente desproporcional a rentabilização de vídeos que não lhes pertencem, e inclusive uma praga de falsas alegações de direitos que nos é difícil de combater.

terça-feira, dezembro 11, 2018

SUPER ESPECIAL: GOVERNO BOLSONARO PROMETE RETIRADA DO BRASIL DO DIABÓLICO PACTO GLOBAL DE MIGRAÇÃO DA ONU, REVELA FUTURO CHANCELER ERNESTO ARAÚJO.

O diplomata Ernesto Araújo, que será o Ministro de Relações Exteriores do Governo Jair Bolsonaro, adiantou nesta segunda-feita em postagens no Twitter uma ótima notícia. Segundo Araújo, o Governo Bolsonaro se desassociará do Pacto Global de Migração que está sendo lançado pela ONU em Marraqueche, por ser um instrumento inadequado para lidar com o problema. A imigração - afirma o futuro Chanceler do Brasil - não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país.
Esse pacto que está sendo lançado pela ONU no Marrocos foi assunto que adiantei aos prezados leitores deste blog em postagem no dia 21 de novembro último, quando alertei para essa nefasta iniciativa do movimento globalista. 

Aliás, globalismo continua sendo um conceito desprezado pelo jornalismo da mainstream media aqui no Brasil, mas que está na ordem do dia nos Estados Unidos e na Europa. Sim, porque a União Europeia é parceira da ONU na concepção e implementação dessa invasão bárbara do Ocidente. A meta do globalismo é a aniquilação dos Estados-Nação que passariam a ter de obedecer os ditames da ONU, União Europeia e organismos multilaterais análogos. Os tais ditames dessas organizações são as ditas "regulações" que já vêm sendo impostas pela ONU e União Europeia.
Nos textos que publicou em sua conta no Twiter o futuro Chanceler Ernesto Araújo deixa muito claro como o Governo de Bolsonaro tratará dessa temática, conforme segue:

"A imigração é bem vinda, mas não deve ser indiscriminada. Tem de haver critérios para garantir a segurança tanto dos migrantes quanto dos cidadãos no país de destino. A imigração deve estar a serviço dos interesses nacionais e da coesão de cada sociedade.

O Governo Bolsonaro se desassociará do Pacto Global de Migração que está sendo lançado em Marraqueche, um instrumento inadequado para lidar com o problema. A imigração não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país.


O Brasil buscará um marco regulatório compatível com a realidade nacional e com o bem-estar de brasileiros e estrangeiros. No caso dos venezuelanos que fogem do regime Maduro, continuaremos a acolhê-los, mas o fundamental é trabalhar pela restauração da democracia na Venezuela."
O texto postado no Twitter pelo Chanceler do futuro Governo Bolsonaro, o diplomata Ernesto Araújo.
59 MILHÕES DE IMIGRANTES!
Para se ter uma ideia do tamanho da encrenca, em postagem do dia 30 de novembro último, o site norte-americano Infowars publicou um matéria do jornalista Paul Joseph Watson, enfocando o alerta disparado pela euro-deputada britânica Janice Atkinson observando que a ONU em conluio com a União Europeia querem encorpar a população da Europa com 59 milhões de imigrantes procedentes das arábias e da África, principalmente. Esse projeto contempla sua execução no prazo de 6 anos. Isto é, conclui-se em 2025. Até lá, quem sabe os Estados-Nação europeus serão uma quimera.

Em tradução livre do inglês com ajuda do tradutor online, transcrevo a matéria do site Infowars para que os estimados leitores fiquem sabendo que graças ao futuro Governo do Presidente Jair Bolsonaro e, sobretudo, de seu Ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, poderemos nos livrar de mais essa encrenca que está vivendo, por exemplo, o Reino Unido. Leiam:

A euro-deputada britânica Janice Atkinson adverte que o Pacto das Nações Unidas sobre Migração levaria a Europa a ser inundada com 59 milhões de novos migrantes nos próximos 6 anos.
O documento não é juridicamente vinculativo, mas os governos estarão sob pressão para seguir seus ditames. Numerosos países, incluindo os Estados Unidos e a Hungria, disseram que se recusarão a assinar o pacto.
"Se você acha que está no controle de suas fronteiras, pense novamente", disse Atkinson, acrescentando: "Este pacto apóia a UE e o objetivo da ONU de inundar nossas nações com 59 milhões de migrantes até 2025 ... apenas 6 anos. ”
Atkinson continuou explicando a origem do novo pacto: Uma declaração de 2000 que concluiu que a população étnica da Europa estava em declínio e, portanto, precisava ser substituída".
Isto foi refutado pelo desemprego dos jovens em alguns países europeus, sendo 50% ou mais, assim como muitos novos migrantes sendo “desempregados”, com apenas cerca de 13% empregados, em média, de acordo com Atkinson.
A Euro-Deputada criticou a primeira-ministra britânica Theresa May por prometer retomar o controle das fronteiras britânicas via Brexit e ainda planeja assinar o pacto de migração da ONU no próximo mês.
"Lembre-se - a ONU e os globalistas querem inundar nosso continente com 59 milhões de migrantes até 2025", enfatizou. Atkinson, acrescentando que o documento da ONU afirma que a imigração em massa é "inevitável, desejável e necessária".
Advertindo que o plano levaria os países europeus a ter sua “cultura e identidade esmagadas”, Atkinson também apontou que o pacto poderia levar a leis de discurso de ódio que tornam ilegal o uso do termo “migrantes ilegais”, substituindo-o por “irregular”. migrantes ”.
"Será ilegal não usar a linguagem prescrita", alertou Atkinson, acrescentando que os cidadãos europeus poderiam "dizer adeus à sua democracia e ao seu modo de vida", a menos que eles exijam que seus líderes se recusem a assinar o documento.
A preocupação da Euro-Deputada sobre o policiamento de línguas é compartilhada pelo Euro-Deputado holandês Marcel de Graaff, que disse que o pacto seria capaz de corrigir as leis que passariam a criminalizar as críticas à imigração em massa qualificando-as como "discurso de ódio”. Matéria do site Infowars - Click here to read in English

Sponholz: Os intocáveis.

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada

domingo, dezembro 09, 2018

O COLAPSO DA INTERNET NA EUROPA


Depois de haver criado regimes totalitários como o nazismo, comunismo e fascismo e deflagrado duas guerras, a primeira mais localizada no continente europeu e a II Grande Guerra que envolveu o mundo inteiro, os europeus partem para uma nova jornada totalitária: querem censurar a internet. Como se sabe, quem manda hoje nos 28 países que compõem a União Europeia é aquela plêiade de tecnocratas encastelados em Bruxelas.

Eis aí um assunto da maior importância que é simplesmente descurado pela mainstream media, a dita grande mídia. Sim porque a maioria dos jornalistas que produz o conteúdo dos grandes veículos de comunicação é integrada por esquerdistas, como seus chefetes da União Européia, ONU, OEA e demais organizações multilaterais que apoiam essa censura. Por certo devem intuir que a mordaça aplicada à internet, sobretudo às redes sociais, será capaz de lhes devolver a importância de antanho.

Trago então para os leitores do blog o vídeo acima e um texto da página Embaixada da Resistência que resiste bravamente no Facebook. O editor é um cidadão português que luta contra todas as iniquidades produzidas pela canalhada comuno-globalista. E, como não poderia deixar de ser, rebela-se com razão ao plano censório da corriola da União Europeia. Transcrevo o texto na íntegra, porquanto o 'Embaixador' resume muito bem de maneira simples e objetiva o cabuloso plano. Trata-se de mais uma guerra, desta feita incruenta. Sua letalidade afeta a liberdade. E isso não é pouco. Leiam:
ARTIGO 13 - O colapso da internet na Europa.
Não abordei este assunto antes, infelizmente, por ser demasiadamente indigesto...
O Artigo 13 irá regular qualquer alegada violação de direitos de autor (apenas e só na internet) em toda a União Europeia (UE)
Já tendo sido aprovado em Junho será definitivamente validado em Janeiro e promete acabar não apenas com esta página, com o nosso canal de youtube, mas com toda a vida inteligente na internet em bloco.
Todo o material que sair da Europa, ou que chegar à Europa estará sujeito a esta lei draconiana.
Explicando de forma simples:
As violações de direitos de autor, já são punidas neste momento da forma mais abusiva possível, mas ainda assim a UE achou ser necessário demolir a internet como um todo.
O Artigo 13 irá responsabilizar toda e qualquer plataforma virtual por tudo aquilo que considerar violar direitos de autor.
Desta forma, nenhuma plataforma poderá correr o risco de ser processada com publicações de nenhum utilizador, sejam "memes", sejam vídeos, seja qualquer conteúdo.
Assim sendo, ou a plataforma dará por terminada toda a atividade em países da União Europeia. Ou criará um filtro de inteligência artificial ultra avançado, concebido para barrar em massa qualquer tipo de publicação com o mínimo vestígio de poder contemplar direitos de autor.
Naturalmente que se arriscando a processos milionários, nenhuma plataforma concederá espaço a quase nada que não seja uma inócua tela branca.
Esse bloqueio será feito à priori, antes do material ser sequer publicado.
Os únicos publicadores que terão tratamento diferenciado e não serão julgados em bloco por um filtro, pelo menos no Youtube, serão digamos "as grandes corporações certificadas de conteúdos". Aquelas nas quais o Youtube depositar confiança de que não publicarão conteúdos protegidos.
As ramificações e consequências desta aberração têm tanto de catastróficas, quanto de injustas, quanto de tirânicas, quanto de imprevisíveis.
Na melhor das hipóteses consistirá no prego final no caixão da União Europeia, pois gerará um mal estar tão profundo, que no melhor cenário irá definitivamente demover qualquer povo de qualquer país de um dia querer fazer parte da UE. (A "eleição anti-UE" na Geórgia talvez seja um presságio).
Este mesmo filtro poderá ser no futuro utilizado para censurar todo e qualquer conteúdo que esses mesmos senhores decidam arbitrariamente ser indesejável. Como o famigerado "discurso de ódio" que tem tanto de absurdo quanto de arbitrário.
E é esse que acreditamos ser o desígnio final deste processo, um desígnio político. Em especial pelo timming deste "projeto".
Acrescentar ainda que estas exigências, tal como a generalidade das exigências, irá beneficiar em teoria, para além de grandes empresas detentoras de direitos de autor (EM TEORIA APENAS), as empresas capazes de gerir tal "filtro ultra-avançado".
Ou seja: irá beneficiar apenas empresas virtuais da dimensão da Google, Youtube e similares. Pois apenas essas poderão ter capacidade de operar tal missão impossível de vigilância.
Em Portugal um dos senhores que esteve por detrás desta votação favorável foi o eurodeputado Marinho e Pinto.
Obrigado senhor. Por me forçar a abandonar este país.
O mais patético de tudo isto é que estou convencido que a generalidade das pessoas que votaram neste apocalipse virtual, nem fazem a menor ideia do que estão a fazer, e tudo poderia ter sido evitado com o mínimo de informação.
Face a tudo isto, serei obrigado também a cometer o pecado imperdoável de elogiar Marisa Matias do Bloco de Esquerda, por ter votado contra.

Depois dessa, não apenas sairei de Portugal como irei direto para o inferno.

sexta-feira, dezembro 07, 2018

AOS POUCOS OS JORNALISTAS 'VÃO SE ACOSTUMANDO'. OLAVO DE CARVALHO É ENTREVISTADO PELA TV BRASIL.


A palavra de ordem "É bom Jair se acostumando" que surgiu lá atrás quando os jornalistas da grande mídia  desprezavam pautas sobre as multidões carregando o então pré-candidato presidencial Jair Bolsonaro nos ombros, finalmente foi acatada. Aos poucos os jornalistas da dita mainstream media nacional já estão de fato se acostumando.

Bolsonaro é o Presidente eleito com uma tonelada de votos e pesquisas pós-eleição já apontaram que que tem pelo menos 60% de aprovação por parte do povo brasileiro.

Seja como for, o fato é que Jair Bolsonaro toma posse como Presidente da República do Brasil no dia 1º de janeiro de 2019 e alguns jornalistas de fato já estão se a costumando.

Tanto é que o jornalista, filósofo e escritor Olavo de Carvalho foi entrevistado pela TV Brasil, emissora estatal criada durante o governo Lula. A pauta da entrevista é a influência política de Olavo de Carvalho no que tange à sua contribuição na formação do pensamento conservador brasileiro e ao fato de ter indicado dois nomes para o Ministério de Bolsonaro: o do diplomata Ernesto Araújo para Ministro das Relações Exteriores e do professor e escritor Ricardo Velez-Rodriguez para o Ministério da Educação.

Mas não apenas isso. A entrevista está bem feita e traz assuntos pertinentes ao momento político brasileiro e, principalmente, porque reconhece a efetiva contribuição intelectual e política de Olavo de Carvalho na reconstrução do pensamento político-filosófico brasileiro.

O entrevistador, por sorte, é um velho de guerra do jornalismo brasileiro e que fora colega de Olavo de Carvalho quando este trabalhava na grande mídia nacional. Trata-se do veterano jornalista Moisés Rabinovici. Como é sabido Olavo de Carvalho vive há 11 anos nos Estados Unidos e a entrevista foi feita pela internet. Vale a pena ver. 

quinta-feira, dezembro 06, 2018

O REFORÇO À SEGURANÇA DO PRESIDENTE ELEITO JAIR BOLSONARO E A TRAMA GLOBALISTA

Nesta quinta-feira, 6 de dezembro de 2018, o Presidente eleito Jair Bolsonaro comemora em sua página do Facebook o registro de mais de 10 milhões de seguidores. Sua indubitável popularidade e o apoio majoritário da população brasileira que se observa nesse período que antecede à sua posse como Presidente da República marcada para 1º de janeiro de 2019, acendem a ira dos inconformados.

Tanto é que nesta quinta-feira a segurança do Presidente eleito foi reforçada mais uma vez e o acesso ao gabinete de transição, no Centro Cultural Bando Brasil, em Brasília, ficará ainda mais restrito.

Este dia 6 de dezembro de 2018 marca exatamente 3 meses do atentado a faca do qual foi vítima o então candidato presidencial Jair Bolsonaro, quando era carregado nos braços do povo em campanha na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Até esta data o atentado permanece envolto em mistério. Seu autor Adélio Bispo de Oliveira, preso em flagrante, recentemente foi examinado por uma equipe de psiquiatras. Logo após sua prisão imediatamente advogados surgiram para defendê-lo mas permanece o mistério sobre quem contratou e custeia os honorários advocatícios. Os advogados de Adélio se negam a revelar o nome ou nomes de quem banca a defesa do criminoso.

Por sua vez a grande mídia trata burocraticamente a cobertura deste assunto, limitando-se a reproduzir o que dizem as autoridades policiais. A rigor o assunto relativo ao atentado contra Jair Bolsonaro foi transformado num tabu, ainda que as ameaças à vida do Presidente eleito prossigam a ponto de ser reforçada a sua segurança como aconteceu no dia de hoje.

Toda essa situação denota, sem qualquer dúvida, a decomposição profunda do Estado brasileiro levada a efeito pelos sucessivos governos comunistas, principalmente depois da ascensão de Fernando Henrique Cardoso e posteriormente de Lula e seus sequazes, ou seja, aquela miríade de partidos comunistas pertencentes ao famigerado Foro de São Paulo. Como é sabido o Foro de São Paulo é uma organização comunista que foi fundada em 1990 por Lula a mando de Fidel Castro, cujo propósito era transformar todos os países da América Latina em repúblicas comunistas. O Foro de São Paulo, é bom que se frise, continua operando em todo o nosso Continente.

Qualquer análise política regional que se faça na atualidade não pode descurar de maneira nenhuma da incidência do movimento comunista. Todavia, o curso dos acontecimentos políticos em nível regional e global são notórios. Desde a assunção de Donald Trump à Presidência dos Estados Unidos, da eclosão do Brexit no Reino Unido e a consequente fragmentação da União Europeia pelo evidente repúdio ao globalismo tem determinado novos fenômenos políticos.  Veja-se as recentes ocorrências na França. Todos esses eventos em variados graus são decorrentes de reações à trama globalista, ou seja, o diabólico plano comunista de destruição da cultura ocidental edulcorado pela deletéria "cultura do pensamento politicamente correto"

Ajunta-se a esses fatos o crescimento e influência da internet, sobretudo das redes sociais, facilitado pelo uso intensivo dos dispositivos móveis, os famosos telefones celulares que quebraram o monopólio da informação antes detido unicamente pelos veículos da grande mídia. Tanto é que a União Europeia está prestes a votar uma medida que literalmente detona as redes sociais em toda a Europa.

E a prova disso é a própria campanha presidencial vitoriosa de Jair Bolsonaro totalmente operada por meio das redes sociais. Tanto é que mesmo hospital lutando pela vida depois do criminoso atentado que sofrera, impedido de fazer campanha, Bolsonaro continuou crescendo na preferência dos eleitores brasileiros que confirmaram nas urnas aquilo que se evidenciava nas redes sociais. Por isso, todas as tentativas de censurar a internet obedecem essencialmente ao projeto globalista, ou seja, a criação de uma ditadura "consentida" em nível global. Por isso, a eleição de Jair Bolsonaro tem implicação global!

Não é à toa que houve a tentativa de assassiná-lo como o único recurso capaz de impedir que chegasse à Presidência da República. E essa ameaça não foi afastada. Prova disso é o fato de que as medidas de segurança em torno de Bolsonaro foram ampliadas, enquanto permanece no ar a indagação: quem mandou matar Bolsonaro e continua tentando matá-lo?