quinta-feira, julho 30, 2015

ALMIRANTE PRESO PELA LAVA JATO ERA COTADO PELA DILMA PARA SER MINISTRO DA CASA CIVIL

Momento em que o famoso almirante Othon Pereira da Silva (de boné) é gentilmente conduzido pela Polícia Federal diretamente para a prisão. Foto: Diário do Poder.
Informações do site Diário do Poder indicam que a radioatividade emanada do "eletrolão" pode ser devastadora. A começar pelo perfil do almirante sem esquadra, Othon Pereira da Silva que, mesmo reformado, permanece detido numa dependência das Forças Armadas.

É que o milico é muito ligado à Dilma. Pelo que se depreende das informações da coluna do Cláudio Humberto, o homem é dotado das mesmas idiosincrasias da "presidenta", ou seja, formam um par perfeito. "Almiranto" e "Presidenta" tratam seus subordinados de forma "rude". Eu sei. Leiam: 

Responsável pela escolha do almirante Othon Pereira da Silva para presidir a Eletronuclear, em 2005, quando era ministra de Minas e Energia do governo Lula, a presidente Dilma cogitou fortemente nomeá-lo para o cargo de ministro-chefe da Casa Civil quando a titular, Gleisi Hoffmann, pediu demissão para se candidatar ao governo do Paraná. Na último momento, ela trocou Othon por Aloizio Mercadante.
Dilma e o almirante Othon se admiram. Têm em comum a forma rude de tratar subordinados. Essa característica os aproximou ainda mais.
Othon foi preso terça (28) na 16ª fase da Lava Jato, por receber R$ 4,5 milhões em propina de empreiteiras das obras da usina de Angra 3.
A Lava Jato avança definitivamente na corrupção da área de energia elétrica do governo, a favorita de Dilma, daí a alta a tensão no Planalto.
O almirante Othon tinha outro admirador: o ex-presidente Itamar Franco o condecorou com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico. Do site Diário do Poder 

quarta-feira, julho 29, 2015

ENQUANTO OS PETROLÕES NADAM EM BILHÕES A DILMA VETA AUMENTO IGUALITÁRIO PARA OS APOSENTADOS

A hora do confronto chegará de qualquer maneira
Enquanto o Copom deu mais uma atarrachada nos juros a Dilma por sua vez decidiu apertar o torniquete bolivariano contra os aposentados vetando o aumento igualitário a todos os aposentados do INSS. Quem ganha qualquer importância além do salário mínimo continuará sendo massacrado pela desvalorização de sua aposentadoria. Dentro de pouco tempo os aposentados brasileiros estarão iguais aos aposentados cubanos que mendigam para sobreviver.

Não deixa de ser afrontoso o veto da gerentona do Lula quando a Nação vê incrédula o desenrolar de um verdadeiro filme de terror denominado "petrolão". Enquanto os 'petrolões', esse ladrões desgraçados nadam em dinheiro roubado dos cofres públicos, os aposentados em sua maioria passam privações terríveis. 

E estão confessando no inquérito da Lava Jato na maior cara de pau os bilhões de reais que roubaram. Os que ainda não confessaram toda essa roubalheira criminosa é porque ainda têm certeza da impunidade.

Não passarão. Chegará um momento em que haverá o confronto final entre o povo brasileiro e os ratos do PT e seus asseclas, os empresários. Aliás, empresários não são não. São trambiqueiros, mentirosos, ladravazes e encontraram no governo do PT o caminho livre para com Lula e seus sequazes meter a mão no erário à vontade.  

Vislumbra-se uma guerra de vida ou morte. Só está faltando as Forças Armadas defenderem esses vagabundos quando a onça beber água.

CHORANDO NA RAMPA! MAIS UM LOBISTA ACERTA DELAÇÃO PREMIADA E PODE SER O HOMEM-BOMBA DO PETROLÃO. JÁ SÃO 19 DA LAVA JATO QUE ESTÃO ABRINDO O BICO.

No último depoimento à Justiça, Mário Goes chorou mas ficou de bico fechado. Agora decidiu entregar tudo para escapar de uma pena que poderá ser grande.
Mário Goes o dono das empresas, Rio Marine Óleo e Gás, e da Mago Consultoria, aceitou o acordo de delação premiada e desta forma tenta reduzir sua pena. O empresário está preso sob a acusação de repasse de propina para as construtoras Andrade Gutierrez e Odebrechet. Nesta quinta-feira (30) ele será ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro.
De acordo com as investigações da Polícia Federal, Goes recebeu das empreiteiras a quantia de R$ 220 milhões entre os anos de 2003 e 2014. O valor seria referente ao pagamento de contratos falsos de prestação de serviços da consultoria. O delator recebeu da Andrade Gutierrez e da Odebrecht, R$ 6,4 milhões durante cinco anos, de 2004 a 2009.
Nos dois depoimentos, um no dia 23 de maio e outro no dia 17 de julho, o empresário chorou. Pediu pela prisão domiciliar e alegou estar com a saúde debilitada.
Agora a Operação Lava Jato já conta com 19 delatores. O MPF já declarou que negocia em sigilo mais seis acordos de delação premiada. Do site Diário do Poder

Sponholz: Brahma e a revolução dos bichos!


VAI FALTAR CADEIA! PRESIDENTE DA EMPREITEIRA ANDRADE GUTIERREZ AGORA TAMBÉM É RÉU NA LAVA JATO JUNTO COM MAIS 12 ELEMENTOS.

Otávio Marques de Azevedo, presidente da construtora Andrade Gutierrez agora é réu. O juiz Sergio Moro aceitou a denúncia do Ministério Público dentro do inquérito da Lava Jato.
O juiz Sergio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, aceitou denúncia contra o presidente da construtora Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, e outras 12 pessoas. Com isso, eles passam a ser réus na nova ação penal aberta em decorrência das investigações da Operação Lava Jato. Além do dirigente máximo da construtora, também passaram a responder formalmente por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa o doleiro Alberto Youssef, os executivos Antônio Pedro Campelo de Souza, Armando Furlan Júnior, Elton Negrão, Flávio Gomes Machado Filho, Paulo Dalmazzo, o lobista Fernando 'Baiano' Soares, os operadores Mario e Lucélio Goes, além dos ex-dirigentes da Petrobras Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco e Renato Duque.
De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público, o Grupo Andrade Gutierrez pagou propina a dirigentes da Petrobras em obras e contratos na Refinaria Gabriel Passos, em Betim (MG), no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), na Refinaria Landulpho Alves, em São Francisco do Conde (BA), na Refinaria de Paulínia (SP), no Gasoduto Urucu-Manaus, no Centro de Pesquisas (CENPES) e no Centro Integrado de Processamento de Dados (CIPD), no Rio de Janeiro), no Gasoduto GASDUC III (RJ) e no Terminal de Regaseificação da Bahia.
A força-tarefa de procuradores que atuam nas investigações do esquema do petrolão conseguiu mapear 243 milhões de reais desviados pela Andrade Gutierrez entre 2007 e 2010 em 106 atos de corrupção ativa, 61 de corrupção passiva, 62 lavagens de dinheiro.
O Ministério Público apresentou três esquemas criminosos da Andrade Gutierrez com apoio de Alberto Youssef, Fernando Baiano e Armando Furlan, além de falsas consultorias. Os operadores Mário e Lúcelio Góes também atuaram em esquemas da empresa, por meio da empresa RioMarine. Os recursos eram enviados para contas no exterior como a Maranelle e Phad. Uma vez no exterior, nas contas dos operadores, o dinheiro era repassado para as contas de Pedro Barusco. Ele também recebia valores de 300.000 a 400.000 reais em mochilas por meio de Mario Góes.
Nesta terça-feira, a Andrade Gutierrez voltou a protagonizar as investigações da Lava Jato. Na 16ª fase, que ampliou as investigações para o setor elétrico, foi preso temporariamente o presidente da AG Energia Flávio Barra, suspeito de integrar uma trama de pagamento de propina envolvendo as obras da usina nuclear de Angra 3. Para o MP, a corrupção era o "modelo de negócio" da empreiteira. Do site da revista Veja

CAFOFO DE LULA ERA O "ESCRITÓRIO" CENTRAL DOS EMPREITEIROS DO PETROLÃO, REVELA REPORTAGEM-BOMBA DO SITE DE 'VEJA'.

O cafofo de Lula em São Paulo: centro de convergência operacional dos petrolões, segundo a reportagem de Veja. 
O sobrado de dois andares que a­parece nas páginas que abrem esta reportagem nem de longe lembra um palácio. As aparências, como sempre, enganam. Nele funciona desde 2011 o Instituto Lula, entidade concebida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para servir de plataforma à sua atuação política após deixar o Palácio do Planalto. Pelo menos no papel, os planos de Lula para seu instituto eram o mais ambiciosos e altruístas possível. A entidade foi concebida para funcionar como um centro de integração da América Latina, um pilar para fortalecer a democracia nos países em desenvolvimento e ajudar a acabar com a fome na África. Tudo muito nobre, se por trás dos objetivos messiânicos não estivessem os empreiteiros envolvidos no escândalo da Petrobras. As investigações da Polícia Federal já revelaram que o dinheiro desviado da estatal financiou o funcionamento do instituto. Além disso, fica cada vez mais evidente que o ex-­presidente Lula acabou usando sua influência no Brasil e no exterior para fomentar os negócios de criminosos - e ganhou muito dinheiro com isso.
A favor do ex-presidente há o fato de que ele pode ter agido com as melhores intenções - enganado pelos seus contratantes, sem saber a origem do dinheiro que foi doado pelos empresários ao seu instituto. Ao fazer lobby para as empreiteiras no exterior, estaria pensando exclusivamente no bem do Brasil e nos milhares de empregos que poderiam ajudar a aplacar a miséria do Terceiro Mundo. Se isso for verdade, ele era o único bom samaritano da história. Na semana passada, os procuradores que investigam o petrolão denunciaram as cúpulas das empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht. Esta última, a maior do país e uma das maiores do mundo, por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Os dados que sustentam a acusação são estarrecedores. A empreiteira movimentou mais de 1 bilhão de reais em contas secretas no exterior. Parte desse dinheiro, descobriu-se, foi usada para subornar diretores da Petrobras.
No ano passado, Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal, contou em sua delação premiada ter recebido 23 milhões de dólares em propina paga pela Ode­brecht. Era sua parte, a menor, na ampla rede de distribuição de subornos em troca dos milionários contratos da Petrobras. A empreiteira negava. Seguindo o dinheiro, os investigadores descobriram que a companhia abriu uma série de empresas de fachada no exterior para esconder os pagamentos de propina. Na sexta-feira, o juiz Sergio Moro decretou pela segunda vez a prisão preventiva de Marcelo Odebrecht, Alexandrino Alencar e outros executivos da companhia. A nova ordem de prisão teve por base informações bancárias remetidas ao Brasil pelas autoridades suíças que não deixam dúvidas de que a maior construtora brasileira está envolvida até o pescoço no escândalo de corrupção da Petrobras.
Na semana passada, a Polícia Federal também anexou ao processo anotações encontradas nos telefones apreendidos com Marcelo Odebrecht e documentos apreendidos com os diretores da empreiteira. As notas mostram que o empreiteiro, diferentemente do que vinha sustentando, não só tinha conhecimento como exercia controle sobre as atividades paralelas da empreiteira no petrolão, incluindo a estratégia para tentar melar a investigação. Nas anotações constam cifras, nomes de figuras importantes associadas a cifras, obras associadas a cifras, contas na Suíça - provavelmente as mesmas agora descobertas pelos investigadores. Em uma das anotações, Marcelo insinua que as contas suíças abasteceram campanhas políticas, entre elas a da presidente Dilma Rousseff. Muito ainda precisa ser investigado.
Há outra evidência importante que eclode dessa parte da investigação: a parceria que havia entre a Odebrecht e o Instituto Lula. Uma troca de mensagens interceptada pela Polícia Federal e juntada na semana passada ao processo da Lava-Jato ilustra bem a relação entre a entidade beneficente do ex-presidente e a empreiteira que corrompeu metade da diretoria da Petrobras nomeada por ele. Na origem da troca de mensagens está uma lista de perguntas enviadas por VEJA à companhia sobre os pagamentos feitos ao ex-­presidente e a seu instituto. A Lava-Jato tinha acabado de revelar que a Camargo Corrêa, outra empreiteira flagrada no petrolão, havia repassado 4,5 milhões de reais a Lula. Uma parte do valor, 1,5 milhão, foi paga diretamente à LILS, empresa de palestras e eventos aberta pelo petista. E a outra parcela, de 3 milhões, seguiu para contas do Instituto Lula. Curiosamente, um dos depósitos foi anotado na contabilidade da Camargo sob a rubrica "bônus eleitorais". Como já se sabia que a Odebrecht também havia dado dinheiro a Lula, VEJA perguntou à companhia os valores e a justificativa para tais pagamentos.
Ao encaminhar as perguntas à diretoria, um assessor da Odebrecht primeiro explica: "Caros, a Veja nos procurou hoje para falar das nossas relações com o Instituto Lula. Deixaram claro que o gancho deles é a divulgação, no contexto da Lava-Jato, da 'doação' da Camargo para o instituto". Depois, sem saber que a mensagem pararia nas mãos da Polícia Federal, ele comete uma inconfidência: "Alex, vou alinhar com o Instituto Lula, no paralelo". Alex, no caso, é Alexandrino Alencar, então diretor de relações institucionais da Odebrecht, atualmente preso em Curitiba junto com Marcelo Odebrecht. Era a Alexandrino que cabia operacionalizar a relação com Lula e seu instituto e, nas horas vagas, providenciar pagamentos de propinas no exterior. Leia MAIS e veja facsímiles dos emails

JOSÉ DIRCEU, O HOTEL, A GRÁFICA DO PT, AS AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE, ETC... LAVA JATO SEGUE O INTRINCADO RASTRO DO DINHEIRO.

Fachada do Hotel Sant Peter, de Brasília, que fechou as portas este ano. Foto do site de Veja
A quebra do sigilo bancário da Editora Gráfica Atitude, mantida pelos sindicatos dos bancários de São Paulo e dos metalúrgicos do ABC paulista (ambos ligados ao PT), revelou pagamentos a uma rádio da família Rothschild de Abreu, dona de um hotel em Brasília (DF) que ofereceu emprego ao ex-ministro José Dirceu (Casa Civil), condenado no julgamento do mensalão. A família também controla o partido nanico PTN.
O relatório da Polícia Federal sobre as contas da Atitude mostra repasses de 40.000 reais mensais, durante 2010 e 2011, para a Rádio Terra FM, uma das frequências da família em São Paulo. A PF listou 22 pagamentos de 870.000 reais ao todo - os dois primeiros foram de 35.000 reais cada. A Atitude alugava horário na grade da rádio, sediada na Avenida Paulista, para veicular um programa radiofônico com viés governista, o jornal Brasil Atual, que leva o mesmo nome de outras publicações da editora.
Em 2013, depois de começar a cumprir pena na Papuda, Dirceu entrou com pedido de trabalho externo na Justiça e apresentou uma proposta de emprego como gerente do antigo hotel Saint Peter, com salário de 20.000 reais. O ex-ministro desistiu oficialmente do emprego quando o Jornal Nacional, da TV Globo, revelou que o hotel era administrado pela Truston International Inc., com sede no Panamá, um paraíso fiscal, e que tinha a empresa tinha um laranja como presidente. O hotel Saint Peter fechou as portas neste ano.
André Vargas - O relatório de inteligência financeira analisado pela PF mostra uma série de despesas e receitas da Atitude. Segundo a PF, a editora e gráfica movimentou 67,7 milhões de reais nos últimos cinco anos.
Parte dos recursos saiu das contas de agências de publicidade que mantêm contratos com o governo federal e empresas públicas. Juntas, as agências Heads, Artplan, Nova SB e Borghi Lowe pagaram 868.377,73 reais à Atitude. As quatro dividem uma conta da Caixa Econômica Federal, cujo valor total chega a 1 bilhão de reais - metade em 2014 e metade em 2015. A PF investiga um esquema de pagamento de propina ao ex-deputado petista André Vargas em contratos de publicidade da Caixa e do Ministério da Saúde. Um dos réus é ex-diretor da Borghi em Brasília.
Na quebra de sigilo, aparecem também depósitos de empresas controladas pelo delator Augusto Ribeiro de Mendonça, empresário da Setal Óleo e Gás (SOG). Mendonça disse ter repassado 2,4 milhões à Atitude como forma de quitar propina combinada com o ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto. O tesoureiro nega. O administrador da editora, Paulo Salvador, disse à Justiça que o dinheiro bancou matérias pagas de interesse do empresário. Do site da revista Veja

DILMA MUDA GUARDA-ROUPA. GADOLA ROXA.

A Dilma resolveu mudar o seu guarda-roupa. Em vez de gandolas vermelhas, um roxo 'básico'. Faz sentido.

Sponholz: Lula e as noites geladas de Curitiba.


TERROR COMUNISTA DO PERU MANTINHA MULHERES E CRIANCINHAS EM REGIME DE ESCRAVIDÃO NA SELVA. FORÇAS ARMADAS RESGATARAM 39 PESSOAS. TEM QUE DETONAR O FORO DE S. PAULO.

Forças Armadas do Peru resgataram 39 pessoas que se encontravam na floresta sob o domínio do terror comunista do grupo Sendero Luminoso. Dentre essas pessoas que eram escravizadas pelos comunistas estão 26 crianças, geradas por mulheres cativas que foram estupradas pela bandalha comunista. O Sendero Luminoso é a versão peruana das Farc e goza do apoio do Foro de São Paulo, que tem Lula como presidente. Clique sobre a imagem para vê-la ampliada
O texto que segue após este prólogo é da agência internacional de notícias EFE e foi publicado no site de Veja, reportando um fato que deve ser destacado mas que vai ser ignorado pela grande mídia embora seja chocante. Não terá destaque porque a maioria dos jornalistas - e eu sei muito bem o que estou afirmando porque sou jornalista há mais de 40 anos - é constituída de comunistas, diletantes, maconheiros e mentirosos. Especialmente no Brasil, o único país do mundo onde jornalistas, por meio da Fenaj e sindicatos, apoiam o tal "controle social da mídia", postulado por Lula, o PT e seus acólitos.

A matéria relata o resgate de vítimas do grupo comunista Sendero Luminoso, do Peru. O jornalista que escreveu esse texto da EFE deve ser simpatizante e seguidor desses psicopatas malditos. A palavra comunista é simplesmente escamoteada do texto. No máximo se refere a esses assassinos como terroristas e maoístas, isto é, que seguem a doutrina de um dos maiores assassinos da humanidade, que foi o Mao Tse Tung. Todavia excluem o fato de serem comunistas. O Sendero é da mesma linha das Farc e continua operando nas selvas peruanas.

Esses monstros assassinos sequestram mulheres e as estupram para gerar filhos. As crianças são doutrinadas no comunismo maoísta e as mulheres escravizadas no cultivo das folhas de coca para a produção de cocaína.

E, finalmente, a reportagem não cita o fato de que a exemplo das Farc, o Sendero também é acolhido pelo Foro de São Paulo e, por isso, os senderistas são amigos do PT e demais partidos comunistas latino-americano sob o agasalho do Foro de São Paulo.

Um mistério que precisa ser esclarecido é de onde vem o dinheiro que financia as atividades do Foro de São Paulo. Neste caso, a Operação Lava Jato tem de seguir o dinheiro de forma muito diligente. Provavelmente tem dinheiro da roubalheira do mensalão, petrolão, eletrolão, BNDES, financiando esses grupos terroristas comunistas assassinos em toda a América Latina.

Leiam a matéria: 

A polícia e as Forças Armadas do Peru resgataram 39 pessoas, entre elas 26 crianças, que se encontravam na floresta sob o domínio da organização terrorista Sendero Luminoso, informou na última segunda-feira o vice-ministro peruano do Ministério da Defesa, Ivan Vega. O funcionário explicou à emissora peruana Canal N que os reféns estavam em um acampamento situado no município de San Martín de Pangoa, na região de Junín e dentro da área denominada como o Vale dos Rios Apurímac, Jan e Mantaro (conhecida pela sigla VRAEM).
Vega afirmou que os menores têm de um e 14 anos e no grupo há pessoas que foram sequestradas há 25 anos de um convento na cidade de Puerto Ocopa."Muitas destas crianças nasceram ali e foram geradas por estupros cometidos pelos senderistas", disse Vega. Segundo ele, os membros do Sendero Luminoso utilizam as mulheres jovens para procriar e trabalhar no cultivo de alimentos e criação de animais para o sustento dos terroristas.
A polícia e as Forças Armadas do Peru resgataram 39 pessoas, entre elas 26 crianças, que se encontravam na floresta sob o domínio da organização terrorista Sendero Luminoso, informou na última segunda-feira o vice-ministro peruano do Ministério da Defesa, Ivan Vega. O funcionário explicou à emissora peruana Canal N que os reféns estavam em um acampamento situado no município de San Martín de Pangoa, na região de Junín e dentro da área denominada como o Vale dos Rios Apurímac, Jan e Mantaro (conhecida pela sigla VRAEM).
Vega afirmou que os menores têm de um e 14 anos e no grupo há pessoas que foram sequestradas há 25 anos de um convento na cidade de Puerto Ocopa."Muitas destas crianças nasceram ali e foram geradas por estupros cometidos pelos senderistas", disse Vega. Segundo ele, os membros do Sendero Luminoso utilizam as mulheres jovens para procriar e trabalhar no cultivo de alimentos e criação de animais para o sustento dos terroristas.
As crianças nascidas no acampamento são doutrinadas conforme a ideologia maoísta da organização terrorista e, posteriormente, integradas à atividade subversiva, disse Vega. "O líder terrorista José Quispe Palomino deve entender que a população civil não pode ser escravizada. Não há nenhum peruano escravo e o governo não vai permitir isso", afirmou o vice-ministro. Vega informou que as pessoas resgatadas do acampamento do Sendero Luminoso serão transferidas à cidade de Mazamari, também na região de Junín, para tentar encontrar parentes fora do VRAEM. Os menores sem tutores ficarão sob a custódia do Ministério da Mulher e Populações Vulneráveis.
O principal grupo do Sendero Luminoso segue atuando no VRAEM, uma extensa e escarpada região de floresta que o governo classifica como em permanente "estado de emergência", já que nesse local também estão as maiores plantações ilegais de folha de coca do país. Do site da revista Veja

terça-feira, julho 28, 2015

PROCURADOR DA LAVA JANTO DEFENDE MEDIDAS RIGOROSAS PARA IMPEDIR E COMBATER CORRUPÇÃO E A ROUBALHEIRA


O procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato, gravou um vídeo em que faz um apelo para que assinemos o manifesto em favor das 10 medidas necessárias ao combate da corrupção no Brasil, segundo o Ministério Público Federal. Vejam o vídeo:
São elas:
1) Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos
2) Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa 2
3) Reforma do sistema de prescrição penal
4) Diminuição dos recursos no processo penal
5) Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação
6) Aumentos das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores
7) Celeridade nas ações de improbidade administrativa
8) Ajustes nas nulidades penais
9) Recuperação do lucro derivado do crime
10) Prisão preventiva para assegurar a devolução do dinheiro desviado

Aqui está o link: http://www.dezmedidas.mpf.mp.br/

Sponholz: Briga de cachorros grandes!


MARCELO ODEBRECHT AGORA É RÉU JUNTO COM MAIS 12 ACUSADOS NO INQUÉRITO DO PETROLÃO

Marcelo Odebrecht está preso em penitenciária na área metropolitana de Curitiba - Foto: revista Exame
O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em Curitiba, aceitou nesta terça-feira denúncia contra o presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e outras doze pessoas. A partir de agora, todos respondem oficialmente a uma ação penal no petrolão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia envolve irregularidades e pagamento de propina em seis contratos de obras e serviços da Petrobras: no consórcio Conpar (Odebrecht, UTC Engenharia e OAS) que atuou em obras da Carteira de Coque da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no consórcio RNEST-Conest (Odebrecht e OAS) na refinaria Abreu e Lima (PE), no consórcio Pipe Rack no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), no consórcio TUC Construções (Odebrecht, UTC PPI - Projeto de Plantas Industriais Ltda.) para obras das Unidades de Geração de Vapor e Energia no Comperj, no consórcio OCCH (Odebrecht, Camargo Correa e Hochtief do Brasil) para construção do prédio sede da Petrobras em Vitória e no contrato de fornecimento de nafta da Petrobras para a Braskem, empresa controlada pela Odebrecht.
Na última semana, o Ministério Público Federal havia acusado os executivos da Odebrecht e da concorrente Andrade Gutierrez na mais importante denúncia da Lava Jato desde o início da operação, em março de 2014. Por meio de acordos de cooperação internacional, em especial com autoridades da Suíça, os investigadores da força-tarefa que apuram os tentáculos do propinoduto na Petrobras conseguiram mapear a atuação direta da Odebrecht em 56 atos de corrupção e 136 lavagens de dinheiro.
De acordo com os investigadores, a empreiteira atuou na movimentação de 389 milhões de reais em corrupção e de 1,063 bilhão de reais com a lavagem de dinheiro. Em um esquema mais sofisticado do que a simples atuação em cartel, a empreiteira distribuía propina a partir de repasses a contas de empresas offshore e, dessas, enviava novamente o dinheiro sujo para contas bancárias secretas de agentes que ocupavam cargos-chaves na Petrobras, como os ex-diretores Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Renato Duque e o ex-gerente Pedro Barusco.
Além de Marcelo Odebrecht, passam a ser réus o doleiro Alberto Youssef; o ex-executivo da Odebrecht Alexandrino de Salles Ramos de Alencar; o operador da empreiteira no exterior, Bernardo Shiller Freiburghaus; Celso Araripe D'Oliveira, gerente da obra da nova sede da Petrobras em Vitória (ES); Cesar Ramos Rocha, executivo da Odebrecht; Eduardo de Oliveira Freitas Filho, sócio da empreiteira Freitas Filho Construções Ltda; Márcio Faria da Silva, também executivo da construtora Odebrecht; o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa; Paulo Sérgio Boghossian, ex-diretor da Odebrecht; o ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro Barusco; o ex-diretor de Serviços da petroleira, Renato de Souza Duque; e o executivo da Odebrecht Plantas Industriais Rogério Santos de Araújo.
Engrenagem - "A documentação vinda da Suíça, com, em cognição sumária, a prova material do fluxo de contas controladas pela Odebrecht a dirigentes da Petrobras, é um elemento probatório muito significativo, sem prejuízo da discussão pelas partes e apreciação final pelo Juízo", afirma o juiz Sérgio Moro no despacho em que aceitou a denúncia.
Os investigadores identificaram depósitos da Odebrecht no valor de 9,5 milhões de dólares e 1,9 milhões de francos suíços para Paulo Roberto Costa, 2,7 milhões de dólares para Renato Duque e 2,2 milhões de dólares para Pedro Barusco.
Marcelo Odebrecht está preso desde 19 de junho porque, segundo o Ministério Público, ordenou a destruição de provas que poderiam confirmar o pagamento de propina pela construtora. Do site da revista Veja

QUANDO DOIS JORNALISTAS SOZINHOS FAZEM MAIS DO QUE TODA A GRANDE IMPRENSA BRASILEIRA


Dois jornalistas: Diogo Mainardi e Mario Sabino que há pouco tempo criaram o site O Antagonista, fazem muito mais do que toda a grande mídia. Este vídeo é como uma coluna de opinião e análise política em vídeo que os dois produzem diariamente, sessão do site intitulada "Reunião de Pauta".

Enquanto isso, o restante da grande imprensa nacional, excetuando-se a revista Veja e seu site, continua dando uma no cravo e outra na ferradura, quando o grave momento em que se vive requer que se dê no cravo sem parar. E é isto que Mainardi e Sabino estão fazendo. E isto é jornalismo, o resto é oportunismo rasteiro, quando não é adesismo descarado à organização criminosa que fustiga o Brasil e os brasileiros.

Com o dólar subindo sem parar os brasileiros, especialmente os assalariados,  vêem o seu dinheirinho derreter, derretimento este que só será estancado quando Lula e Dilma estiverem em prisão de segurança máxima e o PT e demais partidos comunistas forem proscritos para sempre. 

Não é à toa que O Antagonista em pouco tempo se tornou um raro veículo de mídia de leitura obrigatória e contabiliza milhões de acessos diários.

ROUBALHEIRA ATÔMICA: OPERAÇÃO LAVA JATO CHEGA À ELETRONUCLEAR. PRESIDENTE LICENCIADO DA ESTATAL LEVOU R$ 4,5 MILHÕES EM PROPINAS.

Parece um grande lixão: 
Obras da Usina Nuclear de Angra 3, Angra dos Reis, Rio de Janeiro (Foto: Manoel Marques/Veja) - Clique sobre a foto para vê-la ampliada
Preso nesta terça-feira durante a 16ª fase da Operação Lava Jato, o presidente licenciado da Eletronuclear, subsidiária da Eletrobrás, Othon Luiz Pinheiro da Silva recebeu pelo menos 4,5 milhões de reais em propina, de acordo com o Ministério Público. Os pagamentos foram feitos entre 2009 e 2014 pela Andrade Gutierrez e Engevix, duas das empreiteiras que integravam o chamado clube do bilhão. Já Flavio David Barra, presidente da Andrade Gutierrez Energia também preso nesta terça, foi apontado como o responsável por negociar propina em contratos da usina de Angra 3.
De acordo com a Procuradoria, a propina era repassada ao presidente licenciado da Eletronuclear por meio de empresas de fachada - as investigações mostraram que as firmas não tinham pessoal para executar os serviços apontados ou que o dinheiro apenas 'pingava' na conta delas, sendo imediatamente transferido para a de Pinheiro da Silva. Ele recebia a propina por meio de outra empresa, a Aratec.
O avanço da Lava Jato para o setor elétrico mostra, nas palavras do procurador-federal Athayde Ribeiro Costa, que as irregularidades não estão restritas à Petrobras, mas "espalhadas em contratos da administração pública". Costa classificou a corrupção no país como "endêmica" e afirmou que ela se espalha como uma "metástase". "Hoje a corrupção no Brasil é um crime que compensa, porque os envolvidos saem impunes", afirmou Costa.
Além das prisões, foram conduzidos coercitivamente para prestar esclarecimentos os executivos Renato Ribeiro Abreu, da MPE Participações, Fabio Andreani Gandolfo, da Odebrecht, Petrônio Braz Júnior, da Queiroz Galvão, Ricardo Ouriques Marques e Clovis Renato Lima Peixoto, executivo aposentado da Andrade Gutierrez. Houve buscas nos escritórios dos investigados - os agentes apreenderam também cópias de e-mails funcionais.
As investigações se deram a partir de informações prestadas pelo executivo Dalton Avancini, da Camargo Corrêa, após acordo de delação premiada. Ele afirmou que o cartel de empreiteiras formado na Petrobras continuava a se reunir para discutir o pagamento de propinas a dirigentes da Eletrobras e da Eletronuclear, mesmo depois do estouro das investigações sobre o petrolão. De acordo com o MP, as investigações detectaram notas fiscais emitidas pela Aratec em dezembro de 2014, quando a Lava Jato já havia colocado na cadeia executivos de algumas das maiores empreiteiras do país.
Em relação a Angra 3, Avancini disse que o processo licitatório das obras da usina incluíam um acordo com a Eletronuclear para que a disputa fosse fraudada e direcionada em benefício de empresas como a Camargo Corrêa, UTC, Odebrecht, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Technit e EBE - todas elas reunidas em dois consórcios. "Já havia um acerto entre os consórcios com a prévia definição de quem ganharia cada pacote", disse o delator, que também afirmou que propina deveria ser paga a funcionários da Eletronuclear, entre eles o presidente afastado da entidade Othon Luiz Pinheiro da Silva. Em agosto de 2014, em uma reunião convocada pela UTC Engenharia, o delator afirmou que foi discutido o pagamento de propina de 1% ao PMDB e a dirigentes da Eletronuclear. Do site da revista Veja

Sponholz: Lula e Zé Dirceu em viagem repentina!


VÍDEO REVELA O ESQUEMA DO PT E DO FORO DE SÃO PAULO PARA IMPLANTAR O COMUNISMO DO SEC. XXI NO BRASIL. A CORRUPÇÃO E A ROUBALHEIRA FAZEM PARTE DESSE PROJETO MACABRO.


Este vídeo postado no Youtube faz um interessante resumo da deletéria ação do PT. Essa história começa em 1990, quando Lula e Fidel Castro criam o Foro de São Paulo. Nem um mísero veículo da grande mídia toca neste assunto, com já afirmei várias vezes aqui no blog.

Todavia, neste vídeo de apenas 18 minutos, as pessoas que ainda não sabem a origem de tudo que está acontecendo, passarão a compreender. Inclusive saberão fazer a ligação entre os escândalos e roubalheiras que começaram com o mensalão, chegaram ao petrolão e mais à frente ao eletrolão para listar aquilo que já foi descoberto e comprovado, com a trama ideológica do denominado "socialismo do seculo XXI" que já arrasou a Venezuela. Lembrem-se que a Venezuela já foi um país próspero e tradicional exportador de petróleo, possuindo as maiores jazidas do mundo desse insumo estratégico.

A roubalheira, a pilhagem dos cofres públicos brasileiros, se dá não apenas no esquema de propinas como tem mostrado a Operação Lava Jato, mas também com relação aos "empréstimos" secretos do BNDES que ajudam a manter ditaduras comunistas no poder como a cubana e suas congêneres africanas, como Angola, por exemplo. Além disso essas transações permitem a lavagem de dinheiro público do Brasil que beneficia diretamente o PT. Prova disso são as suas campanhas eleitorais luxuosas e caríssimas que empregam alta tecnologia, artistas, marketeiros, enfim o que de melhor e mais sofisticado nessa área. O didim bem de onde? das contribuições dos 'companheiros'?

Vendo este vídeo é possível compreender todo o esquema de forma ampla e não apenas ao que se refere às roubalheiras variadas aparentemente tipificadas como crimes comuns. Por trás de tudo isso está o interesse do Foro de São Paulo de domínio absoluto, inclusive dos processos eleitorais, de forma a manter indefinidamente no poder os partidos políticos vinculados a essa organização transnacional criminosa, aliás, o Foro de São Paulo é ligado às Farc.

A roubalheira e a corrupção que está levando o Brasil para o fundo do poço e, com ele a sua população, especialmente o estrato social que vive de salário e que é a maioria do povo, é uma realidade escamoteada pela grande mídia. E isso se explica no fato de que a maioria dos jornalistas é comunista, faz parte da camorra vermelha.

Este vídeo permite, como aludi no início desta rápida explicação, descobrir a ligação entre a corrupção e a roubalheira a algo ainda mais cruel, que é o fato de que tudo isso tem uma finalidade: a implantação de uma ditadura comunista no Brasil como já existe há mais de meio século em Cuba e, mais recentemente na Venezuela. 

Por favor, não deixem de ver este vídeo e compartilhar com seus amigos e parentes.

LEMBREM-SE: DIA 16 DE AGOSTO PRÓXIMO JUNTE-SE AOS MILHARES DE BRASILEIROS QUE IRÃO NAS RUAS CONTRA CONTRA OS COMUNISTAS DO PT QUE DESEJAM ESCRAVIZAR O POVO BRASILEIRO, IMPONDO INCLUSIVE A ESCASSEZ DE ALIMENTOS COMO OCORRE AGORA MESMO NA VENEZUELA! NÃO VAMOS DAR A CORDA PARA ELES ENFORCAREM O POVO BRASILEIRO! NÃO PAGAREMOS A CONTA DO PT!

segunda-feira, julho 27, 2015

'JUS SPERNIANDI' NÃO SALVARÁ MARCELO ODEBRECHT DE CONDENAÇÃO NO PROCESSO DO PETROLÃO. A MENOS QUE CONTE TUDO O QUE SABE SOBRE A ROUBALHEIRA POR MEIO DE DELAÇÃO PREMIADA.

Este blog republica esta foto do Marcelo Odebrecht confraternizando com a Dilma e o tiranete assassino cubano Raúl Castro, em Cuba. Se o Brasil fosse realmente um país sério Dilma e Marcelo Odebrecht seriam condenados à prisão perpétua. Quanto foi mesmo a grana do BNDES que financiou o Porto de Mariel? 
A defesa do empreiteiro Marcelo Odebrecht decidiu atacar nesta segunda-feira o juiz Sergio Moro, integrantes do Ministério Público e a Polícia Federal em petição enviada à Justiça Federal em Curitiba (PR). Os advogados se recusaram a explicar as mensagens cifradas encontradas no telefone celular do empreiteiro e as referências a siglas que, segundo os investigadores, podem estar relacionadas a políticos como o ex-presidente Lula, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), o senador José Serra (PSDB) e o governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT). Terminava hoje o prazo para que os defensores explicassem o contexto de cada mensagem apreendida.
Relatório da Polícia Federal com base em mensagens extraídas do celular de Marcelo revela o amplo leque de políticos com os quais ele tinha contato e seu esforço para utilizar siglas e mensagens codificadas para anotar as ações. De acordo com o documento, ele lançou mão de uma estratégia de confrontar as investigações da Lava Jato que contaria com "policiais federais dissidentes", dupla postura perante a opinião pública, apoio estratégico de integrantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e ataques às apurações internas da Petrobras. A PF avalia que o empreiteiro buscava criar "obstáculos" e "cortinas de fumaça" contra a operação Lava Jato.
Em manifestação entregue a Moro, a defesa de Odebrecht classificou a atuação do MP como "intolerável" por ter utilizado "documentos velhos de autenticidade duvidosíssima" e uma "artificiosa correlação entre telefonemas" para incriminar o empreiteiro. Depois de identificar 135 telefonemas entre o diretor da Odebrecht Rogério Araújo e o operador de propinas da empreiteira Bernardo Freiburghaus, a Lava Jato também mapeou que o executivo da construtora manteve conversas com o presidente do grupo, Marcelo Odebrecht, poucas horas depois de ter falado com Freiburghaus. De dezessete conversas telefônicas ou mensagens de texto entre Araújo e Odebrecht, quatro delas aconteceram em dias nos quais o executivo também havia conversado com Freiburghaus. Para os investigadores do petrolão, a coincidência entre os telefonemas e mensagens indica que Marcelo Odebrecht tinha amplo conhecimento e atuação na negociação de propinas pagas pela empreiteira.
O juiz Sergio Moro também é alvo das críticas por ter decretado nova prisão preventiva do executivo e por ter utilizado as mensagens do celular do empresário no decreto que determinou sua nova detenção. Para ler sobre a choradeira dos advogados de Marcelinho clique AQUI

EDUARDO CUNHA DIZ QUE O PT ESTÁ ABAIXO DO VOLUME MORTO E AFIRMA QUE ACOLHERÁ TODOS OS PEDIDOS DE IMPEACHMENT QUE TENHAM FUNDAMENTO

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), centrou suas críticas ao governo Dilma Rousseff e ao PT e disse que o partido, para a sociedade, está “abaixo do volume morto”. A declaração foi dada nesta segunda-feira em um almoço com empresários de São Paulo, e faz uma referência à declaração feita pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em junho em um reunião fechada e revelada pelo O GLOBO.
— Se a frase do ex-presidente Lula é de que o PT está no volume morto, acho que para a sociedade ele já baixou do volume morto. O que precisamos fazer é ver para o futuro. E o futuro passa por esse debate todo que estamos fazendo, que a gente possa construir soluções que esteja em consonância com a sociedade. E não fazer do congresso e do governo apenas uma pauta ideológica, corporativa e partidária — afirmou o presidente, que foi aplaudido.
Cunha também disse que a impopularidade do PT “consegue ser maior que a impopularidade de Dilma Rousseff“.
— Talvez, o PT tenha até arrastado a impopularidade dela mais para baixo do que poderia ser.
O presidente da Câmara também afirmou que seu rompimento político com o governo foi “reação a uma covardia” e voltou a afirmar que seu posicionamento é pessoal.
— Eu não costumo reagir colocando a cabeça debaixo do buraco. A história não reserva espaço para os covardes. Eles não vão impedir o meu livre exercício da liderança parlamentar. Fui vítima de uma violência com as digitais definidas. Não podia me acovardar e não reagir — disse Cunha, em referência a sua investigação na Operação Lava-Jato, por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.
Questionado pelo presidente do grupo Lide, João Dória, sobre a quem pertenciam essas digitais, respondeu: - Basicamente, foi uma interferência do Poder Executivo, que todo mundo sabe que não me engole.
Cunha acusou ainda o governo de “estimular a criação de partidos artificiais para tumultuar”, referindo-se à recriação do PL com a ajuda do ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD).
Na entrevista coletiva, dada após o almoço, Cunha não respondeu os questionamentos sobre sua investigação na Lava-Jato e disse que foi orientado pelo seu advogado a não comentar o assunto.
Questionado sobre críticas de lideranças petistas no seminário estadual do PT de Minas Gerais, que ocorreu neste final de semana, Cunha rebate provocando dizendo que o partido poderia adotar a tese do impeachment de Dilma.
— Os mesmos princípios que eles têm para mim, eles devem ter para todos os os quadros deles que são por ventura investigados ou suspeitos de qualquer coisa. Se eles pedem qualquer tipo de coisa em relação a mim, deviam começar pedindo o afastamento de ministros e talvez discutindo o da própria presidente. Talvez eles possam aderir à tese do impeachment — ironizou.
Para ele, seu afastamento ser defendido por dirigentes petistas é motivo de satisfação, já que considera a sigla como adversária.
— O PT é meu adversário, todos já sabem. Se ele tem pedido a minha destituição, só me dá alegria. Se o PT defendesse minha permanência, talvez eu pudesse estar errado — disse Cunha, que não considera a hipótese de se afastar da presidência da Câmara durante as investigações da Lava-Jato.
O lobista Júlio Camargo disse em depoimento que Cunha teria pedido US$ 5 milhões em propina em um contrato de navios-sonda da Petrobras.
IMPEACHMENT
Cunha voltou a falar que um impeachment de um presidente da República não é um processo simples, mas disse que os que tiverem fundamento terão andamento na Casa.
— Os (pedidos de impeachment) que sanearem serão analisados sob a ótica jurídica. Os que tiverem fundamento terão acolhimento — disse o presidente da Câmara. Leia MAIS

Sponholz: Peguem eles!