quarta-feira, julho 17, 2013

POR ENVOLVER SEGURANÇA NACIONAL, EXÉRCITO MONITOROU MANIFESTAÇÕES QUE OCORRERAM NO BRASIL EM JUNHO. FÁBRICAS CLANDESTINAS DE EXPLOSIVOS FORAM INTERDITADAS.

General José Carlos dos Santos, Chefe do Centro de Defesa Cibernática do Exército, sediado em Brasília. (Foto do site de O Globo)
O Exército brasileiro monitorou com lupa as manifestações que tomaram as ruas do país em junho, inclusive com uma técnica de espionagem semelhante à utilizada pela Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA), organismo sob suspeita de violação de dados sigilosos no Brasil. Um software de fabricação nacional, em uso pelo Centro de Defesa Cibernética do Exército, filtrou informações postadas nas redes sociais e serviu para identificar os manifestantes que assumiram a linha de comando dos protestos.
Os dados produzidos foram enviados à Polícia Federal e às Secretarias de Segurança Pública nos estados onde ocorriam as manifestações. As informações foram repassadas ao GLOBO pelo chefe do Centro de Defesa Cibernética, general José Carlos dos Santos.
Segundo o general, o monitoramento feito pelo Exército é legal. Esse acompanhamento é necessário por envolver questões de segurança nacional, o que legitima e justifica essa ação, avalia ele. O militar informou que a parceria com a Polícia Federal também tem legitimidade até porque as Forças Armadas não atuam na ponta, o que é função da polícia.
O centro funciona no quartel-general do Exército, em Brasília. Da central de monitoração cibernética, Santos comandou um grupo de 50 militares responsáveis por identificar eventuais líderes das manifestações, pontos de potencial conflito e organização de atos de vandalismo. Agentes e delegados da PF atuaram em conjunto com o Exército. Outros 24 militares — quatro em cada uma das seis sedes da Copa das Confederações — participaram do monitoramento dos protestos. Novas manifestações poderão ser acompanhadas pelo Centro de Defesa Cibernética e pelo setor de inteligência do Exército.
Os protestos de junho, em especial os realizados nos dias de jogo na Copa das Confederações, foram marcados pela violência das polícias militares, que evitaram a aproximação dos manifestantes dos estádios. Agora, sabe-se que filtros produzidos pelo Exército, com identificação de eventuais líderes, municiaram a ação dos policiais. O software utilizado foi fabricado pela Dígitro, empresa de Florianópolis que vende a ferramenta a órgãos de segurança pública em geral, segundo o general.
— A adaptação do software para esse tipo de monitoração depende do usuário. Ele foi customizado para esse evento — disse o general.
Santos afirmou que o monitoramento e a filtragem de dados das redes sociais pararam com o fim da Copa das Confederações. Segundo ele, em nenhum momento o Exército filtrou dados que não fossem informações públicas, divulgadas nas redes sociais pelos ativistas:
— Essa foi a nossa presença nessa imensa praça cibernética. Com filtros, consegue-se focalizar o que interessa. É uma técnica de filtragem que a própria espionagem deve utilizar racionalmente. Os americanos monitoram 2,3 bilhões de e-mails e telefonemas. Se não houver essa técnica, não é possível gerar inteligência sobre isso. O próprio embaixador americano (no Brasil), Thomas Shannon, indica que essa é a técnica utilizada pela NSA. É um processo semelhante. A grande diferença é que nós nos baseamos só em informações de domínio público.
Conjuntos de frases e palavras publicadas nas redes sociais foram pinçados:
— Tudo que estava relacionado à segurança pública era mapeado. Era difícil precisar de onde estava partindo a coordenação. Quando era possível, informávamos aos órgãos de segurança.

O Centro de Defesa Cibernética já monitora as movimentações para a Jornada Mundial da Juventude, no Rio. Na Copa das Confederações, o Exército forneceu informações “em tempo real” sobre produtos explosivos a serem usados nas manifestações. Fábricas clandestinas de explosivos foram interditadas, segundo o general. O mesmo monitoramento está previsto para a Copa do Mundo em 2014. Do site de O Globo

7 comentários:

Anônimo disse...

“BOLSHEVISMO”, NÃO!

O PT já está há dez anos no poder. Durante esse tempo, usufruiu, comodamente, da estabilidade econômica herdada do governo anterior e da extraordinária expansão da economia mundial ocorrida nos seus primeiros seis ou sete anos de gestão. “Sem medo de ser feliz”, diga-se de passagem. Mas, lamentavelmente, deixou de realizar as inadiáveis tarefas que lhe cabiam, e que são fundamentais para o crescimento sustentável do Brasil, ou seja: as reformas prometidas por Lula da Silva logo no início do seu primeiro mandato (política, tributária, trabalhista, previdenciária...) e o desenvolvimento ou recuperação da precária infraestrutura do país. Governou, então, “como se não houvesse amanhã”. E o resultado dessa criminosa inépcia governamental é visível no alarmante processo de degradação política, econômica e institucional que o país vem sofrendo, e que se configura na herança maldita que Lula da Silva deixou para a sua sucessora, a ser repassada, com agravo, para quem vier depois. Sem falar na corrupção, que aumentou vertiginosamente na última década, culminando no Golpe do Mensalão Federal, que é o maior escândalo de corrupção política da história do paÍs (tanto que foi atribuído, pelo ministro Celso de Mello, do STF, a uma “megadelinquência governamental”, praticada por verdadeiros “marginais do poder”!). Lula da Silva, que era o comandante em chefe de todos, “não viu, não ouviu, nem soube de nada”. E sem falar, também, na intentona bolchevista, cujo propósito parece ser a transformação do Brasil numa Cuba ou Coréia do Norte de dimensões continentais, sob a regência do Foro de São Paulo. O Foro de São Paulo é, como se sabe, uma organização facinorosa (por ter agregado grupos e facções terroristas) fundada por Fidel Castro e Luíz Inácio Lula da Silva com o objetivo precípuo de implantar o comunismo na América Latina. Isso mesmo: implantar, aqui, o regime escravagista, miserável e genocida que o mundo civilizado já condenou à lata de lixo da História! E que representa para eles, os membros da nomenklatura lulo-petista, a realização de um sonho de consumo: “Havana na Praia de Ipanema, com despesas pagas por Brasília”. É contra tudo isso, aliás, que o povo saiu às ruas, recentemente, em ruidosas manifestações, que se alastraram por todo o país.

Diante do exposto, fica bem claro que é necessário e urgente alijar o PT do governo, abortando o seu criminoso projeto de poder. Um projeto que já foi qualificado, pelo ex-ministro do STF, Ayres Britto, como “de continuísmo seco, raso. Golpe, portanto”. Mas isso será simplesmente impossível de ser realizado enquanto o partido politico hegemônico continuar praticando o “bolshevismo”, ou seja, a doação de dinheiro vivo, “mensalmente”, para milhões de brasileiros, por meio do famigerado Bolsa Família (e de outras “bolsas”), numa escala que o torna praticamente imbatível nas urnas. A forma como esse programa social foi manipulado na última campanha presidencial, com a boataria de que o candidato oposicionista iria acabar com ele, é bastante sugestiva de que se tornou mesmo um importante instrumento de cooptação eleitoral. Isso foi corroborado, recentemente, pela dramática corrida às agências da CEF, provocada por um boato de que o programa de distribuição de dinheiro vivo à população seria extinto. É digno de nota o fato de que algumas das mais representativas figuras do governo e do PT logo atribuíram os boatos a uma suposta trama oposicionista, o que acaba de ser formalmente desmentido pelas investigações levadas a cabo pela PF. Demonstrado o fato de que a patuscada ocorreu por obra e arte da própria CEF, sob controle da seita lulo-petista, nenhuma dessas figurinhas carimbadas do partido do governo veio a público pedir desculpas.

(continua...)


Anônimo disse...

(continuação...)

Isto posto, como o governo optou por esse programa assistencialista e eleitoreiro para redistribuir recursos em moeda, ao invés de promover, de forma sustentável, crescimento, emprego e renda, é necessário adotar salvaguardas para que ele não se consolide como o imenso curral eleitoral em que já vem se transformando, na medida em que escraviza dezenas de milhões de brasileiros à boca do caixa das esmolas oficiais. Hoje, quase um terço da população do país está dependurado, desse modo, nas tetas da Viúva. E, se continuar assim, grande parte dessa gente não vai querer mais “plantar macaxeira”, como bem nos advertiu o preclaro Lula da Silva na época em que ainda fazia oposição raivosa e achava que distribuir renda por meio de “bolsas” era pura embromação.

É preciso, pois, que haja uma ampla mobilização nacional para discutir essa questão, que é vital para a defesa da nossa periclitante democracia. Deixo bem claro, no entanto, que não estou pretendendo questionar o direito constitucional ao voto por parte daqueles que recebem dinheiro vivo do governo, mesmo tendo em vista o fato de que é proibida, pela legislação eleitoral, a compra de votos sob qualquer expediente ou forma. É, mas seria praticamente impossível tipificar o caso de que ora estamos tratando, ainda que as suas graves implicações saltem à vista. Não obstante, creio que a população deveria, ao menos, ser esclarecida, a cada eleição presidencial – por meio de campanha publicitária feita em âmbito nacional -, que o Bolsa Família é um programa social suprapartidário, construído ao longo de vários governos. E que não há, por parte de nenhum governante que venha a assumir a condução do país, seja ele de que partido político for, a intenção de extingui-lo.

Infelizmente, esse é o triste ponto em que nos encontramos em relação a esse programa assistencialista. Mexeu com ele, mexeu com um terço do povo brasileiro. Cabe-nos, então, pelo menos evitar que seja utilizado, ostensivamente, como instrumento de manipulação e cooptação eleitoral, como já vem acontecendo. Estaríamos, com essa providência, dizendo “‘Não!” (“Bolshevismo”, não!) ao voto de cabresto. Voto de cabresto elevado, no caso, à enésima potência. Algo nunca visto antes na história deste país, como diria Lula da Silva, o sumo pontífice da seita lulo-petista.

Por fim, sem querer mudar o foco - que, no fundo, é o mesmo, ou seja, a preservação do processo eleitoral democrático -, há uma outra providência que este país vai ter que tomar caso queira assegurar-se de que está elegendo, de forma realmente democrática, os seus governantes: a substituição das urnas eletrônicas pelo voto impresso. “Ah, usted no cree en las brujas? Yo tampoco creo. Pero que existen las brujas, existen.” Existem, sim, e estão soltinhas da silva. Mas esta é uma outra história, e a ela voltarei oportunamente.


Lucas Daniel.

Anônimo disse...

Pois é alegaram motivo de "segurança nacional", então os EUA, agora, podem alegar o motivo de "segurança mundial".

Anônimo disse...

Os Estados Unidos estão certos, não o Obama que é um comunista idiota. Já imaginaram as informações que têm sobre o Brasil? ... conta tudo Tio Sam!

O Libertário disse...

Pois eu, ao contrário do Lucas Daniel, acho que a suspensão do direito de voto deve ser aplicada a quem recebe dinheiro vivo dos que trabalham e produzem enquanto estiverem em tal situação. Recebe o cartão do Bolsa Família, entrega o título eleitoral. Fica independente, devolve o cartão e recebe o título de volta. Quem está sem condições de sobrevivência merece ajuda, mas não tem o direito de decidir o que é melhor para a vida dos seus provedores, aqueles que geram a riqueza que vai ser distribuída a quem nada pode fazer por si próprio. Da mesma forma, empresários que recebem subsídios públicos devem ficar impedidos de votar e também candidatos a cargos eletivos. Pode parecer bizarro, mas é assim que penso. Quem não tem competência que não se estabeleça.

Berto pernambuco disse...

Engracado,,,,essas manisfestacoes sao motivos de seguranca pu'blica. E o Foro de Sao P. ??? E os campezinos,junto com o MST e a vagabunda FUNAI que estao infernizando a vida de agricultores decentes, pais de familias que nos ajudam a pormos nossa comida na mesa ??? e que tem ti'tulos legais da terra ??. Agrucultores esses que trabalham duro, e que estao sendo expulsos de suas terras por indios de araque plantadores de maconha e negociadores de cocaina,,,empurrados pela mafiosa FUNAI paga a peso de ouro por ongs e traficantes estrageiros ??? isso nao e' motivo de seguranca nacional ????? A invasao no brasil de terroristas vagabundos islamicos, que estao construindo porcarias de mesquitas aqui ???? os militares estao monitorando ??? Essas remessas e lavagens de dinheiro que a dilma ta mandando pra paises como Cuba e na A'frica,,,,estao monitorando ???? E se estao porque nao fizeram nada desde o primeiro mandato do Lula ?????? Se e' so' pra monitorar deixa que faco essa porra.

Anônimo disse...

Tânia SP
Não vou comentar nada, Berto já comentou td!!! Acertou em cheio, é a mais pura verdade!.