TRANSLATE/TRADUTOR

quarta-feira, março 26, 2014

MACONHA TRANSFORMA CAMPUS DA UFSC EM CAMPO GUERRA. POLÍCIA TEVE QUE INTERVIR. DIREÇÃO DA UNIVERSIDADE PERMITE QUE ESTUDANTES OCUPEM REITORIA.


 
Grupo de estudantes montou barricada em bosque no campus da UFSC. Acima viaturas da policia tombadas pelos estudantes. Fotos do Diário Catarinense. O vídeo acima mostra que a polícia teve que usar gás lacrimogênio para dispersar dos estudantes.

Na tarde desta terça-feira, o campus da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis, virou um verdadeiro campo de guerra. Uma ação da Polícia Federal, que deveria coibir o uso de entorpecentes e o tráfico de drogas na universidade, resultou em um confrontro entre 300 estudantes e policiais.

A tropa de Choque foi acionada e gás lacrimogênio e bombas de efeito moral foram jogadas contra os estudantes. Cinco alunos foram presos e dois policiais ficaram levemente feridos.

Os manifestantes invadiram a reitoria e pretender ficar lá até que um documento que proíba a ação da força policial no campus seja assinado. Às 22h desta terça-feira, o movimento estava tranquilo e os presentes estavam planejando domir no local.

Nesta quarta-feira ocorrerá uma reunião a partir das 16h no auditório Garapuvu. Alunos, professores e servidores irão fazer um balanço sobre o ocorrido e decidir quais providências a universidade deverá tomar.
Segundo o superintendente em exercício da PF em Santa Catarina, delegado Paulo César Barcelos Cassiano Júnior, os federais receberam informação de que vinha ocorrendo "intensa atividade de uso de entorpecentes e tráfico de drogas" no bosque da universidade — onde aconteceu o tumulto.
Com base nessas informações, a PF decidiu fazer a operação na tarde desta terça-feira com policiais à paisana. Conforme o delegado Júnior, cinco alunos foram detidos porque estavam fumando maconha no bosque. Mais cedo, um dos cinco alunos envolvidos na confusão afirmou que não estavam fumando, mas que portavam maconha na quantidade para fazer cinco cigarros.
O tumulto
Um dos estudantes foi levado para dentro da viatura descaracterizada da PF estacionada no bosque da universidade. Estudantes e servidores que estavam em volta cercaram a viatura e não deixaram o aluno de geografia ser levado embora. A movimentação atraiu mais gente — chegando a 300 o número de envolvidos na confusão.  
Em seguida, por volta das 17h40min, a PF autorizou a entrada da tropa de Choque da Polícia Militar. Segundo a PM, eles também foram acionados pela segurança da própria UFSC. Alguns manifestantes viraram a viatura descaracterizada da PF e um carro da segurança do campus da UFSC. O Choque usou gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral contra estudantes e servidores, dispersando o tumulto. Dois policiais federais foram levemente feridos no tumulto, conforme o delegado Paulo Júnior.
O desfecho
De acordo com o delegado Júnior, os cinco alunos foram conduzidos para a Superintendência da PF em SC, onde assinariam um termo circunstanciado por uso de maconha e depois seriam liberados.
Eles chegaram na PF por volta de 18h40min em uma viatura da Tropa de Choque da Polícia Militar. Um representante da UFSC e a presidente da comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, deputada Luciane Carminatti os acompanham.
A ocupação
Ainda no bosque, os estudantes decidiram ocupar a reitoria da UFSC. Após montarem uma barricada na frente do edifício, eles aguardam um encontro com a reitora, Roselane Neckel, com a qual tentarão um acordo para que não haja mais policiais no campus. Eles pretendem passar a noite no prédio até que o documento seja assinado.
— Só sairemos daqui quando conseguirmos um documento que nos garanta isso — disse a estudante de psicologia Gabriela Celestino, uma das primeiras a ocupar o prédio.
O chefe de gabinete também informou que a universidade permitiu a ocupação dos manifestantes dentro da reitoria. 
Por meio da assessoria de imprensa, a UFSC disse que desconhecia a ação policial dentro do campus e a partir de quarta-feira irá levantar documentação para analisar o caso. Do site do Diário Catarinense onde o leitor poderá ver vários vídeos

18 comentários:

Anônimo disse...

Apoiar os estudantes venezuelanos,não né?Olha aí os universitários analfabetos da década petralha.

Anônimo disse...

Que vergonha desse Brasil

Anônimo disse...

Meu dinheiro do IRPF indo pro lixo. Ao invés de meu dinheiro ser usado pra bancar profissionais que servirão ao país quando formados, esta sendo usado para formar marginais.

Anônimo disse...

Jamais aceitaria um curso, mesmo que gratuito de uma universidade pútrida do brasil. E jamais permitirei que um filho(a) estude nessas pocilgas.

Anônimo disse...

Eu diria "O bolivarianismo transforma UFSC em território livre". Chega de sustentar maconheiro. Privatização da UFSC Já.

Anônimo disse...

Aluizio, segundo essa notícia, esses "nobres" estudantes defendem seu direito de usar maconha e outras drogas e ainda apoiam os traficantes ... Quanta dignidade !!! E ainda querem que eles estudem ? Coitados ... tão injustiçados ! Afinal eles não querem liberdade para estudar, fazer pesquisas, etc. Eles querem apenas fumar seus baseados ! Só estranhei, entre os estudantes presos, haver um do curso de GEOGRAFIA ... isso é raro acontecer nas nossas universidades. Será que a informação está correta ?

Anônimo disse...

Estudantes, não! São bandidos.

A doutrina ensinada nesta faculdade é pior que droga!

Chris/SP

Anônimo disse...

Talvez os estudantes brasileiros acorde quando o Brasil chegar no mesmo estágio que chegou a Venezuela.

HD disse...

Eu estudei na UFSC e, pelo menos no meu tempo, essa horda de bagunceiros é uma minoria. A maioria está lá para estudar.
O único problema é que essa horda de bagunceiros depois entra na política e passa a mandar em quem estava estudando. Aí eles também passam a comandar o Brasil!!!!
Ou gente honesta começa a entrar na política ou o destino do Brasil será triste!!!

Anônimo disse...

É o que eu sempre digo: para o Brasil que eu quero descer, se somente se a reitoria esta conivente com os atos dos "alunos" então porque a policia esta lá? deixe os "estudantes" guiados pelo novo método aplicado pela esquerda moderna do PT cuidar deles, enquanto nós pobres trabalhadores sustentamos o vício e sua incapacidade intelectual, a sociedade vai pagar caro por esse descaso.

Alexandre, The Great disse...

Estudantes? Pela matéria parece um bando de cracudos e maconheiros que se insurgiram contra a prisão de um "cumpanhêro" flagrado com a erva do capeta. Ou não foi isso?

Carlos Schiavo Tafner disse...

Que vergonha! Sem ideais esses lixos... Deveriam lutar por causas sociais e não para encher o rabo de entorpecente.....inúteis! !!!!!

Anônimo disse...

são sempre os vagabundos da área de humanas. gente improdutiva.

Anônimo disse...

Pau e cadeia pra essa maconheirada!

Anônimo disse...

Que lixo, e os pais dando duro prá sustentar esses vagabundos maconheiros na faculdade.
Papo manjado e a formatura que nunca chega ou pior, ter um sujeito desse formado.

bpistelli disse...

OS ANIMAIS COMUNISTAS-DROGADISTAS querem um país independente dentro da universidade, a União Socialista Estudantil Soviética de Banânia, onde o aborto, drogas e estupro são livres e o estupro só punido quando O HOMEM É O ESTUPRADOR, mulher nunca seria punida e tem estupradoras, elas agem em dupla, uma ameaça o homem com arma para fazer sexo com a outra mulher e depois gostosamente saem impunes pois o feminismo impede o homem de prestar queixa em delegacia ( do homem? ) vão chamar o cabra de bicha, fresco.
Delegacia da mulher poucas vão atender e registrar como assalto.

Anônimo disse...

https://www.facebook.com/ufscmaioremelhor

Não vamos deixar 300 estudantes falar por 35 mil. Queremos a policia na UFSC sim.

Anônimo disse...

Está na hora de legalizar!