TRANSLATE/TRADUTOR

segunda-feira, junho 22, 2015

"O JARDIM DAS AFLIÇÕES", UM DOCUMENTÁRIO SOBRE OLAVO DE CARVALHO QUE SERÁ FILMADO NOS ESTADOS UNIDOS.

Matheus Bazzo, Olavo de Carvalho e Josias Teófilo.
“O Jardim das Aflições” é um documentário longa-metragem sobre a vida de Olavo de Carvalho que está em fase de produção. O idealizador e diretor do filme, que será gravado na Virgínia, Estados Unidos, é Josias Teófilo. O objetivo, segundo o cineasta, é captar o dia-a-dia, o trabalho, e um pouco da filosofia de Olavo. Teófilo destaca que se trata de uma produção livre de recursos do Estado, utilizando, para cobrir os custos, apenas o método crowdfunding (financiamento coletivo). (Conheça o site e saiba como você pode doar para a realização do filme)

Na entrevista a seguir, Josias Teófilo falou sobre o projeto, para o site Mídia Sem Máscara. Transcrevo a parte inicial da entrevista com link ao final para leitura completa:

Conte um pouco sobre sua carreira profissional e responda: que tipo de influência a obra de Olavo de Carvalho exerce sobre a sua vida?
Me graduei em Jornalismo no Recife, e depois fui para Brasília fazer mestrado em filosofia, focado na obra de Andrei Tarkovski, cineasta que admiro muito. Posteriormente, publiquei o livro “O cinema sonhado” que é um ensaio biográfico sobre o meu avô, Pedro Teófilo Batista, que também foi cineasta. Recentemente, resolvi fazer o filme sobre Olavo de Carvalho, que é uma figura que admiro muito e conheço desde 2009. Olavo usava a rede social Orkut e eu lia sempre o que ele escrevia. Algo absolutamente excepcional. Nunca conheci nenhum outro professor de filosofia que falasse tão bem e com tanta propriedade sobre arte, romance, história da arte, e até sobre cinema. Naturalmente é uma grande influência para mim e na minha concepção, Olavo é a figura mais relevante da intelectualidade brasileira atual.

De onde partiu o desejo de fazer um documentário sobre a vida do professor Olavo?
Eu noto que nenhum escritor brasileiro ainda vivo escreve obras como “O jardim das aflições” (que dá título ao filme), “O Imbecil coletivo”, “Aristóteles em nova perspectiva”, e “A nova era e a revolução cultural”. Esses livros são de uma profundidade e de uma elaboração que é coisa absolutamente única, não consigo relacionar obras desse porte com nenhuma outra da atualidade. Acredito que o último intelectual brasileiro tão completo como Olavo de Carvalho foi Gilberto Freyre, que morreu em 1987. Por esse fato, eu sentia necessidade de um filme sobre Olavo, algo que ainda não existe, o que é lamentável. Isso se explica porque o cinema documentário brasileiro tem uma tendência profundamente ideológica que vem sendo cada vez mais ressaltada nos últimos anos. Os documentaristas necessitam de recursos públicos. O governo, por sua vez, quer disseminar sua própria ideologia por meio desses filmes. Naturalmente, não me seria dado espaço para documentar Olavo. Além disso, muitas pessoas envolvidas com cinema não sabem quem ele é de fato. Tudo o que sabem é que ele é um polemista, porém, não sabem que ele é principalmente um intelectual e nunca tiveram contato com seus textos sobre cinema, arte e outras obras publicadas. As pessoas têm uma visão artificial. Esse caráter retórico do cinema documentário atual, tão presente em muitas produções recentes, é incompatível com o filme sobre uma figura tão sincera como Olavo de Carvalho.

Como está sendo o processo de produção do documentário?
Basicamente, não há espaço no Brasil para se fazer um documentário sobre Olavo com recursos públicos. Acho que nenhum edital no país iria aprovar um filme sobre ele, simplesmente por questões ideológicas e não por questões artísticas. Então, nem pensar fazer um filme com Lei Rouanet e editais públicos. Foi devido a isso que pensamos fazer um “crowdfunding”, que é um financiamento coletivo com os alunos e os muitos admiradores de Olavo no Facebook, rede na qual ele possui mais de 120 mil seguidores. Também não seria coerente fazer um filme sobre ele com recursos públicos quando ele jamais usou tais recursos, nem para estudar em universidades. Ele trabalhava e estudava de noite, e leu toda a história da filosofia. Nem aposentadoria ele foi buscar. Portanto, o pensamento de unir a ajuda governamental em um filme sobre Olavo simplesmente não combina. Por isso, nós pensamos no crowdfunding e já temos muitas colaborações. Visitamos a Virgínia, onde ele mora, eu, Wagner Carelli e Matheus Bazzo, assistente de direção que fez também o site e está encabeçando o projeto comigo. Na casa de Olavo fizemos o roteiro do filme.
Silvio Grimaldo, que trabalha com Olavo nos disse: “É impossível você fazer um documentário sobre Olavo de Carvalho sem ir visita-lo, porque ele é uma figura muito complexa, muito diferente”. Outro dia, um amigo meu que estuda filosofia veio me perguntar porque fazer um filme sobre Olavo. Esse meu amigo é meio de esquerda e dizia “com tantas outras pessoas mais relevantes e melhores professores de filosofia do que ele”. E eu respondi: “Imagine se você for fazer um filme sobre um professor de filosofia, o que você vai filmar? Ele indo para a faculdade, fazendo uma reunião de departamento, depois ele vai para sua casa e senta na sua biblioteca lendo seus livros? Isso simplesmente não dá cinema”. Olavo é muito mais relevante do que todas as outras figuras, não só porque sua obra é melhor que as outras, mas ele em si é muito mais interessante. Ele está em sua casa, colecionando seus rifles, e debatendo sobre o Brasil na internet com toda sua inteligência e erudição. Viaja para caçar, vai ao conclave de Washington. Isso sim é interessante e dá cinema. Clique AQUI para continuar lendo

12 comentários:

Anônimo disse...

Olavo de Carvalho é o VENTILADOR que apareceu de repente na farofa quando o PT e outros comunistas comiam tranquilos em suas mesas, quando estavam bem tranquilos, rindo da ingenuidade dos outros que caíram nas suas redes - são vaidosos e exibicionistas de serem velhacos e espertalhões - mas, phuderam-se de vez!
Ah, se não fosse Olavo do lado de lá e o Dr Moro aqui!
Mas que o Senhor Deus nos abençoe em primeiro lugar e rezemos pois sendo o comunismo o legítimo diabolismo, apenas por esforço humano não conseguimos nos libertar dessa praga infernal!

Anônimo disse...

Que beleza Amorim. Vou querer ver esse documentario.

Gil Rikardo disse...

Hoje em dia, ou nos dias de hoje... filósofos surgem como cogumelos após a chuva...

Anônimo disse...

Desculpe o Olavo, mas essa história de caçar animais é AVILTANTE, CRUEL, ABSURDA! E ele não perde a oportunidade de divulgar isso! Olha essa foto postada aqui! Isso abala a confiança na pessoa dele.

Anônimo disse...

Continue caçando animais, Olavo, principalmente os vermelhos, muito piores que esses que v caça aí nos USA!
Quem condena caça não pode comer carne alguma, como de frango, bovina, peixes e todos os mais!
Os ratos, por serem esses caras defensores do animais, devem levar para casa, especialmente os do PT que devem ir junto com esses roedores.
A desgraça do Brasil são os ratos vermelhos!
DESRATIZAÇÃO, JÁ, GENTE!!!

Euclides Souza disse...

Há uma razão muito forte para lê-lo: Olavo é proibido pelo esquerdismo. O autor maldito que desmascara, coloca a hegemonia em dúvida.

Anônimo disse...

Pior do que PT fez conosco tratando-nos como animais de estimação, dando comidinha, docinho, para otário engulir, ajudado por empresários, banqueiros e jornais, matando nossas esperanças, nos amordaçando, nos tornando pequenos, enfim, nos escravizando, nos constrangendo. Escravidão, sim, pela intimidação, pelo medo, pelo cinismo, pelo jeito totalitário de administrar o país, ora em frangalhos. Não planejaram nada! Não fizeram nada de bom em prol de uma Nação carente de Ensino e Saúde de verdades, não essa miséria que vai por aí. Um lixo! Mentiram, a rodo! Inventaram artimanhas nefastas para se perpetuarem no poder. E agora, que nem crianças pegas com a mão na massa, esperneiam, berram e tentam se safar de forma ridícula e assustadiça, querendo a nossa comoção. Compraram todo mundo, inclusive o Diabo, que agora vem cobrar a conta.
Covardes e fracos, imorais e pusilânimes, bandidos e criminosos sempre, ao final, quandpo são desmascarados, agem assim como estamos vendo. Que dó!

Cavalaria Ligeira
Carga!!!

Anônimo disse...

Merecidíssimo!

Olavo é, hoje, o filósofo/intelectual de mais alto gabarito que eu conheço. O mula não aguentaria 1/2 minuto de confronto de idéias com ele!

Anônimo disse...

E não é só o Brahma não. Não há na atualidade brasileira e em nenhuma universidade alguém capaz de debater com o Olavo de Carvalho.

Jose disse...

Há 12 anos que leio Olá o de Carvalho. Não há nada igual nesse país. Sua sabedoria está anos luz a frente do nosso povo. Peço a todos que leiam sua obra, assistam suas aulas, vejam suas conferências na Internet. Vocês vão se surpreender. Nunca um brasileiro foi tão brilhante como o Professor Olavo.Parabéns pela iniciativa.

TERMINATOR disse...

Perfeito os comentários sobre Olavo. É por isso que ele é tão imitado, acompanhado mas também tão invejado e criticado. Sobre a caça, nos EUA isso hoje segue rígidas leis. E os parques, reservas e afins são super fiscalizados e existe períodos certos para se caçar. Não é igual o que se vê nos filmes onde até ¨canibal¨ sai ¨caçando¨ sem ninguém saber.

Ingo Maximo disse...

Professor como o Olavo é o que eu sentia falta na escola e faculdade. O que não faltava era professor esquerdista caviar puxando saco do Lula e do PT. Era assustador.

Depois que estourou o mensalão em 2005, todo mundo começou a mudar de idéia e falava para mim. "É, você tinha razão. Lula não é o que diziam."

E ainda faltam jornalistas na TV, Jornais, Revistas como o Olavo de Carvalho.

Ninguém fala nada sobre os poderosos.

Sobre os Bilderberg, CFR, Comissão Trilateral, Clube de Roma, Clube de Madrid, The Elders, The Beers, Ceciul Rothes e outros grupos.

Falam nada sobre a KGB, FSB, Editora Mir Publisher Russa.

Só fui entender muitos assuntos quando eu peguei os artigos do olavo de carvalho.

A quantidadade de livros que não são divulgados nas escolas é absurda. Especialmente nas aulas de história e geografia.

Se não fosse a internet.