TRANSLATE/TRADUTOR

quarta-feira, agosto 19, 2015

QUEBRANDO O SILÊNCIO: EMPRESÁRIO ALERTA PARA O PERIGO DA INSTABILIDADE POLÍTICA E ECONÔMICA QUE AMEAÇA O BRASIL.

O artigo que segue é do empresário Marcelo Petrelli, Presidente Executivo do Grupo RIC - Rede Independência de Comunicação, que opera em Santa Catarina e no Paraná sendo afiliada da Rede Record nos dois Estados. Edita também o Jornal do Dia em Florianópolis e possui emissoras de rádio tendo, portanto, expressiva capilaridade nesses dois Estados da Região Sul do Brasil.  

Faço a transcrição deste artigo que está postado no tradicional site de comunicação Acontecendo Aqui, por que é a primeira vez que leio, da lavra de um grande empresário, um artigo que expressa aquilo que está no coração e mente da maioria do povo brasileiro em relação ao desgoverno do PT e, sobretudo, às ameaças recentemente proferidas pelo Presidente da CUT, central sindical controlada por Lula e seus sequazes.

O empresário Marcelo Petrelli quebra, portanto, um silêncio inexplicável que tem dominado o segmento empresarial brasileiro em relação à situação de descalabro econômico, social e político em que o Brasil foi lançado, sem falar no cipoal de escândalos e roubalheiras variadas que afrontam a Nação. Oxalá os demais empresários façam coro com Marcelo Petrelli antes que seja tarde demais. Leiam:


CHEGA DE VERGONHA!
Por Marcelo Petrelli
Presidente do Grupo RIC de Santa Catarina
Transcrito do site Acontecendo Aqui

Chocou o país a posição do presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Wagner Freitas, que na quinta-feira, ao defender a permanência de Dilma Rousseff no cargo, sugeriu um enfrentamento armado caso o mandato da presidente seja ameaçado. Ao fazer o chamamento para ir às ruas “de armas na mão”, o sindicalista esqueceu que o Brasil é uma democracia que não permite esse tipo de delírio
Empresário Marcelo Petrelli
Chegamos a um ponto em que precisamos de definições para que a instabilidade reinante seja substituída por um clima mais propício à governabilidade, ao trabalho, à retomada do crescimento. Isso implica cogitar o impeachment da presidente, se houver fundamentação jurídica para isso, com o devido debate democrático e o amplo direito de defesa. Mesmo assim, há necessidade de entendimento entre lideranças políticas para alcançar a governabilidade e a superação do impasse que enfrentamos. É necessária a união de todos em favor do Brasil. Os políticos se iludem ao acreditarem que a população não está atenta ao que acontece em Brasília. Se os políticos continuarem com esta atitude, teremos cada vez mais Tiriricas.
Para muitos políticos, quanto pior melhor, quanto maior o desgaste do governo, melhor. Porém, é preciso pensar no prejuízo que esta postura acarreta ao país, criando instabilidade política e econômica. A sociedade está pagando um preço muito alto por esta irresponsabilidade. Se a presidente Dilma foi eleita pelo voto popular, antes dela outros presidentes também o foram. Todos tiveram obrigações para com a sociedade e foram julgados por ela, como no caso do ex-presidente Collor. Os líderes políticos, salvo exceções, só pensam nos próprios interesses. A elite brasileira tenta justificar seus erros ao dizer que “cada povo tem o governo que merece”. Isso é uma falácia: na verdade, os cidadãos é que não merecem os dirigentes que só pensam neles, sem nenhum espírito ou compromisso público. A elite brasileira tem a obrigação de encerrar já esse ciclo vergonhoso.
Também a classe empresarial, que tem o capital e entidades fortes em defesa de seus interesses, não pode se omitir e esperar por soluções que venham de cima para baixo. Precisa participar mais, interagir, pressionar, exercer a cidadania em favor de toda a sociedade, e não apenas de suas bandeiras. Os estudantes, que no passado fizeram vigília nas ruas, pelas boas causas da população, hoje parecem estar desconectados da realidade que o país atravessa. Parece que o destino da nação depende de meia dúzia de iluminados de Brasília.
Se a proposta é criar trincheiras armadas nas ruas, tenho o direito de pedir ao Exército que vá para as mesmas ruas com a função de me defender. Presente ao ato de quinta-feira, onde o destrambelhado presidente da CUT falou, a presidente Dilma perdeu a oportunidade de rechaçar a ideia do sindicalista e conclamar a nação à unidade, ao bom enfrentamento, à defesa da cidadania. Preferiu o silêncio e as palmas dos correligionários. Dilma Roussef tem três anos de mandato pela frente. Mas para retomar a governabilidade, deveria, antes de qualquer enfrentamento, deixar de dar ouvidos à CUT e aliados, de repelir as críticas da imprensa, mudar sua postura, admitindo os erros do seu partido e do seu governo. Talvez, agindo desta forma, seu discurso reverberaria positivamente na sociedade, recuperando a confiança de todos, inclusive dos políticos.
Vivemos um círculo vicioso, com um modelo que não deu certo. De um lado, a classe política se beneficia deste jogo que chantageia o governo, paralisando o país, que enfrenta uma de suas piores crises. De outro, temos uma gestão ineficiente, que não consegue atender ao cidadão, com denúncias diárias de corrupção e desvios de dinheiro público. Hoje o Brasil não está dividido em uma luta de classes, como deu a entender o presidente da CUT, no seu discurso retrógrado, mas em outro tipo de guerra surda: entre certo e errado, entre honestos e ladrões, entre corruptos e não corruptos, entre impunidade e violência, entre funcionários públicos que trabalham e aqueles que se beneficiam das funções que exercem. Há neste meio um excesso de vantagens, privilégios e direitos exorbitantes, enquanto na iniciativa privada os trabalhadores vivem o Brasil real, sem privilégios de qualquer espécie. Essa situação quebrou o Brasil.
Não vamos nos iludir achando que o fundo do poço é de barro, porque podemos levar o país a uma crise ainda mais aguda. Por opção, eu escolho o certo, o honesto, o não corrupto, o fim dos privilégios e benefícios, e proponho tolerância zero com o que não estiver correto, custe o que custar. O rigor da lei é para todos, inclusive para mim se a transgredir. Nosso país precisa de leis simples, objetivas e práticas, capazes de pôr atrás das grades os bandidos, os oportunistas, os ladrões do dinheiro público, os corruptos e corruptores. Nossos parlamentares, responsáveis por legislar, são também os responsáveis pela crise de valores que enfrentamos, porque preferem discutir o sexo dos anjos em Brasília, dando as costas para o Brasil real.

14 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom o artigo. Espero que seja lido pela maioria dis empresários e brasileiros.

Anônimo disse...

O atrevimento da CUT foi patente, mas o general Gilberto R Pimentel refrescou ele, afirmando que no Brasil só existe um exército e, se ele e seus cupinchas o desafiarem, saírem de armas nas ruas, serão enfrentados!
Nesse dia 16 de agosto, se não houvesse essa advertência, seria possível que quererem se manifestar com os black bostas da vida, quem sabe, mas retrocederam; até o mentoros Wagner Freitas se retratou da boca prá fora dissimulando "ser mal entendido, que não queria dizer isso"; como sempre, comunista ataca, mas se houver resistência, retrocedem.
Jogaram verde para colherem maduro, mas dançaram e ficaram na deles!
O problema maior para o PT é não ter apoio nem de 5% da população e o chefão da máfia agora prá frente o farsante Lula ser o novo e correto alvo do povão; e acertaram dessa vez!
Fora dele, o resto é fichinha!

Anônimo disse...

BRAVO! Petrelli acabou com os petralhas!

O Libertário disse...

Até que enfim o bom senso se pronuncia.

Anônimo disse...

Eduardo-RJ

Esses políticos canalhas e irresponsáveis estão brincando com a desgraça do Brasil. Em breve veremos invasões de supermercados, quebra-quebra e greves por todo país. Daí para uma intervenção militar é um pulo. Talvez seja a única e arriscada saída!

Su Torr disse...

"A elite brasileira tem a obrigação de encerrar já esse ciclo vergonhoso". A elite brasileira precisa tomar é vergonha na cara. Essa gente perdeu completamente a moral. Tirando alguns gatos pingados, a maioria acha que o dinheiro escoando p/ dentro de suas ricas contas bancárias é o que importa. Nao têm cultura, não têm ética, se possui principios não os aplica, não são patriotas, são omissos - A ELITE BRASILEIRA ESTÁ SE LIXANDO PARA O BRASIL. A elite brasileira é um lixo. O Brasil para essa gente é um mero brinquedinho p/ satisfazer os seus desejos. TOMEM VERGONHA NA CARA. - "(...)temos uma gestão ineficiente, que não consegue atender ao cidadão, com denúncias diárias de corrupção e desvios de dinheiro público." - O 'governo do povo' e 'para o povo', além de não atender ao cidadão, não ENTENDE o cidadão. O cidadão brasileiro está FARTO, de 'saco cheio', INDIGNADO, não aguenta mais. Esse pessoal está subestimando demais os brasileiros, esse povo cordato, calmo, pacífico. Uma hora podem se surpreender.

Anônimo disse...

Concordo Su Torr!A verdade a Elite Brasileira é a principal culpada da bagunça, quando achou que podia enganar o diabo. Sabe aquele ditado: se você dança com o diabo, você muda mais o diabo não! Resultado: cada vez mais somente as empresas e empresários ligados ao governo estão se dando bem! Como eu li num artigo que num futuro próximo somente haverá vagas de empregos em Odebrecht e JBS da vida porque são empresas ligadas ao governo! E sem contar que a nova elite é justamente formada por funcionários públicos federais! Agora todos vão pagar o preço por apostar numa ideologia fajuta! Não interessa a classe social se as coisas não mudarem até 2018 teremos o caos instalado no país.

Anônimo disse...

Parabéns pelo belo texto, vá a luta lidere um movimento forte em defesa de nossa sociedade.

Anônimo disse...

O artigo é excelente, mas ainda falta quem tenha a coragem de colocar na parede essa gente por meio de perguntas que forcem uma explicação o que é o Foro de SP, que na sua última assembleia declarou abertamente a formação de uma America Latina 'bolivariana'. NA CARA DURA! Então meu caro empresário, o senhor, óbvio, de parabéns por sua consciência, também deve atacar esse problema porque este assunto (Foro de SP) é, se não o principal responsável, um dos principais articuladores e, por conseguinte, fomentadores do nosso atraso, da nossa situação. Os outros países que caíram nessa desgraça que o digam!
Pergunte - e cobre a resposta - o que é, o que pretende, do que se trata, o tal famigerado convescote comunista, disseminador de diretrizes sociais, econômicas e políticas, de cunho gramscista. Pergunte, e cobre uma resposta clara e decente, porque faz 25 anos e ninguém sequer (políticos, empresários e afins) toca no assunto, sequer falam ou explicam. Por quê? Qual o medo?
Nem gente "amiga" da "oposição" fala abertamente. O senhor já viu o FHC, Serra, Aécio, os do PT nem se conta!, e demais irem contra? Silêncio total.
Em um país que um camarada, na frente da Presidente, fala o que falou e ficou por isso mesmo; em que um Ministro da Justiça!, sai correndo para proteger o LULA, se comporta mais como advogado do que um Ministro, o senhor acha o quê?

Cavalaria Ligeira

Anônimo disse...

A elite não é a principal culpada, se é que se pode atribuir culpa. A bem da verdade, foi o povo mais humilde que deu e/ou vendeu seu voto para esses parasitas. Com a ideologia do politicamente correto, era extremamente difícil defender alguma responsabilização a um menor ou um pobre criminoso. Você seria imediatamente execrado se o fizesse. Por outro lado, temos vários exemplos de como se comporta nosso povo. Vou citar dois exemplos nada edificantes:
1- Não seu precisar a data, mas não faz muito tempo. Em Porto Alegre, uma ambulância do Samu foi deslocada 200 m por um motorista que não podia esperar alguns minutos no engarrafamento, enquanto uma sra era atendida em uma emergência médica;
2- No início de 2015, em Goiás, assaltantes atacaram carro forte na rodovia. Mataram vigilantes. Interromperam trânsito e fugiram. Muitos motoristas desceram dos seus carros e, entre os corpos ensanguentados, saquearam cédulas de reais abandonadas sem se importarem com os cadáveres. Aproveitadores ocasionais? Não. Brasileiros em estado puro.
https://youtu.be/ZpbLvuSLIe4
A elite tem uma parcelinha de culpa sim, mas não toda a culpa.

Anônimo disse...

Brilhante. E ainda mais partindo de empresário ligado à Record, que sempre era subserviente aos interesses do "governo" lulo-dilma-petista.

Anônimo disse...

Boa noite,

O desabafo do Marcelo está correto, mas sinto falta de um posicionamento ideológico por parte do empresário. Parece que todos têm receio de aceitar que a maior PRAGA do Brasil é a IDEOLOGIA SOCIALISTA. Ela que deve ser atacada, pois nós vivemos num socialismo oligárquico.

Anônimo disse...

Corroborando com o último anônimo, foi o que eu quis dizer.
Ninguém debate qual o regime político para o país!
É um medo sem precedentes sobre o tal Foro.
Vamos ficar nesse enrola-enrola, nas mãos desses vagabundos de araque, com papinho de "projeto para o Brasil", enchendo linguiça e nos embromando.
Olhem aí o Levy, da escola liberal!, botando dinheiro público no setor automobilístico.
O STF enrolando, querendo liberar o uso de drogas para consumo próprio, só que faz aquele jogo do adiamento, coisa e tal, e depois libera.
Os peles vermelhas sabujos, regiamente pagos pelo Foro vem paulatinamente, bem devagarinho, enfiando a faca. É assim que agem é assim que sempre foi. A História está repleta de exemplos.

Cavalaria Ligeira

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto!