TRANSLATE/TRADUTOR

sexta-feira, outubro 23, 2015

PIZZOLATO, VELHO AMIGO DE LULA, CHEGA A BRASÍLIA PARA CUMPRIR PENA NA PAPUDA

O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato é escoltado por agentes da PF no aeroporto de Brasília, nesta sexta-feira 23. Foto do site de Veja
Pouco mais de dois anos depois de fugir do Brasil para escapar da prisão, o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato chegou por volta das 8h50 desta sexta-feira a Brasília - e finalmente começará a cumprir a pena de 12 anos e 7 meses a que foi condenado no julgamento do mensalão. Ele deixou a Itália na noite de quinta-feira em um voo comercial e desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, pouco depois das 6 horas. Na sequência, realizou os procedimentos de registro de entrada no país e seguiu para a capital federal a bordo de um jatinho da Polícia Federal. Agora, cumprirá na Penitenciária da Papuda a pena pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro.
ÁLBUM DE FAMÍLIA
Pizzolato foi um petista de primeira hora. Acima com Lula, abaixo com a estrelinha vermelha do PT cravada no peito. 
O comboio que acompanha Pizzolato em Brasília é composto por três viaturas descaracterizadas. Pelo menos doze agentes da PF, incluindo um médico e um delegado, acompanham o condenado. Na mesma penitenciária onde ficará Pizzolato foram encarcerados outros condenados do mensalão, como o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o ex-deputado federal pelo PT José Genoíno.
A chegada do mensaleiro ao Brasil encerra um longo capítulo na história da fuga de Pizzolato. Ele escapou para Itália em 2013 usando passaporte falso em nome do irmão Celso, morto havia mais de 30 anos, e foi preso em fevereiro do ano passado, na casa de um sobrinho, em Maranello. Em outubro de 2014, chegou a ser solto pela Corte de Apelação de Bolonha, que negou sua extradição. No entanto, posteriormente, a Corte de Cassação de Roma e o Ministério da Justiça da Itália confirmaram a expulsão. Seguiu-se uma série de recursos administrativos e na Corte Europeia de Direitos Humanos, mas todos foram negados. Do site da revista Veja

5 comentários:

Anônimo disse...

Somos governados por uma farsante!!!
José Nêumanne: A falsidade como meio de vida.
Publicado no Estadão.
(...)Falsificar Curriculum Lattes equivale, na Academia, a usar um falso diploma de médico. Cobrada, Dilma justificou-se: “Aquela ficha do Lattes era de 2000. Eu era secretária de Minas, Energia e Telecomunicações no Rio Grande do Sul. Eu não tinha mais nenhuma vida acadêmica. Eu era doutoranda porque eu não tinha sido jubilada, era doutoranda. Ao que parece eu fui jubilada em 2004, mas não fui comunicada”.
Mais aqui:
http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/opiniao-2/jose-neumanne-a-falsidade-como-meio-de-vida/

Anônimo disse...

ENTENDA COMO O “GOLPE DA CPMF” VISA A PERPETUAR O PT NO PODER.
Aqui:
http://www.tribunadainternet.com.br/entenda-como-o-golpe-da-cpmf-visa-a-perpetuar-o-pt-no-poder/

Anônimo disse...

O guardião da Câmara, Eduardo Cunha não vai deixar o CPF passar . Porque vai ser dinheiro mal
aplicado nas mãos da Dilma.

Anônimo disse...

Caro Aluízio
Sei que o Estado é reponsável pelo deslocamento dos presos, mas, levar tamanha equipe de segurança, inclusive enfermeiro é muito luxo, né? Tirante que o infeliz fez viagem internacional "digratis" e que os bandidos enjaulados tem bolsa-bandido. Tô até pensando em mudar de ramo. kkkkkkkkkk.
Esther

Augusto disse...

Só no Brasil mesmo!
O bandido, o ladrão Pizzolato que fugiu do país com documentação falsificada, em vez de ser punido com acréscimo de pena pela fuga; vai ser beneficiado com redução... Há! Há! Há!