TRANSLATE/TRADUTOR

terça-feira, janeiro 26, 2016

MP DENUNCIA JOESLEY, DA JBS FRIBOI, E HERALDO DO BANCO RURAL, POR CRIME CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO.

Joesley Batista, presidente da J&F controladora da JBS Friboi
O Ministério Público Federal em São Paulo informou nesta terça-feira que denunciou nove pessoas ligadas ao grupo J&F, controlador da processadora de carne bovina JBS (Friboi), e ao Banco Rural por crime contra o Sistema Financeiro Nacional. A lista de denunciados inclui Joesley Mendonça Batista, presidente da J&F e presidente do conselho de administração da JBS, e João Heraldo dos Santos Lima, presidente do Banco Rural.
Em nota, o MPF mencionou uma operação feita em 2011 como base para a denúncia. Segundo os promotores, as empresas concederam empréstimos entre si, em operações conhecidas como "troca de chumbo", na qual instituições financeiras de diferentes grupos econômicos emitem crédito a empresas que também fazem parte desses conglomerados. A lei veda a concessão de empréstimo de uma entidade financeira a suas sociedades controladoras.
De acordo com o MPF, J&F Participações e a Flora Produtos de Higiene e Limpeza, da J&F, obtiveram 80 milhões de reais em empréstimos do Banco Rural, um dia após abrirem contas correntes na instituição. Quatro dias depois, a empresa Trapézio, controladora do Banco Rural, recebeu empréstimo no mesmo valor, 80 milhões de reais, ao firmar contrato com o Banco Original, da J&F, responsável por emitir a nova operação de crédito.
Procurada, a J&F informou que ainda não teve acesso ao processo e à decisão do juiz que aceitou a denúncia do MPF. "Após a análise dos documentos, a empresa apresentará sua defesa, os argumentos e as provas que demonstram sua inocência e de seus executivos", disse a companhia, acrescentando que o caso tramita em sigilo jurídico. Representantes do Banco Rural não comentaram o assunto de imediato.
Após o anúncio do MPF, as ações do JBS passaram a cair fortemente na Bovespa. Os papéis fecharam em baixa de 7,33%, a 9,86 reais. Em comentário a clientes, analistas do Bradesco BBI afirmaram que se trata de notícia negativa para a JBS, apesar de a empresa não estar diretamente envolvida. Também citaram que "a quantia, 80 milhões de reais, é pequena em relação ao tamanho do grupo". Do site da revista Veja

8 comentários:

Alexandre, The Great disse...

Uééé??? "É Friboi? Então é de confiança!" (by Tony Ramos). Quanto ao Banco Rural o que dizer? Sai Kátia rabelo, entra outro pulha...

Diesel on Veins disse...

Pequena ou grande, o que importa é a modalidade de esquema. Querem esnobar dinheiro para roubou, eh? Isso mesmo, vão dizendo que 80 milhões são pouca coisa que mesmo com o real a 4.03 ou algo a mais que isso, 80 milhões de reais ainda são muita coisa em qualquer lugar do mundo.

Diesel on Veins disse...

Eu diria "Fripús."

Rogerio disse...

a quantia é pequena em relação ao tamanho da JBS, mas a cadeia é a mesma.

acredito que J$F não tem muito a ver com essa maracutaia, porque recebeu ordens superiores e repassou o dinheiro assim que recebeu.

Sou leigo e posso estar equivocado, mas com esses depositos, o banco da JBS pode multiplicar (por 9 ?) os valores depositados à vista e assim, conforme o BC permitir, pode continuar “emprestando” muito mais do que valor que foi tomado inicialmente como emprestimo.

Dessa forma, as duas empresas controladoras podem "crescer" artificialmente, e se o jornalista em outra oportunidade puder esclarecer melhor e explorar essa informação, pode criar um bela reportagem (mais técnica) sobre essa manobra financeira da JBS.

Anônimo disse...

Imaginem... se algum funcionário da FRIBOI empresta 1 Kg de filé para um vizinho, qual será seu destino? É muita coisa?

Anônimo disse...

Vai ser difícil encontrar um rico no Brasil e talvez no mundo que tenha conseguido suas riquezas sem negócios com governos. É por isso que a GLOBO morde e sopra além de outros. Quanta miséria!

Anônimo disse...

esse cara é especialista em chumbo trocado...pega ladrão.

Anônimo disse...

Friboi,oi,pt saudações. Cala- te boca