TRANSLATE/TRADUTOR

sexta-feira, abril 01, 2016

ROBERTO JEFFERSON ESTÁ DE VOLTA E JOGA PIMENTA NO ANTEPASTO DO IMPEACHMENT

O ex-deputado Roberto Jefferson, o homem que denunciou o mensalão está de volta à política depois que obteve o perdão da pena no último dia 22 e reassumirá  a presidência do PTB. O jornal O Estado de S. Paulo fez uma longa entrevista com Jefferson. Trata-se de um verdadeiro depoimento.
A entrevista é longa mas recomendo que leiam. Para terem a ideia sobre o teor da entrevista, vou pinçar algumas perguntas e respostas.
Apesar do Estadão estar cheio de paus mandados do Foro de São Paulo dentro de sua redação, sempre sobram alguns jornalistas de verdade e que vão atrás do que interessa. 
Jefferson não se faz de rogado e rodopia com a sua metralhadora giratória. Sobra pra todo mundo. Aqui o link para leitura da entrevista completa.
O senhor vê paralelo do processo de impeachment da presidente Dilma e do ex-presidente Fernando Collor de Melo, que acompanhou de perto?
A questão moral é a mesma. O que motivo o impeachment do presidente Collor foi uma acusação de corrupção. O que motiva o impeachment contra a presidente Dilma e o PT é o sentimento de corrupção. Contra o Collor havia uma mobilização da empresa paulista, que havia sofrido a queda do monopólio, a indústria automobilística, que teve que abrir para ter uma competição com carros mais modernos. Havia uma grande contrariedade da Fiesp, da Febraban. Havia o ódio petista das derrotas sofridas, o ressentimento da elite do PSDB de São Paulo, que havia perdido a eleição para o Collor. Era mais conduzido partidariamente e mais ligado ao movimento econômico. Hoje a diferença, apesar da corrupção, é que é uma coisa da classe média, A, B, C, que foi para a rua espontaneamente. O povo quer fora PT, fora Lula, fora Dilma, o fim da corrupção. O impeachment do Collor foi mais político, nasceu dentro do Congresso Nacional. O impeachment que movimenta a sociedade contra a Dilma é judicial. Não é um impeachment com motor político. O herói é o juiz Sérgio Moro, os promotores do Paraná.
(...)
Quando o senhor, que fazia parte da “tropa de choque” do Collor, percebeu que o impeachment seria aprovado na Câmara?
Eu sempre achei que o Collor não sairia do impeachment, ele era muito mal visto. Era uma espécie de Dilma de saco roxo, como ele costumava dizer. A Dilma é autoritária, arrogante, o Collor era assim no passado. Ninguém gosta dela. Quando a pessoa vê a oportunidade de dar um pontapé, vai dar.
E o movimento seguinte foi o senhor revelar o esquema do mensalão?
Tentaram segurar, disseram para eu deixar a presidência do PTB, iriam nomear um deputado ferrabrás, mas que faria um relatório final não me indiciando. Eu disse “não conta comigo não, entrei pela porta da frente e é de onde vou sair, mas prepara porque vai ter tiro daqui, vou pegar vocês, o que eu tenho vou botar para fora”. Deu no que deu. Ali foi a origem de tudo, a origem desse momento que o Brasil vive hoje. Eu te confesso que até aquele momento eu achava que o PT, que o Lula, tinham ética. Um partido igrejeiro, quase de batina, de barba preta e sotaina, nascido do útero da Igreja.
(...)
Quem eram os 12 deputados do PSDB que recebiam propina de Furnas?
Não sei, não perguntei. Devem ter ajustado um grupo de 12 deputados federais que, naquelas votações mais importantes, votava com o governo.
(...)
Como petrolão e mensalão se conectavam?
Hoje eu leio o petrolão como fonte de financiamento do mensalão. Um dos graves problemas do PT foi o financiamento dos partidos políticos. Hoje pode fazer PMB, PSD, P não sei o quê...tem 40 partidos. Quando o PT encontra resistência em uma direção partidária, dissolve aquele partido, pega um grupo, faz outro partido. Quem se manteve firme e não se fragmentou foi o PMDB. Quando o PMDB viu que o PT estava tentando esfacelar o partido, criando esse PSD com o ex-prefeito de São Paulo (Gilberto Kassab) começou ali a reação. Eduardo Cunha vem reagindo a partir dali. Essa janela que abriram agora (que permitiu troca de partido) é mensalão de novo. Os caras que se aproximavam para conversar pediam luvas de R$ 1 milhão, R$ 600 mil e mensalão de R$ 30 mil, R$ 40 mil, R$ 50 mil por mês. É a mesma coisa do mensalão. Aconteceu tem dez dias. O PTB foi assediado.
(...)
O que o senhor não repetiria?
Não faria parceria com o PT. O PT não dá, quer se aboletar no poder, quer transformar o País em uma ditadura comunista, socialista. Isso eu repilo, tenho pavor, acho um atraso.

O senhor vai voltar para a política?
Para a política eleitoral, talvez não. Lá em casa já tem deputada federal. Prefiro presidir o partido. Depois do indulto, está uma pressão para que eu reassuma. Minha filha quer me reconduzir à presidência do PTB. Preciso chegar agora, tanto para ajustar minha biografia, como para participar desse movimento que é um ponto final da corrupção institucionalizada.
(...)
Como o senhor vai orientar o PTB? O partido está dividido em relação ao impeachment?
Você vai ter uma surpresa. Divisão é meio a meio. São 19 deputados, eu penso que no máximo o PTB dará dois votos a Dilma.

O deputado Eduardo Cunha tem legitimidade para presidir a Câmara no momento em que está em curso o processo de impeachment?
Tem legitimidade, sim. Ele responde a vários inquéritos, tem que ter cuidado. Minha preocupação é que a prisão humilha muito as pessoas. Para ele a situação vai complicar. Vai levantar de manhã cedo... chinelo de dedo, bermuda azul, camiseta branca. Está lá no coletivo dos presos, aquele cheiro de gente doente, com tuberculose, com Aids. Banheiro com cheiro terrível, banho frio. De manhã cedo, todo mundo em fila. “Senhor Roberto Jefferson!” “Presente, senhor.” Cabeça baixa, mão para trás. De noite, o “confere”, aquela averiguação que se faz. É duro. Dinheiro contadinho, R$ 100 por semana para comprar na cantina. E quem tem R$ 100 tem que comprar para todo mundo. Se furar a bola, tem que dar uma bola nova. Tem que aturar isso. Limpar privada, varrer o chão. O que me preocupa são as filhas e a esposa, mulheres bonitas, cheirosas, entram lá naquele meio, vão ser assediadas. Vão acordar (na prisão) com aquelas mulheres deitadas na cama, vão apanhar na cara, vão denunciar, vão apanhar de novo. O cara vai ter que aturar isso. O ambiente prisional é muito duro, muito triste, muito pesado. O cara não pode expor a esposa, a filha. Não ataca a Justiça, não ataca o Ministério Público, o Judiciário. Respeita. O cara tem 20 contas no exterior, nunca declarou. Gastos milionários em cartão de crédito. Traz para si, tira a esposa e a filha. Ele não pode permitir a filha e a esposa passarem por isso. É a preocupação que eu tenho. As coisas são muito evidentes.

É possível Cunha responder aos inquéritos e continuar no comando da Câmara?
É ele que tem que conduzir (o processo do impeachment). Ele está lá (na presidência da Câmara). Ele foi o adversário mais à altura do Lula. Lula nunca esperou encontrar um bandido da mesma qualidade moral, intelectual que ele. O bandido pelo qual eu mais torço é o Eduardo Cunha. Vai puxar a barba do Rasputin. Gelado, frio, equilibrado. O Lula , o PT e esse fórum de São Paulo(conferência de partidos de esquerda latino americanos) são bandidos da laia do Eduardo Cunha, topam tudo. Como Deus faz as coisas. Botou um cara ali que qualquer jogo ele joga, qualquer parada ele topa e sabe onde aperta o calo do outro bandido. Pega o outro bandido na esquina. Dudu é o bandido que eu mais gosto, o vilão que eu torço por ele, o vilão da minha novela. E estou doido para ele puxar a barba do Rasputin.

12 comentários:

Anônimo disse...

vote na Dilma!!!!
Dilma a pior líder do mundo, revista Fortune:
http://fortune.com/2016/03/30/rank-most-disappointing-leaders/?iid=leftrail

Anônimo disse...

AS REDES SOCIAIS NÃO DEVERIAM ATACAR O CUNHA, POIS só ele COMBATE COM ALTA EFICACIA O PT!...
O Cunha entende de como prensar o PT!!
... "um cara ali que qualquer jogo ele joga, qualquer parada ele topa e sabe onde aperta o calo do outro bandido. Pega o outro bandido na esquina. Dudu é o bandido que eu mais gosto, o vilão que eu torço por ele, o vilão da minha novela. E estou doido para ele puxar a barba do Rasputin".
Também aprecio como ele o Cunha, mesmo sabendo de seu passado, pois se naõ fosse ele - escorrega da justiça que nem quiabo - o PT já teria engolido o PMDBandido e o Brasil!
De qualquer forma, por necessidade, o super Cunha é a peça fundamental de tirar Dilma; o cara entende do assunto; afinal, veio de dentro da Mafia!

Anônimo disse...

discordo dessa volta à politica...

sempre concordei com o perdão judicial ao ex-deputado por causa das suas importantíssimas revelações feitas à nação sobre o sujo projeto politico do PT durante o mensalão e por causa do seu delicado estado de saúde...

mas não concordo que use o perdão judicial para voltar à politica...

agora sou eu que repilo o uso desse expediente para abreviar sua volta à cena...

deveria ter cumprido a pena na integra, aí, depois, poderia voltar à politica por conta própria...

esse negocio de poder deve ser um vicio incurável, um transtorno psicológico profundo, porque a essa altura da vida, com todos os problemas de saúde da qual o ex-deputado é acometido, pensei ser hora de descansar o corpo e a alma, repensar a vida e seus hábitos...

mas ai o cara me ensaia uma volta ao mesmo estilo de vida onde, necessariamente, ate por conta dos vícios da estrutura politico/partidária brasileira, vai ter de lidar com patifarias e "tentações"...

lamentável, sr Jefferson...

Ingenuo disse...

Fico estupefato quando pessoas que estao no meio politico, acreditaram/acreditam no PT, um partido que ''igrejeiro, de batina e barba preta''(que desbota e branqueia com o tempo) nunca me enganou com seus discursos de odio, rancor, se opondo a todos os projetos,quando oposicao, mesmo os de alto cunho social.
Desde o inicio ele se mostrava a que veio, pois formado por marxistas, defendidos e composto por comunistas da gema como poderia alguem ser tao ingenuo e acreditar no PT?!
E milhoes como o Jeferson continuam a acreditar no partido que nasceu do sindicato, apoiado pela ala vermelha da igreja e por movimentos sociais que fazem uso constante da violencia para protege-lo.
E, pra piorar um judiciario que pelo ralo joga todas as denuncias com farta documentacao, nao importando o tamanho e a gravidade dos fatos. O ralo e' gigantesco, a ponto de um ministro do Supremo dizer que mesmo que sofra impeachment no Senado, o partido pode apelar ao STF...e dai', o impedimento vai pro ralo. O ''RALO'' e' gigante, Aluizio.

Anônimo disse...

Valeu Jefferson,Cunha, meu malvado favorito, sem Cunha, Lula seria eternamente rei, agora Lula está nu e que assim permaneça para que todos o vejam como ele de fato é.

Anônimo disse...

Jefferson tocou no ponto chave, Foro de São Paulo, algo inimaginável no século da modernidade.
Felipe Moura quando escreveu: "Conheça o FORO de SÃO PAULO, o maior inimigo do Brasil,mostra a origem, suas raízes e objetivos dessa organização na America Latina. Não deixa dúvidas que esse
plano perverso, maquiavélico esquerdista/comunista de PODER pelo poder, irrigado com dinheiro dos pobres que eternizar pessoas inescrupulosas a qualquer preço. Vale a leitura.

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/america-latina/conheca-o-foro-de-sao-paulo-o-maior-inimigo-do-brasil/

Anônimo disse...

"O Lula , o PT e esse fórum de São Paulo(conferência de partidos de esquerda latino americanos) são bandidos ..."( Jefferson)

"Foro de São Paulo"

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/america-latina/conheca-o-foro-de-sao-paulo-o-maior-inimigo-do-brasil/

Aleluia, pede cassação do registro do PT por subordinação ao Foro de São Paulo. Deputado entrou com ação na PGR

Senador Caiado na tribuna denunciou "Um partido para tempos de Guerra"
Está tudo aqui. Quem contesta?
E agora Brasil, qual o caminho, qual o futuro?

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/tag/foro-de-sao-paulo

Anônimo disse...

Parabéns ao Roberto Jefferson, seja bem-vindo! Se não fosse você, o Brasil não teria descoberto o Mensalão. Que Deus o proteja sempre e lhe dê muita saúde!

Anônimo disse...

A foto mostra um Roberto Jefferson com ótimo aspecto: é um vencedor contra o câncer. Quanto ao Cunha, concordo com ele: Lula se fu* tendo ele como inimigo. Para o país é bom e que ele consiga levar o impeachment ao final, de goleada! Pois é, para detonar Lula e o PT, concordo: Cunha é, também, meu bandido favorito.(lídia)

Anônimo disse...

Caro Aluízio
Sou fã do Bob Jeff, sujeito sem medo de ser feliz. kkkkkkkkkkk. Estou com ele e não abro desde que denunciou o mensalão. A sua maior qualidade é não ter papas na língua. Dizer que a Anta é o Collor de saco roxo é ótimo. É isto mesmo, 2 arrogantes sem tamanho. O Cunha também é meu bandido favorito. Adoro o que ele faz com o PT. Ele é muito competente e inteligente e conhece por dentro toda a bandidagem. Realmente o Lula encontrou um bandido a sua altura. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Que assim seja!
Esther

maria disse...

Acompanhava Roberto Jefferson desde o programa o povo e com todo o escândalo do mensalão me decepcionei bastante, mas hj dou-lhe as boas vindas e que dessa vez faça direito.Deixe para sua filha uma herança de fato. Caráter e dignidade ! Que Deus lhe conceda ainda muitos anos de vida? para ver o bem triunfar.

Joelson Alexandre Da Silva disse...

Concordo plenamente com vc amigão