TRANSLATE/TRADUTOR

sexta-feira, agosto 04, 2017

COISA MEDONHA: DISSEMINAÇÃO DE DOENÇAS INFECCIOSAS CRESCE NA ALEMANHA À MEDIDA QUE MIGRANTES SE INSTALAM NO PAÍS.

Na Alemanha os protestos contra a premiê globalista Angela Merkel são constantes, mas a maioria da grande mídia escamoteia essas informações. Afinal, os jornalistas, em maioria, são os principais difusores do globalismo da União Euroeia que pretende turbinar a população da Europa com a importação de hordas de migrantes, a maioria islâmicos. E, como podem notar, o conteúdo deste artigo jamais aparecerá na grande mídia bananeira, jamais será um fato "Fantástico"...
A um candidato a asilo do Iêmen, que teve o visto negado, foi cedido abrigo em uma igreja no norte da Alemanha para evitar que ele fosse deportado, ao que tudo indica, por ter infectadomais de 50 crianças alemãs com uma cepa altamente contagiosa de tuberculose.
O homem, a quem foi dado abrigo em uma igreja em Bünsdorf, entre janeiro e maio de 2017, tinha frequente contato com as crianças, algumas com menos de três anos de idade, que frequentavam uma creche nas dependências do abrigo. Ele deu entrada em um hospital em Rendsburg em junho e posteriormente diagnosticado com tuberculose - uma doença que só recentemente chamou a atenção dos alemães.
As autoridades sanitárias locais dizem que, além das crianças, pais e professores, bem como paroquianos também estão passando por exames para o diagnóstico da doença, que pode aparecer meses ou mesmo anos após a exposição. Ainda não está claro se o homem passou pelos devidos exames médicos assim que chegou à Alemanha ou se ele é uma das centenas de milhares de migrantes que entraram sorrateiramente.
A ameaça de um surto de tuberculose dirigiu mais uma vez o holofote sobre a intensificação do risco de doenças infecciosas na Alemanha, desde que a chanceler Angela Merkel permitiu a entrada de cerca de dois milhões de migrantes da África, Ásia e Oriente Médio.
Um novo estudo que acaba de ser divulgado pelo Instituto Robert Koch (IRK), principal instituição do governo federal para o monitoramento e prevenção de doenças, confirma que houve um aumento generalizado da doença desde 2015, quando a Alemanha acolheu um número jamais visto de migrantes.
Relatório Epidemiológico Anual de Doenças Infecciosas - publicado em 12 de julho de 2017 apresenta dados sobre a situação das mais de 50 doenças infecciosas existentes na Alemanha em 2016 - proporciona o primeiro vislumbre sobre as consequências na saúde pública do gigantesco influxo de migrantes ocorrido no final de 2015.
O estudo revela uma alta na incidência da conjuntivite adenoviral, botulismo, varíola, cólera, criptosporidiose, dengue, equinococose, Escherichia coli enterohemorrágica, giardíase, hemofilia, influenza, hantavírus, hepatite, febre hemorrágica, HIV/AIDS, hanseníase, febre recorrente, malária, sarampo, doença meningocócica, meningoencefalite, caxumba, paratifoide, rubéola, disenteria bacteriana, sífilis, toxoplasmose, triquinose, tuberculose, tularemia, tifo e coqueluche.

Ácaro da sarna: Sarcoptes scabiei em imagem super aumentada. Esse ácaro é o transmissor da moléstia que havia sido banida da Alemanha e agora é transmitida pelos imigrantes e já contagia a população alemã.
A Alemanha − pelo menos até agora − se desvencilhou do pior dos mundos: a maioria das doenças tropicais e exóticas trazidas para o país pelos migrantes foram contidas, não há registro de pandemias. As doenças mais comuns, no entanto, muitas das quais estão diretamente ou indiretamente ligadas à migração em massa estão aumentando, de acordo com o estudo.
A incidência da Hepatite B, por exemplo, saltou 300% nos últimos três anos, segundo o IRK. O número de casos registrados na Alemanha foi de 3.006 em 2016, um salto dos 755 casos ocorridos em 2014. A maioria dos casos, segundo consta, se limita a migrantes não vacinados do Afeganistão, do Iraque e da Síria. A incidência de sarampo na Alemanha saltou em mais de 450% entre 2014 e 2015, o número de casos de varíola, meningite, caxumba, rubéola e coqueluche também aumentou. Os migrantes também representaram pelo menos 40% dos novos casos de HIV/AIDS identificados na Alemanha desde 2015, de acordo com outro relatório do IRK.
É possível que as estatísticas do IRK revelem apenas a ponta do iceberg. O número de casos registrados de tuberculose, por exemplo, foi de 5.915 em 2016, um salto dos 4.488 casos em relação a 2014, um aumento de mais de 30% naquele período. Há médicos, no entanto, que acreditam que o número de casos de tuberculose é muito maior e acusam o IRK de minimizar a ameaça, com o intuito de evitar botar mais lenha na fogueira nos sentimentos anti-imigração.
Em entrevista concedida à revista Focus, Carsten Boos, cirurgião ortopedista, alertou que as autoridades alemãs desconhecem o paradeiro de centenas de milhares de migrantes que podem estar infectados. Ele acrescentou que 40% de todos os agentes patogênicos da tuberculose são resistentes a múltiplos fármacos e, portanto, inerentemente perigosos para a população em geral:
"Quando os candidatos a asilo vêm de países com alto risco de infecção pela tuberculose, o IRK, sendo o mais alto órgão alemão de proteção contra infecções, não deveria minimizar o perigo. Um instituto federal usa de correção política para acobertar a desagradável realidade?
"A mídia denuncia que em 2015 a polícia federal registrou a entrada de cerca de 1,1 milhões de refugiados. Foram enviadas de 700 mil a 800 mil pedidos de asilo e 300 mil refugiados desapareceram. Eles foram checados? Eles são de países de alto risco?
"A impressão que se tem no IRK é que não há comunicação entre os departamentos".
Os jornais alemães publicaram uma torrente de artigos sobre a dimensão da crise da saúde pública em relação aos migrantes. Os artigos frequentemente citam profissionais da saúde com experiência de primeira mão no tratamento de migrantes. Muitos admitem que a migração em massa aumentou o risco de surgimento de doenças infecciosas na Alemanha. Algumas manchetes:

No auge da crise dos migrantes em outubro de 2015, Michael Melter, médico-chefe do Hospital Universitário de Regensburg, relatou que estavam chegando migrantes ao hospital com doenças que quase nunca foram vistas na Alemanha. "Algumas delas eu não via há 20 ou 25 anos", ressaltou ele, "muitos dos meus colegas mais novos nunca as viram". Clique AQUI para ler a reportagem completa

16 comentários:

Anônimo disse...

SE FOSSEM SÓ AS PESTES HUMANAS QUE OS MAOMETANOS TROUXESSEM...
Têm ainda outra peste que é igual ou pior para se juntar às múltis infecções acima: a peste da ideologia da cartilha terrorista chamada Alcorão da deusa lua Alah!
Além de virem essas pragas sarnentas para o Ocidente, ainda querem dominar isso aqui como deles, ora essa, né "seus" conspiradores Aluizio Nunes-Doria-Alckmin do PSDBesta?!
Essa "religião", ainda por cima é aliada dos comunistas, além de instigar exterminar todos os outros fora dessa seita perversa, ainda considera os muçulmanos superiores a todos os homens, e o pior é eles crerem piamente nessa asneira!
Quanto mais tempo passa mais damos razão a *Trump de barrar os muçus - ele sabe que traia é essa gentalha sob todos pontos de vista!
*Via seu secretario de Estado Rex Tillerson, Trump quer Maduro fora de qualquer jeito!
Mete os dente, Rex!

Anônimo disse...

Uma ocorrencia parecida com o acima, como procede a midia fraudulenta dos globalistas-Illuminati-JNacional das esquinas e tapeiam o povo, deturpam os fatos, aliviando a barra dos larapios tudo que for de interesse para os anárquicos da NOM:
1 - Homem é morto em tentativa de assalto a um motorista de um Porsche = criminoso morre ao tentar assaltar.
2 - Disparos são efetuados por homens que vinham atrás = em legítima defesa foram efetuados por seguranças vindo atrás.
3 - Uma tentativa de assalto deixou um suspeito morto, de acordo com testemunhas = um meliante foi morto ao tentar assaltar.
4 - A vítima foi baleada enquanto tentava assaltar os ocupantes de um Porsche parado num semáforo próximo ao Shopping Design Barra = o vagabundo foi legitimamente baleado.
Notaram como a midia globalista dos comunistas deturpa sempre em favor da bandidagem, colocando o punguista como "vítima"?
Afinal, não são todos da mesma facção criminosa?


Anônimo disse...

Pois é falar o quê?

Antipetista disse...

A minha impressão é que a situação da Alemanha é irreversível. Sofreram bastante nas mãos dos nazistas de Hitler (3º Reich), e agora estão sofrendo nas mãos dos globalistas da Merkel (4º Reich). O futuro próximo da Alemanha é o domínio total do Islã naquele lugar, com a implantação da sharia. Bye, Alemanha!

augusto disse...

ACOLHIDA DE REFUGIADOS É UM CÂNCER DEMONÍACO!!!
Não se combate o terrorismo espalhando as vítimas pelo mundo. É como as instalações das UPPs no Rio, que afugentou os bandidos para outras localidades. Agora, além de permanecer nas imediações, também estão crescendo nos próprios lugares, onde existem UPPs.
Essa onda de acolhida a refugiados é a maior falácia da história da humanidade!!! Se a ONU realmente estivesse preocupada com refugiados da África ou Do Oriente Médio, já teriam criado tropas de coalizão para devolver os lares de cada povo.

Luiz Oliveira disse...

Isso é um genocídio disfarçado da população alemã, perpetrado pelos engenheiros sociais do globalismo

Anônimo disse...

A propagação de doenças é coerente com a missão do Islã de dizimar a Civilização Ocidental cristã, agnóstica ou ateia: o ódio e a inveja visam o way of life do lado de cá e é uma versão étnica da luta de classes, sem prejuízo desta. Enquanto as elites políticas, sociais e econômicas europeias que dão guarida aos “pobrezinhos refugiados” não forem contaminadas, o povo que se vire. (lídia)

Anônimo disse...

Aí está um exemplo de guerra bacteriológica e também um ponto que marca a diferença entre refugiado e imigrante.Geralmente o imigrante sai do seu pais de origem com conhecimento e consentimento das autoridades judiciais e sanitárias.Passa por uma série de exames de saúde e de conduta antes de se deslocar de um pais para o outro e ainda recebe de seu governo alguns benefícios e quando chega no seu destino também passa por mais exames e também recebe alguns benefícios no pais anfitrião.Isso é imigração.O termo "refugiado" indica que o sujeito saiu do seu pais pela porta dos fundos,sem conhecimento de autoridades,sem nenhum exame médico e de conduta geralmente duvidosa,no mínimo.Carrega consigo todos os problemas que um pais subdesenvolvido produz numa pessoa,sejam esses de saúde ou de conduta.Entra em outro pais sem conhecimento ou consentimento das autoridades e são vetores de toda sorte de doenças infecto contagiosas e se escondem nas comunidades já estabelecidas e legais.
Nessas comunidades encontram solidariedade e cumplicidade de outros imigrantes ou refugiados também,mas fora do controle das autoridades sanitárias e judiciais.
Então o problema não são os imigrantes e sim os refugiados,mas fora de controle, os dois passam a ser.

Anônimo disse...

Amorim, de uma olhada no canal terça livre com Allan dos Santos e o Rodolfo Loreto O -Boletim da Noite-" Bolsonaro e o analfabetismo de direita".
Politica
não é debate de idéias . Politica é o dominio dos meios de ação Vale a pena ver

Anônimo disse...

nao ha muito o que se possa fazer...

os islamicos ja compraram quase tudo pela Europa...

estadios e times de futebol ja estao na conta deles...

o Qatar, que foi acusado de fabricar terroristas por aquela "democracia" da Arabia Saudita é dono do tal PSG da França...

e agora é dono do brazuquinha Neymar tambem, que no futuro talvez tenha que rezar cinco vezes por dia pra poder manter o gordo contrato...

o estadio do tradicionalissimo Manchester United é da arabe Ethiad e por ai vai...

os petrodolares dessa gente garantem boa parte do "welfare state" dos europeus encostados e que geram filhos e mais filhos...

a tal multa de 200 milhoes de doletas que seria "impossivel" de ser paga ao Barcelona ja foi quitada com os pés nas costas...

200 milhoes a turma do pano na cabeça tira da carteira...

a Europa literalmente se vendeu e agora esta encralacrada pagando o preço...

Anônimo disse...

cobrem a conta daquelas ONGs alemãs facilitadoras do trafego dos imigrantes, que na verdade estao quase funcionando como traficantes de imigrantes...

a Italia ja descobriu o esquema e apreendeu um barco dessa ONG que ia "resgatar" os imigrantes em alto mar...

segundo consta, era tudo esquematizado...

um escandalo sem precedentes que a midia safada e vendida nao divulgou como devido...

Anônimo disse...

Recado aos religiosos, místicos e esotéricos:

Dia 21 de agosto de 2017, segunda-feira, às 15h11min11seg, horário de Brasília,

https://www.timeanddate.com/worldclock/fixedtime.html?msg=UNITY+MEDITATION&iso=20170821T111111&p1=137

durante 15 minutos, sincronizado com o eclipse vindouro,haverá uma MEDITAÇÃO SINCRONIZADA de vários indivíduos e grupos mundo afora para libertação e cura dos EUA, e do planeta, de arquétipos negativos, bem como a ancoragem de padrões elevados de consciência (luz) e coerência (som).

Você é convidado a participar de forma voluntária, gratuita e anônima. Se não souber ou não quiser fazer uma meditação, você poderá fazer orações, rezas, pedidos, invocações, mantras, canções, danças, enfim, poderá agir do seu jeito. O importante é o foco vetorial no tempo (horário), no espaço (EUA) e no assunto (libertação e iluminação), como acima descritos!

Estudos científicos comprovam o efeito positivo da meditação em massa:

http://thespiritscience.net/2015/06/18/studies-show-group-meditation-lowers-crime-suicide-deaths-in-surrounding-areas/

http://www.worldpeacegroup.org/washington_crime_study.html

Anônimo disse...

Junte toda essa situação horrorosa na Alemanha ao absurdo de Maduro na Venezuela, e pense no que se tornará o Brasil se esses ladrões comunistas não forem arrancados na marra e a lei de imigração revogada.

https://pt-br.facebook.com/obrazildeforadobrasil/videos/1962962793973514/

Michel Temer (política para refugiados): "Que nós estamos absolutamente abertos para isso", "Nós estamos em consonância com aquilo que a ONU está fazendo neste momento".

https://youtu.be/Exp1pJmUeFc

Anônimo disse...

Essa senhora consegui enganar o povo alemão que está de joelhos faz tempo. Desde a segunda guerra não pode falar nada porque logo é rotulado de nazista.
A queda do muro de Berlim foi uma tacada no lombo do alemão ocidental, ocorreu no momento errado e de forma errada. A economia da Alemanha Ocidental estava em recuperação e estava se preparando para mais adiante receber os alemães orientais, mas os alemães foram pegos de surpresa e nem se deram conta que foi uma paulada cruel na economia
A Alemanha Ocidental pagou um preço altíssimo ao acolher 18 milhões de pessoas que não tinham o direito de ir e vir. Estima-se que preço da liberdade desses 18 milhões de pessoas entre 1991 e 2009 foi de 1,3 trilhão de Euros, 2/3 desse dinheiro foi apenas para benefícios sociais.
Os alemães receberam uma Alemanha socialista/comunista totalmente falida, a indústria obsoleta, bancos falidos, aposentados e uma massa enorme de desempregados jovens sem grandes qualificações, que logo usufruíram das benesses "capitalistas". Como desempregados sem nunca terem contribuído recebiam o seguro desemprego e com a maior cara de pau usavam o dinheiro para fazer turismo na Espanha. Enquanto o alemão da Alemanha Ocidental carregava o piano e tinha que trabalhar mais para esse contingente de coitadinhos que exigiam igualdade de condições. Os alemães do lado comunista esqueceram rapidinho que o salário pago pelo governo comunista era apenas migalhas para sobreviver.
O exercito russo também levou uma bela fatia receberam casas nos seus paises de origem e uma indenização especial para anteciparem sua saída.
E agora vem os refugiados. Parece que a saga do povo alemão é pagar a conta.Os alemães no seu pais são os estrangeiros, quando será que vão acordar??? O Genocídio Comunista fez muito mais vitimas que o genocídio Nazista, com a diferença as vítimas do Genocídio Comunista nunca foram indenizados, nem seus autores levados a júri internacional.

Anônimo disse...

A vida é dura e merece resposta dura contra ataques dos bárbaros, quem fraquejar será o vencido, vencido foi os europeus. Sempre foi assim.

Anônimo disse...

Mesma coisa no Brasil: basta lembrar que foram os haitianos que trouxeram o chikungunya.