TRANSLATE/TRADUTOR

quinta-feira, março 31, 2011

31 DE MARÇO DE 1964: UM GOLPE ILUMINISTA QUE LIVROU O BRASIL DE SER TRANSFORMADO NUMA REPÚBLICA COMUNISTA!

No dia 31 de março de 2009 escrevi este artigo que segue abaixo aqui no blog. Decidi postá-lo novamente já que hoje, 31 de março, comemora-se o 47º Aniversário da Revolução levada a efeito por civis e militares e que impediu que o Brasil fosse transformado numa República Comunista do tipo cubano. Faço esta postagem novamente porque está em curso a solerte ação do Foro de São Paulo, organização esquerdista que tem o PT como um dos articuladores e que visa denegrir as Forças Armadas do Brasil através de uma dita Comissão da Verdade que tem em mira transformar Soldados da Pátria em vilões e terroristas subversivos em heróis, reescrevendo a história e escamoteando a verdade dos fatos. 
FIQUEM ATENTOS! A Comissão da Verdade, o Movimento Ficha Limpa e, finalmente, a Reforma Política fazem parte dessa sorrateira estratégia do PT e seus satélites comunistas para destruir a democracia e a liberdade. Esta é a verdade dos fatos. Desafio quem quer que seja para me provar o contrário! Leiam:

Em 31 de março de 1964, era apenas um adolescente. Mas acompanhava a política. Meu pai era do PSD. E nunca me esqueço do dia 31 de março de 1964, quando meu pai chegou para o almoço e vaticinou: é coisa para 10 anos, referindo-se ao governo militar que era instaurado no Brasil. Entretanto, o lapso de tempo dos militares no poder foi muito mais longe e, queiramos ou não, o Brasil mudou radicalmente e se desenvolveu.

Mas eu, seguindo meu pai, não aprovei o golpe. Quando cheguei à universidade me alinhei ao pessoal da esquerda e foi quando iniciei a carreira jornalística trabalhando como redator a partir de 1971, no jornal O Estado aqui de Florianópolis.

Contaminado pelas teses esquerdistas combati, como pude, por anos seguidos, a ditadura militar. Também ajudei naquilo que estava ao meu alcance os líderes esquerdistas, muitos dos quais foram presos aqui em Santa Catarina na Operação Barriga Verde em 1974, quando os militares assestaram um pesado golpe na organização articulada principalmente pelo velho PCB.
Lembro que quando o José Genoíno recém havia saído da ilegalidade, um dos líderes do PT local perguntou se não queria entrevistá-lo. E lá fui eu ouvir o Genoíno, magrelo, mal vestido, na sala de um cortiço da velha rua Conselheiro Mafra aqui em Florianópolis, que era uma espécie de sede do PT local. Além dele entrevistei outros esquerdistas, como Hércules Correia e o festejado Luiz Carlos Prestes, além de Lula, é claro, por mais de uma vez.
Embora não participasse de nenhum partido político, nem legal e nem proscrito, ajudava os políticos do ex-MDB, então uma grande frente que abrigava desde liberais, se é que assim se pode qualificá-los, até esquerdistas empedernidos, que utilizavam um partido legal para fazer a sua política mantendo um pé nos aparelhos comunistas.

Passei, portanto, boa parte, ou talvez a melhor parte da minha vida, a juventude, mergulhado na idiotia esquerdista que me havia cegado intelectualmente.
Toda essa gente que eu ajudei, me expondo ao risco, por acreditar na sua sinceridade democrática, vi mais adiante que não passava, com raríssimas exceções, de estúpidos e oportunistas. Essa gente nunca foi democrática e postulava, nos anos 60, transformar o Brasil numa grande Cuba. Queriam substituir o regime autoritário dos militres por uma ditadura tipo cubana. Esta é que é a verdade!

Para sair desse curral de idiotice onde chafurdei por um bom tempo não foi fácil.
A minha conversão à democracia liberal e ao sistema econômico capitalista só começou a acontecer no início dos anos 90, quando cheguei à conclusão que precisava estudar muito mais para conseguir entender um pouco de política, de economia e, sobretudo de ciência.

Nessa época resolvi voltar a estudar de forma séria. Ingressei no Mestrado em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina e comecei a estudar para valer. E foi nessa época que a ficha começou a cair, embora eu ainda possuísse um pé no esquerdismo. À medida que mais eu estudava, mais evidências surgiam a respeito da tremenda idiotice que são as teorias socialistas.

Mas a reação de qualquer adepto do esquerdismo ante a evidência dos fatos é montar um discurso e até mesmo uma teoria para se auto-convencer de que o marxismo e seus epígonos é que estão certos.

Tive a sorte de ter ótimos professores no Mestrado que não compactuavam com as teses marxistas. Passei a estudar Max Weber, o grande filósofo alemão, que a malandragem marxista sempre abominou.
A ficha foi caindo devagar e a dissertação que defendi e que está editada em livro – Elementos de sociologia do direito em Max Weber -, ainda contém certos resquícios de visão esquerdista, embora sem prejuízo do conteúdo teórico formulado pelo sábio de Heidelberg em sua copiosa obra.

Ao final dos anos 90, já depois de ter concluído o Mestrado, é a que a ficha caiu totalmente e me libertei do marxismo adotando as teses do liberalismo e avançando um pouco para aquilo que a esquerda tipifica como “conservadorismo”.
Portanto, quando alguém me acusa de reacionário, direitista, conservador e o escambau estou pouco ligando. Esse tipo de censura só me orgulha.

Se hoje estivesse no Rio de Janeiro iria ao Clube Militar na sessão comemorativa alusiva a 31 de março de 1964, para render a minha homenagem a alguns militares, hoje com cabelos brancos e na reserva, que contribuíram decisivamente para evitar que o Brasil caísse nas mãos da canalha comunista.
O golpe militar de 31 de março de 1964 foi, na verdade, um golpe iluminista.

CLIQUE E SIGA ---> BLOG DO ALUÍZIO AMORIM NO TWITTER

9 comentários:

gutenberg disse...

Parabéns.
Quase reconheço na sua, a minha própria história.
Grande abraço.
Gutenberg. J.

Fernando Wallace disse...

Parabéns Aluizio! Seu texto está perfeito em gênero, número e grau. O único problema, infelizmente, foi que os militares se envolveram em ideologia. Pois as ideologias são discutidas e não combatidas, mas... Hoje aqueles que combateram os militares demonstram que são e serão, sempre, piores que os mesmos. Um abraço e parabéns!

Carlos Bonasser disse...

Olá Aluísio, encontrei seu texto histórico muito interessante que envie para uma grande lista de Irmãos de Armas e de Farda.
O melhor seria se aqueles saláfras vermelhos revanchistas tomassem conhecimento de histórias assim como a sua.
Um forte abraço, um brinde à contra revolução e muita saúde para você e os seus.

Carlos Bonasser

José de Araújo Madeiro disse...

Aluízio,

A sua história pessoal se identifica com a história de outros brasileiros.

Temos algumas semelhanças, no particular de princípios, como reflexão do que realmente somos, democratas. O comunista não aceita, sob quaisquer hipóteses, opiniões e idéias diversas.

Nós, que admitimos o pluralismo e que temos tolerância para às divergências como pressuspostos de uma sociedade civilizada.

Eu, particularmente, provindo das caatingas do sertão nordestino, de família pobre e que tive uma formação na adolescência de pais não comunistas, observavam os movimentos civis e militares como ações anti-comunistas e muito diferentes das de outros países, como no Chile, na Argentina, na Bolívia e no Uruguai.

Os militares brasileiros não foram e nunca serão uns estúpidos e sabem muito bem das suas responsabilidades constitucionais, como a instituição manutedora da segurança institucinal do país e da sua democracia.Então reagiram e certamente reajirão.

Em 1964 houve um Contra-Golpe contra ações do Leonel Brizzola e do João Goulart, em tramar contra o Brasil e suas instituições.

Os erros foram diversos e praticados por ambos lados. Não existe guerra bonita, nem na Guerra Santa.

Então, culminaram no AI-5 e quando o processo tornou-se realmente num Regime Militar Forte, chamado de Ditadura Militar e que para mim, foi na realidade, uma Dita-Mole, marcado pela Guerrilha suja, de confrontos, porém de baixo morticínio.

Mas são águas passadas. As viúvas do Muro de Berlim devem entender que no Brasil não há espaço, nem clima para ditaduras. Que no Brasil não há somente trouxas e idiotas, eleitores do PT. Que as pessoas decentes e inteligentes querem um futuro próspero e promissor para o Povo Brasileiro. No reino da Liberdade e da Cultura Ocidental.

Que as viúvas do Muro de Berlim devem ir para Cuba, para lá chegando começem a enfrentar a Ditadura Castrista, a defender e a respeitar os direitos humanos, como eles dizem aquí.

Caso contrário se gostam de ditaduras que fiquem chorando suas frustrações nos braços de Fidel Castro. Mas que deixem, nós, os brasileiros a prosseguir na sua trajetória, onde os erros do passado não devem ser repetidos.

Att. Madeiro

Anônimo disse...

General Heleno para presidente!!!

Anônimo disse...

Salve a Contra Revolução de 1964 e não um "golpe". Não admito esse epíteto para o movimento que salvou o Brasil mas que, lamentavelmente, não pode completar a faxina!
Eduardo.45

Alexandre, The Great disse...

Uma biografia e tanto, parabéns!
Em apertada síntese diria que o conhecimento amplia fronteiras, quebra grilhões e engrandece o homem. Eu consegui resistir, na minha juventude estudantil, ao assédio desses botocudos(com alguns hematomas e sujo com ovos, forçoso dizê-lo). Aí está a razão do desmantelamento do Ensino Público de qualidade(pelo menos a qualidade de outrora), pois quanto mais "muares" houver, melhor para "eles", pois capim é barato e o país é imenso.
Se começasse HOJE um processo educacional sério e de qualidade (tipo o Japão fez após a 2ª Guerra Mundial), talvez daqui a 2 gerações pudéssemos nos considerar uma nação desenvolvida. Mas...

Anônimo disse...

Não entendo como os militares que estiveram à frente do maior feito de patriotismo levado a cabo nesse país - o golpe que levou a derrocada dos comunistas brasileiros (os mesmos que agora estão em Brasília) - deixam esses assassinos inverterem a história a favor deles!!!?
Hoje mesmo começa a nova novela do SBT (do vendilhão Silvio) Amor e Revolução, feita sob medida pelos kamaradas para fazer a cabeça de toda essa nova geração que está aí.
Não se ouve um pio sequer - a impressão que dá é que a "mão" do comunismo tem poder de calar até a alma desses bravos combatentes...

Anônimo disse...

Prezado Aluizio, não sei se é de seu conhecimento mas este ano começou a verdadeira Ditatura, sempre o dia 31 de Março era relembrado nos Quartéis, do País inteiro, com formaturas e palestras o dia 31 de março,visando não deixar este acontecimento tão importante que faz parte de nossa história ser esquecido, mas nossa "Presidenta a a" PROIBIU AS FORÇAS ARMADAS DE QUALQUER LEMBRANÇA AO FATO, DE QUALQUER MANIFESTAÇÃO, DE QUALQUER PALESTRA. e nossos "Generais", bando de fracos que não honram a farda que envergam, curvam-se, humilhados e derrotados pelos comunistas.Covardes